História Uma vida sem escrúpulos - Capítulo 42


Escrita por: ~

Visualizações 146
Palavras 2.923
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii, me desculpem pela demora pra postar, mas não tive tempo. eu quero agradecer pelos comentários que estão me incentivando mundo. Gente, me socorre eu estou tendo um colapso nervoso! SHAWN MENDES ESTA NO BRASIL! 5SOS Estava no brasil! eu não estou nada bem!! como vocês estão reagindo? eu não estou superando ainda
Mas, voltando... espero que gostem, não esqueçam de favoritar e comentar por que ajuda muito e eu sei que é chato, mas faz parte. esse cap não ta as mil maravilhas mas eu tentei. me perdoem...
um beijo de purpurina e GABI: POSTA LOGO O CAPITULO!

Capítulo 42 - Parabéns Manu


Fanfic / Fanfiction Uma vida sem escrúpulos - Capítulo 42 - Parabéns Manu

Não somos, não, nós não somos amigos

Nem nunca fomos

Nós apenas tentamos manter esses segredos à luz

Mas se eles descobrirem, tudo vai dar errado?

E o céu sabe, ninguém quer isso

 

Então eu poderia tomar o caminho de volta

Mas seus olhos vão me levar de volta pra casa

E se você me conhece, como eu te conheço

Você deve me amar, você deve saber

 

Amigos apenas dormem em camas separadas

E os amigos não me tratam como você trata

Bem, eu sei que há um limite para tudo

Mas meus amigos não me amam como você

Não, meus amigos não me amam como você

 

Nós não somos amigos

Nós poderíamos ser qualquer coisa, se nós tentarmos

Para manter esses segredos seguros

Ninguém vai descobrir

Se tudo deu errado

Eles nunca saberão

O que nós passamos

 

Então eu poderia tomar o caminho de volta

Mas seus olhos vão me levar de volta pra casa

E se você me conhece, como eu te conheço

Você deve amar, você deve saber.

 

 

 

 

Uma semana depois

 

Matthew havia voltado naquele dia para se desculpar, o que foi bem legal da parte dele. Sinto que estou me afastando do Matthew e isso está acabando comigo, mesmo que por um certo lado seja bom mas ele ainda continua sendo meu amigo. Hoje é sábado e o Manu decidiu fazer a sua festa, estava todos ansiosos alias eram os 19 anos do Manu. Acordei as 8 da manhã o que foi um milagre já que só acordo tarde. Fui para o banheiro fiz minhas higienes, vesti um vestido cinza e um casaco na cintura, calcei um tênis branco e amarrei o cabelo em um rabo de cavalo frouxo. Desci as escadas e fui para a casa da Gabi fazer baderna, já que a tia Liz havia viajado e deixado ela sobre minha responsabilidade, o que foi o pior erro da vida dela. Abri a porta do quarto da Gabi e ela estava jogada em cima no carpete que ficava ao lado do seu banheiro, peguei um porta canetinhas dela em cima da escrivaninha e comecei a sacudir e gritar histericamente. A mesma levantou rápido tropeçando nos próprios pés caindo no chão novamente

- FILHA DA PURA – ela gritou e eu já estava parindo uma foca de tanto que eu ria

-Desculpa. Mas. Não. Deu- falei rindo em cada ponto

- Você me paga- ela murmurou e se jogou na cama

- Levantaaa- puxei o pé dela que segurou na cabeceira da cama e começou a gritar – Vamos logo, Gabi! – falei autoritária e ela bufou se sentando na cama me olhando indignada- meu deus, você está péssima – falei apontando pro olho dela que apresentava várias olheiras – o que aconteceu, filhinha? – falei e ela gargalhou

 

- Sabe que eu chamo você de mãe por conta do Matt, né? - ela me perguntou como se fosse obvio

- Não mude de assunto – me sentei na cama – desembucha – falei e ela tombou a cabeça pra trás como se estivesse cansada

- O Hayes..- ela falou e soltou um suspiro pesado e eu fiz um sinal para que continuasse – ele se declarou pra mim – ela falou e choramingou

- e isso é tão ruim assim? – perguntei

-é....não é...Não sei! ele é meu melhor amigo, eu não quero deixar se ser amiga dele – ela falou se jogando na cama e encarando o teto totalmente branco – eu gosto dele, até demais, o único problema é que eu não quero estragar nossa amizade – completou

- Eu acho que você deveria falar o que sente pra ele, talvez seja tarde demais para expressar seus sentimentos? talvez seja...mas não custa tentar. Vocês se gostam e deveriam aproveitar isso, esse sentimento recíproco. Você tem sorte, aproveite ela – falei e vi um sorriso se formar em seu rosto – eu sou péssima em conselho eu sei, mas eu aceito meu abraço – falei rindo e ela pulou em cima de mim

-você tem razão! vou falar com ele hoje a noite – ela falou e sorriu

- isso mesmo! ELA É MINHA FILHA, ELA! – Gritei e ela riu – agora pega tuas coisas que você vai morar 3 dias comigo- falei e ela levantou arrastada da cama e foi em direção a varanda – o closet é pra esquerda – falei e ela deu uma volta com o calcanhar e foi na direção certa. Depois de pronta, nós duas fomos para a minha casa e ficamos assistindo filmes.

- Como ta sua relação com o Matt? – Gabi perguntou colocando caramelo na pipoca

- Normal – falei

- Normal como? – poxa, Gabi, me colocou numa situação difícil agora – eu sei que não ta normal, não sou boba. Estou com saudades de ver vocês dois brigando pelo vídeo game ou quem dançava mais estranho e quando o Matt fazia você rir feito a peppa – ela falou e nós duas gargalhamos – sinto falta de ver vocês dois juntos, sabia? - ela falou olhando pra mim e eu suspirei fundo e assenti

- também sinto, mas não posso fazer nada a respeito – falei e desliguei a tv

- na verdade tem s....

- Calada! vem! vamos dançar – interrompi Gabi e liguei o rádio colocando New rules da Dua Lipa e comecei a dançar junto com a mesma. Subimos em cima das coisas e quase caímos quando o squad chegou

-Shawn você deveria se declarar pra Giulia logo – Carter entrou quase gritando para o Shawn e se jogou no sofá, eu e Gabi saímos de cima da pia lentamente antes que alguém visse

- Onde vocês estavam? – Lox perguntou e eu rir sem graça

-quem é Giulia? – Gabi perguntou rápido e eu agradeci mentalmente por ter nos tirado daquele momento desconfortável

- é a garota que o Shawn ta apaixonado a mais de 2 anos – Nath falou e Shawn escondeu o rosto entre as mãos – que fofo! – completou

- Vou falar com ela hoje à noite, satisfeitos? – ele falou e todos sorriram

- parece que hoje é o dia das declarações né? – falei e Gabi me olhou seria – opa, vamos meninas, precisamos ir ao shopping – mudei se assunto e sai de casa rápido. As meninas me seguiram e entramos no taxi. Começamos a cantar OneRepublic - No Vacancy até ao shopping. Em menos de 10 minutos já estávamos lá.

- vamos comer, eu não tomei café – Lox falou e assentimos. Fomos em um café e pedimos os mesmos, logo depois fomos no salão e depois compramos os nosso trajes e ajudamos a Jane escolher um   presente para o Manu. Expliquei para as meninas que queria fazer uma surpresa para o Manu na hora da festa, fazendo o que ele mais ama fazer e outras coisinhas. Decidimos voltar para casa as 14h. estávamos no taxi indo em direção a minha casa.

- Alguém sabe onde vai ser a festa? os meninos organizaram eu não to sabendo de nada – Nath falou tirando a sua atenção do seu celular

- Ninguém sabe, só vamos saber na hora. Surpresa dos meninos – Lox falou e ficamos caladas até chegarmos em casa – Chegamos! – Lox falou se jogando no sofá e jogando as sacolas na mesa de centro

- Finalmente – Gabi completou se jogando no lado dela

- que drama – Falei e me joguei no chão – mal feito – completei e elas riram. Fizemos pipoca e ficamos assistindo cidades de papel até as quatro da tarde

- Vamos nos arrumar né? temos que fazer mágica com a Madu – Jane debochou e eu lhe mostrei o dedo do meio e senti meu celular tocar

- Alo? – falei

- Maria Eduarda? aqui é a Los Angeles Model – uma voz fina e alta me respondeu me fazendo gelar

- Pois não? – falei

- é que gostamos das suas fotos, e gostaríamos que você venha nessa segunda fazer uma breve entrevista pra conseguir uma previa de uma carreira de modelo. iai topa? – A mulher falou me fazendo abrir a boca em uma perfeita circunferência

- Claro que eu topo! – falei e olhei para as meninas rindo que me olhavam confusas – ok... até segunda – falei e desliguei o celular ainda assustada e feliz ao mesmo tempo

- FALA LOGO ! – as meninas gritaram em uníssono

- EU  FUI CHAMADA PARA FAZER UMA ENTREVISTA PARA SER MODELO!- Berrei e as meninas gritaram junto comigo

- AINN eu sabia que você conseguiria – as meninas me abraçou quando Lox falou isso

- Calma né??! ainda falta a entrevista e tals vamos com calma!  Agora vamos nos arrumar para a festa!- falei e subimos as escadas e fomos para o meu quarto. Nos separamos em banheiros e depois nos encontramos em meu quarto. Fui para o quarto do Manu e peguei o seu Notebook e editei a primeira parte de sua surpresa. Fui para o quarto e em 2 horas já estávamos prontas e só esperávamos a Jane que estava muito desesperada com o fato do seu presente não está bom o bastante

- Gente, tem uma  limousine ai na frente – Nath falou e olhamos para ela boquiaberta – acho que os meninos arrasaram. – assentimos e saímos para fora de casa

- Caraca, levei um tiro – Cameron falou e pois a mão no coração – vamos meninas? a festa está nos esperando – ele completou e abriu a porta do carro e deu espaço para passamos 

- Uau, vocês mandaram bem – Falei e sorri

- Eu sei – ele se gabou e eu bufei fazendo ele ri. Ficamos conversando assuntos fúteis até chegarmos no local que aliás era gigante e estava lotado

- Da onde veio tanta gente? – Lox perguntou de boca aberta

- Do útero – Gabi respondeu e Lox não segurou a pose de brava e riu parecendo uma hiena

- Antes de entrar eu quero falar as regras– Cameron falou e olhamos para ele entediadas – Regra número 1: Não há regras! – ele falou e reviramos os olhos – aproveitem a festa meus amores – ele falou e saiu andando e logo o perdi de vista

- Entenderam né? Vamos vadiar – Nath falou e a Gabi a repreendeu rindo

- tem crianças aqui – Gab falou e apontou pra si mesma rindo

- você é mais pevertida que a Madu, e olha a Madu é a única virgem daqui tirando você – Jane falou e eu taquei a minha bolsa e sua direção e fomos rindo para dentro da festa. Ao entrar me deparei com muitas luzes piscando, o que me fez ficar até tonta, me afastei e fui em outra direção e pude ver melhor a festa, em um lado havia gente se comendo, no outro bebendo e se comendo, no outro dançado, bebendo e se comendo e assim ia. Vi algumas pessoas jogando Beer pong e me aproximei. Tive a visão de um garoto bem familiar, gelei quando o garoto olhou em minha direção e riu, ele parecia tanto alguém que eu temo dês dos meus 6 anos de idade, e como eu lembro? não dá pra esquecer o motivo da sua mudança de vida

-Oi – Escutei uma voz família que soou alta por conta da música alta que agora foi possível identificar: Maggie Lindemann - Pretty Girl (Cheat Codes x CADE Remix), minha música favorita, particularmente. Me virei para trás tendo a visão de um par de olhos mel me encarando com um sorriso no canto da boca

- Oi mulher gato – falei e ele riu – Mandou bem – falei me referindo a festa

- tentamos fazer ela parecer com o Manu, foi difícil? Não foi, por que eu sou demais – ele se gabou e eu ri nasalmente

- vamos dançar? – perguntei quando Jeremih - oui começou a estrondar em meus ouvidos

-Claro – ele pegou em minha mão e me guiou até a pista de dança. A música ainda estava lenta eu pus minha mão em volta do seu pescoço e ele segurava firmemente em minha cintura se mexendo no ritmo calmo da música. A música foi ficando agitada e eu me soltei do seu pescoço e fui descendo até o chão lentamente passando as minhas mãos pelo meu corpo e logo senti suas mãos segurar minha cintura novamente e uma aproximação gigante que me fez senti seu membro. Olhei no fundo dos seus olhos e vi um sorriso se formar em seus lábios, não consegui e sorri também, White Iverson Começou a tocar e voltamos a dançar, só que dessa vez separados mexendo o corpo lentamente como se a música falasse com a gente e teríamos que dançar em câmera lenta. Vi um balcão com muitas bebidas e fui em direção a mesma, deixando o Matthew dançando sozinho. Peguei um copo com um liquido azul e fui para perto das meninas que falavam alguma coisa

- Nos vimos – Jane falou e bebeu algo em seu copo

- O que? – perguntei cínica e rindo

- Você quase se comendo com o Matthew, a Rebeca saindo com raiva da festa e a Gabi – ela apontou para o outro lado da festa e vi Gab rindo enquanto conversava com o Hayes, eles estavam de mãos dadas – falou o que sente pro Hayes, e pelo que parece, amizade colorida – Lox falou e eu sorri

- A Rebeca, vai matar você, e arrancar o precioso do Matthew – Nath falou fazendo eu e as meninas rirem

- só estávamos dançando – Falei como se fosse óbvio e peguei outro copo com um liquido que as meninas disseram que era amarelo e para mim, era rosa

- Correção: vocês estavam dançando loucamente apaixonados –Lox falou e eu revirei os olhos

- Vou pegar meu homem ali – Jane falou e foi em direção ao Manu

- Vou fazer o mesmo que ela – Lox falou e sumiu

- só ficamos nos duas – falei e Carter apareceu atrás de mim tirando a Nath – OBRIGADO, EU SOU A ÚNICA SOLTEIRA NO MEIO DAS MINHAS AMIGAS! – Gritei, e nem liguei se elas não iriam escutar, foi mais ou menos um desabafo. Fiquei próxima a mesa de bebidas e fiquei viajando em meus pensamentos parecendo uma drogada. A festa estava meio chata, decidi fazer a surpresa do Manu agora. Pedi ao Dj colocar uma música muito fofinha e ele colocou Ed Sheeran – One (N/A Coloquem ela). Segurei firme o microfone e subi no palco no meio da pista de dança improvisado. Consegui chamar a atenção de todos, e principalmente do meu primo que agora sorria para mim

- Oi- falei e acenei em direção as pessoas quem me olhavam sorrindo (a maioria bêbada) – hoje, é um dia bem importante, não acham? eu acho, hoje estamos vivos! isso é importante – falei e ele me mostrou o dedo do meio – O que eu vou falar aqui, é bem Gay. e eu estou apavorada por que eu nunca fiz isso antes – suspirei e fiz uma careta depois – Há 19 anos, um babaca, que teve sorte de fazer parte da minha família nasceu, e com o seu nascimento veio um ser humano que tinha como dever na terra, me ajudar, me apoiar, me perturbar, roubar minha amiga, me fazer passar vergonha, me fazer feliz, ser meu irmão. Eu sou tão grata por você existir! e por você ser meu porto seguro, aquele que independente de tudo, vai esta lá dizendo “eu te avisei, pirralha” e eu vou te tacar a almofada por que isso não é coisa que se diga – falei e ele já estava com o olho marejado – pode chorar, eu já estou quase. Eu fiz um vídeo, com os melhores momentos do Manuel Rios Pasqualy – falei e apertei um controle pequeno que ligava o telão. O vídeo foi bem parecido com o do Ed Sheeran – Photograph, só que com fotos e vídeos do Manu. A música foi a mesma da inspiração do vídeo. No final e peguei o microfone e passei de vídeo mostrando os vídeos que eu gravava dele cantando ( N/A: notas finais) o acompanhei nas músicas e vi ele chorando. Continha fotos muito fortes, como do pai do Manu, tio Henry, que morreu a 7 anos atrás. Ele subiu em cima do palco e me abraçou. Sorri com o seu ato e retribui.

- Obrigado – ele falou no meu ouvido e eu apenas o apertei forte. Desci as escadas do palco e fui para um bancos que tinha lá isolados. Ficaram tocando várias músicas e eu apenas assistia. O Matthew se jogou no meu lado com a maior cara te tacho e olhou pra mim

- A Bec, não veio – ele falou e eu me Conti para não revirar os olhos. Fiquei calada e afirmei lentamente com a cabeça. – vem vamos dançar – ele falou e puxou meu braço me levando novamente para a pista de dança. A música era eletrônica, fiquei imitando um robô e Matthew parecia que estava invocando o capeta. Uma mudança de música me fez me arrepiar até a espinha Ed Sheeran – Friends começou. Me aproximei do Matthew que colocou as mãos em minha cintura e eu coloquei as minhas em seu pescoço e me aconcheguei em seu peito. Na quele momento eu esqueci de tudo, a única coisa que importava naquele momento era eu está no lado dele, e se qualquer outra pessoa que não estivesse acostumada com a nossa amizade visse aquilo de longe, pensaria que estávamos loucamente apaixonados, e nem imaginariam que o Matthew está apaixonado pela Rebeca. – Preciso te mostra uma coisa – ele falou s segurou o meu rosto com as duas mãos. No fundo, eu sabia que o que eu sentia não era apenas amizade, pena que isso não era decifrado por ambos. Mas, qualquer um saberia que não somos amigos, nunca fomos amigos. Todos sabem disso...mas ele não sabe. Matthew Espinosa, é um péssimo adivinhador de sentimentos

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...