História Undertale - Alma Negra (Frans) - Capítulo 106


Escrita por:

Postado
Categorias Undertale
Personagens Personagens Originais
Tags Alphyne, Asgoriel, Chariel, Demência, Errink, Frans, Grillffet, Papyton, Sanrisk, Undertale
Visualizações 155
Palavras 1.567
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 106 - Loira Oxigenada


Fanfic / Fanfiction Undertale - Alma Negra (Frans) - Capítulo 106 - Loira Oxigenada

 ** P.o.v Frisk **

Com um pouco de pressa, eu rapidamente sai de perto da porta, fui em direção a minha cama e peguei uma peça de roupa que estava jogada ali encima. Eu estava vestida com um pijama e obviamente eu não iria ir com um pijama para fora da casa aonde a Chary e o Dust provavelmente estão indo. Como a única roupa que estava encima da minha cama era o meu típico moletom e um shorts jeans… foi exatamente essa roupa que eu coloquei. Eu me troquei até que bem rápido e fui direto em direção da porta… até que…

— Aonde você vai? –Ouvi o Sans me perguntar e isso sem nem perseber acabou me assustando um pouco.

— A Chary e o Dust acabaram de sair e eu tenho certeza de que eles estão aprontando algo –Falei tentando o explicar.

— Como você tem certeza? –Novamente o Sans perguntou.

— Eles estavam tentando fazer o máximo possível de silêncio, saíram daqui encapuzados e sem contar que já é 03:00… não acha muito cedo para dar um simples passeio? –O respondi abrindo a porta– Eu preciso ir.

— Você não vai sair daqui sozinha em uma hora dessas –Sans disse e logo depois, de alguma forma, ele apareceu bem na minha frente me impedindo de sair.

— Eu sei me cuidar muito bem sozinha, ok? –Falei tentando o convenser.

— Não adianta… para você sair daqui, só se pelo menos eu ir junto –Foi só eu achar que não poderia ficar pior e isso me acontece… nunca deu certo eu ficar sozinha com o Sans… e provavelmente agora também não vai dar.

— Você não está entendendo.… eles não se metem em encrenca normal tipo briga e coisas assim… o tipo de encrenca deles é problema com máfias perigosas, assassinatos e até com a polícia! –Disse tentando o convenser a não ir junto comigo.

— Mais um motivo para eu não te deixar ir sozinha –Ele falou já saindo do quarto e me deixando sozinha.

Sem nem um pouco de paciência, eu saio daquele quarto e com muito cuidado para não acordar mais ninguém eu começo a caminhar pelo corredor indo na direção da escada da casa. Para a minha querida sorte, quando eu e o Sans chegamos na escada, a Chary e o Dust resolveram sair da casa e por isso não precisamos esperar muito tempo naquela escada. Mesmo os dois terem saído bem rápido daqui, deu para ver que eles estavam usando casacos com capuz que cobria boa parte do rosto deles e levavam uma mochila cada um. Rapidamente eu desci aquela escada e fui na direção da porta para poder continuar os seguindo.

Eu calmamente começei a abrir a porta torcendo para que eles já tenham se distanciado o suficiente para não me perceberem ali… e adivinha… eles estavam pulando o portão da casa naquele exato momento. Do outro lado do portão, tinha mais três pessoas que eu infelizmente não consegui reconhecer pois também estavam encapuzados e também tinha um carro bem antigo daqui (no caso um carro normal do início século XXI). Sem enrolar muito, eu seguro bem firme no braço do Sans e o puxo correndo para fora da casa indo na direção de umas moitas de decoração que tinha mais ao lado da porta. Quando o Dust e a Chary finalmente ponharam os pés para fora da casa, os mesmos já começaram a colocar algumas caixas e outras coisas para dentro do carro com muita pressa... provavelmente estavam atrasados..?

— O que eles estão fazendo? –Sans me perguntou cochichando.

— É isso que logo, logo vamos descobrir –O respondi no mesmo tom de voz.

O carro era um impala 67 preto e obviamente eu o amei por esse simples motivo (melhor carro), mas não era isso que eu deveria prestar atenção… mas ele é tão bonitinho… Frisk, presta atenção! Depois que eles guardaram todas aquelas caixas, eles entraram dentro do carro provavelmente já se preparando para finalmente sair e ir para sei lá aonde.

— Ei, Sans –O chamei– Você sabe escalar, né?

— Sei sim mas… porque? –Ele perguntou confuso.

Quando eu ia responde–lo, eu ouvi o som do motor do carro sendo ligado e com um pouco de desespero eu corri até o portão, pulei encima dele e com uma velocidade que nem eu mesma sabia que tinha começei a subir aquele portão. O Sans rapidamente veio atrás de mim e também começou a subir no portão tentando acompanhar o meu ritmo meio desesperado de se escalar um portão. Como o carro estava um pouco mais a frente do portão e estava bem escuro (Talvez seja porque é 03:00, não é mesmo?)… foi até que bem fácil pular o portão sem eles nos verem… mas isso não os impediu de já começar a sair com o carro. Quando eu encostei os meus pés no chão, eu sai correndo na direção do carro e subi no teto dele com um pouco de cuidado para os mesmos não ouvirem eu aqui encima. Depois que eu terminei de subir, eu me virei para trás e vi que o Sans estava chegando perto do carro (já que o carro ainda estava indo um pouco lento) mas infelizmente o carro estava ficando mais rápido a cada segundo e isso poderia ser um pequeno problema. Sem muita opção, eu me segurei em um canto qulquer do carro e com um pouco de cuidado para eles não me verem eu estendi a minha mão para ajudar o Sans. Pelo menos deu tudo certo no final e o Sans conseguiu segurar na minha mão e subir no carro um pouco ofegante.

— Des... Desde quando você é tão rápida assim? –Sans perguntou ainda recuperando o fôlego.

— Eu não sou rápida… você que é muito lento –O respondi brincando.

— Ha. Ha. Ha –Ele riu sarcástico.

A Viagem durou uns 30 minutos e pelo caminho inteiro as criaturinhas foram ouvindo K-pop e cantando meio que do geito da música… tipo quando na música era apenas um do grupo que cantava, apenas um cantava dentro do carro, quando era outra pessoa que cantava na música, tambem era outra pessoa que cantava dentro do carro e quando todos cantavam juntos… bem… todos viravam um verdadeiro grupo de K–pop no caso… e o pior é que eles todos cantavam muito bem e ainda era bem certa a letra desse estilo de música… vai entender. As músicas que eles ouviam não pareciam ser dessa AU e por isso eu tenho quase certeza que retiraram essas músicas de DanceTale. Por incrível que pareça, eles dirigiram até uma cidade que literalmente era abandonada… isso mesmo… abandonada. Dizem que essa cidade foi bombardeada e atacada, fazendo assim, ela ser completamente evacuada e nunca mais fazer ninguém entrar nessa cidade. Na realidade é meio que uma lei não entrar nessa cidade… mas como ninguém se atreve a vir aqui, os policiais nem se importam em olhar essa cidade deserta e medonha… bem... quase ninguém entra aqui já que tem certas pessoinhas que resolveram vir aqui em plena madrugada. Depois de uns minutos dirigindo por essa cidade, o carro começou a ficar mais lento demonstrando de que tínhamos chegado ao destino deles. Sem esperar muito, eu e o Sans pulamos do carro e corremos para um beco do lado de um campo que por sinal estava cheio de pessoas, caixas de som e um palco imenso no fundo daquele campo enorme. Calmamente eles estacionaram o carro no outro lado da rua, saíram do carro e tiraram aquelas tocas que eles estavam usando me deixando ver finalmente o rosto de cada um deles. As pessoas que eu e o Sans estávamos seguindo era ninguém mais e ninguém menos que a Chary, o Dust, a Cyber, o Cyber–Sans e o Error. Eles nem esperaram muito tempo e logo foram na direção do carro e pegaram todas aquelas caixas e levaram para dentro de um prédio abandonado que por sinal eles tinham a chave... não me perguntem como e porque eles tem a chave de um prédio abandonado… porque eu realmente não sei.

— Que lugar é esse? –Sans me perguntou um pouco baixo.

Antes de responder o Sans, eu rapidamente entrei um pouco mais para dentro do beco e começei a rasgar um pouco o meu moletom e a bagunçar o cabelo. Eu sabia o que estava acontecendo mas eu não sabia que se passava justo em "Undertale, a cidade abandonada". Enquanto eu bagunça um pouco o meu cabelo, uma garota apareceu na frente do beco e sem querer acabou levando um pequeno susto ao nos ver ali no meio do nada.

— Ai que susto, viado! –Ela falou depois de nos ver.

A garota tinha cabelos até no meio das costas, bem lisos e loiros, a pele dela era bronzeada, tinha olhos azuis, era magra, usava uma blusa vinho que mostrava a barriga, uma calça preta de cós alto e um all star preto e branco.

— Vocês me assustaram pra caralho! Eu até ache.. –Ela parou de falar por alguns segundos quando ela me viu e acabou me fazendo a reconhecer na hora… ela era a vagabunda da Margareth– Eu não acredito! Se não é a putinha da Frisk nesse pedaço de mal caminho!?

— Oi para você também… sua loira oxigenada do quinto dos infernos.

 Continuo ou paro?




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...