1. Spirit Fanfics >
  2. Uma vilã apaixonada - imagine >
  3. Pouco a pouco

História Uma vilã apaixonada - imagine - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gentee, as férias de corona não são brincadeira, mas temos que aproveitar né kkkkkkk

Capítulo 20 - Pouco a pouco


Fanfic / Fanfiction Uma vilã apaixonada - imagine - Capítulo 20 - Pouco a pouco

Aah esse clima ta me matando!

Depois de derrotar stain, voltei para o estágio e com a minha maior cara de Santa fingi espanto ao ouvir que a cidade tinha sido atacada por nomus e pelo assassino.

Best jeanist organizou a todos, incluindo eu e bakugou, para irmos ajudar os cidadãos.

Vê se pode, eu tenho cara de enfermeira?

Bakugou me cubriu, mas agora fica me olhando torto.

Uma mistura de raiva e descomfiança.

Ha há há... Era tudo q eu precisava!

Durante a noite, liberei Kuro e Shimizu, pedi para que ela curasse os três, incluindo o lida, ele deu mancada, mas quem nunca tentou matar alguém porque essa pessoa se meteu com algo que era seu?

Ela não podia cura-los completamente, seria estranho se eles aparecessem curados derrepente, então apenas as feridas mais sérias foram curadas.

Nesse exato momento, estou em uma patrulha com ninguém menos que o bakugou!

e com o herói tbm. Só pra deixar claro.

O clima ta tenso entre nós, bakugou não olhou na minha cara até agora e acho que não vai até eu dar respostas pra ele.

Esse moleque só me fode e não no bom sentido!

- É meio repentino, mas tenho uma pergunta.- o herói continua com o seu monólogo - patrulhas foram criadas para reduzir a ocorrência de crimes praticados por vilões, mas também possuem um efeito secundário, que efeito é esse?

Fico calada, esse cara já tá falando sozinho a horas e se fosse por mim, continuaria assim, mas a pergunta repentina deve ter a intenção de nos fazer prestar atenção.

Vai lá bakugou!

Um silêncio se instalou entre nós, nem eu e nem bakugou respondiamos. Ele olhava pro chão pensativo e eu fingia não ouvir.

Best jeanist para e se vira pra nós.

- Não irão responder? - em um solavanco bakugou ergue a cabeça e diz "calmamente"

- Se virmos vilões, vamos acabar com eles na mesma hora!

- Não- responde automaticamente

Ele olha pra mim, mas antes que eu possa responder qualquer coisa, garotas colegiais gritam "Best jeanist, boa sorte no trabalho!" Com aquele jeito de fangirl, parecendo morrer de amores pelo herói.

Sério produção? Sério?!

E depois da cena que foi ver o herói fazendo pose e dando tchau de costas para as garotas, que quase tavam tendo um infarto, eu quis tacar cloro nos meus olhos e creio que eu não fui a única.

- A resposta é:para mostrar a nossa existência as pessoas. - Eu e bakugou respondemos mecanicamente um "huhum"

Hoje tá foda.

O resto do dia foi assim, comigo e com o bakugou parecendo dois zumbis.

~~~~~ - HOSPITAL DE HOSU- ~~~~~

MIDORIYA ON

- Me desculpe- nos disculpamos com os heróis que teriam que arcar com as consequências das nossas ações.

O delegado da Polícia veio pessoalmente nos visitar, a princípio achei que ele iria nos punir,mas como o caso ficou como se o endeavor que tivesse derrotado stain, os únicos responsabilizados serão os heróis do nosso estágio.

Desvio meu olhar para torino, tentando trasmitir o quanto eu lamento.

- Porém, apesar de estar agradecido com as ações de vocês, tambem tenho que fazer algumas perguntas.- o delegado chama nossa atençao, tirando um bloco de notas do bolso- primeiro, tem algo que vocês perceberam na vilã akuma que possa nos ajudar a identifica-lá?

Minhas mãos suam e sinto um frio passar pelo meu corpo. Olho para o lado e vejo que lida e todoroki estão pensando, mas nada da noite anterior vem em minha cabeça, ao menos nada útil.

- Ela era muito forte.- interrompo minha linha de pensamento e paro para prestar atenção no que lida dizia- lutou praticamente sozinha, era rápida e tinha instintos muito afiados. Ela era como...

- Um animal selvagem.- completa todoroki- seus movimentos envolviam diversos estilos de luta, porém eram brutos e de certa forma desengonçados. Ela não parou até ve- lo imóvel no chão.

- Sim, mas o seu jeito era de certa forma refinado- lida continua a discussão- ela falava como alguém que recebeu educação de 1° classe, e sua postura era exelente.

O delegado rabisca alguma coisa no papel e olha pra mim em seguida.

- Hum, e você, viu alguma coisa que acha que pode ser útil?- ele pergunta pra mim

Meus olham vagam pelo quarto e murmuro tentando buscar algo da noite que possa ser util.

- Ela devia ter por volta de (sua altura), e a julgar pelo modo que ela agia perto da gente, não deve ser muito mais velha que nós.- tento buscar algo que possa ser definitivo nas minhas memórias, apoio minha mão no queixo e começo a me lembrar aos poucos todas as falas e movimentos dela, repassando pouco em pouco.- ela parecia estar ferida... digo, não fisicamente- completo rapidamente- ela agia ferozmente como se estivesse ocultando alguma fraqueza, talvez algum medo, não sei te dizer e ... ah! Quando ela me salvou do nomu, eu creio ter visto o início de uma cicatriz no ombro direito dela, eu não vi ela toda, apenas um pequeno pedaço que parecia descer pelas costas dela

Me sinto mal ao ver ele escrever algo no papel com base no que eu disse.

De alguma forma sinto como se eu a estivesse traindo, ela me salvou e agora estou ajudando a prende-la.

Mas ela é uma vilã, pode ter me salvado agora, mas machucou muitos outros.

- Ok, obrigado pela cooperação de vocês. Mas eu tenho mais uma pergunta. Vocês sentem algo diferente em si mesmos?

Olho confuso para o delegado, não entendo em que sentido essa pergunta foi feita.

Ele está perguntando se estamos bem depois de tudo o que aconteceu?

- Eu...- desvio minha atenção para lida- eu não sei se é isso que o senhor está perguntando, mas eu consigo sentir e mover meus dedos da mão direita sem problemas agora...

Minha confusão aumenta, foi dito ao lida que o braço direito dele sofreu lesões permanentes, ele nunca mais iria poder mover livremente os dedos ou a mão e que sentiria dormência neles pelo resto da vida.

- Eu também estava sentindo dores no meu antebraço ontem, mas hoje de manhã eu não senti mais nada, achei que era por causa dos sedativos- todoroki comenta

- Ah! Vocês têm razão, ontem eu não conseguia nem mexer as minha pernas, mas quando você chegou, eu fiquei em pé e não senti nada, se você não tivesse falado nada eu nem teria percebido! - fico chocado, não entendo o que está acontecendo- vocês nos curaram?

O delegado balança a cabeça negativamente e em um suspiro ele começa a falar.

- Vocês foram curados pelos companheiros de akuma na noite passada.- eu encaro em choque os outros dois, vilões com o mais alto nível de perigo estiveram no nosso lado enquanto dormiamos, se eles quisessem nos matar, não haveria ninguém para os impedir - todas as câmeras comuns do hospital, incluindo a do quarto, não mostraram ninguém, acreditamos que eles tenham desativado elas por um breve momento, porém nós colocamos uma câmera especial que era a quirk de alguém, que não podia ser desligada, destruída ou percebida por ninguém que não fosse o dono no quarto. Com isso, conseguimos captar os vilões shadow e bunny.

- Shadow e Bunny?- Pergunta todoroki

- Sim, eles não são muito conhecidos ao contrário dos outros companheiros de akuma, shadow e bunny são raramente vistos, parece que a bunny não tem um papel ofensivo na equipe, sendo raras as vezes que ela aparece, não sabíamos qual era a quirk dela, porém agora temos noção que é de cura e shadow só aparece por alguns instantes, entao nós nunca tivemos uma imagem concreta dele, porem por causa da noite passada, apesar de ambos estarem usando mascaras, temos uma ideia de como ele é e suspeitamos que sua hhabilidade tenha algo haver com teletransporte - responde o delegado

Foram muitas informações de uma vez só.

A vilã mais perigosa do Japão, não só nos salvou como nos curou e a sensação de que estamos aos poucos descobrindo quem é ela graças às informações que demos ao delegado me deixa com um gosto amargo na boca.

Tenho uma péssima sensação sobre tudo isso.

~~~~ - FIM DOS ESTÁGIOS - ~~~~

• NA U.A

(S/N) ON

Mal cheguei e já tô vendo o bakugou passar vergonha.

O cabelo dele não voltou ao normal e ele apareceu na escola mesmo assim.

Coragem viu, coragem.

Boom!

Ah, voltou ao normal.

Esse cabelo é mágico agora?

Todos comentavam sobre as suas experiências e não se pode evitar que o assunto se tornasse sobre o assassino de herois e a rainha do submundo.

E quem melhor pra falar sobre do que as pessoas que presenciaram a cena?

Quase engasguei ao ver a cara que todoroki estava fazendo ao ter que confirmar que quem derrotou stain foi seu pai, endeavor.

Eu não tava mais ligando pra essa desgraça, essa merda fudeu com todos meus planos e eu posso ter me arriscado um pouco mais do que devia...

E ainda assim eu não conseguia parar de me preocupar com a porra do bakugou! O desgraçado viu coisas demais e o que me deixa mais brava é que ele agora tá me ignorando!

Ele tem quantos anos?!

Ok, ok. Chega, vamos resolver isso logo, uma mentirinha aqui e uma ali já devem bastar.

Mas por agora vamos fazer logo o que o all might tá falando.

- Vocês hoje irão fazer uma corrida de resgate! Vocês farão quatro grupos de 5 e passarão pelo treinamento um grupo de cada vez. Quando eu der o sinal, começa uma corrida pela cidade e quem me regatar primeiro, ganha! - ele sorri e pausadamente completa - Vocês devem cometer o mínimo possível de prejuízos aos edifícios, ok?- diz apontado lentamente para o bakugou que vira a cara fingindo não perceber que foi pra ele, o dedo muda de direção e se vira pra mim.

- QUÊ? Eu também?

logo eu? A mais madura e comportada da turma?

Isso é perseguição!

- Certo, primeiro grupo, a postos! Ha ha ha- continua all praticamente me ignorando.

Ah valeu aí

Mina, lida, sero, Ojiro e midoriya eram o primeiro grupo.

Enquanto a corrida ocorria, eu pensei em me aproximar de bakugou.

Ele olhava com frustração o midoriya pular usando sua quirk sem problemas.

E o safado ainda usa os mesmos movimentos que o bakugou! É rir pra não chorar.

Porque ninguém tá afim de colaborar comigo?

- Bakugou...- chamo ele, mas não me deu nem uma moralzinha- olha eu sei que fui péssima ao te deixar cuidadando daquele trabalho sozinho, mas é que eu tinha que resolver umas coisas e...

- Eu não ligo.- ele diz ainda sem olhar pra mim- faça o que você quiser, (s/n). - ele se vira pra ir pra outro lado, mas eu seguro seu braço, o impedindo de ir

- Espera, por favor.- sinto uma pressão em meu peito e minha garganta se aperta, não faço ideia do que falar.- eu...Eu... aconteceu algumas coisas comigo no passado e...

- Sshhh- ele põem a mão em cima da minha que estava segurando seu braço- você não precisa se explicar, (s/n). - levanto meus olhos esperançosa que ele tenha me perdoado por estar escondendo coisas dele, mas só encontro olhos tristes e preocupados.

Ele tira minha mão do braço dele e antes de sair de perto de mim, completa :

- Nós não somos nada um pro outro... Certo, (s/n)?

Ele vai, me deixando sozinha para trás.

Bakugou não está errado, mas ainda assim me sinto muito mal com o que ele disse.

Sei que não é verdade, ele está apenas chateado comigo, eu sei coisas sobre ele que poucas pessoas devem saber. Ele já se abriu pra mim, me contou suas frustrações e medos, e Eu? Praticamente pissei em sua confiança.

Venho o tratando muito mal. Ele... ninguém nunca se preocupou comigo e quando alguém o fez, eu o trato como se não fosse nada.

Um riso fraco escapa de meus lábios.

Eu sou escória.

...

Bakugou on:

- Eu tenho que treinar minha mobilização- kirishima diz enquanto troca de blusa no vestiário- em momentos assim eu sinto inveja de você e do sero, bakubro.

- Hum.- resmungo

Minha cabeça vem estando cheia de baboseiras, enquanto eu perdia meu tempo no estágio, midoriya está melhorando cada vez mais e como se não bastasse eu venho pensando bastante na (s/n).

Odeio quando ela faz aquele olhar! Como se ela estivesse sempre fugindo de algo.

E o que eu mais odeio, é que não posso fazer nada pra ajudá-la!

Eu sou tão pouco confiável assim?

Bato a porta do armário com um pouco mais forte do que devia.

- Uou, bro, você tá bem? Vem me parecendo meio decaido hoje

- Cala a boca - resmungo com menos raiva que o normal

- Você brigou com a (s/n)? Vocês dois estão meio estranhos... aconteceu algo durante o estágio de vocês? - pergunta kirishima novamente

- Cuida da sua vida, cabelo de merda! O que ela tem haver com isso?!- soco o armário, olhando com raiva pra ele.

- Hey, midoriya! Olha isso que eu descobri- ouço mineta - olha esse buraco! O pequeno mineta está se animando!

Me viro e percebo que ele está falando de um buraco que era escondido por um panfleto, mas o que realmente chamou minha atenção foi que esse buraco era exatamente na parede que dividia o vestiário masculino do feminino.

Nem pensei em nada, apenas me lancei em cima de mineta ao vê-lo prestes a olhar pelo buraco.

- O que você está fazendo?- ele pergunta após ser erguido no ar por mim

- ÃHN- o olho mortalmente- o que você estava dizendo? - o meu tom calmo, misturado com minha expressão de ira, deixou ele mais assustado do que nunca

- Na... nada...- ele responde pálido

- Você viu? - apenas a ideia de ele ter visto alguma das meninas, mas especificamente a (s/n), trocando de roupa, me deixa tremendo de nojo e raiva- nunca mais, ouviu? Se eu souber que você fez algo parecido de novo... O pequeno mineta vai atravessar o seu ouvido, você entendeu? - digo ameaçadoramente.

- S..si..sim! - o Largo no chão e saio em seguida do vestiário.

Após avisar aos professores sobre o buraco no vestiário, vou embora, já que já era fim das aulas.

Eu só conheço a (s/n) há alguns meses, então não é como se eu quisesse que ela me contasse tudo sobre sua vida, porém não consigo parar de pensar nela.

Porque ela teve que ir naquele dia? Porque ela sempre age como se não pudesse confiar em ninguém?

Eu não sei nada sobre ela... sobre sua família, se ela gosta de animais, a comida favorita dela, suas preocupações...

Porque eu me importo tanto? nem a mim mesmo eu entendo mais.

Ela tem aquele jeito rebelde e esguio como se a qualquer momento ela pudesse escapar entre os meudedos, e isso me assusta.

Se ela um dia sumisse... Eu não faria a menor ideia de onde a encontrar.

Eu quero me tornar em um apoio, porém eu não sou nada pra ela.


Notas Finais


Então né minha gente, enquanto eu me engano dizendo que vou estudar, é provável que mais capítulos saiam!

Cada vez mais a identidade da akuma está perto de ser revelada hein

Qual será a reação de bakugou quando descobrir?
Por mim tanto faz, só quero vê o circo pegar fogo jkkkkikkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...