1. Spirit Fanfics >
  2. Uma vez um Wildcat, sempre um Wildcat! >
  3. O retorno

História Uma vez um Wildcat, sempre um Wildcat! - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Esse é o primeiro capítulo real oficial!
Aproveitem!

Capítulo 6 - O retorno


Pov. Troy

Hoje era o primeiro dia de aula no East High depois do recesso de natal e ano novo. Eu e meus filhos nos mudamos na sexta e apesar de não ter sido o melhor fim de semana das nossas vidas, hoje eu estava feliz.

Entro no banho e repasso como tudo aconteceu e como chegamos até aqui: de volta a Albuquerque.

Há dois meses tudo ia muito bem, até que Anne do nada, pediu o divórcio. Na minha cabeça, as coisas não eram perfeitas, mas jamais um motivo para separação. Fui sim pego de surpresa e fiquei decepcionado. Mas o pior foi a reação dos nossos filhos. Logan me acusou de não lutar pela família e disse que iria morar com a mãe. Nini ficou dividida e chorou muito, mas é mais apegada comigo, disse que ficaria ao meu lado. Justin ficou chateado, não aceitou a decisão da mãe e quis ficar comigo. Porém, no dia que Logan e Anne sairiam de casa, ela informou o filho que não poderia levar ele junto, pois iria para Londres, investir nela e em sua carreira. E aí, além de irritado comigo, ficou decepcionado com a mãe.

Não tinha o que fazer, ficamos só nós e eu fiz meu melhor, porém, não foi suficiente. Logan se envolveu em tanto problema na escola, que foi convidado a se retirar. Justin estava muito hiperativo e toda noite tinha pesadelos, acordava e pedia pela mãe. Comecei a entrar em desespero e não tinha a quem recorrer. Meus pais estavam numa viagem pelo mundo. Chad se mudou e conversávamos apenas por telefone. Sharpay estava estrelando um peça nesse mesmo período. E aí, como se não estivesse ruim o bastante, na semana do natal, fui mandado embora. Meu mundo desabou em questão de semanas e não fazia ideia de como resolver as coisas.

Foi no intervalo entre natal e ano novo que Chad me ligou e disse que tinha uma oferta para eu treinar os Wildcats. Ele não queria assumir como treinador, por conta dos filhos e do tempo que eles exigem dele. Eu nem pensei, aceitei na hora. Seria um recomeço para todos nós. Pensei que meus filhos ficariam felizes. Logan foi o único que não curtiu tanto. A situação só ficou mais amena porque ele voltaria a conviver com Connor. Nini estava animada para reencontrar Emma, e Justin sempre gostou de conhecer pessoas e lugares novos.

E aí foi isso, em uma semana organizamos tudo e nos mudamos para Albuquerque. Como meus pais estavam viajando, ficamos na casa deles, minha casa de infância e adolescência. Foi bom voltar, a sensação de lar voltando para dentro de mim. Tínhamos saído para jantar com Chad e Sharpay no sábado, as crianças ficaram muito felizes e animadas, tanto que Connor dormiu aqui e passou o domingo com a gente. Fiquei feliz por Chad e Taylor terem se acertando e juntado as famílias, porém, ela não quis sair conosco, e eu sei o motivo. Essa foi a única parte ruim de voltar, esse lugar me traz lembranças muito doloridas.

- Pai?

Saio dos meus pensamentos ao ouvir Nini me chamando.

- Sim?

- Logan não acordou ainda e não tem nada que faça ele sair da cama. Se for nesse ritmo todo mundo vai se atrasar.

Suspiro baixo.

- Eu já resolvo isso, vai dando café para seu irmão, por favor.

Finalizo meu banho rápido. Coloco meu novo uniforme de treinador e me assusto em como fico parecido com meu pai. Pego meu celular e saio do quarto, me dirigindo até o quarto do meu filho mais velho, que por sinal, é o que eu usava quando morava aqui. Eu entro e o lugar ainda está escuro e ele deitado na cama enrolado nas cobertas.

- Logan, temos quinze minutos para sair dessa casa e chegar a tempo na escola. Então levanta e se arruma.

Falo enquanto abro as cortinas para iluminar o espaço. Ele nem se mexe na cama.

- Filho, é sério. Era para ter levantado a mais de meia hora e feito as coisas com calma. Agora não dá tempo de se enrolar.

Tiro as cobertas de cima dele e Finalmente se move, mas é apenas para mudar de posição. Logan sempre foi difícil de acordar, porém, passou meses sem estudar por conta da expulsão, então desaprendeu.

- Logan Phillip Wheeler Bolton!

Falo mais alto e mais grosso!

- Não vou pra aula. Me conta depois como foi seu primeiro dia.

Ele resmunga e reviro os olhos.

- Ninguém te deu essa opção rapaz, então levante de uma vez antes que minha paciência acabe.

Antes Do divórcio eu já teria tirado ele da cama a força, porém, agora tento ser mais paciente.

- Me deixa pai. Já fiquei sem aula por um mês, um dia não faz diferença.

Ele fala mal educado e resolvo agir antes que a gente realmente se atrase. Aproveito que seu corpo está de lado e desço uma palmada forte em sua coxa.

PLAFT

- Faz diferença para mim, recomendo que levante e desça em cinco minutos, ou prometo que vai encarar seu primeiro dia com o traseiro dolorido.

Ele se assusta com a palmada e senta na cama irritado. Ignoro seu olhar para mim e saio do seu quarto. Dei o aviso e espero que seja obedecido.

Vou até a cozinha e vejo meu caçula sentado a mesa e minha filha comendo em pé, perto do balcão.

- Animados?

Pergunto enquanto me sirvo de uma xícara de café e coloco ovos com bacon no prato.

- Eu estaria mais se fosse estudar na mesma escola que você vai trabalhar.

Meu caçula fala chateado.

- Oh pequeno. Não fique assim. Eu prometo que depois que chegarmos em casa serei todo seu. E vai gostar da escola. Vai conhecer gente nova.

Ele sorri e olho para Nini.

- Emma disse que vai ficar o tempo todo comigo e me apresentar tudo por lá. Então sim, estou animada também. Tia Sharpay disse que hoje mesmo posso participar de uma das aulas do clube de teatro.

- Isso vai ser legal!

Respondo enquanto termino meu café rápido. Tínhamos que sair logo e olho meu relógio pronto para subir e arrancar meu filho de casa na marra, mas ouvimos passos nas escadas e pela força, seu humor está péssimo. Ele entra na cozinha e arremessa sua mochila no chão. Se serve de cereal e leite e senta a mesa.

- Seguinte, vamos sair agora e prometo não fazer vocês passarem vergonha na escola, então se comportem. Justin, sua irmã vai te buscar hoje e ensinar a voltar para casa sozinho. O treino de basquete vai começar as três e meia, então chego em casa por volta das cinco. Nini cuida do jantar hoje. Logan, te inscrevi nos testes para o time, não se atrase.

Todos concordam, menos meu mais velho.

- Não vou fazer teste nenhum. Eu odeio basquete pai!

Ele reclama alto, mas não estava com tempo para isso.

- Já discutimos isso. Vai entrar para o time sim. Cabeça ocupada não permite você ficar fazendo besteira por aí. Dessa escola o senhor não vai ser expulso. Então, não me estressa com isso. Agora vamos!

Ele bufa irritado e levantamos rápido indo para o carro. O dia seria longo.

Pov. Gabriella

- Mia, se demorar mais um minuto você vai perder a carona!

Grito na porta de casa indo até meu carro. A gente já estava atrasado para o primeiro dia de aula deles e eu para uma reunião com um cliente. Entro no carro e olho meu relógio.

- Sua irmã parece que me testa!

Reclamo irritado e meus filhos apenas escutam.

- Vai indo mãe, a gente espera a Mia e pega o ônibus.

Rick fala suave e sorrindo. Relaxo um pouco. Ele é tão bom, tão preocupado com todo mundo. Tão parecido com Kyle, mesmo que não seja filho dele. Faço carinho no rosto dele e respondo.

- Não seria justo deixar você irem de ônibus já que acordaram na hora. sua irmã precisa aprender a ser mais pontual.

- Ela sempre foi ruim de acordar.

Ele fala rindo e eu concordo. Vemos a porta de casa abrir e ela sair toda arrumada e com uma carranca mal humorada. Ela entra no carro e solta.

- Vai logo, não tava me apressando? Tá esperando o que agora?

Olho pelo retrovisor com um olhar de aviso. Ela revira os olhos e falo com calma, mas severidade.

- Eu deveria estar irritada Mia, não você. Agradeça que ainda esperamos. Precisa ser mais pontual filha.

Repreendi ela que ainda respondeu.

- Eu odeio acordar cedo e ir pra escola. Já que tenho que fazer, preciso de tempo para me arrumar. Não vou pra escola como a Zoe, parecendo uma mendiga.

Rick balança a cabeça e chamo sua atenção.

- Mia!

- Posso até parecer mendiga, pelo menos tenho amigos. Acredita que as pessoas gostam de mim? Nem sabe o que é isso né?

Zoe responde e já sei que não vai parar até que uma magoe a outra

- Zoe e Mia chega!

- Quem disse que não tenho amigos? Acha que saio por aí sozinha? E ainda tenho estilo, algo que você nunca vai saber o que é.

Ela responde e suspiro. Ela sempre diz que tem amigos, mas nunca os conheci. Zoe segue na discussão ridícula das duas.

- Amigos? Chama aquela gangue de amigos? Me surpreende que nenhum de vocês tenha sido preso ainda.

Mia responde, mas me desligo do que estão falando. Chegamos na escola dos caçulas, estaciono e saio com eles.

- Tenham um bom dia meus pequenos. Se comportem e sejam gentis.

Greg sorri e sai correndo e Ben me abraça.

- Te amo mamãe! Não vai se atrasar né?

- Não.meu amor. Bateu o sinal e eu estarei aqui. Te amo!

Ele sorri e sai correndo atrás do irmão. Eles são tão lindos. Ben é sensível. Espero que nesse semestre ele consiga fazer mais amigos. Volto para o carro e a discussão das duas está acalorada. Rick me olha solidário. Queria tanto uma manhã pacífica. Elas não ligaram que voltei pro carro. Ligo o mesmo e começo a dar a ré quando decido chamar a atenção das duas. Minha sorte é que demorei para decidir isso e Zoe soltou uma frase que entregou algo que Mia fez. 

- Você fala de mim, do meu estilo e das coisas que faço mas se comporta como uma qualquer. Sai de madrugada escondida e volta quase amanhecendo. Prefiro...

- Como é que é?

Freei o carro com força e vejo Rick fechar os olhos preocupado e Mia me olhar pelo retrovisor assustada. Zoe cobre a mão como se tivesse entregado o grande segredo da irmã.

Viro meu corpo para trás e encaro Mia seriamente.

- Que história é essa?

- A Zoe tá louca mãe! Não fiz nada disso!

Sei que ela está mentindo. Mia não me olha nos olhos quando mente e geralmente fica nervosa, o que nitidamente é o caso.

- Não mente para mim Mia! Você saiu ontem sem me avisar?

Ela fuzila a irmã com o olhar e me olha mais nervosa ainda. Tá aí a prova que eu preciso, mas quero que ela fale. Mia fica em silêncio, se não falar, não tenho provas para punir ela.

- Zoe você sabia? Por que não me contou?

- Não sou x9 mãe. Não ia entregar a Mia.

Elas brigam, discutem, se ofendem, mas não se entregam. Não sei se fico feliz ou com mais raiva.

- Era algo perigoso Zoe. Não é questão de ser x9, é sobre a segurança da sua irmã.

Falo alto e batendo no banco com raiva. Ser mãe é magnífico, mas ninguém diz as partes ruins. Essa é uma parte ruim.

- Desculpa mãe, a gente sabia que ela estava bem, não queria ver ela em problemas com você.

Rick passa a mão pelo rosto e Mia balança a cabeça.

- A gente? Você sabia disso Rick?

Olho irritada para meu filho mais velho. Eu devo ter muita cara de trouxa mesmo.

- Mãe, não briga com eles. Eu que saí escondida. Larga de ser surtada.

Mia fala mal educada e calo ela com um olhar reprovador. Meu filho me olha envergonhado e tenta se justificar.

- Mãe, não fizemos por mal. Foi a primeira vez, não fica assim. Se eu sentisse que a Mia estava em perigo ia te contar.

- Não cabe a você sentir se a Mia está em perigo.

suspiro e eles ficam em silêncio. Conto até dez, vinte, trinta. Puxo o ar com força e falo em tom baixo mas ainda irritado.

- Estou decepcionada com os três, a noite vamos.conversae sobre isso tudo. Agora façam silêncio até chegarmos na escola, ou não respondo por mim.

Meu aviso surte efeito e eles nem se mexem nos bancos. Chegamos ao East High atrasados. Estaciono na porta e aviso.

- Direto para casa. Não tem casa da Taylor hoje.

Já aviso sabendo que Zoe iria para lá depois da aula, como todos os dias. As duas saem em silêncio, mas Rick permanece sentado. Ele em olha suplicante e pede.

- Eu sei que você está brava e nem tiro sua razão. Mas hoje é o primeiro dia e vamos conhecer o novo técnico. Não posso faltar ao primeiro treino mãe. Por favor!

Olho para frente e suspiro. Ele ama basquete. Jamais seria capaz de prejudicar ele no time.

- Okay Rick. Fique no treino. Mas depois, é direto para casa. Única excessão por causa do basquete. Entendido?

Ele sorri fraco, beija minha bochecha e agradece.

- Obrigado mãe, você é a melhor! Te amo!

Sorrio e ele sai apressado. Esse menino tira o melhor de mim, não consigo ficar realmente brava com ele. Rick nunca faz nada errado e ainda quando faz é porque tentou ajudar a irmã. Deito a cabeça no volante e deixo toda essa história para trás. Estou atrasada para meu trabalho e preciso estar cem por cento ao falar com o cliente. Levanto a cabeça e vejo um grupo passar pelo meu carro e podia jurar que reconhecia o adulto ali, pisquei algumas vezes. Não consegui ver direito. Mas era impossível. Ele não estava aqui. Não podia estar aqui. Minha cabeça não está boa hoje e vir até o East High sempre me deixa abalada. Respiro fundo. Apago a imagem que vi na minha mente e ligo o carro indo até o meu escritório.

No caminho abro meu celular e vejo uma.mensagem da Taylor:

"Preciso falar com você. É importante. Janta aqui hoje?"

Era tudo que eu queria. Respondo.com um áudio explicando tudo e ela me responde na hora.

"Gabi, tem que ser hoje. Fale com as crianças e me ligue quando forem dormir. Eu vou até sua casa, não importa a hora."

Concordo com ela mas estranho a reação. Deve ser algo sério, Taylor nunca fez isso. Logo chego na empresa e com tantas reuniões, esqueço tudo que aconteceu de manhã. Por isso não troco meu trabalho por nada, ele sempre.me acalma.

Agora, o que não sai da minha cabeça: o que a Taylor tem de tão urgente para me contar?


Notas Finais


É isso por hoje! Foram muitos capítulos, para vocês verem como isso estava atormentando minha cabeça já!
Comentem o que acharam!
Amo vocês!.
😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...