História Undertale - Alma Negra (Frans) - Capítulo 105


Escrita por:

Postado
Categorias Undertale
Personagens Personagens Originais
Tags Alphyne, Asgoriel, Chariel, Demência, Errink, Frans, Grillffet, Papyton, Sanrisk, Undertale
Visualizações 171
Palavras 1.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


EAE SEUS DEMENTES MENTAIS!!!
Turu pão?
EU TENHO NOVIDADES!! Vou voltar a postar diariamente caps :3 consegui organizar algumas coisas e vou conseguir trazer caps diários (Eu espero) e sem contar de que eu já "completei" o resto da história e o final dela já está formado… agora é só esperar.

Sem mais enrolações…. BORA LER ESSA RETARDANETA!!!

Capítulo 105 - Segredo


 ** P.o.v Frisk **

Rapidamente eu fiquei na frente daquela janela e olhei para baixo… e não tinha nada. Me deu um belo alívio de saber que ela não tinha se jogado da janela, mas eu ainda não a encontrei e isso me preocupava um pouco. Eu pensei em talvez chama–la para ver se ela me respondia ou alguma coisa assim… mas para a minha surpresa, eu começei a ouvir o som de violão começando a tocar uma melodia um pouco agitada e logo depois a voz da Chary cantando.

Ô, Sol

Vê se não esquece e me ilumina

Preciso de você aqui

Ô, Sol

Vê se enriquece a minha melanina

Só você me faz sorrir

E quando você vem

Tudo fica bem mais tranquilo

Ô, tranquilo

Que assim seja, amém

O seu brilho é o meu abrigo

Meu abrigo

E toda vez que você sai

O mundo se distrai

Quem ficar, ficou

Quem foi, vai, vai

Toda vez que você sai

O mundo se distrai

Quem ficar, ficou

Quem foi, vai, vai, vai

Quem foi, vai, vai, vai

Quem foi

Ô, Sol

Vê se não esquece e me ilumina

Preciso de você aqui

Ô, Sol

Vê se enriquece a minha melanina

Só você me faz sorrir

E quando você vem

Tudo fica bem mais tranquilo

Ô, tranquilo

Que assim seja, amém

O seu brilho é o meu abrigo

Meu abrigo

E toda vez que você sai

O mundo se distrai

Quem ficar, ficou

Quem foi, vai, vai

Toda vez que você sai

O mundo se distrai

Quem ficar, ficou

Quem foi, vai, vai, vai

Quem foi, vai, vai, vai

Quem foi, vai, vai

Ô, Sol

Vem, aquece a minha alma

E mantém a minha calma

Não esquece que eu existo

E me faz ficar tranquilo

(Sol)

Vem, aquece a minha alma

E mantém a minha calma

Não esquece que eu existo

E me faz ficar tranquilo

E toda vez que você sai

O mundo se distrai

Quem ficar, ficou

Quem foi, vai vai

Toda vez que você sai

O mundo se distrai

Quem ficar, ficou

Quem foi, vai, vai, vai

Quem foi, vai, vai, vai

Quem foi, vai, vai, vai

Quando ela parou de cantar, eu finalmente consegui perseber de onde estava vindo aquele som… e adivinha… vinha do telhado da casa... Agora fazia sentido daquela cadeira estar ali e a janela estar completamente aberta.

— O que você está fazendo aí no telhado? –Perguntei me sentando na janela.

— Daqui tem uma boa visão do por do sol –Chary me respondeu– Ficamos tanto tempo procurando os diários da Chisk que nem persebemos o tempo passar… e agora já está até anoitecendo por completo.

— Aqui fica bem escuro, né? –Disse começando a encarar o céu e suas estrelas começando a aparecer.

— Fica sim... mas pelo menos não fica o suficiente para não conseguirmos ver nada –Chary falou calmamente– Você… quer subir aqui?

— Não! Não sou louca a esse nível –A respondi rindo um pouco.

— Vamos lá! A visão daqui é muito linda… você conserteza iria gostar –Chary continuou a tentar me convenser.

— Chary, eu nem sei como subir aí –Falei ainda encarando o céu.

Quando eu terminei de falar, a Chary de alguma forma conseguiu prender o pé dela em alguma coisa e ela literalmente colocou a cabeça dela para baixo ao ponto do rosto dela ficar bem na minha frente... sem brincadeira… eu quase cai da janela com o susto que eu levei.

— Chary! –A chamei colocando uma das minhas mãos no coração enquanto apenas via a Chary começando a rir.

— Foi mal mas… agora eu posso te ajudar a subir! –Ela disse sorrindo calmamente.

Sem muita opção, eu dei um breve suspiro e acenei positivamente com a cabeça confirmando que eu iria subir ali. Em movimentos rápidos, a Chary segurou os meus dois braços e começou a me puxar para cima. Como os meus braços estavam sendo segurados pela Chary, eu apenas conseguia me empurrar com os pés para conseguir ajudar… mas pelo menos consegui subir ali sem nenhum problema aparente.

— Não sabia que você era tão forte assim –Falei quando ela me soltou e voltou a se escorar na chaminé daquela casa enorme.

— Nem eu sabia –Ela falou como se fosse algo bem normal– Eu acho que… começou a mudar nesses últimos dias.

— Muita coisa mudou nesses últimos dias –Disse me escorando também na chaminé e ao lado da Chary.

Realmente o sol estava se pondo e a visão era completamente linda daqui de cima. A Chary ficava encarando o sol se pondo com o olhar distante… parecia até que a mente dela estava em um lugar completamente diferente.

— Então… como anda as coisas com o Sans? –Chary perguntou puxando algum assunto aleatório.

— Sei lá… tô meio confusa com ele –Respondi sinceramente– Um momento eu acho que não gosto mais dele mas em outro eu acho que o amo mais ainda.

— Que confusão –Chary disse rindo um pouco mais fraco e encostando a cabeça na chaminé encarando fixamente o céu.

— Nem me diga –Falo começando a encarar o céu também– Mas como está você e o Asriel?

— Como assim? –Ela perguntou meio confusa.

— Eu sei que você gosta dele, Chary… e pode ter certeza de que ele gosta de você também –Falei dando um pequeno sorriso no meu rosto.

— Sei lá… não sei ao certo –Ela respondeu e logo em seguida um pequeno silêncio ficou entre a gente.

A Chary do nada começou a abrir e fechar a mão dela e isso acabou fazendo um pequeno barulho de ferro por causa de ser o braço robótico dela. Ela ficou assim por um bom tempo até eu me lembrar aleatoriamente daquela garota de UnderLust.

— A Schnee está bem triste –Comentei com ela tentando puxar algum assunto.

— Também não é para menos –Ela cochichou um pouco mais baixo mas mesmo assim eu consegui escutar.

— Quem era aquela garota? –Finalmente pergunte– Porque ela conseguiu deixar vocês três naquele estado emocional?

— Feuer… o nome dela é Feuer –Chary me respondeu– Ela é a irmã da Schnee.

— Irmã? –Perguntei surpresa.

— Isso mesmo… ela é a irmã da Schnee –Novamente ela me respondeu– Nós a chamávamos de Lyh… era mais fácil de se pronunciar do que Feuer... pelo menos para nós era.

— E o que aconteceu exatamente para você brigar com o Ink e o Error? –Novamente perguntei.

— Por alguns anos a gente achou que ela estava morta como todos daquela linha do tempo… e agora do nada ela reaparece e descubro que isso tudo foi pela ignorância do Ink e do Error –Chary respondeu um pouco cabisbaixa– Se aquela linha do tempo realmente tivesse sido destruída… seria por minha culpa.

— Porque? –Perguntei vendo a Chary virar o rosto para o lado e continuar em silêncio– Chary?

— Eu não quero falar sobre isso, ok? –Ela falou ainda olhando para o lado– Acho melhor irmos dormir... amanhã é um longo dia.

— Ok –Disse surpresa com a atitude da Chary.

Macumbinha marota do tempo…

03:00… já era 03:00 e eu ainda não estava conseguindo dormir. Eu fiquei no mesmo quarto que o Sans e por isso era só eu olhar para a cama do outro lado do quarto que eu conseguia o ver dormindo tranquilamente. Com muito cuidado para não acordar o Sans (já que esse ser tem o sono muito leve), eu me levanto da minha cama e começo a andar em direção a porta para sair do mesmo e talvez ir tomar um copo de água… sei lá… só queria sair um pouco daquele quarto entediante. Para a minha surpresa, quando eu cheguei na porta, eu começei a ouvir passos perto da porta e o som de algo caindo no chão.

— Cuidado, sua anta! –Ouvi uma voz que me parecia ser a da Chary cochichando.

— Eu não tenho culpa de que esse piso é liso pra caralho! –Ouvi a voz do Dust cochichando tentando se defender da Chary.

— Tá bom, tá bom! Pegou tudo já? O resto do pessoal está lá embaixo nos esperando –Chary cochichou parecendo começar a caminhar lentamente.

— Peguei sim –Dust respondeu.

— Ótimo! Melhor já irmos antes que acordemos alguém –Chary falou de distanciando da porta.

— Só não esquece de botar o capuz para ninguém te reconhecerem –Dust a aconselhou.

— Pode deixar –Ouvi a última vez a voz da Chary antes de voltar a ficar tudo silencioso.

— Merda –Cochichei para mim mesma– Esses dois estão aprontando alguma coisa… e tenho certeza que não é coisa boa…

 Continuo ou paro?



Notas Finais


OLÁ DINUVU!!!

Caso eu não tenha deixado muito claro… eu não estou querendo dizer que o final da fic está próximo… por outro lado… ainda vai ter vários caps… mas eu quero apenas dizer que o resto da história já está formada :3

E ATÉ SEI LÁ QUANDO…. TCHAU…


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...