História Unconditionally - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Arrow, Capitão América, Homem de Ferro (Iron Man), Os Vingadores (The Avengers), Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bucky, Clint Barton (Gavião Arqueiro), Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Loki, Natasha Romanoff, Nick Fury, Odin, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Pantera Negra (T'Challa), Pepper Potts, Personagens Originais, Peter Parker (Homem-Aranha), Phillip Coulson, Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Scott Lang (Homem-Formiga), Steve Rogers, Thanos, Thor, Visão
Tags Entrega, Felicidade, Romance, Tony Stark, Tragedia
Visualizações 28
Palavras 3.573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heyyy, Bom diiia.
Quero agradecer os comentários e dizer que não precisam ter vergonha de comentar, eu leio todos e tenho muito carinho por todos vcs. Comentem viu. Vai me ajudar muito.
Na capa está representando como Tony olhou pra ela quando ela chegou na festa.

Capítulo 15 - Complicated


Fanfic / Fanfiction Unconditionally - Capítulo 15 - Complicated

Horas depois...

Mansão Stark.

Malibu, Califórnia.

•Gabriela Larius Hitszky•

Eu tinha saído do banheiro, depois de um belo banho, da maquiagem e do cabelo feitos. Vejo uma caixa enorme em cima da cama. Eu estranhei. O que seria? Se fosse um vestido, por que eu receberia um vestido se já tinha um para usar? Me aproximei da cama e vi que a caixa estava do lado do vestido que eu tinha separado para usar na festa. Em cima da caixa tinha um cartão e ao ler, dei um sorriso triste.

“Era para que você usasse no meu aniversário, mas mudei a escolha do traje que os convidados usarão, então achei melhor que você vestisse hoje. Não precisa me perdoar, só quero que se sinta bem com esse vestido e com você mesma. Mas isso é só um detalhe, porque sei que você é confiante mesmo sem isso. Achei a sua cara, esquentadinha.
Tony”

Sorri, mas esse sorriso era triste. Sei que não faz sentido, mas era isso que eu sentia. Estava tão distante de Tony. Não nos vimos o dia inteiro. Eu estava evitando ele, porque ele não merecia que eu o perdoasse. Tony tinha me magoado de verdade. Primeiro a loucura da corrida, depois o surto quando perguntei o que ele escondia. Tá cada vez pior! Não posso continuar assim. Estava começando a pensar se deveria me mudar. Não faz nem dois meses que estou aqui, mas não estava tão certa se realmente deveria ficar.

O vestido era incrível, estava deslumbrada. Mas devolveria ao Tony depois da festa, não me sentiria bem ficando com o vestido. Simplesmente não dava. Eu estava com uma mistura de sentimentos dentro de mim. Decepção, por ele não confiar em mim para contar o que quer que fosse o que ele escondia. Raiva por ele ser tão egoísta e grossos às  vezes. Confusão, porque ele me despertava sentimentos que nem Damon conseguia.

Tirei o vestido da caixa e vesti lentamente. Olhei pelo espelho e imaginei Tony ao meu lado. Vesrido em seu terno carissimo e me abracando pela cintura. Uma lágrima escorreu quando vi que não era real e eu a limpei rapidamente. Calcei um salto e passei perfume.

— Senhorita, O senhor Salvatore lhe espera na sala mansão.

— Obrigada, Jarvis. — sorri fraco e peguei minha bolsa. — Éh... Jarvis?

— Pois não?

— Onde está o Tony?

— Já partiu para a mansão Salvatore, Senhorita Larius.

— Ah... — suspirei — Obrigada.

Saí do quarto e me pus no começo da escada. De lá dava pra ver Damon, ele segurava uma caixinha de veludo estreita. Não era um anel e não era um colar. O que seria? E por que ele me daria isso? Já tinha falado que não queria que ele me enchesse de presentes, como Tony fazia. Sorri de leve e comecei a descer. Damon notou a minha presença e acompanhou cada movimento meu com os olhos. Ele parecia admirado. Coloquei um sorriso maior no rosto e o beijei, assim que cheguei perto dele. O beijo dele era intenso, envolvente, seus lábios eram meio gelados e me davam um arrepio. Eu só não sabia se ele era bom ou ruim. As vezes eu achava sorte demais Damon estar na minha vida justo quando estou tão mal com Tony.

— Você está deslumbrante, meu amor. Simplesmente será a mulher mais maravilhosa daquela festa.

— Obrigada, senhor Salvatore. Você está impecavelmente lindo também. — demos um selinho. Ele olhou em volta.

— Onde está o simpático anfitrião da casa? Pensei que não perdesse uma festa. — falou sorrindo irônico. Eu rio de leve.

— Tony foi mais cedo. Não sei porquê, mas acho melhor assim.

— Tony foi um idiota com você, ele fez merda e você ainda fica mal por ele? Tony não merece essa atenção toda, Gabriela. — ele pegou minha mão — Se concentre no que te faz bem. — seus grandes olhos azuis me olhavam como se soubessem cada verdade sobre mim e eu senti um arrepio na espinha. Logo seu olhar suavizou e me deu aquela paz de antes. Eu suspirei.

Ainda estava com um pé atrás depois de sua última frase. Eu sabia que Damon e Tony não se bicavam, mas achei que fosse implicância de Tony apenas. Mas agora parecia que não. Damon gostava de mim. Isso era meio transparente, mas não era só isso. Eu ia descobrir. E ainda tinha que descobrir o que Tony escondia. E trabalhar com minhas pesquisas. E ajudar Pepper com a empresa. Porra, é coisa demais! Jesus, onde fui me meter?

Espanto pensamentos, por ora, e entrelaço meus dedos com os de Damon. Saímos da mansão e vejo uma limusine branca e blindada com detalhes em ouro. Abri a boca surpresa e Damon riu.

— Se estou acompanhando uma rainha, ela tem que ter o transporte de unha.

— Só porque sou mulher não quer dizer que goste de ser mimada o tempo todo, Damon. — falei, tentando não ser rude — Não precisa disso tudo.

— Eu sei. Você é uma mulher forte, independente e determinada. Foda em tudo que faz. Não precisa disso, mas merece mesmo assim. E é uma escolha minha. — ele sorriu de lado. Mordi os lábios, envergonhada pelos elogios. Sorrio e lhe dou um selinho, entrando no banco de trás.

Damon entra ao meu lado e diz para o motorista dar partida. No carro, Damon tira a mesma caixinha que vi na mansão, de seu smoking. Ele sorri de lado.

— Isso é um presente. Você disse que adorava jóias e que apreciava diferentes tipos. Você combina com elas. E eu queria te dar isso. Comprei ainda na Europa, antes de voltar pra cá.

Ele abriu a caixinha e vi uma pulseira linda e um par de brincos em conjunto. Era tão linda e delicada. Os dois, a pulseira e os brincos, eram peças da Swarovski e eram de diamantes. Peças caras e valiosas. Nunca tinha recebido algo assim. Damon tirou os brincos pontos de luz que eu usava e pôs os que ele deu pra mim. Logo depois fez o mesmo com a pulseira.

— Você é a mulher mais linda do mundo. — quase protestei, mas ele me interrompeu — Sei que não é prioridade pra você todo esse luxo e é por isso que você merece ele. Porque pra você, o que importava é o que somos e não o que temos. — ele beijou minha testa.

Assim que chegamos à mansão, vejo um tapete vermelho na enorme porta e vários fotógrafos. O motorista saiu do veículo e abriu a porta para nós. Todos os paparazzi nos rodearam, assim que Damon saiu do carro e me estendeu a mão. A peguei em um sorriso e saí. Fui atacada por flash e fechei os olhos por um breve momento. As perguntas eram rápidas e se atropelavam umas pelas outras. Todas querendo um furo de reportagem, fofocas, intriga, talvez. Porém, algumas eram fúteis e inúteis.

— Senhorita Larius, vemos que está com Damon Salvatore. Estão juntos?

— Tony Stark atravessou aquela porta sem você. São parceiros na empresa. Então qual o motivo disso? Problemas?

— Vocês dois, possuem planos para o futuro? Noivado, casamento?

Eu quase arregalei os olhos e Damon riu, desconfortável.

— Temos uma festa nos esperando, senhores. Com licença. — foi o menos grosso possível e fomos caminhando de mãos dadas para dentro da festa.

Lá, mais fotos e flashes. Quando essa parte foi deixada para trás, fomos cumprifando e conversando com jornalistas, empresários, filantropos e até alguns artistas. A conversa até estava agradável. Até o momento em que vi Tony Stark olhando para mim, percebendo que eu usava o vestido. Ele bebia, mas assim que me viu foi como se tivesse paralisado. Damon se afastou para falar com empresários velhos e chatos e eu me aproximei de Tony. Sorrio de lado, meio amarelo.

— Eu... Queria agradecer pelo vestido. Amanhã ele vai estar de volta na caixa, eu prometo.

— Não aceito que devolva. — deu de ombros — Ele ficou perfeito em você. É a mulher mais linda desse lugar. E é um. Vandrin Sahiti legítimo, o mais novo da marca até agora. Você é a única digna, realmente, de usar. Você merece tudo que tem. — fica estática com as palavras dele e ele sorri fraco.

— Eu adorei o presente. Mas... — suspirei — Não consigo entender você e estou desistindo. Não sou o tipo de mulher que dá murro em ponta de faca, Tony. Se você quiser me contar o que quer que seja, pode me contar. Mas não vou mais insistir e aceitar suas desculpas como se nada tivesse acontecido. Saiba arcar com as consequências do que você faz. — fui direta e ele ficou calado. Vejo Damon voltar e me afasto — Com licença.

Sai de lá, antes que mudasse de ideia. Somente naquela noite, eu ficaria a noite inteira concentrada em Damon e no que tínhamos. Era melhor assim. 


•Tony Stark•

Quando atravessou aquelas portas daquela maldita mansão, eu soube com certeza que não conseguia manter meus olhos longe dela. Eu agora só tinha olhos pra ela e ela era a única mulher que importava pra mim. Uma ponta de alegria se fez presente quando percebi que ela usava o presente. E, por Deus, ela estava magnífica! E nem em Deus eu acredito, nem sabia mais o que pensava.

Àquela alegria que eu disse que apareceu, quando ela disse que devolveria o presente, foi embora. Eu sabia que ela era assim. Mas ela merecia aquela riqueza toda. Justamente porque não achava tão necessário. Ela estava tão linda. Todos naquela festa falavam dela e ela nem fazia ideia disso. Eu não podia deixar que ela devolvesse, então falei pra ela. Ela, como sempre, disse a verdade na minha cara e eu fiquei como um idiota vendo ela escapar pelos meus dedos, sem coragem de dizer mais uma mentira.

Todo dia eu estava mais perto de morrer. E por mais que odiasse, eu não me importava mais. Seria melhor pra ela que ela ficasse longe. Só que o fodido do meu coração não concordava mais com isso. Se ela dissesse que se importava e que ficava comigo, eu estava foda-se para o paládio e para tudo. Se ela me quisesse, eu ia fazer ela feliz. Se fossem os meus últimos dias, que fossem os melhores da minha vida.


⏳Duas horas depois...⌛

A festa já estava perdendo a graça. Gabriela estava rodando por aí com Damon e eu dispensava qualquer jornalista oferecida que viesse me encher o saco. Muitas mulheres daquela festa estavam falando e despejando seu veneno em Gabriela. A maioria com mais de quarenta anos e a olhavam, uma mulher linda, jovem e acompanhada de um empresário, como se ela fosse uma vadia interesseira. A inveja e a soberba do mundo em que eu vivia eram doentias. E Gabriela lidava muito bem com isso. Talvez até melhor do que eu. Educada, trabalhadora, determinada, forte, corajosa, lutadora sem dúvida.

Uma matéria sobre ela saiu no jornal principal de Central City e eu pesquisei mais sobre isso. Ela saiu do Brasil apoiada apenas pelo pai, um francês que morava no Brasil a anos, e pela tia que já morava no exterior. Vivia uma vida precária no Brasil e estudava mais que tudo. Era um gênio e recebeu a primeira bolsa para estudar fora do país dela. Merece tudo que tem.

Bebendo um whisky caro, nem percebi Rhodey ao meu lado. Ele estava com um semblante risonho que beirava a ironia, era de se esperar já que ele estava olhando para um homem que se remoía vendo a mulher que ele gostava com outro. Até eu riria. Era no mínimo meio patético.

— Tony, o que você tá fazendo? Bebendo feito um imbecil e Gabriela está ali, linda e exuberante como sempre, dançando com outro cara. Qual é o seu problema?

— Não tenho problema nenhum, Rhodey. — dei de ombros, fazendo uma expressão ensaiada de falso desprezo — Gabriela é livre e está aqui com aquele babaca porque quer.

Isso eu sei, ela sempre faz o que quer, Tony. Ela é independente e tá certa em ser assim. — ele retrucou e eu revirei os olhos — E ela tá aqui porque você não disse pra ela o que sente, porque se você tivesse dito ela estaria aqui com você.

— Do que tá falando? Não tem sentimento nenhum, Rhodes. Gabriela é minha amiga e cientista da minha empresa. Só. — bebi um pouco do whisky e deixei o copo no balcão do bar atrás de mim. Falei aquilo, mas nem eu acreditava nisso. Patético, a que ponto Tony Stark chegou. Inacreditável...

— Ah, tá. — Rhodey riu irônico — Se fosse assim você tava dando em cima de qualquer mulher aqui dessa festa e não sofrendo pela única que não tá rodando você. — ele suspirou — Fala pra ela, Tony. Você me contou que estão brigados e eu ainda nem sei o porquê, mas fala o que sente pra ela. As coisas vão mudar.

Ele falou e me deixou ali, bebendo. Eu bufei. Gabriela e Damon conversavam junto com um casal rico e importante, provavelmente amigos da família do branquelo. Ele parecia convencê-la de alguma coisa. Apontava pro palco ali montado. Ela sorria meio sem graca, mas acabou cedendo e subindo no palco. Mas o que diabos ela tá fazendo?

Assim que ela sobe, a banda que ali estava tocando cede o microfone principal pra ela. Ao lado da banda, tinha um piano. Ela pegou o microfone e o suporte, e colocou perto do piano. Ela olhou pra todo mundo ali. Todos tão estupefatos quanto eu. Ela não me contou que cantava. Mas fazia todo sentido. Já que estávamos brigados, era fácil de entender o fato dela estar muito puta comigo. E decepcionada.

— Estou aqui, pela exigência de uma pessoa importante pra mim. — ela olhou pro Damon, que sorriu, e a platéia riu do jeito que ela falou — Essa música, eu terminei ontem. Tinha começado a um tempinho e só tive oportunidade de terminar ontem. Não costumo expor as minha músicas assim, porque são muito pessoais, mas hoje é um grande dia. — foi aplaudida — Espero que gostem. — ela sorriu fraco e se sentou no piano.

Em meio àquela porra toda eu só conseguia pensar em como eu conhecia pouco ela e mesmo assim era apaixonado por ela. Eu afastei tanto essa mulher de mim, que provei a mim mesmo de conhecê-la mais.

Ela sussurrou algo pra banda e o guitarrista, e vocalista, concordou. Provavelmente sobre as vozes de fundo e essas coisas todas.

Foi quando as notas soaram e ela começou a cantar, que eu percebi o que realmente tava acontecendo.

(Recomendo que escute Complicated, versão Olívia O'brien)


Chill out, what you're yelling for / Calma, porque você tá gritando?

Lay back, it's all been done before/ Senta aí, já passamos por isso antes

And If you could only ler it be you will see / E se você deixasse rolar, veria que...

I like you the way you are / Eu gosto de você do jeito que você é

When we're driving in you car / Quando estamos no seu carro

And you're talking to me one on one / e você conversa comigo a sós.

But you become / Mas você vira...

Ela começou a cantar e eu quase abri a boca surpreso. Ela tinha uma voz linda. Forte e potente, mas suave no piano. Notas altas só quando precisava na música. E ela já sabia as notas de cor, assim podendo olhar pra platéia que estava tão estática e encantada quanto eu. Eu estava encostado no bar e ela me olhou enquanto cantava. A música era pessoal demais pra ela. Dava pra perceber. Ela estava com os olhos, lindos e castanhos, vermelhos e cantava me olhando como se quisesse me dizer alguma coisa. A música era bem autoexplicativa. Eu nem sabia que porra pensar. Ela estava cantando e dizendo que gostava de mim do jeito que eu era. Eu nem sabia com o reagir. É isso era uma piada se tratando de quem eu sou. 


Somebody else round everyone else/ ...Outra pessoa na frente dos outros

Whatching tou back, like you can't relax/ Fica tenso, como se não conseguisse relaxar

You're trying to bem cool/ Você tá tentando ser “o melhor”

You look like a fool to me/ Mas tá parecendo um imbecil pra mim.

Tell me / Me diga:

Era como se ela tivesse jogando tudo na minha cara. Todas as brigas, o modo como eu afastava ela sendo o imbecil que eu era... Ela fez uma música com isso. E fazia todo sentido. Baixei o olhar por um momento e ela também, voltando a prestar atenção nas teclas do piano. Olhei para o branquelo e ele olhava de mim para ela, como se soubesse que música era pra mim. Ele baixou a cabeça e riu irônico, discretamente. Era como se a expressão dele denunciasse que ele sabia que a música era pra mim, mas ele ia ignorar. Porque, no final, ela tava com ele. Essa era a verdade que eu não queria encarar.


Why do you have to go and make things so complicated?/ Por que você tem que deixar tudo tão complicado?

I see the way you’re / Eu vejo o jeito que você...

Acting like you're somebody else, gets me frustrated / muda de personalidade, isso me deixa frustrada.

And life's like this you / Sua vida é assim:

And you fall, and you break / Você cai, se arrasta, se quebra

And you take what you get qnd you turn It into honesty / Pegue o que você puder como lição e transforme em honestidade

You promisse me I'm never gonna find to fake It / Me prometa que nunca vou descobrir que você está fingindo

No, no, no (5x) / Não, não, não (5x)

A forma como ela olhou pra mim foi a mais dolorosa que já vi. Me senti culpado, não pude evitar. Aquela mulher forte, linda e talentosa estava sofrendo ali, cantando naquele piano. Não sou imbecil e egocêntrico o suficiente para me vangloriar de ser a causa disso. Mas eu sei que sou essa causa. E me odeio por isso. Ela realmente achava que eu usava uma máscara e a usava pra afastar ela. E ela tinha razão. Eu só queria afastar ela porque tinha medo. E isso deixava ela frustrada. Toda a letra da música maltratava minha alma que já não tava tão bem assim. A voz dela e a letra que ela cantava me torturavam e eu merecia aquilo. Enquanto cantava, ela sorriu de leve, em meio aos olhos vermelhos e olhou de mim para Damon. Ele deu um sorriso confortador pra ela e ela abaixou o olhar para as teclas do piano, continuando a olhar pra mim logo depois. Mesmo me sentindo culpado e decepcionado comigo mesmo, não deixava de admirar o talento dela. A voz dela era bem versátil e ela conseguiu deixá-la suave e grave ao mesmo tempo naquele trecho. Logo depois, voltou ao tom inicial da música.

You come over unannounced / Você chega sem avisar

Dress up like you're something else / Vestido como "o tal"

Where you are ain't where it's at you see / Onde você está não é como você vê

You making me / Você está me fazendo

Laugh out when you strike your pose/ morrer de rir quando faz essas poses

Take off all your Preppy clothes / Tira logo essa roupas de playboy

You know you're not fooling anyone / Você sabe que não que está enganando ninguém

When you become / quando você vira...

Continuava cantando e cada vez mais iam se encantando com o jeito que ela cantava e o quanto se doava. Ela tinha inúmeros talentos e faces, todas incríveis.

Somebody else round everyone else/ ...Outra pessoa na frente dos outros

Whatching tou back, like you can't relax/ Fica tenso, como se não conseguisse relaxar

You're trying to bem cool/ Você tá tentando ser “o melhor”

You look like a fool to me/ Mas tá parecendo um imbecil pra mim.

Tell me / Me diga

Why do you have to go and make things so complicated?/ Por que você tem que deixar tudo tão complicado?

I see the way you’re / Eu vejo o jeito que você

Acting like you're somebody else, gets me frustrated / Muda de personalidade, isso me deixa frustrada.

And life's like this you / Sua vida é assim

And you fall, and you break / Você cai, se arrasta, se quebra

And you take what you get qnd you turn It into honesty / Pegue o que você puder como lição e transforme em honestidade

You promisse me I'm never gonna find to fake It / Me prometa que nunca vou descobrir que você está fingindo

No, no, no (5x) / Não, não, não (5x)

Quando ela termina a última nota, ela me olha e uma única lágrima cai. Ela é aplaudido e adorada por todos ali. Limpa a lágrima rapidamente e sorri. Eu abaixo a cabeça, sabendo o tamanho do que destruí. Eu tive muitas chances de dizer a ela o que sentia e o que estava acontecendo comigo. Mas não fiz isso para protegê-la. E agora ela está segura. Mas está tão infeliz quanto eu.


Notas Finais


Vestido que Tony deu a Gaby para usar na festa: https://www.instagram.com/p/BRnguDtFymM/?igshid=19ijvn9gk17x3

Brincos e pulseiras Damon deu a Gaby:
Brincos: https://www.instagram.com/p/BxkxjQHBp4F/?igshid=17tpkg3sx1ac5
Pulseira: https://www.instagram.com/p/BwExaE9H2N7/?igshid=1qshjbfdl3qbo
Digam o que acharam e leiam minhas outras fanfics lá no meu perfil tbm. Comentem, favorita e indiquem, vai me ajudar MT. Amo vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...