1. Spirit Fanfics >
  2. Underground >
  3. Capítulo 27

História Underground - Capítulo 28


Escrita por: Kyakn

Notas do Autor


Lista dos meninos mais bonitos real feita pelas garotas

É Clyde... Você não é o mais bonito...

Eu queria só ter visto a cara das meninas que votaram no Craig como o mais bonito temporadas depois que ele foi assumido gay.

Capítulo 28 - Capítulo 27


Fanfic / Fanfiction Underground - Capítulo 28 - Capítulo 27

Sentiu o arrepio de novo, sabia que Damien iria aparecer, porém as palavras de Pocket ainda martelavam em sua cabeça, decidiu ignorar Damien, talvez seria uma maneira mais pacífica de lhe afastar, embora Pip não quisesse isso, queria ficar perto de Damien, como dois polos opostos, um de energia negativa e o outro de energia positiva, um fato de física usado como metáfora, incrível... Mas seria melhor assim, lembrava muito bem do que Pocket disse, sua amizade não seria eterna com Damien, quando morresse iriam se odiar, não faria sentido se apegar. Finalmente sentiu a presença de Damien no cômodo, mas como prometeu a si mesmo e para o céus apenas ignorou o anti cristo ali.

 

- Pip, eu preciso falar com você. - Damien flaou chegando perto de Pip, o britânico apenas ignoriu e continuou o que estava fazendo.

 

- Pip é sério, eu realmente preciso falar com você. - Damien insistia e Pip continuava a ignorar, aquilo estava dando um aperto no coração do britânico, sua curiosidade atacando... Damien em contra partida ficava mais confuso.

 

- O que houve? Por que está fingindo que eu não estou aqui? - Damien começou a perguntar, Pip fechou os olhos o ignorando, se virou e começou a passar pano do outro lado, passando direto por Damien sem olhá-lo.

 

- Eu to falando muito sério Pip, se você não se virar e falar comigo, eu... - Damien não conseguiu terminar a frase, não queria machucar Pip, não tinha como ameaça-lo, se sentiu sem chão, rosnou em pura raiva antes de partir pra cima e pegar no braço de Pip, não percebeu suas garras enfiando na pele branca a fazendo sangrar, Pip soltou um gemido de dor e espremeu os olhos.

 

- Pip, é sério... Fala comigo. - Damien falou, apertando o braço com um pouco mais de força.

 

- Não... - Pip enfim soltou, Damien estranhou a entonação da voz do britânico, olhou para onde apertava o braço e enfim notou que acabou o machucando, soltou-o de imediato percebendo o sangue vermelho em suas garras e a marca no braço de Pip, o britânico soltou o rodo para inspecionar o próprio braço.

 

- De... Desculpa... Pip, mas sério me ouve. - Damien falou, Pip ainda olhava para a maeca no braço, o sangue escorrendo onde as garras de Damien haviam sido enfiadas, a área vermelha, com certeza ficaria roxo depois de um tempo, Pip juntou o pouco de força que tinha, não tinha feito isso anos, afinal aquilo não adiantava de nada com seus valentões.

 

- Escutar o que Damien? Eu não tenho que falar com você, e não é me machucando que vai me fazer te ouvir ou falar com você, pode me ameaçar de morte eu não tenho o porquê de ligar mais. - Pip falou seriamente, olhando diretamente nos olhos de Damien, o anti cristo ficou surpreso com a mudança repentina do britânico, tentava ler suas emoções, e mesmo com a expressão séria e um pouco irritada de Pip, dava para ver que não queria fazer aquilo.

 

- Pip... Me descupa, eu não queria... Eu só queria chamar a sua atenção, fazer você me ouvir. - Damien admitiu, e Pip continuou com a mesma expressão.

 

- Eu não vou contar pra ninguém, não tem o porquê ficar me vigiando, o seu futuro casamento não é problema meu, e... Não é melhor ir para outro lugar? Tenho certeza que tem atrocidades acontecendo em todo canto do mundo. - Pip falou, Damien não acreditava em suas palavras, o britânico sentia uma pontada no coração ao dizer aquilo.

 

- ... Por que está dizendo isso? Eu consigo ler na sua expressão que você não qier dizer isso Pippers. - Damien falou, e Pip virou a cabeça, assim evitando contato visual, Damien sentia sua raiva subir porém se segurou.

 

- Me deixa pelo menos... - Damien chegou mais perto de Pip, sussurrou um feitiço e estendeu a mão no machucado do britânico e curou a marca de suas garras, parecia até que nunca houve a marca ali.

 

Damien então após curar o braço de Pip, sumiu da vista do britânico, Pip olhou para o seu braço e para atrás de si onde Damien estava, acabou se ajoelhando no chão, se abraçou e espremeu os olhos, não queria chorar, odiava chorar... Apenas espremeu os olhos e se abraçou ainda no chão, gostava de Damien, mas não podiam se apegar, não podiam ser amigos, não podiam ser mais que amigos... Mas Damien não era tão ruim assim, podia fazer várias coisas com as quais o britânico não concordava, o machucou várias vezes, Pip ainda se lembra 10 anos atrás quando foi feito de fogo de artifício pelo próprio Damien, ainda tinha cicatrizes daquele dia, as cicatrizes de queimaduras... Mas tinha perdoado Damien, assim como todo mundo naquela escola. Pip sabia que Damien estava mais gentil, de umas semanas para os dias de hoje, não tinha comportamentos mais tão agressivos, não queria se separar do anti cristo... Gostava dele... Mas era necessário... Mas se era necessário, por que seu coração dói tanto? Porque sente que é errado?

 

Encarou o celular esperando a resposta de sua irmã mais nova, já estava na escola... Mas estava muito preocupado com Stripe, seu porquinho da índia, o animalzinho tinha adoecido do dia para a noite, fazia sentido Stripe já tinha 8 anos de idade, já estava bem velhinho, Tweek o deu quando começaram a namorar... Craig não acreditava que tanto tempo já passou assim, Stripe tinha a mesma idade que o seu namoro. Assim que viu o celular vibrar abriu imediatamente para ver Tricia dizendo que Stripe estava dormindo, ainda estava doentinho, mas estava dormindo... Craig suspirou Steipe passava a maior parte do tempo dormindo agora, estava muito preocupado, não respondeu Tricia, e quase tomou um susto com Tweek aparecendo do seu lado.

 

- GAAAAHH, Como ele está? - Tweek perguntou ansioso e preocupado, Craig abraçou Tweek de lado.

 

- Está dormindo, ainda ta doente... - Craig falou, e Tweek deixou um espasmo sair.

 

- Devíamos ficar com ele, Craig... Gah... - Tweek falou, e Craig olhou para o chão.

 

- ... Devíamos...- Craig falou, e Tweek deixou outro espasmo sair.

 

- Você deixou roupas em casa, AAAAHHH Minha mãe desconfiou de coisas. - Tweek falou e Craig segurou a risada.

 

- Wow, um casal homosexual de 18 anos que deixa roupas na casa um do outro, wow... - Craig falou com ironia, e Tweek não riu, não achou graça.

 

- ... Espero que GAAAAHHH Stripe melhore... - Tweek falou, e Craig logo tirou o sorriso do rosto.

 

- Eu também... - Craig falou.

 

Começaram a andar de mãos dadas pela escola, percebendo as meninas asiáticas ficando felizes ao verem ambos juntos, todo mundo ficava feliz ao vê-los juntos, a pressão e o peso na mente de Craig aumentava, gostava de Tweek, tinha carinho por ele, mas queria ficar com Kyle como seu namorado, mas sabia que se terminasse com Tweek, não apenas o magoaria mas todo mundo ao seu redor iria ficar puto consigo, e triste pelo término da relação. Olhou para baixo e para a sua barriga, Kyle tinha um pouco de razão, apesar de ser magro ainda tinha um pouco de barriga, mas não muita, talvez devesse considerar parar de fumar e começar uma academia, com certeza não tinha ficado um pouco de auto estima baixa quando Kyle apontou aquilo, mesmo de forma fofa... Mas mesmo assim, ainda era o garoto mais bonito do ano, as próprias garotas disseram, riu quando lembrou do olhar delas quando foi assumido gay.

 

Foi tirado de seus pensamentos quando viu Kyle e Stan, não sabia o porquê mas sentia um pouco de ciúmes vendo Kyle conversando com Stan, sabia que o ruivo tinha uma apaixonite pelo melhor amigo, e também sabia que era puramente platônica, mas não conseguia evitar de sentir aquele leve ciúme vendo Kyle com Stan, incrível... Nunca sentiu ciúmes de Tweek, mas Tweek já sentiu ciúmes de si, não sabia como era possível,  apertou a mão de Tweek um pouco mais firme, o loiro percebeu e fez um leve carinho na mão de Craig com o polegar, Kyle percebeu suas mãos juntas com Tweek, e acabou pegando na mão de Stan, aquele filho da puta... Parecia que sabia que Craig estava com ciúme, decidiu entrar no jogo do ruivo.

 

- Amor, sabia que você é lindo e eu te amo muito? - Craig falou sorrindo, e Tweek deu um leve espasmo com um rubor em suas bochechas totalmente confuso.

 

- QUE? GAAAAAHHH. - Tweek falou corado olhando desacreditado para Craig.

 

- Stan, você é o meu melhor amigo sabia? Cara você é de mais. - Kyle falou enquanto olhava para Stan sorrindo e Stan levantou a sobrancelha para Kyle.

 

- Ah... Valeu cara. - Stan respondeu visivelmente confuso.

 

- Tweek, você você é o melhor namorado que eu poderis ter, sério, eu te amo pra caralho. - Craig falou olhando para Tweek.

 

- Gaaaaahhhh. - Tweek respondeu sem entender nada.

 

- Stan eu te considero muito, sabia? Eu te amo cara, talvez a gente possa ir amanhã para a sua casa estudar. - Kyle falou e Craig arregalou os olhos, Stan ainda tinha uma expressão confusa.

 

- Ah... Claro cara... - Stan respondeu nervoso.

 

- Tweek, que tal nós irmos a um encontro? - Craig perguntou e Tweek estranhou a pergunta.

 

- Gaaah puta merda... Tudo bem... - Tweek falou, Craig sorriu e acariciou os cabelos de Tweek.

 

- Stan, vamos na cafeteria, o que acha? Passar um tempo nós dois enquanto eles não chegam. - Kyle falou olhando fixamente para Craig, vendo a expressão de Craig ficar puramente séria.

 

- ... Ta cara. - Stan falou ainda confuso, porém começaram a andar, mas antes Kyle olhou para atrás onde o ciúme bateu forte ao ver Craig beijando a testa de Tweek enquanto fazia um leve carinho no rosto do loiro, Craig olhava fixamente para o ruivo enquanto fazia tal coisa, e Kyle virou a cabeça começando a andar com Stan para a cafeteria, porém estava feliz, queria rir... Aquela foi a primeira vez que deixou Tucker com ciúmes, e amou fazer aquilo, era engraçado o jeito que Craig por trás daquela carcaça que parece não ligar pra nada ainda sim sentia ciúme.

 

- Mas hey, que horas pode- Craig foi cortado com uma expressão de raiva de Tweek olhando para si, dava para ver que o loiro segurava as lágrimas.

 

Tweek então deixou Craig, saindo andando para longe de Craig, ele tinha sacado i que estava acontecendo, sacou que o menino que Craig beijou foi Kyle, sacou que Craig estava tentando fazer ciúmes em Kyle o usando, sacou as vezes que Craig lhe deixou para ficar com Kyle na escola, queria chorar, explodir, não acreditava no que estava acontecendo, precisava de um tempo sozinho, era muita coisa acontecendo para a sua cabeça, era muita pressão... Stripe doente, Craig ficando com Kyle... Estava começando a enlouquecer, estava bravo, triste... Uma porção de emoções, precisava de um tempo para si, ficar sozinho... Digerir tudo o que estava acontecendo.

 

Craig ficou ali vendo Tweek ir embora, sabia que foi longe de mais, sabia que que o loiro estava bravo e triste consigo, aquilo machucava Craig, sentia seu coração doer, não devia ter entrado no jogo de Kyle, decidiu dar um tempo para Tweek, não queira o empurrar para seus limites e lhe deixar mais bravo ou triste do que já estava, acabou andando para atrás da escola, pegou um cigarro e começou a fumar, aquilo sempre lhe fazia esquecer da vida, e ao mesmo tempo lhe matava lentamente era perfeito... Foi tirado de seu transe quando ouviu uma gritaria vindo em sua direção, e logo viu Tolkien carregando Clyde no ombro, Clyde se debatia gritando, e Tolkien continuava com um expressão de raiva.

 

- Hoje era o SEU dia de cuidar do Clyde Tucker. - Tolkien falou enquanto colocava Clyde no chão.

 

- Caguei Tolkien. - Craig falou, não esperava sua voz sair tão triste.

 

- A gente tem um acordo Craig, hoje era seu dia de cuidar do Clyde e você sabe disso. - Tolkien falava enquanto mantinha Clyde no lugar.

 

- EU NÃO PRECISO DE BABÁ, VAI TODO MUNDO SE FODER. - Clyde falou com raiva, Craig ainda não se importou, Tolkien notou como algo estava de errado.

 

- Ta tudo bem Craig? - Tolkien perguntou.

 

- Sim... Ta. - Craig respondeu seco, Clyde também notou que tinha algo de errado.

 

- Tem certeza? - Clyde perguntou.

 

- Sim. - Craig respondeu novamente seco.

 

- Ta bom então... Eu posso cuidar do Clyde hoje, sem problemas. - Tolkien falou, Craig claramente não estava bem, e Tolkien respeitava isso.

 

- Eu não preciso ter alguém tomando conta de mim, cacete. - Clyde falou ofendido com as palavras de Tolkien.

 

- Você tentou raspar a própria cabeça pra ver como ficava careca Clyde. - Tolkien falou, e Clyde cruzou os braços.

 

- Vai me dizer que você nunca teve curiosidade? - Clyde perguntou e Tolkien o olhou confuso.

 

Enfim, Tolkien pegou Clyde o colocando por cima do ombro novamente e deixou Craig sozinho com seu cigarro. E novamente Craig se perdeu em seus pensamentos, cigarro em sua boca, fumando e olhando para o nada, recebia algumas mensagens de Tricia falando os status do Stripe, mas não queria ver naquele momento, já estava abalado de mais com a situação que se enfiou com Tweek e Kyle, o arrependimento batendo, a dor no coração era grande, tentava não pensar no assunto, queria esquecer que estava vivo, que estava ali... Naquele momento passando por tudo aquilo, queria apenas esquecer que sequer existia... A tempestade vinha aí, uma tempestade forte e feia...


Notas Finais


Enfim, vou postar os capítulos seguidos, não garanto que eu vá postar todos hoje, afinal eu sempre gosto de re ler, os capítulos, daí me distrair com outras coisas, e eu também tenho certas coisas pra fazer, mas não vou esperar o prazo dos 3 dias nesses próximos 4 capítulos :) espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...