1. Spirit Fanfics >
  2. Under The Stars (Beauany) >
  3. Heyoon and Lamar

História Under The Stars (Beauany) - Capítulo 61


Escrita por: DriellyDeinert

Notas do Autor


Um capítulo mais soft para vocês.

Boa leitura. S2

Capítulo 61 - Heyoon and Lamar


Fanfic / Fanfiction Under The Stars (Beauany) - Capítulo 61 - Heyoon and Lamar

Sina P.O.V

- Eu nem acredito nisso. - exclamei, eufórica. - Isso é sério? Quer mesmo que eu seja a madrinha?

 

- E poderia ter outra melhor? - a coreana perguntou. - Já enrolamos demais, Maria. Eu já deveria estar casada. Tipo, uns seis meses atrás.

 

- Mas você disse que queria esperar, até todos os seus amigos estarem reunidos, ou até seus pais poderem arrumar um tempo na agenda.

 

A mãe da Heyoon era uma estilista, e depois que a Heyoon foi pedida em casamento, quase nunca sua mãe estava na Califórnia. Vivia em Paris, criando novas tendências e organizando desfiles maravilhosos. Claro que se a Heyoon dissesse que era apenas uma pausa para o casamento, a mãe certamente pegaria o primeiro voo do dia e viria correndo ajudar a filha a escolher um vestido incrível de casamento.

 

A senhora Jeong faria uma festa que todos falariam por semanas, senão por meses, e seria bom que a Heyoon visse a mãe. Desde o pedido, um ano atrás, elas quase não se viram, a não ser no natal passado.

 

Lamar também queria que todos seus conhecidos e familiares estivessem reunidos para esta comemoração tão especial. Os pais dele a tinham aceitado tão bem, falaram que foi a única boa escolha do filho depois da Diarra. Não que eles não gostassem dela, isso também, mas a Di era difícil, principalmente depois de tudo que aconteceu quando ela se juntou ao grupo de Savannah. Heyoon, diferente da Diarra, era fácil de se amar. Com seu jeitinho meigo e inocente, com sua risada fofa e infantil. Ela era madura mas conseguia ser uma criança em certos momentos, acho que foi por isso que Lamar se apaixonou por ela.

 

Eles tinham sido feitos um para o outro. São a metade de um só. A alegria que eles tinham, juntos, era contagiante. Eles são tão fofos que chega a ser enjoativo, principalmente quando terminam a frase um do outro, ew!

 

- Eu sei o que eu disse, mas eu não posso esperar todos se formarem e decidirem se vão ou não voltar para L.A. Todos estão vivendo suas vidas, Sina.  - disse simples enquanto cutucava a cutícula. - Eles tem planos. Não somos mais adolescentes da UHS, nós crescemos e seguimos caminhos diferentes.

 

- Eu sei. Mas ainda continuamos amigas, por que seria diferente da maioria? 

 

- Sina, você foi uma das únicas que permaneceu aqui. Preferiu ficar, entrar em uma faculdade local, comigo, em vez de se mandar para Boston com o Noah. Sei que antes foi por causa dessa coisinha fofa aqui - ela apertou as bochechas da Caitlin, que estava cochilando no meu colo. - Mas você poderia ter ido. Teus pais não te impediriam, pelo contrário, eles te ajudariam. Mas você escolheu ficar

 

Assenti. Era verdade. Meus pais me deram total apoio depois do nascimento da Caitlin, eles disseram que eu poderia ir para a faculdade, em Boston, e eles cuidariam da minha filha. Mas eu não consegui. Não conseguiria ficar longe da minha filha por mais de algumas horas. Eu não era mais a mesma de antes dela ter nascido. Diria até que sou uma pessoa melhor graças a minha filha.

 

Era incrível a semelhança que ela tinha a mim. Os cabelos loiros e ralos, a pele que mais parecia uma neve, os olhos acinzentados. Ela tem a mesma pinta que eu tenho nas costas, mas a dela fica na barriga. Quem visse ela comigo poderia dizer de longe que era minha filha. Não tinha herdado nada do Greg, graças a Deus. Espero que quando ela for mais velha, ela herde a minha personalidade e não a do Greg.

 

- A Any, a Joalin, o Bailey, o Josh, o Krys e até a Sabina, estão na Virgínia. A Hina e a Sofya estão por ai, rodando o mundo e se divertindo. O Noah está em Boston. Só restou nós três aqui e eu não quero que eles larguem seja lá o que estão fazendo e venham para cá apenas para uma cerimonia num quintal. - ela finalizou, jogando as mãos de maneira boba e dramática

 

- Deixa de ser boba. São nossos amigos. Tenho certeza que se você pedisse a maioria viria. - disse enquanto afagava a mãozinha da pequenina em meu colo. Heyoon sorriu boba, era a madrinha mais babona que já vi.

 

- Ainda não acredito que você não deixou o Lamar ser o padrinho dela. - cruzou os braços, emburrada, mas não passava de cena.

 

 Lamar tinha aceitado o fato do Noah ser padrinho da Caitlin e não ele. Heyoon, por outro lado, ficou chateada por eu não ter escolhido o Lamar. Eu queria que meus melhores amigos fossem os padrinhos, ela e Noah.

 

- O Noah é meu melhor amigo, Heyoon. Assim como você. Eu não poderia ter feito isso com ele. - expliquei pela centésima vez desde o nascimento da minha filha.

 

- Mesmo assim, Maria. O Lamar daria um ótimo padrinho, e ele não mora a milhões e milhões de quilômetros da afilhada. - essa era a mesma resposta que ela dava sempre que voltávamos a este assunto.

 

- Mas ele é um ótimo tio. Não basta para você? O Lamar aceitou numa boa. - ela revirou os olhos e eu sorri amarelo.

 

- Enfim, precisamos conseguir um juiz de paz e ainda tem a questão da certidão. Será que estamos indo rápido demais? - ela levou a mão até a boca, e roeria as unhas se não tivesse lembrado que as fez ontem, para o casamento no fim de semana.

 

- Heyoon, você o ama, não é? - ela assentiu. - E ele te ama. Vocês estão noivos a quase dois anos. Já está mais do que na hora de se casarem.

 

- Você tem razão. - sorri, afetada - Não podemos mais perder tempo.

 

       {...}

 

- Amor, não precisamos fazer isso. - Lamar disse, calmo. Estávamos no sofá, olhando vestidos simples de casamentos no instagram. - Não é o seu casamento dos sonhos.

 

- Bobagem. Eu estou vivendo um sonho ao seu lado. Não temos pra que esperarmos mais dois anos para nos casarmos. - Heyoon retrucou.

 

- Esses vestidos simples. Sem suas flores favoritas. Sem nossos amigos ou seus pais. O bolo sem o acabamento que você tanto queria. - ele continuou explicando os motivos. Quem não o conhecesse, certamente diria que não quer mais casar.

 

- Quer parar? Está dando para trás agora? Lamar, eu me casaria com você em um estábulo ou até no chiqueiro da nossa fazenda. Eu não preciso de muito, só preciso de você. 

 

 

{...}

 

- Noah? O que faz aqui? Ai meu Deus, que horas são? - Perguntei, confusa. A noite anterior tinha sido cheia. Lamar entendeu a necessidade de Heyoon e se juntou para organizar o casamento. Ficamos até umas três horas da manhã escolhendo coisas. Seria simples mas Lamar disse que seria inesquecível

 

- Eu vim pro casamento. - deu de ombros, e colocou seu sorriso tímido no rosto. - Uh, Sina, está é a Liana. - uma mulher de cabelos castanhos, não tão baixa, saiu de trás de Noah - Liana é minha namorada.

 

- Ah. Oi, Liana. É um prazer te conhecer, eu sou a Sina. 

 

- O Noah fala bastante de você e da sua filha. É a pessoa mais babona que eu conheço ao falar de um bebê. - a Liana disse, com um sorriso amigável no rosto.

 

- Noah? Se perdeu? - Heyoon apareceu, com a cara meio inchada e o cabelo num coque bagunçado. Lamar estava logo atrás.

 

- Você veio. - Lamar passou por mim e abraçou Noah. Liana deu um passo para o lado, afim de não levar uma cotovelada na cara.

 

- Claro, você acha que eu perderia teu casamento? Demorou mais do que eu esperava. - eles davam tapas nas costas, tão fortes que eu ouvia o clap

 

- O Lamar chamou o Noah para ser padrinho. - Heyoon avisou em sussurro, apenas para que eu escutasse.

 

- Tá tudo bem, Yoon. Não é como se eu ainda tivesse um amor platônico por ele. - dei um muxoxo de desdém. - ele namora e eu estou feliz sendo apenas mãe da Caitlin. 

 

- Alguém como a Heyoon merece se casar com estilo, cercado dos amigos e da família. - Lamar disse, ao abraçar a pequena mulher ao meu lado

 

- O que você quer dizer com isso, teddy bear? - Lamar trocou olhares comigo e eu apenas segurei uma risada. - Maria? O que você sabe que eu não sei?

 

- O Lamar fez umas ligações. - soltei um risinho. - Seus pais chegam a tarde. A Sofya, a Hina e o Krys foram os únicos que conseguiram vir, eles já estão em um voo. 

 

- O quê? Vocês fizeram isso? - concordamos - Eu mato vocês.

 

 

{...}

 

- Yoon, você está linda. - disse quando a vi em seu vestido de casamento. Simples mas sofisticado - O vestido é perfeito.

 

- Bom, ser filha da estilista Jeong tem seus méritos. - ela disse enquanto passava a mão pelo vestido. - Minha mãe mandou bem. Você viu o bolo? Os arranjos de flores? E meu buquê? Cadê meu buquê?

 

- Heyoon, calma. Relaxa, está tudo indo bem. - acalmei minha amiga. - Só aproveita seu dia. Seu último dia como uma Jeong. Está preparada para mudar de sobrenome?

 

- Eu sinto como se já tivesse nascido pronta para este momento. Heyoon Morris, você acha que combina? - ela fez uma careta. - Bom, terei de me acostumar.

 

- Eu estou tão feliz por você. Você sempre sonhou com esse momento, desde sempre e, agora, este sonho está se realizando. - segurei suas mãos, e a vi segurar as lágrimas. - Você, Heyoon Jeong, em poucos minutos será uma Morris, é uma mulher incrível e merece toda a felicidade do mundo.

 

- Você vai entrar comigo, não vai? - ela perguntou. O pai dela não conseguiu vir e ela me chamou para levá-la ao altar.

 

- Claro, amigas servem pra isso. - dei um sorriso singelo

 

{...}

 

- Não me deixa cair, Maria. - Heyoon pediu, segurando meu braço.

 

- Jamais. - prometi

 

A caminhada até o altar foi lenta, Heyoon tremia e tentava disfarçar com seu sorriso. Lamar segurava as lágrimas, e Noah afagava seu braço. Noah estava lindo naquele terno. Vendo-o desse jeito, eu poderia até fantasiar que ele estava me esperando no altar, que era nosso casamento, mas quando olhei para o lado eu a vi. Sua namorada, Liana, estava lá,  sorrindo para ele. Tenho certeza que fantasiava o mesmo que eu.

 

  Quando a deixei no altar, ela me entregou o buquê simples de flores rosas e eu me coloquei ao meu lugar. O Juiz de paz falava e falava, Noah cochichava algo para Liana que eu nem me dei ao trabalho de ficar curiosa. Voltei minhas atenção aos noivos quando o juiz de paz anunciou os votos.

 

- Heyoon, existem milhares de razões para eu te amar. Você me faz rir, e você toma conta de mim quando estou doente. Você é doce, cuidadosa, e até fez um ovo mexido e deu meu nome à ele. É chamado "ovos do Lamar, e é incrível. Mas o motivo principal de eu te amar, é que você é a minha melhor amiga, Heyoon. Você é a melhor amiga do mundo inteiro. - vi quando Heyoon fungou, evitando uma lágrima.

 

- Lamar, eu te amo porque você é engraçado, e me faz sentir amada. Você faz com que eu me sinta segura. E no nosso aniversário de namoro você me deu um moletom escrito "Heyoon e Lamar: Arrasando desde 2018". E eu gostaria de estar usando ele agora, porque tem o seu cheiro. Mas, o principal motivo de eu te amar, Lamar Morris, é que você me faz feliz. Você me faz feliz o tempo todo. - sorri afetada pelo amor que transbordava deles. Deixei algumas lágrimas rolarem meu rosto e vi Noah fazer um biquinho pra mim.

 

- Pelo poder que me foi concedido. - o juiz falava - Eu os declaro marido e mulher. Pode beijar a noiva. - Assim ele o fez. Jogando-a de costas ao beijá-la, enquanto todos batiam palmas.

 

 

{...}

 

- Eu estou te obrigando a pegar este buquê. Eu não aceito que você deixe qualquer outra pessoa pegar. Você será a próxima a casar. - revirei os olhos 

 

- Mas eu não quero casar. Estou feliz com a minha vida.

 

- Shiu. Você vai pegar esse buquê ou eu não te perdoo. Agora vai pra lá, se junta com as outras. Juro que jogarei na tua direção. - ela piscou. Decidi não contrariá-la, afinal, era o dia dela.

 

  Ela contou até três, e fingiu que jogou. Depois riu da nossa cara. Se voltou novamente a sua posição 

 

- Eu preciso pegar este buquê - me virei para ver quem era. Liana.

 

- Por que? - perguntei

 

- Para quê as mulheres querem pegar um buquê em casamentos? - ela perguntou de forma óbvia. - Eu quero me casar, com aquele homem ali. - ela apontou na direção do Noah, que tomava champagne com Lamar. Ele ergueu a taça quando viu que o olhávamos.

 

- Entendi. - agora mesmo que eu não deixaria ela pegar este buquê.

 

- É UM. É DOIS. E É TRÊS. - vi as flores vindo em minha direção, antes que eu pudesse pegá-las, fui arremessada no chão. Liana as pegou. Noah sorria.

 

- EU VOU ME CASAAAR. - ela gritou

 


Notas Finais


Demorou mais saiu, hein? Finalmente nosso Heymar foi lembrado nessa fic, rs

Um Beijão & Até Mais! W2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...