1. Spirit Fanfics >
  2. UN Village (imagine Baekhyun - EXO) >
  3. VII. Me perdoa?

História UN Village (imagine Baekhyun - EXO) - Capítulo 8


Escrita por: e dallo


Notas do Autor


oi oi, voltei aqui com mais um capítulo de UV, yeeep!
peço desculpas pela demora e pelos erros que podem conter. e desculpas novamente por não ter agredido antes pelos 100 favs! sério, muitíssimo obrigado a todos que acompanham UN Village, amo vocês <3
e sem mais enrolações, boa leitura sz

Capítulo 8 - VII. Me perdoa?


Fanfic / Fanfiction UN Village (imagine Baekhyun - EXO) - Capítulo 8 - VII. Me perdoa?

 

[ – Baekhyun; Point Of View]

 

Olhei para todas ali e elas estavam confusas. Então foi lá que meu irmão amarrou o jumento dele?!

 

.


 

.


 

.

 

Resolvi voltar para onde estava meus amigos, eles me encaravam com um sorriso malicioso.

 

– ‘Tá pegando a Naeun? – neguei diversas vezes.

 

– Ela namora meu irmão.

 

– Você anda se pegando com a namorada de seu irmão? – Chanyeol perguntou ainda mais surpreso.

 

– Claro que não, Park! Ela aparentemente me confundiu com ele. – revirei os olhos. Como podem me confundir com ele? Está óbvio que sou mais esperto, legal e bonito!

 

– Já ouviu falar em poliamor? – olhei para Chanyeol completamente pasmo e lhe mostrei o dedo do meio. Sai de lá e fui para minha sala, já que a professora de matemática já havia chegado e infelizmente o primeiro horário era com ela.

 

[ – S/N; Point Of View]

 

Então esse não era o namorado dela?! Ainda bem… Digo, o novato é muita areia para o caminhãozinho dela. Naeun nos olhou e depois saiu correndo, deixando todos confusos por seu ato. O novato me olhou, sorriu fraco e se retirou. Coração chega a errar a batida.

 

Olhei para Yeeun, esta que estava se segurando para não rir. Okay, eu estava quase rindo junto. Ela saiu de lá com a mão na boca e fui junto a ela. Por sorte não encontramos a Naeun, pois tenho certeza que se ela nos visse rindo de si, ela iria querer bater em nós, enfim, aquele clichê de sempre.

 

Depois de Yeeun se recuperar de sua crise de risos, fomos a nossas salas e tudo correu normal.

 

Fui para casa junto a minha amiga, pois ela insistiu em dormir lá. A internet no colégio estava um caco, o que me impediu de visualizar ou responder quaisquer mensagens. Entrei naquele UN Village e vi uma mensagem do – como apelidei carinhosamente porque seu usuário é muito difícil de ficar falando – Hyun.

 

baekhyunee_exo; ei S/A, como foi seu dia hoje?

 

you; engraçado e o seu?

 

baekhyunee_exo; que coincidência, porque o meu foi hilário. tirando a parte de que minha professora passou um trabalho :( ainda bem que é em dupla

 

you; coincidência também, porque minha professora também passou um trabalho em dupla :0

 

baekhyunee_exo; será o destino ou illuminati?

 

you; os dois?

 

Ri com seu comentário e conversamos mais um pouco. Ah, havia esquecido de dizer mas a professora de matemática passou um trabalho em dupla e consequentemente fiquei com o novato. Yeeun quase surtou e insistiu em pedir a senhora Choi para mudar, mas consegui convencê-la a continuar com o Jeno.

 

Me despedi de Hyun, visto que ele também teria que começar de fazer o trabalho agora. Conversei com o novato – gosto bastante desse apelido, não me julgue – e marcamos de se encontrar em sua casa e ele ficou encarregado de vir me buscar, mesmo comigo dizendo que não havia necessidade disso.

 

Por mais que Byun fosse novo e ainda estávamos nos conhecendo, posso dizer que ele aparenta ser uma boa pessoa, tirando o fato de que minha intuição diz que eu já conheço ele de algum lugar e que Hyun está mais próximo do que imagino.

 

Sai de meus pensamentos com a campainha tocando, sorri já animada com a possibilidade de ser o novato.

 

Assim que abri a porta, meu sorriso se desmanchou lentamente. Era Sehun com buquê em mãos. O que ele queria?!

 

– S/N… – ergui a mão, fazendo ele parar de falar.

 

– Olha Sehun, eu não sei o que está fazendo aqui ou o que quer, mas eu já lhe disse que não era mais para vir na minha casa! – esbravejei irritada e ele se aproximou ainda mais.

 

– Por favor… Me deixa me explicar! Eu juro que te conto porque fiz aquilo! Por favor, só vai durar dois minutos. – ele me olhou com aquele olhar de cachorrinho que caiu do caminhão de mudança. Suspirei derrotada, o deixei prosseguir enquanto me xingava mentalmente.

 

– Eu sei que fui completamente babaca contigo mas, eu tenho um motivo. Pode não ser válido, mas eu tenho. – ele engoliu a seco. – Naquela noite, eu encontrei com a Mina e você já sabia que ela era meio maluca e tudo mais. Ela venho com um papo de que, estava triste com algo e que precisava desabafar com alguém. Você sabe que nunca fui de recusar ajuda aos outros então aceitei… Acabamos indo naquela lanchonete e ela se confessou, não para mim, mas sim que ela estava gostando de um amigo meu. Até aí tudo bem, mas depois que estávamos indo embora, ela me surpreendeu com um beijo. Eu juro pra você que não significou nada pra mim.

 

– Aish… – ri amargamente. – Era apenas isso?

 

– Continuando… Eu a empurrei imediatamente e ela pediu desculpas e foi embora em seguida. Você sabe que estávamos afastados por conta das provas e eu estava confuso. Em relação a tudo, ao beijo da Mina, ao nosso relacionamento e em relação aos meus sentimentos por você. Esse foi um dos motivos por ter me afastado, eu apenas pensei que poderia te magoar. Acreditei que estava tendo sentimentos por outra e terminei os melhores três anos da minha vida e ainda disse uma grande mentira. – ele me olhou magoado e nesse momento meus olhos já estavam marejados.

 

– Você… V-Você… – eu simplesmente não estava conseguindo ofendê-lo ou expulsá-lo dali. Ele poderia estar mentindo, mas ele parecia tão sincero com tudo que disse.

 

– E depois, quando você disse que me amava imensamente, que eu estava agindo como um tremendo filho da puta e até mesmo quando você me ignorou por todo esse tempo, eu pude notar que eu nunca tive nenhum sentimento por Mina ou por qualquer garota. Era sempre você. O Amor da minha vida. A garota por quem me apaixonei e por quem planejei um futuro para nós. Você sempre foi alguém especial em minha vida S/N e não gostaria que você saísse dela por uma burrice minha. – ele limpou meu rosto, dando um sorriso torto. Em seguida, ele se ajoelhou e tirou de seu bolso uma caixinha de veludo vermelho, contendo um anel. O mesmo anel que joguei em sua cara e o mandei tomar naquele lugar.

 

– Eu sei que não mereço… Mas… Me perdoa?

 

.


 

.


 

.


 

To Be Continued… or no.


Notas Finais


eai, vocês o perdoam?
até breve~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...