História Underrated Boys - Chensung Fic - Capítulo 35


Escrita por:


Capítulo 35 - Thirty Four


- Bom dia meu tudo, meu amor. Já é hora de levantar, são 11:30. - Chenle disse baixinho, espalhando beijinhos pelo rosto do mais novo, que dormia tranquilamente no sofá.

O chinês já estava completamente e devidamente vestido, assim como Chinhae, que estava deitadinho no sofá ao lado de Jisung.

- Hm... O que? - o Park resmungou com a voz rouca e os olhos ainda fechados, esticando os braços antes de se sentar, cheio de preguiça. - Eu tô todo moído, acho que poderia passar um dia inteiro dormindo. - coçou os olhos e finalmente os abriu, sorrindo para o mais velho que o encarava.

- Eu também tô, ainda mais depois de ontem. - mordeu o lábio inferior ao relembrar, mas logo espantando os pensamentos impuros de sua mente logo pela manhã. - Eu tenho planos para hoje, quero sair de casa, o Chinhae raramente sai daqui. Não quero criar meu filho como um bicho do mato.

- Onde você pretende ir?

- Você não pode forçar muito a sua perna ainda, então nós vamos apenas ao parque que fica a algumas quadras daqui, você sabe qual é. Atrás dele, existe um jardim muito bonito e não muito frequentado, já que a atração do parque fica mesmo é nos brinquedos.

- Me diz que você pensou em fazer um pequenique lá, por favor. Eu sempre quis fazer isso.

- Sim, eu pensei. - riu. - Inclusive já arrumei tudo enquanto você dormia.

- Então eu vou me arrumar. - disse animado.

- Não coloca muita roupa porque lá fora tá quente, ok? - alertou.

- Ok. - enrolou um cobertor fino na cintura, dirigindo-se para o andar de cima para se arrumar.

                             ...

Chenle e Jisung andavam lado a lado na calçada, enquanto o chinês carregava a mochila e o mais novo empurrava o carrinho de Chinhae, que estava entretido com os animaizinhos estampados em sua própria roupa. O Park sorriu completamente bobo ao observá-lo, o que já era de se esperar.

Avistaram as placas reluzentes do parque e ainda que distantes eram capazes de observar os brinquedos mais altos, como a roda gigante e a montanha-russa.

Adentraram o local e Chenle tomou a frente, já que era o único que sabia onde ficava o tal jardim antes mencionado. O Park sorriu largo quando seus olhos captaram a grama verdinha e muito bem aparada, árvores e flores espalhadas em todos os cantos, que lugar incrível.

Realmente o local não era muito frequentado, era possível contar nos dedos quantas pessoas haviam ali.

O chinês andou calmamente até uma árvore de grande porte, provavelmente porque embaixo dela fazia sombra. Abriu a mochila e puxou de lá o lençol quadriculado de vermelho e branco, forrando-o sobre a grama e sentando em cima. Jisung veio logo após, tirando o bebê de dentro do carrinho e se sentando com ele no colo sobre o tecido.

- Olha filho, uma borboleta! - O Park disse quando uma borboleta se aproximou, estendendo o dedo indicador para que ela pousasse ali e os dois a observassem de perto.

Chinhae usou de suas mãozinhas atrevidas para tentar agarrar a borboleta, que acabou voando para longe, mas sendo seguida pelo olhar da criança até que sumisse de sua vista.


Chenle pegou a câmera fotográfica e se ajeitou para que pudesse tirar uma foto espontânea de Jisung e Chinhae, já que ambos vestiam branco, contrastando totalmente com a paisagem do local, que era uma mistura de verde da grama mais o colorido das flores.

- Depois eu vou revelar essa foto e colocar num porta-retrato. Vou pendurar na parede da sala, assim vou poder admirar vocês dois em todos os cantos da casa. - disse, com um sorriso bonito iluminando o rosto.

- Você não precisa nos admirar por fotos quando nos tem perto de você em quase todo o tempo, principalmente agora. - deitou-se no lençol, apoiando a cabeça em seu bíceps, e colocou o menininho sentadinho entre as suas pernas. - Deita aqui. - disse para o mais velho, que deitou ao seu lado e passou um braço por sua cintura, o abraçando.

Jisung olhou pro céu e riu baixinho ao notar uma nuvem com formato de dinossauro, outra com o formato de uma bota, e outras muitas nuvens com muitos outros formatos. Já Chenle, apenas observava a forma como o mais novo sorria docemente enquanto estava entretido com as  nuvens no céu azul.

- Você tá tão lindo, sorrindo assim, desse jeitinho... - disse baixinho, já que estava com o rosto próximo do seu.

- Eu gosto de observar as nuvens. Inclusive, as vezes imagino como seria morar nelas, parecem muito algodão doce. - disse.

- Eu gosto de observar você, porque você é lindo. Conseguindo superar até a beleza daquela rosa vermelha ali. - apontou longe, onde uma rosa vermelha se destacava no meio das rosas brancas.

- Não acredito que fui comparado com uma rosa vermelha, logo a mais bonita de todas. - encarou o rosto do chinês.

- É porque assim como a rosa, você também é o mais bonito de todos. 

Jisung não soube o que dizer, então beijou o mais velho, mas não era um beijo comum, e sim um beijo repleto de sentimentos da parte de ambos. Chenle não precisou de palavras vindas do mais novo para entender tudo o que ele tinha para dizer.

- Sabe, Ji... - deitou novamente, dessa vez apoiando a cabeça no próprio bíceps assim como o mais novo. - Alguma vez em sua vida você se imaginou aqui? Quando eu digo aqui, não estou me referindo a nós três deitados sobre um lençol no fundo de um parque. Mas sim, nessa situação. Nós dois, namorando firme, e principalmente com um laço que nos ligará pro resto da vida, que é o Chinhae.

- Eu já imaginei muitos futuros envolvendo nós dois, mas nenhum sequer se parecia com esse. O meu eu de antes pensou muitas vezes em formar uma família com você, mas nada do que aconteceu até agora estava nos planos do Jisung de uns anos atrás. Mas o meu eu de agora, compreende que o destino não é o tipo de coisa no qual nós podemos mandar e desmandar. - disse, com os olhos grudados ao céu.

- Nós éramos apenas melhores amigos quando ele pareceu. Talvez se Chinhae não tivesse aparecido, nós não estaríamos juntos hoje, mas sim reprimindo nossos sentimentos igual fizemos durante muitos anos. - disse. - Ele chegou pra nos unir, entrelaçar nossas vidas. O destino tem dessas coisas.

- Le, - respirou fundo. - De todos os futuros que eu imaginei, esse não estava nos meus planos, e eu já disse isso. Mas se eu tivesse a oportunidade de olhar pro passado e ter o poder de mudá-lo, a única coisa que eu faria seria dizer um " obrigado ". Eu não mudaria nada do que vivemos hoje porque sou feliz assim, sou feliz com vocês.

Chenle não disse nada, apenas absorveu as palavras do mais novo e sorriu. De repente sentiu os seus olhos arderem e algumas lágrimas molharem as suas bochechas. Sentia-se tão completo naquele momento, o vazio que tomou conta de seu peito por muitos anos parecia finalmente ter deixado de existir, dando lugar para uma felicidade surreal que apenas aqueles dois o proporcionavam.

Chenle não trocaria aquilo por absolutamente nada, pois era exatamente naquele lugar que gostaria de estar. Assim como Jisung, que seguiria Chenle onde fosse, nunca deixaria o seu poço de felicidade escapar.

E foi ali, deitados no lençol quadriculado enquanto observavam o céu repleto de nuvens, que ambos decidiram passar o resto de suas vidas juntos onde quer que fosse.

                          Fim...


                                        - Underrated Boys



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...