História Uma vida melhor - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Xiumin
Tags A Better Life, Angst, Exo, Grace Vanderwaal, Irmãos Kim, Jongdae, Minseok, Oneshot, Songfic, Xiuchen!kids
Visualizações 24
Palavras 672
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drabs, Drama (Tragédia), Famí­lia
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Algo simples que pensei ouvindo a música A Better Life, de Grace VanderWaal, espero que gostem ~

Capítulo 1 - Apenas feche seus olhos


Fanfic / Fanfiction Uma vida melhor - Capítulo 1 - Apenas feche seus olhos

Jongdae nunca foi um garoto que tinha o costume de reclamar, independente do que era dito ou feito, ele seguia em frente, inabalável. Pelo menos por fora.

A família Kim era mais uma das pessoas pobres beirando o miserável daquela vila afastada de tudo e todos, apenas para ir até a venda mais próxima levava um dia e uma noite, de carroça. Para aqueles que tinham que ir andando o tempo era maior, muitos acabavam nem voltando, morrendo para o clima, fome, até mesmo para ladrões noturnos. Com a pobreza, vinha a fome, com a fome vinha o desespero por qualquer trabalho que fosse possível receber algum trocado, todo dinheiro ou alimento era precioso. Com o poder tirano sobre os necessitados vinha a violência. As agressões que os pais sofriam eram descontadas nas pobres crianças que nada tinham a ver com aquilo.

O que impedia o filho mais velho dos Kim de pirar era seu irmão mais novo, Minseok, de apenas três anos. O pequeno ainda não havia falado uma palavra sequer, o que deixava Jongdae preocupado as vezes. Os dois sempre trocavam olhares, aquela era a forma de comunicação dos dois, sentia que o menor falava com os olhos, e apesar de não saber exatamente as palavras que eles diziam, de alguma forma conseguia entender o que o mais novo pensava. Minseok sentia que seu irmão era sua pessoa especial, pois era o único que o entendia, dava atenção e amor. Por isso o seguia para todos os lugares que o outro fosse, era algo que tinha decidido por si mesmo, motivo de seu orgulho interno.

Jongdae sempre levava o menor para uma área afastada da cidadezinha miserável, sentava-se na grama com as costas apoiadas no tronco de uma árvore com Minseok no colo o abraçando amorosamente, ele o olhava nos olhos e dizia que era aquela hora do dia, os olhos escuros e pequeninos do outro demonstravam alegria, ele também gostava daquela hora.

- Então feche seus olhos - dizia e também os fechava depois do menor. Não valia espiar, ou o encanto se quebraria.

Era a hora de criar uma vida melhor, como o primogênito havia batizado a brincadeira, podiam imaginar o quanto quisessem. Chegariam em casa, uma casa confortável, limpa e organizada, não precisava ser grande como as que os outros garotos do bairro diziam que iriam ter quando crescessem e ficassem ricos, apenas precisava trazer a sensação de lar para os dois. A mãe os receberia com beijos e abraços, o pai os giraria no ar enquanto risadas infantis eram ouvidas. Na mesa de jantar haveria um prato de sopa e um pedaço de pão para cada um, não precisariam dividir ou revezar no dia de passar fome. E talvez, apenas talvez, se não fosse pedir demais, eles poderiam experimentar uma vez na vida o gosto de peru assado com batatas que apenas o ricos eram capazes de desfrutar, esse era um dos desejos secretos dos irmãos.

Sentiam o vento soprar, seus cabelos se agitando, podiam ouvir a música que Jongdae sempre amava cantarolar ressoando em suas mentes, a melodia que os transportava para a vida boa, a vida perfeita.

Uma vida melhor.

Na volta para casa, na escuridão, eles avistavam uma lamparina com chamas que oscilavam. E subitamente, aquela pequena luz na escuridão poderia ser comparada a chama de esperança que queimava em seus pequenos peitos. Trazia o sentimento que tudo havia se tornado feliz, não havia mais lugar para medo, naquele pequeno momento que os dois pareciam estar em sintonia sentindo a felicidade repentina, eles se entreolharam novamente, um sorriso fraco nos lábios de Jongdae externavam seus pensamentos, "isso é tudo temporário, meu amor".

O aperto na mão pequena se tornava mais firme enquanto o mais velho abria a porta vagarosamente, estilhaços de vidro estavam espalhados pelo chão imundo, vozes altas proliferavam xingamentos, a bestialidade emanando dos dois corpos adultos, daqueles que deveriam ser chamados de pais. Como uma forma de boas-vindas ao inferno, quatro olhos com brilho sanguinário foram direcionados para as crianças.


Mas estava tudo bem.


Eles poderiam ter uma vida melhor amanhã novamente.


Notas Finais


Será postado mais um OS, outra songfic, com os irmãos Kim já crescidos, acompanhem ela também ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...