História Undertale - Alma Negra - Capítulo 106


Escrita por:

Postado
Categorias Undertale
Personagens Personagens Originais
Tags Alphyne, Asgoriel, Chariel, Demência, Errink, Frans, Grillffet, Papyton, Sanrisk, Undertale
Visualizações 213
Palavras 1.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


EAE SEUS DEMENTES MENTAIS!!!
Turu pão?
Treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta tatre treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta treta…

Sem mais enrolações…. BORA LER ESSA RETARDANETA!!!

Capítulo 106 - Olhos Negros


Fanfic / Fanfiction Undertale - Alma Negra - Capítulo 106 - Olhos Negros

 ** P.o.v Frisk **

Por alguns segundos eu e ela ficamos nos encarando seriamente como se realmente fossemos pular uma encina da outra... mas então a gente simplesmente começou a rir. Ela rapidamente veio na minha direção e me deu um abraço bem forte que logo eu fiz o mesmo com ela.

— Posso ser uma loira oxigenada… mas eu sou foda mesmo assim –Ela disse no meio do abraço.

— Você não tem geito mesmo –Falei rindo e saindo do abraço.

— O que… tá acontecendo aqui..? –Sans perguntou confuso.

— Essa é a Margareth… ela é uma amiga de outra AU –Disse encarando o Sans.

— E quem é você, gata? –Margareth perguntou ficando do lado do Sans e recebendo um olhar indignado do mesmo.

— Essa é a Sandy –Falei segurando a risada.

— Ela me lembra um Sans… só que na versão feminina –Margareth comentou.

— Eu não sou uma garota –Sans resmungou emburrado.

— Ata! Agora entendi, viado! –Margareth falou normalmente.

— Você me chamou de que? –Sans perguntou seriamente.

— Ei, Mah… o que está acontecendo aqui? –Perguntei trocando rapidamente de assunto.

— É o concurso da LM –Ela respondeu– Agora no caso vai ter as últimas provas do concurso.

— Que provas são essas? –Perguntei curiosa.

— Um de DJ, um de luta robótica, uma de luta humana em dupla, um de DC e o resto eu esqueci –Ela novamente me respondeu.

— O que é DC e LM? –Sans perguntou confuso.

— DC é dança e canto… no caso os grupos vão dançar e cantar ao mesmo tempo e LM significa Little Mix… é o nome da empresa que patrocina toda essa bagaça aqui –Margareth o explicou calmamente.

— Mas não é uma lei não entrar nessa cidade? –Perguntei confusa.

— É sim e esse faz meio que parte do plano da LM –Ela me respondeu– Eles querem pessoas determinadas a conseguir o que querem e fazem de tudo para conseguir… até ir contra a polícia e o governo da própria cidade e o país! E por isso virou tipo uma tradição vir aqui já que conseguimos colocar a nossa vida em risco porque ainda sobrou muitas bombas instáveis pela cidade… falam que até tem uma bomba nuclear escondida aqui!

— Mas isso é loucura! –Exclamei perplexa.

— Loucura e suicídio –Margareth completou– A melhor combinação que existe.

— Uma perguntinha... a Chary, o Error, a Cyber e o CyberSans participam de algum desse concurso? –Sans perguntou indo direto ao assunto.

— Claro que participam! Nós somos um dos grupos participantes e que está na final –Margareth novamente respondeu– A Chary participa do teste de DJ e a de luta em dupla junto com o Error, a Cyber e o CyberSans fazem os robôs para a luta robótica e a de DC é todos do grupo que participa.

— E quantos integrantes tem no grupo deles? –Perguntei curiosa.

— A Chary versão masculino, o Error, a Cyber, o CyberSans, o Chara, a Chisk e a Margareth… no caso eu! –Margareth disse a última parte levantando suas duas mãos para cima mas logo depois as abaixou– Todas as provas dão pontos para o grupo… todas menos a de DJ e outras que eu não lembro... essa é de um concurso diferente e individual.

Por alguns segundos a Margareth ficou em silêncio e logo depois virou seu olhar para o prédio abandonado aonde o pessoal tinha entrado antes.

— Caralho, viado! Eu esqueci de que eu devia estar lá dentro para organizar as últimas coisas! –Ela falou se desesperando um pouco– Depois nós todos viemos para cá e conversamos, ok?

— Espera, Mah! –A chamei antes que a mesma começasse a correr até aquele prédio– Não diga que nos viu aqui, tá?

— Porque? –Ela perguntou confusa.

— Só… não diga! –A respondi– Agora vai lá antes de a Chary te mata.

E com essas palavras minhas, a Margareth saiu correndo até aquele prédio e ficou alguns segundos lá na frente antes de finalmente bater na porta.

— Ô, VIADO!! ABRA A PORTA, MAQUIQUINHA!! –Conseguimos ouvir a Margareth gritando na frente da porta.

Eu e o Sans não conseguimos segurar a risada ao vermos a Chary abrindo a porta com tudo e puxando bruscamente a Margareth para dentro. Entre as nossas risadas, eu dei uma rápida olhada para para o lado e por incrível que pareça eu a vi… eu vi a Chisk na frente do prédio que estava ao nosso lado. Sem muita enrolação, a Chisk rapidamente correu para dentro daquele prédio não me deixando nem chegar perto dela.

— Sans! Eu vi ela! –Falei um pouco desesperada.

— Viu quem? –Ele perguntou confuso.

— A Chisk! Ela entrou ali dentro –Respondi apontando para aquele prédio ao nosso lado.

Sem nem deixar o Sans falar, eu rapidamente peguei no braço dele e começei a puxa-lo para dentro daquele prédio. Quando eu entrei dentro do prédio, eu persebi que era um prédio de apartamentos… mas não foi nisso que eu me foquei na hora. Sem nem prestar muita atenção ao nosso redor, eu começei a subir as escadas do prédio enquanto eu conseguia ver levemente a Chisk na minha frente. Acho que ela finalmente parou de subir as escadas quando chegamos no andar mais alto do prédio que eu acho que era o sexto. Naquele andar todas as portas estavam fechadas e trancadas… bom… todas menos a última porta do corredor.

— Tem certeza de que era ela? –Sans perguntou encarando aquele apartamento um pouco escuro.

— Sans, era ela –Falei começando o encarar– Eu sei que era ela… eu sinto…

— Tá bom… mas lembre de que ela está descontrolada, ok? –Ele falou um pouco preocupado.

— Ok –Disse dando um doce sorriso para ele.

Eu calmamente começei a entrar dentro daquele apartamento sendo seguida pelo Sans. Eu fui direto na direção do interruptor e o acendi para poder ver melhor ali dentro… mas a única coisa que eu consegui ver foi que aquele lugar estava completamente quebrado e bagunçado e com marcas de sangue para todo lado. Naquele momento eu senti uma sensação horrível me consumir e na mesma hora eu pensei em sair dali… mas já era tarde demais. A porta do nada se fechou brutalmente e as luzes simplesmente apagaram deixando apenas uma lâmpada acesa.

— Frisk, cuidado! –Sans gritou tentando me avisar de alguma coisa.

De repente, eu senti alguma coisa segurar no meu braço e com uma força inesplicável me jogar contra uma parede qualquer. Eu tentei me levantar a tempo de tentar me defender mas a única coisa que eu vi foi aquela coisa pegando o Sans, o jogando contra a parede e alguma coisa preta saindo da parede o prendendo de uma forma que ele não conseguiria se mexer e nem gritar.

— Não! –Eu tentei correr na direção do Sans e o soltar de lá… mas desta vez eu senti alguma coisa segurar no meu pé e me jogar no teto daquele apartamento.

Aquilo realmente doeu muito… mas não tanto quanto provavelmente estaria prestes a vir. Enquanto eu tentava me levantar do chão, a luz daquele apartamento simplesmente se acenderam e eu finalmente pude ver quem estava lá dentro. Era a Chisk que estava lá… mas tinha algo de diferente nela… os olhos dela estavam completamente negros. Sem nem me deixar reagir, a Chisk segurou bem forte no meu cabelo e o puxou para cima me fazendo encarar a porta do apartamento. Para a minha querida surpresa, apareceu na porta o Nightmare e mais um garoto que eu não consegui o reconhecer. Ele tinha um dos olhos completamente negros como os da Chisk e o outro vermelho como era os da Chara (minha irmã), a pele dele não era clara e nem escura, tinha o cabelo preto e que quase cobria os seus olhos e usava a roupa completamente preta.

Frisk Folkemord… é um prazer imenso finalmente conhece–la...

 Continuo ou paro?



Notas Finais


OLÁ DINUVU!!!

O que aconteceu com a Chisk? Quem era aquela pessoa? Só no próximo episódio de Dra.. Deu parei… passo a demência…

E ATÉ SEI LÁ QUANDO…. TCHAU…


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...