História Undertale - Alma Negra (Frans) - Capítulo 104


Escrita por:

Postado
Categorias Undertale
Personagens Personagens Originais
Tags Alphyne, Asgoriel, Chariel, Demência, Errink, Frans, Grillffet, Papyton, Sanrisk, Undertale
Visualizações 98
Palavras 1.367
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


EAE SEUS DEMENTES MENTAIS!!!
Turu bom?
Me desculpem pela demora para postar… acabei tento alguns contra-tempos (tipo preguiça, ataques depressivos, falta de auto-estima e etc…) Mas eu prometo que amanhã eu vou postar um novo cap para tentar recompensas todos esses dias sem :3

Sem mais enrolações…. BORA LER ESSA RETARDANETA!!!

Capítulo 104 - Voz Irritante


 ** P.o.v Frisk **

— O–Ok..? –Falei com um pouco de receio.

— Ei, vocês não vão entrar? –Ouvi a voz da Chary perguntando enquanto a mesma levemente aparecia no lado do portão.

— A gente já vai –Respondi começando a encarar novamente o Sans.

Sem nem deixar a Chary falar alguma coisa, o Sans rapidamente puxou o meu braço e começou a caminhar em direção a um canto afastado da casa. Eu tinha uma pequena idéia do que ele poderia querer conversar… mas mesmo assim eu estava muito curiosa. Quando o Sans parou de caminhar, ele me soltou e ficou em silêncio me encarando por alguns segundos provavelmente pensando no que falar e isso acabou me deixando um pouco mais nervosa.

— Então… sobre o que você queria conversar? –Perguntei indo direto ao assunto.

— Antes de mais nada, eu queria que você me responda com sinceridade, ok? –Em resposta a pergunta dele, eu apenas acenei positivamente com a cabeça– Aquele beijo que você me deu lá em UnderLust… era só para afastar aquele monstro ou você também queria?

— O–O que? –Disse ficando ainda mais nervosa pelo simples fato de que agora ele tinha me "prendido contra a parede" com essa simples pergunta.

— Olha, eu sei que você namora e..

— Espera um pouco… da onde você retirou isso? –Perguntei cortando a fala do Sans– Lamento lhe informar... mas eu não namoro.

— Sério? Eu achei que fosse verdade o que você tinha dito aquele dia para a Undyne sobre você já estar com outro –Sans falou parecendo até que tinham retirado um enorme peso de suas costas.

— Eu falei aquilo para ela me deixar ir para poder avisar a Chary e ela retirar o Blue de UnderLust… e além do mais… –Falei a última parte me aproximando mais do Sans ao ponto de ficar bem perto do rosto dele– …É de outra pessoa que eu realmente gosto.

Com aquelas minhas palavras, o Sans ficou meio paralizado e então eu aproveitei aquilo e fui novamente em direção da casa em passos rápidos agradecendo mentalmente pelo Sans ter meio que esquecido a pergunta dele. Como a gente não tinha ido muito longe da casa, foi questão de alguns segundos para novamente estar na frente da casa. Eu rapidamente entrei na casa e lá dentro vi todo mundo sentado no sofá da casa… bem… quase todo mundo já que o Dust, a Schnee e a Chary não estavam lá. Já fazia um tempo que eu não vinha mais aqui mas mesmo assim a casa estava exatamente igual a última vez que eu estive aqui (imaginem vocês mesmos a casa porque agora eu estou com preguiça de criar uma casa) e isso acabou me dando uma pequena nostalgia.

— Olha quem está aqui na minha belíssima casa! –Ouvi uma voz bem irritante atrás de mim.

— Me deixa em paz, Chara –Disse me virando de frente para ele.

Desde que eu vim pela primeira vez aqui em CyberTale, o Chara sempre fica dando encima de mim e me irritando. Ele é o irmão da Frisk daqui que apelidamos carinhosamente de Cyber por ela ser meio que uma gênia nesse tipo de assunto. O Chara tem olhos vermelhos escuros, cabelo castanho escuro com uma mexa pintada de roxo, uma blusa de frio verde com uma listra amarela e uma calça jeans.

— Porque, amor? Você não gosta da minha companhia? –Ele falou pegando uma mecha do meu cabelo em suas mãos.

— Você quer mesmo que eu te responda? –Perguntei fria.

Antes de ele dizer qualquer outra coisa, o Sans apareceu no meu lado e deu um tapa na mão do Chara com todo ódio que ele podia ter e isso acabou me fazendo quase rir se eu não tivesse me segurado a tempo..

— Você não ouviu ela, muleque? Cai fora –Sans falou tentando esconder o ódio.

— E quem é você para mandar em mim, garota? –Chara perguntou sarcástico.

— Será que não dá para..

— Eu sou a Sandy… e por sinal sou a namorada dela –Sans o respondeu cortando a minha fala e me retirando um olhar surpreso– Porque? Tem algum problema?

— É fácil falar, não é? O problema é provar, queridinha! –Chara falou um pouco irritado.

— Cala a boca, Chara –Falei tentando manter um pouco de paciência com ele.

— Provar? Eu provo com todo prazer! –Sans respondeu segurando novamente o meu braço.

Saber que o Sans é ciumento eu já sabia… mas chegar a fazer isso… foi uma bela surpresa para mim. Sem nem me deixar fazer alguma coisa, o Sans puxou o meu braço na direção dele e literalmente me deu um beijo. Ele segurava com uma de suas mãos o meu braço enquanto a outra segurava a minha cintura. Depois de alguns segundos, eu coloquei um de meus braços em volta do pescoço dele aprofundando ainda mais o beijo.

— Pois é, Chara… você se fudeo –Ouvi uma voz bem conhecida falando ao lado da escada que levava ao segundo andar.

— Vai a merda, Frisk! –Chara disse antes de sair correndo em direção da escada e subir provavelmente para o quarto dele.

Calmamente eu e o Sans nos separamos e eu acho (no caso tenho certeza) que eu estava parecendo uma pimenta de tão vermelha que eu estava. Eu rapidamente sai de perto do Sans e resolvi ir falar com a Cyber.

— Eu admito que não acreditei quando ouvi que vocês estavam aqui na minha casa... realmente fiquei muito feliz! –Cyber disse enquanto sentada na ponta do sofá da sala dela.

— Se começar a gritar e sair arrumando tudo que estiver na sua frente se chama alegria… então ela realmente estava com muita alegria –Ouvi uma voz robótica falando e logo em seguida aparecendo um dos robôs mais piadista que eu já conheci.

— Sans! –Cyber o repreendeu– Eu não tenho culpa que o Chary tem "Toc"!

— Mas então não acha que deveria ter arrumado o quarto aonde ele está também? –Sans perguntou fazendo a Cyber dar um pulo do sofá e ficando de pé.

— EU ESQUECI DO QUARTO!! –Ela gritou super nervosa.

— Fica calma, Cyber… ele até que gosta de organizar algumas coisas –Error disse puxando de leve o braço dela para baixo até a fazendo voltar a se sentar.

Admito que eu fiquei bem imprecionada com a voz do Error… até que fica bem bonita assim mais normal… no caso sem nenhum erro.

— Mesmo assim… será que ele achou que eu fiz de propósito? –Cyber perguntou começando a encarar o Error.

— Você… quer que eu vá ver como ele está..? –Perguntei apontando levemente para as escadas.

— Você retiraria um peso enorme de mim –Ela me respondeu com um pequeno sorriso.

Depois que ela terminou de falar, eu calmamente andei até as escadas já as subindo. Eu sabia aonde era o quarto que a Chary ficava sempre que ela dormia aqui então seria mais fácil de acha–la. E antes que perguntem… sim… a Cyber e nem ninguém daqui sabe sobre outras linhas do tempo e por isso ela chama a Chary de "ele". A Cyber sempre nos tratou como irmãos e isso sempre fez a gente ser bem próximos dela… mesmo as vezes não parecendo tanto. O quarto aonde a Chary fica é o último do corredor e por isso eu acabei demorando alguns segundos para chegar no quarto.

— Chary… posso entrar? –Perguntei dando algumas batidas na porta aonde ela estava… mas ninguém me respondeu.

Com um pouco de receio, eu calmamente abri a porta do quarto dela… e o que eu vi me fez congelar por completo. O quarto estava completamente escuro e vazio… mas a janela do quarto estava completamente aberta e na frente da janela tinha uma cadeira para poder subir com mais facilidade. A altura da janela era muito alta… alta ao ponto de matar qualquer pessoa que resolvesse pular desta janela sem nenhuma coisa para amortecer a queda. Com um pouco de desespero, eu rapidamente corri até aquela janela torcendo para eu estar completamente errada desta vez… Espero que ela não tenha feito isso novamente…

 Continuo ou paro?


Notas Finais


OLÁ DINUVU!!!

Sabe, pessoal… eu estava pensando… eu acho que vou tentar voltar a postar todos os dias caps nesta fic. Eu sei que antes eu tive problemas mas agora eu já estou com mais tempo livre… tempo livre para poder tentar voltar a escrever caps diários :3

E ATÉ SEI LÁ QUANDO…. TCHAU…


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...