História Uma vida salva - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 1
Palavras 4.594
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ligiazinha minha filha essa é pra você huashuahuas espero que goste 💗

Capítulo 1 - Uma vida salva


Oi... Meu nome é hyu-ki walter e nesse momento acabo de ser expulso de casa pelo meus próprios pais e por isso estou indo em direção ao bar já que é a única coisa que me resta.

- por favor a bebida mais forte que tiver.

*O mesmo olha pra mim e faz um gesto com a cabeça em negação e decepção por ver meu estado já que havia chorado litros hoje,mais por ser seu trabalho ele me dá a bebida*

Barman: Sabe jovem seja lá o que esteja passando beber nunca é a melhor solução

- Você não entenderia

*Falo virando o copo de uma vez sentindo a bebida descer rasgando pela minha garganta já que não havia o costume de beber tanto*

Barman: então me conte o que está acontecendo e pegue leve na bebida rapaz se não irá cair durinho no chão

- morrer não é a pior coisa que pode acontecer comigo hoje, e por favor me traga mais, um dessa vez em um copo grande.

*Ele apenas assente me dando um copo maior com a bebida*

(......)

- Me de mais bebida!

Barman: eu lamento Mais você já bebeu de mais!

- Eu não quero saber hoje irei beber e não é você que vai me impedir!

Barman: eu lamento mais você terá que se retirar.

- e se eu não quiser?

Barman: me desculpe, espero que melhore.

°o barman sorri com pena fazendo sinal pro segurança para que eles retirassem o rapaz que até então já havia atraído muitos olhares alheios°

- tudo bem eu saio! Agora me soltem!

*Saio de lá invocado e colocando meu capuz novamente sobre a cabeça*

(......)

*Já havia andando bastante a rua estava completamente deserta não havia pessoas nem lugares abertos apenas o frio prevalecia no local*

- Acho que não me resta Mais opções

*Digo ainda com as mãos no bolso olhando a bela vista da cidade que só era possível ver no alto do pico diamond*

- Realmente é uma bela vista, uma pena que será a última vez que irei vê-la

???: Ai como isso é triste! Se continuar assim irei chorar!

- hã?

*Procuro pelo dono da voz e com muita dificuldade vejo uma silhueta masculina que estava sentada em uma cerca*

???: Sabe até agora estou me perguntando o que poderia ser tão sério pra te motivar a se matar

*Ele fala tirando um pirulito de sua boca e andando em minha direção*

- Se é dinheiro que você quer eu não tenho.

???: Não quero seu dinheiro

*Vejo ele sorrir diverdido*

???: Na verdade eu quero lhe dar algo

*Só eu que maliciei essa frase?*

- Se for pra abusar de mim fale logo, que assim eu posso me jogar logo daqui

???: Aishi, não seja bobo é lógico que eu não vou fazer Isso

- então o que você quer de mim?

???: Oh! olhe Como sou mal educado! Já estamos aqui conversando e eu nem se quer lhe falei meu nome, prazer meu nome é Takashi Matsudesu, mais meus amigos americanos me chamam de DK já os asiáticos me chamam de kaishi, me chame do que preferir

*O mesmo fala sorridente*

- eu não me importo com quem você seja

???: Não precisa ser grosso eu só quero te ajudar

- afinal porque está se preocupando tanto comigo sendo que nem se quer me conhece

*Digo me sentando olhando a cidade*

Takashi: bem, eu acredito que toda e qualquer forma de vida deve ser valorizada e muito bem cuidada, até mesmo se você fosse o ser mais repugnante do mundo eu não hesitaria em te ajudar

*Olho pro mesmo e ele estava com uma sacola que aparentemente tinha pão dentro*

- porque está alimentando esses animais? Eles são imundos

Takashi: Aishi! Você é mais lerdo do que pensei! Você não prestou atenção em nada do que eu disse né?, Bem esses animais não tem culpa de serem imundos estão sempre andando em lugares nojentos porque não possuem opção, mais até mesmo eles merecem comer algo decente

*O mesmo fala jogando pão aos ratos e pombos*

Takashi: Estou pronto! Agora Podemos ir

*O mesmo coloca uma mochila nas costas*

- ir aonde? E o que te faz pensar que eu irei com você?

Takashi: claramente você não tem onde ficar então de bom grado eu ofereço minha casa pra que você possa passar a noite

- Quem garante que você não vai me matar?

Takashi: se eu quisesse te matar já teria feito, até porque independente de eu te matar ou não você já iria fazer isso

- Pelo menos morreria com dignidade e não por uma faca ou sei lá o que

Takashi: deixe de besteiras, Vamos logo!

*Mesmo me recusando a ir internamente me dei por vencido*

- Vamos

*Ele sorri e começamos a andar, já estávamos na rua novamente e ela era iluminada pelos postes que finalmente me permitiam ver exatamente como era aquela pessoa*

*Sua pele era pálida seus cabelos brancos como a neve no final de seu cabelo era pintado de roxo puxado pro azul, o mesmo trajava uma jaqueta azul escuro uma camisa escrita Nirvana, sua calça era preta rasgada no joelho seu tênis da Adidas, ele possuia pintinhas em seu rosto que combinavam com seus olhos pretos*

*Porra

*Ele era bonito

*Parece que Deus capricha mais em uns do que em outros, bem que ele podia ter caprichado assim em mim

*Ótimo

*Mais do que nunca quero voltar até o pico e me jogar para que essa dor acabe

Takashi: no que tanto pensa?

*Que Deus estava pensando em lixo quando me criou*

- nada, falta Muito para chegarmos?

Takashi: não, pra falar a verdade... Aquela e minha casa

*Ele aponta me mostrando o local*

Takashi: pronto pode entrar

*O mesmo destranca a porta e espera que eu entre para fechar a porta, sua casa era bonita não muito grande tinha um jardim bem cuidado, já dentro da casa vejo que tudo era Muito bem organizado*

Takashi: então você vai me contar agora, ou prefere preliminares?

*Ele fala colocando um pouco de chá para mim, era estranho ver algo tão fofo como um um kit de bule de chá e xícaras de ursinho, ele não parece o tipo de cara que gosta dessas coisas*

Takashi: o que foi?

- você não tem cara de quem gosta de coisas fofas

*Digo enquanto ele estava sentado saboreando o primeiro gole do chá*

Takashi: eu gosto, algumas coisas eu comprei

*Ele aponta pra uma almofada de kumamon*

Takashi: outras e a maioria eu ganhei de minha irmã

- Ah...

*Tive vontade de perguntar sobre sua irmã mais decidi ficar calado*

Takashi: você quer saber mais não é mesmo?

- Sim...

Takashi: tudo bem, sempre que quiser perguntar algo é só falar

*Ele sorri Gentil*

Takashi: bem... Eu tenho 16 anos e sou emancipado de meus pais, sabe não pense que eu não os amo e que eu não aguentava mais viver no meio das brigas deles então fui na justiça e consegui minha emancipação, quando contei a minha irmã que sairia de casa ela ficou triste, então ela me Deu várias coisas e disse que eu deveria cuidar imaginando que fosse ela. Até hoje Estou com tudo que ela me Deu, esse bule nos usávamos quando brincávamos de boneca eram bons tempos...

*Não que nos fossemos tão íntimos Mais conversar com alguém talvez me ajudasse a me distrair do suicídio*

Takashi: já falei demais sobre mim, agora me conte por que queria se matar

- .....

Takashi: ok... Me conte quando se sentir preparado, enquanto pensa quer algo pra comer?

- aceito

*O mesmo coloca um prato de comida e talheres para que eu pudesse comer*

Takashi: quantos anos você têm?

- 19

Takashi: wow você é realmente novo se você se matasse agora iria perder o Melhor da vida!

*Ele se senta novamente na mesa e começa a comer comigo*

- não acho que isso exista

Takashi: não perca as esperanças!

(.....)

*Já havíamos acabado de jantar e ele me chamou pra sala para assistirmos um filme, o filme não era chato mais eu estava cansado e ainda sentia o álcool correr pelas minhas veias, estava praticamente dormindo quando escuto a voz de Takashi*

Takashi: Hey não durma no sofá e desconfortável, venha vou te dar uma toalha e roupas confortáveis

*Olho o mesmo e começo a subir as escadas junto a ele que logo entra em um quarto, que aparentemente era dele*

Takashi: tome, o banheiro fica ali e a última porta e já que está muito cansado pode dormir nesse quarto

*Ele me mostra outro quarto que havia uma varanda um guarda roupa é uma cama nada mais, provavelmente esse quarto era exclusivo para hóspedes*

- ok...

*O mesmo já estava saindo então segurei seu braço*

- Takashi... Obrigado... Você está realmente sendo legal comigo, Ah! meu nome é hyu-ki

*Pela primeira vez naquela noite eu sorri para ele e sou retribuído com um sorriso de orelha a orelha*

Takashi: que isso, por nada, eu gosto de ajudar

*Ele sorri mais uma vez, e sai do quarto*

°•°~quebra de tempo~°•°

Autora on

Todos já estavam em seus quartos dormindo porém hyu-ki não estava bem então naquela noite teve em anos outro ataque e começou a gritar assustado consigo mesmo, seu ato acordou o outro rapaz que descansava em seu quarto fazendo com que ele corresse até o quarto do seu Mais novo "paciente/amigo" que ele considerava.

Takashi: está tudo bem?!

*Ele havia entrado sem se quer bater na porta seus cabelos estavam bagunçados e ele segurava um taco de baseball e uma frigideira*

- por favor saiam de minha cabeça...

*Takashi estava assustado já tinha lidado com outros casos mais o de hyu-ki era realmente sério o mesmo estava jogado no chão com os olhos fechados enquanto chorava e falava coisas sem sentido*

Takashi: HYU-KI!

*Ainda pasmo Takashi corre até hyu-ki que chorava desesperadamente*

* Takashi corre até hyu-ki e começa a balançar o mesmo ele já estava desesperado, mesmo que hyu-ki estivesse chorando ele ao mesmo tempo estava desacordado por culpa de um sono profundo*

- AAAAAAH

*Hyu-ki da um grito enfim se levantando desesperado ficando sentado no chão, já Takashi o abraça e afaga a cabeça de hyu-ki em seus ombros*

Takashi: está tudo Bem

*Takashi fala baixo e calmo no ouvido de hyu-ki que se acalmou e retribuiu ao abraço de Takashi, apesar de estar mais calmo Takashi ainda sim sentia as lágrimas de hyu-ki escorrer por sua camisa*

- Takashi...

Takashi: vem... Vou te dar um calmante

*Hyu-ki se levanta e enxuga as lágrimas seguindo Takashi*

Autora off

Hyu-ki on

Takashi: então o que acha de me contar agora o que está te encomodando?

*Ele fala me entregando um comprimido e um copo de água fofo, bebo o remédio e continuo a encarar o nada*

- está bem..., Bom Sempre quando tenho fortes emoções me sinto atacado e vozes surgem em minha cabeça dizendo que eu faça absurdos com meu corpo.

Takashi: me deixe adivinhar, você as ouviu quando ia se jogar não é mesmo?

- Sim...

Takashi: então o que causou isso?

- ...tudo.... Eu sou Filho do vizinho que minha transou e traiu meu pai porém ele nunca tinha descobrido até então passou a desconfiar já que a medida que eu ia crescendo meus olhos ficavam cada vez mais puxados, como não havia nenhum asiático na família ele questionou minha mãe a mesma mentiu Para ele dizendo que seu avô era asiático, meu pai não a questionou mais porque ele não tinha provas para acusa-la de qualquer coisa já que o avô dela já havia falecido, graças a Natacha uma empregada de confiança em nossa família ele descobriu o adultério, meu pai ficou indignado não aceitava o fato de eu não ser fruto do seu esperma, já minha mãe pra tentar se justificar disse que como ele não poderia dar um Filho a ela, ela procurou consolo o que não passava de uma desculpa besta já que ela só queria transar com nosso vizinho coreano, para evitar polêmicas meu pai decidiu prosseguir com seu casamento com minha mãe, porém... Não havia mais amor apenas angústias meu pai bebia todo dia é chegava bêbado em casa e brigava com minha mãe ele só a agredia com palavras, por mais que minha mãe merecia coisa pior ele nunca havia tocado um dedo nela para agredi-la, ele sempre foi um homem de respeito e princípios, com meu pai angustiado a empresa desandou a nossa empresa quase foi a falência e os que diziam ser meus amigos me abandonaram quando souberam da falência para eles eu não servia pra nada se não tivesse dinheiro, os únicos amigos de verdade que eu tinha tiveram que viajar pro México por conta de seus pais, já o meu pai não conseguia nem se quer falar comigo e minha mãe..., Eu não tenho raiva dela mais e realmente uma decepção saber que você nasceu do fruto de um adultério, minha mãe me tratava como sempre tratou e fingia que nada estava acontecendo com tantas coisas acontecendo eu decidi me matar, e você já sabe o resto da história já que ela continua na parte em que você aparece

Takashi: realmente isso é muito sério..., Irei te ajudar com seu problema, eu prometo!

*Takashi segura minha mão e sorri Gentil*

- obrigado

*Seguro sua mão de volta e dentro de alguns segundos nos soltamos*

Takashi: pra você o que seria a vida perfeita?

- amigos, uma boa família, que tudo fosse normal

Takashi: Ok, me de seu celular

- hm? Porque?

Takashi: as mudanças começaram a partirde agora

- tudo bem...

*Dou meu celular a ele*

Takashi: agora não se preocupe e vá dormir

- ok...

°•°~Quebra de tempo~°•°

*Acordo e com sorte consegui dormir o resto da noite em paz, desci as escadas e o que apenas encontrei foi um café da manhã na mesa junto de um bilhete*

"Eu sai e não demorarei muito a voltar, pode ficar e aproveitar um pouco Mais de minha casa, espero que goste do café da manhã" ;3

Assi: An-xin • 3 •

- bem... Já que não tenho pra onde ir Melhor ficar aqui

*Pega uma torrada e coloco na boca e vou carregando biscoitos e leite até o sofá*

Hyu-ki off

Takashi on

*Nesse momento estava indo em direção a casa de hyu-ki através de seu celular consegui os números dos pais deles é o endereço, digamos que não foi tão difícil coletar informações sobre eles, foram apenas alguns cliques sem querer me gabar mais entendo bem de informática geral, e minha nossa a casa dele é realmente longe da minha me pergunto quanto tempo ele andou na noite passada*

(.....)

*Após andar bastante e pegar um metrô finalmente cheguei no condomínio de hyu-ki, agora só resta entrar*

- Olá, estou aqui para falar com os senhores min

*Digo ao segurança que cuidava da portaria°

Segurança: E quem é você?

- Ora quem sou eu?! Eu sou o secretário do senhor Walter!

Segurança: como se eu vi o secretário dele ontem!

- pelo visto você não sabe, Mais o outro foi demitido e eu sou o atual.

Segurança: ok então, vou apenas ligar pra confirmar sua entrada

- Se eu fosse você não faria Isso

Segurança: porque?

- Eles estão doentes e indispostos fui avisado que eles dormiriam até tarde, então apenas vou pegar o documento deixado com os empregados e me retirar

*Vejo o segurança se dar por vencido e abrir o portão*

- Ah já ia me esquecendo qual é o número de sua casa (dos senhores min)

Segurança: Como você não sabe?

- porque eu só fui contratado a um dia, e você faz perguntas demais eu preciso ir logo ao escritório e continuar com meus deveres.

Segurança: 204, casa amarela

- obrigado e passar bem.

*Finalmente consegui entrar, cara chato :P *

- 204...., 204... Achei!

*As casas daquele lugar eram realmente muito grandes e chiques afinal aquela era uma parte nobre da cidade onde moravam os mais afortunados*

*Me aproximei da casa e toquei a campainha, logo sou atendido por uma senhora simpática*

Xxxx: Olá!

*A senhora sorri simpática*

- Olá! Eu vim aqui visitar os senhores min, eu queria conversar um pouco com eles sobre hyu-ki

Xxx: você sabe dele?

- Sim, ele passou a noite em minha casa

Xxx: Oh! Que maravilha! Por favor entre!

*Entro na casa*

Xxx: SENHORES O HYU-KI APARECEU!

*Me sento no sofá e vejo eles descerem as escadas apressados*

Sr Walter: ONDE ELE ESTÁ?!

Sra Walter: MEU BEBÊ VOLTOU!

- Oiê!!

Sra Walter: ...

Sr Walter: quem é você?

- sou apenas um amigo de seu filho, e vim aqui, conversar com vocês

Sr Walter: onde está meu Filho?

- Não se procupe ele está na minha casa, Mais Podemos conversar?

Sra Walter: Sim, sente-se por favor, deseja algo para beber?

- não, obrigado.

Sr Walter: então, o quer falar com a gente?

- Seu filho me contou de todas as dificuldades que anda passando, e sinceramente Estou um pouco decepcionado achei que vocês fossem uma família exemplo, sabia que ontem seu Filho tentou se matar?

Sr Walter: O que?!

- Sim, irei contar tudo a vocês

(.......)

*Lhes contei tudo desde a tentativa de suicídio até seu ataque durante a noite é as vozes que estavam deixando ele perturbado, os mesmos estavam pasmos com tudo que eu havia contado a eles*

Sra Walter: ele realmente lhe contou tudo Isso?

*A senhora Walter não parecia muito feliz em saber que o filho havia contado algo tão pessoal assim de sua família*

- sim, ele não estava bem precisa contar essas coisas a alguém.

Sr Walter: Quero vê-lo!

- logo o senhor poderá vê-lo, mais antes eu quero dar a vocês meu sincero conselho; Sr Walter você é um homem bem sucedido é não precisa se preocupar com boatos nem nada, o senhor marece seguir em frente com alguém que te ame de verdade

Sra Walter: quem disse que eu não o amo?

Sr Walter: amor de cu é rola.

*A senhora bufa estressada com a resposta do marido*

- enfim...

Sra: escuta aqui garoto eu não me importo com seus comentários eu só quero meu Filho!

Sr Walter: Cala a boca! Deixa o menino terminar de falar.

*Agora já tenho mais ou menos uma noção de como é viver entre as brigas desse casal*

- Como eu estava falando..., Se o senhor parar de beber todos os dias e se dedicar ao lado de hyu-ki conseguirá reerguer seu império, aliás hyu-ki Sempre falava do quanto que admira o senhor, mesmo que você não seja pai dele de verdade o senhor ó criou e isso nunca irá mudar seja lá quem for pai dele de verdade isso não importa ele te ama.

*Sorrio pra ele que estava sentado no sofá*

- senhora Walter

Sra Walter: não perca seu tempo com sermões bestas para mim.

*Suspiro, essa mulher é realmente difícil*

- ok... Apenas escute com atenção o que vou-lhe dizer okay?

*A mesma me olha sério e fica calada esperando que eu me pronunciasse*

- obrigado, Sra Walter seu adultério não foi certo e você sabe muito Bem disso, sugiro que siga em frente e procure cuidar melhor do seu filho.

- meus conselhos foram simples mais úteis espero do fundo do meu coração que eu não tenha que salvar hyu-ki de um suicídio de novo por culpa de vocês, bem já vou indo

*Me levanto do sofá*

- logo logo hyu-ki voltará conversarei com ele para que ele volte, foi bom conhecer vocês

*Estava indo direção a porta e a sra Walter me segue até lá já o senhor Walter sobe as escadas voltando para o cômodo de cima novamente*

- Sra Walter não se preocupe não irei roubar nada de vocês

Sra Walter: eu sei, você me parece um bom garoto...

*Ela se aproxima de mim e me dá um papel*

- o que é isso?

Sra Walter: meu número, me ligue e Vamos marcar

*Ela pisca pra mim e eu sorrio irônico arqueando uma de minhas sombracelhas*

- Você acha que eu sou burro? Você ainda é uma mulher casada!

- Ah... Isso a gente resolve, o errado e mais gostoso

*Era só essa que me faltava, a mesma pairou suas mãos sobre meu peitoral e eu segurei a pelo pulso*

- 1primeiro eu não irei me rebaixar ao nível de virar seu amante, 2 segundo não pense que eu não sei sobre Stefan

*Quem era Stefan? Simples o amante dela*

- Como você?!

*Cortei sua frase falando primeiro que ela*

- não pense que pode brincar comigo, você ainda é uma mulher casada e possuí o filho, muito me admira que uma mulher desta idade não se tem nem se quer vergonha de ficar com fama de puta, se bobear o condomínio inteiro te comeu

*A mesma se estressa e fecha a cara, eu apenas saio de sua casa o mais rápido possível*

- é puta mesmo

(......)

- oiêee! Cheguei!

*Falo destrancando a porta*

- hyu-ki?

*Olho pra sala e vejo a TV ligada e o mesmo com a cara enfiada numa vasilha com biscoitos*

- oshi tá vivo?

*Chego perto dele é com cuidado levanto a cabeça dele de dentro do pote*

- credo como ele conseguiu dormir desse jeito?

*Sua cara estava toda vermelha e com marcas redondas devido ao tempo que passou com a cara enfiada lá*

- hyu-ki? Acorde!

*Falo tentando ajeitar a postura dele no sofá*

Hyu-ki: Takashi...?

*Ele fala sonolento esfregando os olhos*

- oiê!

*Digo sorrindo*

Hyu-ki: onde estava?

- fui até o mercado comprar algumas coisinhas que faltavam pro meu bolo de carne

*De fato eu realmente tinha ido ao mercado comprar algumas coisas, mais a parte que eu fui na casa dele é que a mãe dele deu em cima de mim ele não precisa saber*

Hyu-ki: Atah, aliás para que você queria o meu celular?

- só pra fazer uma ligação mais acabei nem fazendo enfim, você pretende voltar pra casa de seus pais?

Hyu-ki: não sei... É muito chato ter que viver com eles dois na mesma casa

- você tem idade o suficiente pra sair de casa e poderia ajudar seu pai no trabalho

Hyu-ki: é uma boa idéia, mais eu não acredito que ele queira me ver

*Ele fala em seguida da um suspiro*

- apesar de não ser seu pai de verdade eu tenho certeza que ele se preocupa com você, olhe vá pra casa converse com seus pais e depois volte pra cá e vamos sair o que acha?

Hyu-ki: é... Acho Melhor resolver logo esses assuntos

- é assim que se fala! Agora vem, me ajuda com esse bolo de carne

*Sorrio diverdido e jogo um avental pra ele*

Hyu-ki: Aishi! Deixa eu adivinhar você também ganhou isso da sua irmã né?

- Sim

*Rio da sua cara já que ele estava decidindo se usaria ou não àquele avental rosa*

(.......)

- Me fala como é possível que você consiga cair de cara em tudo?

*Falo admirado com sua capacidade o mesmo se encontrava no chão com o avental sujo e sua cara dessa vez foi parar na salada*

Hyu-ki: hum! Hum! HUM! HUM!

*Começo a rir que nem um hiena porque ele acabou ficando com a cara presa dentro da vasilha e não conseguia falar direito*

Hyu-ki: HUM! HUM! HUUUUUUUUUUM!

-. HUHASHUAHUAHAUSAH, ok agora parei

*Falo diminuído o riso e indo ajudar ele*

Hyu-ki: você riu porque não era você com a cara presa na vasilha!

- e tinha como não rir?

*Falo limpando lágrimas de meu rosto que estava vermelho devido ao fato de tanto eu ter rido*

Hyu-ki: a é? Vai ser assim?

*Olho o mesmo e ele pega uma colher de pau*

Hyu-ki: agora cê vai ver só!

- GZUIS ELE TEM UMA COLHER CORRE!

*Começo a correr e ele vem atrás de mim*

- nhenhenhenhenhenhe

*Provoco ele com aqueles sons irritantes que crianças fazem para exibir algo que ela tem*

- como ousa...

*Ele fala e continua correndo até que eu tropeço e ele não consegue frear sem bater no meu corpo jogado no chão, ou seja duas mulas caídas no chãos*

Hyu-ki: viu por sua culpa eu bati minha bunda!

- não seria o contrário?! Sua bunda que bateu em mim!

Hyu-ki: ei não diga besteiras!

*O mesmo que já estava em cima de mim vira permitindo que ficassemos nos olhando olho a olho, nos encaramos por um tempo e começamos a rir que nem descontrolados*

hyu-ki: AKAKAKADKSKSKS MINHA BUNDA TA DOENDO

- HUASHUHAHUASHUAS O MAIS ENGRAÇADO DISSO TUDO E QUE VOCÊ ACHA QUE TEM BUNDA UHAUSHUAHSUA

hyu-ki: poh assim maguei . _.

- oooh diculpa bebe muguo foin? Pedi pa mamãe da bejinhu que Sara

*Falo com voz de criança, e ele passa a me encarar novamente, e logo se levanta de cima de mim*

- man...

*O mesmo olha pra mim e voltámos a rir que nem retardados*

Hyu-ki: esse definitivamente foi o momento mais gay da minha vida

- é...

*Sorrio diverdido*

- enfim! Vamos voltar e terminar o jantar!

*Digo indo pra cozinha novamente*

(......)

Hyu-ki: ok já vou... Sério Muito obrigado pela hospitalidade, lembre se que quem me conhece não consegue se livrar de mim

*O mesmo ri se despedindo*

- você tem meu número certo?

*O mesmo assente*

- então quando precisar é só ligar! E não me esqueça de me deixar informado!

*Sorrio feliz como sempre*

Hyu-ki: Ok capitão! Me deseje sorte

*Ele sorri uma última vez e vai embora, eu realmente desejo sorte a ele nesse momento ele está voltando pra casa de seus pais disposto a resolver tudo é conseguir sua independência, já o bolo de carne? Estava uma delícia!*

°•°~ três meses depois~°•°

Hyu-ki on

*As coisas tem sido maravilhosas para mim meus amigos voltaram do México meus pais se separaram e eu ganhei uma madrasta super legal, ao lado de meu pai conseguimos reerguer a empresa os meus amigos interesseiros voltaram mais eu mandei eles tomarem no cu, e Mais do que nunca Estou aproveitando a vida com a companhia de meu Mais novo melhor amigo Takashi! Agora estou tão bem que estou até ajudando ele a achar uma namorada*

Hyu-ki off

Takashi on

*Nesses três mesa eu e hyu-ki ficamos mais próximos e tem sido diverdido passar Mais tempo com ele porém tem algo que está me irritando um pouco já que ele a todo custo quer empurrar uma garota pra mim, sabe acho que no momento não Estou procurando ninguém, e agora mesmo estou a caminho da lanchonete que marquei com hyu-ki seus amigos e minhas amigas*

(.....)

Hyu-ki: CHEGUEI! Estou muito atrasado?

*Ele falava com a mão no peito ele parecia ter corrido muito*

- pra ser bem sincero está um pouco...

Hyu-ki: me desculpem! O trânsito tava uma loucura, Oi meninas

Suyane: oiê!

Rayane: tudo bom?

*O mesmo se senta ao meu lado*

Hyu-ki: Hey eu tenho uma novidade! Vou sair com uma menina e adivinha?

- Sua crush?

*Digo tomando um pouco de meu shake*

Hyu-ki: não, ela tem uma amiga as duas são lindas eu tenho certeza que você vai gostar

*Ele pisca pra mim malicioso*

Suyane: já vi que isso vai dá merda.

*Vejo ela rir*

Hyu-ki: ?

Rayane: cala a boca Suh vem vamo ali no caixa pegar os cardápios

Suyane: oshe mais é só pedir pro garç- AII

Rayane: Suh não não é só isso anda vem logo!

*Vejo ela falar pra amiga com os dentes cerrados até que finalmente Suyane intende o que ela quer dizer é se retira junto da amiga*

Hyu-ki: o que deu nelas?

- nada não elas fazem coisas assim as vezes, sabe hyu-ki tem uma coisa que anda me encomodando muito, eu sei que você quer que eu arrume uma namorada Mais eu fico desconfortável com você me empurrando pra cima das meninas

Hyu-ki: sério? Me desculpe... Mais posso perguntar pra você o porque? Eu nunca vi você nem se quer ficando com alguém

*Eu suspiro pesado*

- Hyu-ki... Eu sou gay.


Notas Finais


Tchau bbs um beju e um quejuh :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...