História Unbearable girl!? - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Avril Lavigne, CSI: New York
Personagens Adam Ross, Aiden Burn, Avril Lavigne, Danny Messer, Don Flack, Jo Danville, Lindsay Monroe, Mac Taylor, Personagens Originais, Sheldon Hawkes, Sid Hammerback, Stella Bonasera
Tags Amor, Avril, Brigas, Colegial, Don Flack, Eddie Cahill, Família, Policial, Sexo, Tedio
Visualizações 23
Palavras 1.789
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - A certain quartet!


Fanfic / Fanfiction Unbearable girl!? - Capítulo 6 - A certain quartet!

»Lesley Andrew«

Me acordei naquela manhã de domingo com uma forte dor de cabeça,o gosto da bebida da noite passada permanecia, constantemente, na minha boca.

Olhei para o teto da casa,e percebi que continuava na casa do meu pai.Hoje seria o dia em que ele me mataria.

Ouvi umas batidas na porta,"toc toc", imaginei que fosse meu o Edward,fechei meus olhos e fingi estar dormindo.

_Senhorita Lesley! - bateu novamente - Você está acordada? - pelo tom de voz,deveria ser o mordomo.

Abri meus olhos e disse:

_Pode entrar!

Ele abriu a porta e em suas mãos uma bandeja,cheia de nutrientes.

_Eu espero que goste! - ele colocou a comida na cama - Já são 14:00 da tarde!

O tempo tinha passado rápido de mais...

_E meu pai?

_O senhor Andrew está no escritório! - disse saindo do meu quarto.

Edward estava muito quieto,não sei muito bem o que ele pretendia,mas não era coisa boa.

Comi tudo que havia na bandeja,até seus últimos farelos.

Tinha fome!

Tomei uma ducha,e recebi uma ligação da Allison.

Por celular,pude me comunicar sobre o que aconteceu na festa depois do meu desmaio.

_Aleck perguntou por você,parece que ele ta afim...- Ally disse com seu tom de Cupido.

_Foi só um beijo! - passei a mão no meu cabelo.

_ Dá uma chance,quem sabe rola uma quimíca! - senti quando ela zombou.

"Quimíca" logo pude me lembra de Dom naquele momento,seu rosto meio avermelhado depois de um beijo em sua bochecha...

_Eu acho ele fofo! - pensei alto,esquecendo que Ally estava na linha.

_Ta vendo,parece que vocês combinam... - ela riu.

Ouvi passos chegar na minha porta e abri-lá,quando me virei,percebi que era meu pai e desliguei rapidamente o celular.

_Precisamos conversar! - ele sentou na minha cama.

Fiquei em silêncio,talvez não tivesse o que falar, faltava palavras em meus labios.

_Mandei buscar suas coisas na casa de sua mãe! - meu coração acelerou.

_E a mamãe...- tentei fazer mudar de idéia.

_Acredite,eu ainda sou seu pai! - seu jeito altoritário demonstrou - E posso te tar o dobro que sua mãe te dá!

_Eu não vou morar na sua casa! - levantei meu tom de voz e ele levantou da cama.

_Não vai ter escolhas... - ficou de costas para mim.

_Pai porfavor! - tentei colocar a mão em seu ombro.

_Vou entrar com o acordo na justiça...E só vai ver sua mãe no final de semana,mas só na minha presença! - ele caminhou até a porta.

_Não pode fazer isto comigo! - choraminguei.

_Na verdade - girou a maçaneta - Eu posso!

Uma lagrima escorreu pelo meu rosto,coloquei minha cabeça no travesseiro,e senti varias gotas do meu rosto sairem.

Eu chorei e por algumas horas fiquei no quarto.

Levantei,quando o Peter insistiu para que jantasse ao lado do Edward.

Aquele jantar de domingo que parecia mais um funeral.

As pizzas loucas da mamãe não se comparava aquela comida esquisita que me serviam.

_E bom saber que vou ter minha filha comigo! - Andrew falava com Lourryane.

_E você!? - chamou minha atenção -O que acha de morar conosco,querida!

Fiquei em silêncio,ainda brincando com o garfo na minha mão.

_Lesley! - tentaram chamar minha atenção de novo.

_Eu acho que ela está feliz! - Lourryane disse.

Olhei alguns segundos para o papai...

E reparei que ainda nem se quer havia comido o que tinha no prato.

_Acostumada a comer porcarias,esqueceu de como é comida de verdade... - Edward murmurou para a sua esposa.

Aquilo foi um tiro em mim,ele eatava se referindo a minha mãe.

_A verdade é que estou cheia das porcarias que você me disse... - me levantei da mesa.

_Onde vai? - ele foi rude - Coma a comida...

Eu apressei meus passos e fui em direção a sala principal.

Subi as escadas e entrei no corredor onde era meu quarto.

Corri ate ele e me joguei na cama.

Minha vida virou um inferno,eu queria muito deixar de existir ali mesmo...Eu precisava beber,queria que algo forte passasse por dentro das minhas veias e tirasse minha dor.

Me embriagar,iria ser o melhor rémedio.

Quando menos esperei,já estava chorando novamente...Aquilo foi desesperador.

Naquela noite eu não sei se Andrew foi a meu quarto.

______ x ____

_Senhorita Lesley! - minha vista embançada estava se abrindo,me surpreendi ao ver Peter me chamar - Preparei suas vestes da escola e sua mochila também...Espero não estar encomodando!

_Tudo bem! - borcegei,minha mente lembrava que aquela era minha nova casa...Meu coração apertou no peito.

Peter saiu do quarto e me deixou sozinha,ele era uma das pessoas que eu mais respeitava naquela casa.

Já depois de alguns minutos eu estava pronta para descer as escadas.

Me deparei novamente com o Peter...

Não queria ver o papai novamente,então implorei para que ele preparasse meu lanche para mim levar para escola.

Quando entrei em um dos carros,Peter de longe disse "Que tenha um ótimo dia!".

Da casa do papai até o colégio,seria um grande caminho a seguir.

Tirei o celular do bolso da jaqueta e fiz uma ligação para a mamãe.

Mas só caia na caicha de mensagens,e eu ódiava quando isto acontecia.

Por isto não deixava mensagens.

Talvez ela não estava afim de falar com ninguém.

_Estamos quase chegando! - o motorista avisou.

Peguei minha mochila e quando ele estacionou o carro eu abri a porta e sai.

Não hávia muita gente por fora da escola.

O assunto de todos era a morte de Clear.

Quando cruzei o corredor,me dei de cara com Ally.

_Hey! - ela me abraçou

_Oi! - me dei de conta que ela não demonstrava tristeza. - Como você está?

_Eu acho que bem...

Aos poucos o assunto da Clear foi se abrindo,e tiramos varías conclusões.Uma delas era o fato de o atual namorado dela não estar na festa e ele mal procurou saber como ela estava.

_Eu acho que ele tem amante e ela ficou com ciúmes e matou a Clear! - Ally disse no corredor da sala de quimíca.

_Isto não faz muito sentido! - arqueei a sombrancelha.

_A sua paixão se aproxima! - ela olhava por trás de mim.

_Quem? - retruquei baixinho.

_Aleck! - ela fez um sinal para o garoto se aproximar.

O moreno me olhou,me fazendo lembrar daquela noite.

_Oi,eu... - o sinal tocou e sua voz parou enquanto o som,soava.

Em algumas voltas na sala dos professores,o Dom aparece,fazendo minhas púpilas dilatarem.

O som do sinal parou e o Dom chegou enfim a porta da sala.

Aleck e Allison saíram a procura de suas salas.

Quando empurrei a porta,uma mão me puxou para trás,me fazendo bater no peito do Dom.

Quando ví que aqueles dedos pertenciam a o professor,suspirei profundamente.

Algo dentro de mim não estava certo.

_Preciso falar com você! - ele disse enquanto soltava meu pulso.

_O que quer? - perguntei.

Ele me deixou cara a cara com ele,me relembrando aquele momento no carro.

"_Olha para mim enquanto estiver falando com você!"

Poderia me deixar assustada,mas eu via um mistério em toda aquela voz,em seus olhos eu via alguém que não era o Dom.

_Quero que me diga,quem matou a Clear? - bravamente ele falava.

_Juro que não tenho nada aver com isto! - soou triste.

Mas ele mau se preocupava,uma pessoa meio frio...O que esperar de um homem como ele!

_Eu espero que seja verdade! - retrucou baixo. - Agora entra para a sala.

Quando entrei,todos os alunos me encararam.Eu poderia ser suspeito como qualquer um e eles eram juízes.

Me sentei na última cadeira.Coloquei a muchila na mesa e baixei a cabeça...

Eu podia ainda ouvir uns "zun-zun-zuns" na sala, o professor pedindo silêncio.

Levantei a cabeça e já estava cançada daquilo,sugeri a mim mesma não abrir a boca.

_Todos a ódiavam! - Falei alto e em bom tom.

Todos se viraram para mim,pareciam pernilongos atrás de sangue.Sabia que séria a última coisa a dizer,o Dom me pôs de castigo no fim das aulas...

Minha fala foi levado em conta pelos nerds,sabiamos que Clear não era flor que se cheire.

Um dos nerds chamado Rick tentou ficar a meu favor.

_Professor,a senhora Lesley têm razão...

Rick era o nerd corajoso,nunca nos falamos,mas eu sabía que ele era meio defensor dos outros.

_Os dois,depois da aula...

Então toda sala ficou em silêncio.

Me senti grata por aquele ato de defesa.

Quando enfim acabou mais algumas aulas e fomos para o almoço.

Allison,Alack eu e até mesmo o Rick,sentados na mesma mesa.

Rick falando bobagens que os pais deles fazem,Allison comendo as batatinhas do Aleck.

_Baile da escola! - Ally brincou - Meu pai disse que não agüenta mais ouvir a palavra "Festa" - ela fez aspas nos dedos.

_Eu quero beber um pouco! - falei atoa.

_Eu também! - Aleck levantou a mão.

Rimos.

_Eu nunca bebi! - Rick ficou fechado.

_Me diz,também é virgem? - Ally zombou.

Não paravamos de rir.

_Uma próposta! - Ally tomou a voz - Eu sei que amanhã vou trazer muito alcoól no carro...Só os quatro e mais ninguém!

_Topamos! - falamos ao mesmo tempo.

Pegamos os sucos e batemos um brinde,a novo quarteto da escola.

_Amém! - Rick disse.

Enquanto estavamos alí,ninguém nos julgava.Pertenciamos a nós mesmos,nem mesmo o capitão do time,vivia aos ventos espalhando que eramos o culpado da morte da Clear.

_Detetives estão aqui! - Aleck falou.

_Será que acharam o culpado? - Ally retrucou.

Todos alunos me encararam...Mas eles pegaram o namorado da Clear.

Isto impactou metade das alunas.

As garotas que defendiam ele.

Mac e outro polícial estavam lá,era o loiro do "Bomm".

Os caras levaram ele até a porta...

_FOI A ANDREW! - ele gritou.

_Calado! - Mac reagiu.

Quando eles sairam meus olhares com o detetive se cruzaram.

_Vamos ser liberados cedo? - Rick me olhou.

_Não sei!

Ficamos agitados,a prisão daquele rapaz atingiu a qualidade dos alunos.

O diretor não viu motivos para nos soltar...E eu percebi que ainda ía ficar de castigo.

As aulas foram se passando,eu e Rick agora sentados juntos e estudando.

Quando enfim acabou,nos despedimos de Aleck e Allison e fomos para a detenção.

As regras eram simples,fique quieto...

_Estão aqui porque me enfrentaram... - Dom zombou - Agora enfrentem as conseqüencias...

Vinte minutos se passaram.

_Rick! - Dom disse - Pode ir.

Agora eramos eu e o Dom.

Fiquei o encarando soltando sorrisos de leve.

_Mais dez minuto! - ele soltou um sorriso sarcástico.

Ele tava pouco se importando com o tempo que eu ficaria alí.

_Aguenta até meia noite? - retruquei baixinho.

_Se ficar em silêncio,eu agradeço!

_Você é bipolar! - desta vez falei alto.

Ele levantou-se e veio até mim.

_E você foi suspeita de um assassinato! - encarou profundamente.

_Estava bêbada quando ela morreu! - fiquei meio abalada.

_É meio difícil,mas pode sair desta! - ela ajoelhou se perto de mim - Eu acredito em você! - acariciou meus cabelos.

Aquele rostinho de homem bom,ficou abrindo um lugar para meu sorriso.

_Já foi alcoólatra? - perguntei curiosa

_Mas eu superei! - sua voz,agora parecia doce.

Ele levantou e ficou me encarando de pé.

_O que houve? - sua expressão foi revoltante.

Do nada ele demonstrou afeto,e de repente mudou seu estado emocional.

_Sai agora da minha sala! - ele apontou o dedo para a porta.

Eu fechei a cara,fiquei confusa,eu senti que ele me fez de trouxa...

_Eu te odeio! - falei mostrando um teor de raiva.

Mas ele me olhou e ficava da sua mesa observando eu pegar minha mochila.

Quando fui até sua frente,e fiquei cara a cara com ele.

Minha respiração ofegante,e meu coração acelerado.

Seu modo,seu sorriso branco e brilhante.

E seus labios,com tom meio claro.

_Professor! - disse ofegante.

Ele tocou minha mão,com seus dedos e senti uma leve pressão no ar.

Nossos olhos fixados em cada detalhe.


Notas Finais


Tudo é questão de tempo kkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...