1. Spirit Fanfics >
  2. Undertale Heartless >
  3. Capítulo 14

História Undertale Heartless - Capítulo 14


Escrita por: e Noemi_Bill


Capítulo 14 - Capítulo 14


Capítulo 14


??? P.O.V On


-- Então, você é um humano que odeia a humanidade? -- pergunto, olhando para as barras sujas dessa sela.


-- Sim. Odeio do fundo do meu ser. -- o humano responde, olhando um pouco horrorizando para mim e encostado nas paredes sujas e fedorentas daquela sela.


-- Mas a humanidade fez alguma coisa pra você? -- pergunto, um pouco curioso e ansioso pela resposta.


Ele olha para baixo, e não diz nada em resposta. Entretanto, inesperadamente, ele me respondeu.


-- Ela tirou tudo o que eu tinha. Minha família, meus "amigos". -- ele diz, fazendo aspas com os dedos quando se referiu a seus amigos do passado.


-- Então, não somos tão diferentes assim. Os humanos não passam da escória da terra. -- digo, olhando para seus olhos negros como a noite.


-- Também acho. A humanidade é podre, e nada me fará fazer mudar de idéia. -- Ele diz, cruzando os braços e sorrindo diabolicamente.


-- Então, eu tenho uma proposta para você. -- digo, me aproximando um pouco dele e retribuindo o sorriso.



??? P.O.V Off



Chara P.O.V On



Recebo um beijo de Asriel na bochecha. Isso me faz lembrar de hoje de manhã, a tentativa do nosso beijo. Eu ainda mato o Frisk, aquele segurador de vela do Caralho!


-- Asriel... Eu... Eu tenho guardado isso no meu coração por um bom tempo... Eu... -- digo, gaguejando horrores.


Asriel me olha com aqueles olhos verdes claros, e acabo me perdendo naquela imensidão esmeralda.


-- Você...? -- ele pergunta.


-- Eu... Eu... Eu estou com fome... -- digo, desviando do assunto.


-- Ah... -- ele diz, com um pouco de decepção na voz dele. Eu não o culpo, ele provavelmente esperava alguma declaração de amor ou algo assim. Mas a vergonha não me deixa falar o que eu sinto por ele. 


Mas, será que é amor mesmo? Tipo, não deve ser só um amor muito forte de irmãos? 


Meus pensamentos são interrompidos por Frisk dando um esbarrão em mim, fazendo nós dois cair.


-- TÚ TENS MERDA NA CABEÇA? -- Pergunta, empurrando ele de cima de mim.


-- Lembrei que eu tirei a roupa do varal antes de irmos. Desculpa. -- ele diz, me puxando de volta, fazendo eu ficar de pé.


-- Tá bom. Mas você é um cavalo! Credo, nunca vi! -- exclamo.


-- Sobre o que conversavam? -- ele perguntou, ajeitando sua franja, que está toda arrepiada.


-- O mesmo que antes. -- responde Asriel, enquanto volta a andar em direção ao acampamento.


Nós três ficamos calados o resto do caminho. Enquanto eu ando, resolvo voltar àqueles pensamentos. Acho melhor eu parar de tentar qualquer coisa que envolva um romance entre mim e ele. Nós somos irmãos, e mais que isso, somos melhores amigos. É, então está decidido, eu não vou mais tentar nada. Ele é só meu irmão, nem mais nem menos.


Olho para ele, e continua olhando para frente, sem falar nada ou mostrar alguma expressão. Nunca gostei do Asriel Sério, ele vive sorrindo e rindo por aí. Eu sei, parece coisa de doido, mas quem disse que ele não é?


-- Hey, Frisk! Espera aí! -- o silêncio é quebrado pelo Monster Kid gritando atrás da gente.


Eu, Asriel e Frisk olhamos pra ele, e está correndo feito um trem sem freio. Ele parece preocupado com algo.


-- O que foi? Aconteceu alguma coisa? -- pergunta Frisk, quando ele está mais perto.


-- Foi o Linus e o Félix. Eles estão feridos! Vários humanos estão tacando pedras, latinhas, paus e facas em nós, E nós não revidamos! O máximo que fazemos é defender! -- disse M.K, olhando para Frisk.


-- Vamos logo lá antes que acabem matando algum monstro. -- digo.


-- Aonde eles estão? -- pergunta Frisk.


-- Só me segue. -- ele diz, começando a correr para a direção contrária de onde nós ficamos de noite.


E começamos a correr desesperadamente para onde ele estava correndo. Isso é o que eu mais desprezo em nós, humanos, é que eles são muito preconceituosos. Claro, tem suas exceções, mas, em geral, não tem muitos que são liberais.



[...]



Já estou Aqui faz uns 40 minutos discutindo com um humano ignorante, o líder do grupinho.


-- Não sei como você consegue aceitar isso! São aberrações! -- ele berra, e o grupo de umas 50 pessoas gritam também.


-- ABERRAÇÕES SÃO VOCÊS! OLHA O QUE FIZERAM COM O LINUS! -- Berra Jennie, indignada com esse grupo de desocupados, e ainda olha preocupada para Linus, que está bem ferido.


-- NÃO ACREDITO QUE O PREFEITO PERMITIU QUE DEMÔNIOS PUDESSEM MORAR CONOSCO! -- berra outro humano lá atrás, jogando uma pedra nos monstros que estão aqui.


-- É Normal estarem assustados, mas não é motivos para machucar alguém! -- disse Nathan, fazendo sinal de "Acalmem-se" com as mãos.


Luke está bem preocupado olhando para Félix e Linus. Eles dois já foram feridos pelos protestantes. Ele está tentando curar eles, mas é bem profundo o corte no braço do Félix, e a coxa do Linus está sangrando bastante.


-- VOCÊS NÃO PODEM FICAR AQUI! -- o humano líder joga uma pedra no Asriel.


Perco a cabeça e puxo a faca do meu bolso.


-- TÚ TÁ PERDENDO A NOÇÃO DO PERIGO?! EU VOU TIRAR AS TUAS TRIPAS COM ISSO AQUI, SEU ARROMBADO DO CARALHO! -- empunho a faca com força, e estou prestes a esquartejar esse filho de uma puta.


-- Violência não vai levar à nada, Chara. -- disse Asriel, segurando meu braço.


Respiro bem fundo.


-- Vocês têm certeza que vão machucar o Príncipe dos Monstros? -- pergunta Giovanni, com uma cara feia pra eles.


-- FODA-SE O QUE ELE É! VAMOS MATAR CADA UM DE VOCÊS! -- Diz o humano líder, e o grupo atrás dele vai à loucura.


-- E você acha que vamos deixar? Vocês estão iludidos que somos fracos como antes. O Monte Ebott só nos fortaleceu cada vez mais. -- disse Giovanni, se preparando para meter o soco no Humano Líder.


-- Realmente! Vocês não sabem do que somos capazes de fazer! -- complementa Milly, com confiança em sua voz.


-- Vocês só são animais! E daí? O que vão fazer? -- pergunta um dos humanos que está do lado do Humano Líder.


-- Animais que sabem usar magia! -- diz M.K, invocando 6 estrelinhas.


-- Aham, sei! Vocês acham que vamos acreditar?


Jennie Jogou uma bola de fogo bem perto do Líder.


-- Acha que nós estamos brincando? Acha que sobrevivemos tanto tempo dentro do Monte sem saber como se defender? -- ela pergunta, com fogo nos olhos, literalmente.


-- Nós não queremos machucar vocês, só queremos que parem com esse protesto besta. -- disse Luke, com bastante preocupação em sua voz.


-- Ela jogou uma Bola de Fogo quase no meu pé! Você quer que eu esqueça? -- ele pergunta, indignado.


-- EU VOU JOGAR UMA NA TUA CARA SE TÚ NÃO SAÍRES DAQUI! -- ela berra, já perdendo a paciência e se aproximando dele.


-- E TÚ ACHAS QUE NÃO VOU SAIR DAQUI SEM DAR UM BELO TAPA NA TUA CARA, SUA PUTA? -- ele grita, dando um tabefe na cara dela.


Todos se assustam com a atitude desse covarde.


-- Você realmente tem coragem. -- ela diz, se recompondo. -- ME FALA ONDE TÚ MORAS, QUE EU VOU QUEIMAR A TUA CASA COM A FAMÍLIA DENTRO! -- Ela diz, dando um belo soco no estômago dele, fazendo ele ficar curvado. Ela deu uma joelhada bem no rosto dele. Ele cai e fica no chão, com a mão direita no rosto, tentando esconder o sangue que está escorrendo do nariz dele. Algumas pessoas do grupo saíram correndo dali, outras ficaram olhando para Jennie com uma cara de cú.


-- O nome disso é falta de louça na pia pra lavar. -- ela diz, voltando para tentar ajudar Luke. 


-- V-você me paga! -- ele diz.


-- Eu não te devo nada. Toda ação tem uma reação. Eu reagi de acordo com suas atitudes, seu covarde. -- ela diz, voltando a ficar preocupada com Linus.


-- Depois eu tiro esse hematoma do seu rosto, okay? -- pergunta Luke.


-- Tá bom, anjo. -- ela diz, dando um sorriso de orelha a orelha.


-- Por favor, se retirem. Eu não quero que mais ninguém se machuque. -- disse Asriel, cruzando os braços e olhando para o lado.


-- V-Vamos embora! -- disse O Líder para o resto do grupo. 


A maioria foram embora, só uma pessoa ficou, que era uma adolescente e estava com uma maleta de pronto-socorro.


-- Desculpa por esses animais. -- ela diz,se aproximando e se acocando perto do Linus e do Félix. -- Eita... Eu posso dar uma dose de anti-inflamatório para eles. -- ela diz, olhando para a maleta e tirando um álcool em gel, um frasco que parece ser de xarope e um potinho de medida. Ela higieniza suas mãos e pergunta.


-- Você pesa quanto?


-- 54 Quilos. -- Félix responde.


-- E você? -- ela pergunta, obviamente se referindo ao Linus.


-- 57 Quilos. -- ele responde.


-- Então é 750 mililitros.


Ela enche o potinho de medida até o número 750.


-- Toma. Não tenha medo, tem gosto de Morango. -- ela diz, entregando o potinho para Félix.


Ele toma e faz uma careta. Ela enche de novo e entrega para Linus.


-- É, já vi que é morango estragado. -- disse Linus, tomando tudo de uma vez, fazendo uma cara indescritível. A enfermeira está rindo.


-- Ugh, ai... -- ele geme, mordendo seu lábio inferior, tentando não gritar de dor.


-- Vai ficar tudo bem, Félix... -- Luke diz, com uma mão curando ele e a outra ajeitando o cabelo de Félix, que está todo embaraçado. -- Mas não era pra você se meter na minha frente. 


-- Eu sei que você não consegue se curar, então era melhor eu te proteger mesmo. Não me arrependo nem um pouco. -- ele diz, sorrindo. 


Luke sorriu e de repente, o ferimento nem existia mais. Não deixou nem uma cicatriz.


Após eles se encararem por um bom tempo:


-- Ei, eu sei que o casal está ocupado, mas estou um pouco machucado aqui... -- Linus disse, apontando para o ferimento de sua coxa.


-- Ah, perdão! -- disse Luke, desfazendo o contato visual e colocando a mão perto do corte da coxa.


-- Ah Mô, pelo amor! Até parece que você não aguentava até o beijo! -- Jennie Exclama. Luke e Félix estão bem vermelhos.


Após um tempo, depois de todos estarem melhores.


-- Eles são os verdadeiros Monstros... -- disse A Enfermeira.


-- Aliás, esqueci de perguntar, qual seu nome? -- Jennie pergunta.


-- Ah, Prazer. Sou Sophie, mas se fala Sofia. -- Ela diz, dando um grande sorriso.



Fim do Capítulo 14




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...