1. Spirit Fanfics >
  2. Uma Vida de Dois Gangsters >
  3. Acidente (Parte 2)

História Uma Vida de Dois Gangsters - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Oi oi pessoal.
Desculpem-me por eu não postar nada durante muito tempo, mas eu prometo que aos poucos eu vou voltar à ativa, já que agora com esta coisa da pandemia temos que ficar em casa e temos, pelo menos eu vou voltar a escrever.

Agora eu vou postar os capitulos tanto aqui, como no whattpad, às segundas, quartas e sextas.

Mas agora vamos para o capitulo.

Capítulo 12 - Acidente (Parte 2)


Quando entrei na garagem vi a Dani a sair com tudo de casa e vi o Thiago com um olhar preocupado.

- Ei Thi, o que se passa para estares com essa cara?

- A Dani disse que queria dar um esticada antes de ir para o rolê connosco, mas eu acho que isso vai dar muita merda.

- Porque é que dizes isso?

-Não sei, só estou a sentir isso, por isso vamos logo porque eu estou mesmo preocupado.

Saímos a alta velocidade atrás da Dani e eu vi que a mota da Dani estava do chão e ela estava desacordada. Parei e desliguei a minha mota, correndo para ver como é que ela estava.

 

POV RENATO
 

Quando a vi, eu corri até ela para ver como é que ela estava. Quando cheguei perto dela vi que ele estava cheia de sangue, e comecei a entrar em desespero.

- Thiago, liga para o nosso médico e que ele vá para a nossa casa, ela precisa de cuidados urgentes, e que os meninos venham buscar a nota, ou o que resta dela. – Acabei de dizer isto e ele começou a telefonar para todos.

Peguei na Daniella ao colo e levei-a para a minha mota e tinha a que levar com cuidado se não ia dar ruim, então fui com todo o cuidado do mundo e logo cheguei a casa.

Chegando a casa deixei a mota na garagem e fui em direção do meu quarto e deitei a Dani na minha cama e de repente o doutor veio em direção da Daniella para a examinar. Não queria sair de perto dela, mas o doutor literalmente expulsou-me do quarto então eu fui para o lounge da zomo e fiquei lá até os meninos chegarem.

- Então, como é que ela está? – Perguntou o Thiago.

- Eu não sei, quando o doutor chegou ele literalmente expulsou-me do quarto e não me deixou ver o que ele ia fazer, e até agora não saiu de lá, será que ela está bem? – Disse cheio de medo de lhe ter acontecido alguma coisa.

- Não lhe deve ter acontecido nada de grave, ela estava de macacão vestido no máximo ela deve estar com alguns ralados de leve. – Disse o Leo.

- Pois mas se fosse só isso ele já não estaria dentro daquele quarto, por isso quero saber o que se passa com ela. – Disse já ficando impaciente.

- Eu vou lá ver o que o que se está a passar. – Disse o Thiago. Eu sabia que ele também estava muito preocupado com a Dani, já que eles se tratavam como pai e filha, eu sabia que ele também tinha um pouco de receio que fosse alguma coisa de grave.

 

POV THIAGO

 

Eu sabia que ela devia ter ido à frente, eu sabia que isto ia dar merda.

Fui em direção do quarto do Renato e ouvi o doutor a falar com a Dani e abri a porta.

- Então doutor como é que a minha menina está?

- Ela está bem só que como eu estava-lhe a dizer, ela daqui para a frente precisa de ter alguns cuidados com algumas das suas feridas, como este por exemplo – Apontou pata um ferimento que la tinha na perna, onde tinha pontos – Ela conseguiu que um pedaço de vidro perfurasse o macacão e ainda perfurasse a pele, mas nada de grave. Também não pode pousar essa perna no chão para que os pontos não arrebentem, e cuidar dos outros ralados que ela tem.

- Então não aconteceu nada de grave com ela? – Perguntei mais aliviado.

- Não, ela só fez o machucado que eu disse anteriormente de mais grave, mas de resto é só tudo raladinhos.

- Ainda bem. Obrigado doutor por vir aqui a esta hora.

- Não precisas de agradecer Thiago, eu sei que vocês não me chamariam se vocês não se preocupassem com esta menina.

- Ela é como uma filha para mim, e ainda por cima ela é namorada do Renato, então ele nunca deixaria que ela não tivesse outros cuidados a não ser os seus.

- Bom, cuidem da manina, não deixem ela nadar de mota tão cesso, senão pode acontecer a mesma coisa.

- Eu juro que não vou deixar tão cedo ela andar de mota, só vai andar de carro e olhe lá- Disse rindo da cara que a Dani fez. – Não me olhes assim, tu sabes que é isso que vai acontecer e eu não sou o único que vai-te dizer isso.

- Eu sei, mas eu quero ter a minha liberdade. – Disse ela com uma cara um pouco emburrada.

- Na última vez que eu te dei liberdade, olha como estás no final da tua liberdade.

Vi o doutor a sair de mansinho do quarto a rir e eu pisquei-lhe o olho como um agradecimento.

- O Renato sabe que eu já estou bem?

- Não – Mal eu acabo de dizer isso ele entra no quarto. – Bom agora sim – E comecei a rir-me com a Dani.

- Do que vocês estão a rir?

 

POV RENATO

 

Entrei no quarto e vejo aqueles dois trouxas a rir.

- Do que vocês estão a rir? – Perguntei a eles.

- Ainda agora eu perguntei ao Thiago se tu já sabias que eu estava bem e ele tinha dito que não, mas quando tu entraste ele disse que agora tu já sabias e começamo-nos a rir.

- Tá mas eu quero saber se tu realmente estás bem?

- Eu estou bem, tirando os ralados que eu tenho no corpo e os pontos que eu tenho na perna, estou bem. – Diz a Dani.

- E ela não pode andar por causa dos pontos, tem de descansar e cuidar de todos os ralados, principalmente dos pontos. – Disse o Thiago com uma cara mais séria. – Ah e mais alguma coisa, não vai andar de moto tão cedo.

- Isso é verdade, ouviu bem senhorita? – Disse olhando bem para ela.

- Sim ouvi, mas agora que já estás aqui, ajuda-me a tomar banho e leva-me depois lá para baixo. – Ouvi a Dani a dizer quando eu ia em direção do closet.

- Ajudo mas tu não vais pousar essa perna no chão, ouviste-me?

- Ouvi sim, mexe-te que eu também tenho fome. – Gritou ela.

Ajudei-a a tomar banho, o que não foi uma tarefa fácil de fazer, já que ela não se equilibrava e depois de vesti-la levei-a para baixo.

Chegando lá a baixo, deitei-a no sofá e os meninos foram chegando e sentando-se ao redor e perguntando como é que a Dani estava.

- Gente, ela está bem, só não pode andar e de resto tem de descansar, mas isso vai ser um pouco difícil para ela, já que ela nunca para quieta.

- Isso é verdade, mas eu nunca vou estar no tédio, já que aqui em casa sempre alguma coisa que dá para rir.

E começamos todos a rir uns com os outros, esquecendo do que havia acontecido poucas horas atrás.

 

CONTINUA……


Notas Finais


Bom gente, este foi o capítulo, espero que tenham gostado.
Vou deixar aqui o insta, onde eu também posto a fic, assim vocês vão dar uma força lá.
https://www.instagram.com/_reh._garcia_/?hl=pt

Era só isso. Bye Bye <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...