História Un Amor - Luggero - Capítulo 1


Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Luna Valente, Personagens Originais
Tags Luggero sou Luna
Visualizações 50
Palavras 738
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Comédia, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais uma fanfic com a fofa e linda da minha irmã (@ValuhBernasconi = @ChicaFresa) e a minha outra conta (@Pablo_Zor-El) Enfim, sem mais delongas. Ai vai o primeiro capítulo da nossa autoria. Bjs😍

Capítulo 1 - Capítulo 1


As notas também são importantes!

R U G G E R O  P A S Q U A R E L L I

" Eu disse que lutaria pelo nosso amor, eu não vou parar até conseguirmos o que queremos amor "

Essas foram as últimas palavras que eu consegui falar para Luna antes dela embarca forçadamente naquele avião e eu ser expulso do aeroporto. Fizeram a mesma, ficar sem meios de comunicação, aprisionada em um quarto, dia e noite, noite e dia estudando para seu curso. É as últimas notícias que soube dela por sua amiga, Carolina. Depois, até sua amiga não pôde mais vê - la. Crueldade, graças a mim.


L U N A   V A L E N T E

Tudo o que eu queria, era ter um relacionamento com alguém que eu amava, que meus pais, mesmo pela probeza dele, apoiavam nosso namoro. Eu tenho que sair desse quarto antes do motorista me buscar para irmos ao curso de medicina. Aqui em Buenos Aires é lindo, mais eu amo meu Cancún, com meu amor. Porque eu não vou me separar dele por causa do meu pai e da minha mãe, aquilo foi um acidente, ele não faria por mal. Do que adianta falaer sozinha, ninguém vai me ouvir. Eu poderia facilmente chegar ao meu pai e mãe e dizer: " Pai, Mãe. Eu prefiro o amor da minha vida. O Ruggero, do que esse curso e minha reputação. " . Espera. Não, os dois iriam fazer muita coisa ruim comigo. Minha mãe e pai só me aguentam pela herança que eu tenho guardado por meu avô. Mais eles já fizeram muita coisa comigo.


° F l a s h B a c k - K A R O L - O n °
- Luna, vamos fazer o trabalho de... Espera... O que são essas manchas roxas em seus braços... O que está acontecendo com você ? Você está toda roxa desde semana passada - me pergunta segurando meus braços e automaticamente arregalando os seus olhos diante do meu.

- Não é nada... Estou com uma alergia...

- Luna, fale a verdade. Está na cara que isso não é alergia. FALE!

- Okay... É que eu tirei 9,0 em história e minha mãe e meu pai me bateram de chicote até eu não aguentar mais. - diz chorando.

Vinha atrás de mim, minha mãe que havia ouvido tudo.

- Hahaha, a Luna é muito engraçada, na verdade ela tem uma arlegia mesmo. Carol, pode nos deixar a sós, tenho que falar com minha filha. - diz arregalando os olhos para mim.

- Está tudo bem, Luna ? - Olha para mim.

- Está sim. Pode ir para sua casa, estou bem com minha mãe agora.

- Okay... Beijos Luna, nos vemos amanhã.

Quando ela foi, minha mãe me levou para casa, me jogando no chão e me amarrando nos buracos da parede, chamou meu pai e disse o que fsair para Carol, pegaram uma cinta e chicote e começaram a dar nas minhas pernas e rosto.

- Agora sua filha da puta, você vai para aquele lugar aonde um dia você foi. Espero que seja melhor que aquele dia. - diz meu pai me desamarrando e me levando para fora da casa, direto para o mesma combi em que me levaram à um mês, com dois homens fortes e tarados.

- Papai, Mamãe, desculpa. Por favor. - digo pela vitrine traseira do carro.

- Cale a boca sua PUTA, quem mandou querer nos ferrar, agora... Aguenta!

-SOCORRO!!

- Cala a boca, quando chegarmos lá, novamente vamos nos experimentar! Hahaha. - dizia um dos homens.

Quando cheguei lá, comecei a gritar, era um quartinho, o mesmo, sujo, velho. Já sabia o que fariam comigo, iam me estrupar a todo o custo. Um dos homens ligou para minha mãe enquanto o outro tirava a roupa e eu nos berros.

- Aqui senhora, chegamos, a bunda dela deu um crescimento ótimo. - diz batendo em minha bunda e eu chorando.

- Vem aqui bb - diz penetrando seu pau em minha vagina e eu chorando muito.

- Vocês estão cumprindo o trabalho, tchau, tenho que falar com a Carol.

° F l a s h B a c k - K A R O L - O f f °

Eu odeio meus pais. Eu preciso sair daqui...

- SOCORRO! ALGUÉM... SOCORRO!

Meus pais ouviram tudo e vieram rapidamente em meu quarto.

- Que porra é essa ? Eu ainda tenho o contato daqueles homens. Parou!!

Choro.


Notas Finais


Inspirado pela fanfic da minha irmã. ❤

Espero que tenhan gostado.😍

N/A @Pablo_Sevilla = @Pablo_Zor-El


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...