1. Spirit Fanfics >
  2. Unexpected love for you - Jikook >
  3. Love Hurts Too

História Unexpected love for you - Jikook - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Esse capítulo está salgado demaaaiis, meu povo. Se segurem iiirrra😜

Capítulo 20 - Love Hurts Too


Mais uma semana entediante com senhor Park Jimin, simplesmente entediante. Fui pintar o cabelo novamente, isso foi a única coisa que eu fiz a semana inteira. Nada de novo está acontecendo, parece que estou em uma prisão. Há algo dentro de mim angustiado, sinto falta de muitas coisas, uma parte de mim está faltando. O gosto leve de menta, mãos em minha cintura, piercings, tatuagens, bocas rosadas e definidas, olhos castanhos e várias outras coisas, e isso tudo junto se forma ele, Jeon Jungkook.

Teve um dia que vi Jungkook, nossos olhares se cruzaram igual antigamente, mas a diferença era que ele estava acompanhado por alguns meninos que eu nem sabia de suas existências. Ele estava sorrindo, mas logo seu sorriso some após nossos olhos se fixarem um no outro. Mas Kwan pula em minhas costas e me puxa para ver algo que eu nem me lembro. Então virei de costas para Jungkook e vi o que Kwan queria me mostrar...Se doeu em mim, deve ter doído nele.

Não pensava que sentiria tanto assim nosso afastamento, na aulas se sexta ele não vem mais. Nunca mais o vi pelos corredores, isso me faz falta. Seus ataques de ciúmes me davam raiva, agora me dão saudades.

Ninguém consegue me deixar animado, eufórico e muito menos tirar um sorriso de mim. Só consigo sorrir quando lembro de nossas brigas e nossos beijos, ele é era o motivo de meus sentimentos e emoções...

Tudo acabou.

Ele não vai mais para as aulas de dança, sinto a falta se seus implicamentos por conta de meus passos.

Vida que segue, Jimin. Vida que segue, amigo.

Eu e Kwan estamos muito mais próximos, mas agora ele é o único que está conseguindo me fazer sorrir com suas bobagens. Fico feliz por tê-lo por perto, se não fosse por ele, eu estaria deitado em minha cama me questionando o motivo por eu continuar no campus.

— Sua vez, Jimin!

Ele fala pegando o salgadinho na mão e se posicionando para jogar em minha boca.

— Já estou cheio.

Falo rindo e me esparramado na cadeira.

— Mais já? Tudo bem.

Kwan era quase da altura de Jungkook, e com isso eu lembrava vinte e quatro horas dele. Do Jungkook no caso.

— Vou para meu quarto, está tarde.

Kwan fala se levantando e caminhando em direção dos dormitórios após eu assintir.

Me levanto arrumando as coisas da mesa onde estávamos sentados e caminho até o corredor, mas uma mão segura meu pulso tampando minha boca e sou arrastado até o jardim que era iluminado por postes enfeitando-o. Tento me soltar, mas é impossível. Logo a pessoa me solta e então pude ver quem era...

— Jimin...

Jungkook se aproxima deprimido olhando para mim com seus olhos transmitindo desespero e tristeza...E definitivamente, isso está acabando comigo.

— Não.

Me afasto com as mãos fazendo um gesto de rendimento levantando-as e segurando meu choro que estava prestes a desabar.

— Jimin, me escuta, e-

— Eu não quero te escutar, Jungkook!

Grito após um lágrima escorregar pelo meu rosto até se alojar em meu queixo.

Eu não queria chorar novamente, eu só quero ficar em paz. Não quero me machucar e muito menos viver depressivo.

— Me destrua, foda com meu coração. Mas quero que saiba de uma coisa...

Coloco minhas mãos sobre meu rosto me segurando para não abraçá-lo e falar que o amo, algo que estava impossível de se realizar, pois a raiva era maior.

Não vou me entregar para continuar sendo usado, aquele dia na jacuzzi foi minha cota. 

— Jungkook...P-para...Eu não qu-

Seus braços me puxam contra seu corpo me impedindo de terminar a frase.

Não aguento, eu tenho que abraçá-lo, isso estava me fazendo falta.

Abraço Jungkook fortemente desabando em lágrimas desesperadas. Eu amo Jungkook, mas não quero ser machucado...

— Jimin, eu quero você.

— Não.

Tento me soltar de seus braços, mas ele me segura.

— Jimin...

Jungkook se afasta de mim e coloca sua testa com a minha fechando os olhos igualmente a mim.

— Eu te amo.

— Jungkook, não. Não ama, se amas-

Suas mãos delicadas puxam meu maxilar para perto de si selando nossas bocas. Sinto sua língua quente tentando abrir minha boca e seu gosto de menta me penetrar em questão de segundos, mas isso não acontecerá.

Jungkook afasta nossos lábios lentamente após sua tentativa e juntando nossas testas ainda me segurando, eu permanecia com as mãos em seu peito evitando o contato de nossos corpos, eu não queria isso.

— Jimin, me beija...

Sua voz sai trêmula, minha garganta novamente começa a dar um nó horrível e era possível sentir meus olhos ficarem em lágrimas, mas dessa vez elas não descerão, serei forte.

— J-Jungkook, eu fal-

Novamente Jungkook me puxa selando nossas bocas tentando abrir passagem para sua língua invadi-la, ele insiste em algo que não irá acontecer.

Ele as desgrudam lentamente juntando nossas testas e me puxa mais perto de si, mas não deixarei nossos corpos se juntarem.

— Jimin, por favor.

Ele diz com uma voz rouca e ainda trêmula, ele parece querer chorar a qualquer momento.

— Não vai rolar. Você acha mesmo que usar um simples "Eu te amo" vai resolver toda essa merda que você fez, Jungkook? Saiba que não, não vai!

Me afasto do mesmo dando alguns passos para trás cruzando os braços colando a minha blusa em meu corpo.

Minha voz estava saindo nervosa, porque além dele ter me destruído...Eu ainda amo esse traste.

Fixo meu olhar para seus olhos escuros marejados por gotículas de lágrimas prestes a decorrerem pela sua pele pálida e macia. Em seguida desvio o olhar direcionando para um vaso de flor ali perto mordendo o lábio inferior segurando o meu choro que vinha à tona.

— Um simples? Um simples "Eu te amo", Jimin? Você acha mesmo que eu mentiria algo desse tipo?

— Sim, acho.

Falo em um tom baixo e decepcionado, pois eu sabia que era mentira esse sentimento por mim.

— Você não me conhece, en-

— Então me permita a te conhecer, merda!

Grito de saco cheio e rapidamente olho para Jungkook com meu sangue fervendo dentro de mim, não demorou para meu rosto pegar fogo de ódio.

— Você está brincando com minha cara?! Sempre você fala isso, mas nunca me permite a te conhecer! Sempre é assim, quando pergunto algo para você sempre começamos a brigar feito crianças idiotas. Você não sabe amar, e muito menos sabe o que é o amor, Jungkook!

Ele estava com os olhos arregalados para mim e ainda marejados, até que escorre uma lágrima que desce suavemente pela sua pele.

Ele estava...Chorando? Não é possível, agora que meu coração aperta.

Nesse ponto meu rosto já estava encharcado com minhas lágrimas geladas e minha voz rouca por estar gritando loucamente, eu estava louco.

Enxugo minhas lágrimas colocando minhas mãos em meu rosto e as deixando ali mesmo.

— Jimin, eu tenho medo de te perder, p-

— Então faça por onde.

Retiro as mãos de minha face e o encaro após minhas lágrimas pararem de escorrer, puxo o ar pelo nariz que já estava congestionado e passando a língua em meus lábios secos.

— Como assim?

— Então faça por onde, Jungkook. Para de ser essa pessoa que há dentro de você, a pessoa que maltrata os outros por motivos bestas. Um bipolar medíocre e sem noção. Jungkook, eu queria ter um sentimento vago por você, mas eu não consigo te esquecer, além de você ser um estúpido e um rude sem noção...Eu ainda gosto você.

— Ji-

— Não termina.

Levanto o dedo fazendo um sinal de silêncio perto de Jungkook e olhando para o lado mordendo novamente meu lábio inferior.

— Não quero ouvir mentiras suas novamente para me fazer de idiota.

— Mentiras, Park? Mentiras?!

Ele aumenta seu tom de voz comigo, novamente a merda está acontecendo.

Espera...Ele me chamou de Park?! Sabendo que odeio ser chamado de Park?!

Que raiva!

— Não começa.

— Pode me escutar pelo menos?

— Escutei muito e acabei me fudendo.

Me afasto de Jungkook dando as costas para o mesmo e caminhando em direção aos dormitórios.

— Jimin!

Cruzo os braços acelerando os passos desencadeando minhas lágrimas seguidas por soluços indesejados.

Era possível escutar os passos dele se aproximando fazendo-me correr o evitando.

Viro o corredor e encosto bruscamente na parede colocando as mãos em meu rosto com minhas lágrimas salgadas novamente. Logo coloco-as no peito e me viro para ver onde Jungkook está, e me impressionei. Ele estava ajoelhado com as mãos no rosto chorando, chorando muito, seu corpo chegava a subir e descer, obviamente estava no mesmo estado que eu...

Mas isso será melhor para nós dois, ele deveria ter pensado antes de me usar. Jungkook é definição de ingênuo, com certeza, agora terá que arcar com as consequências.

Suspiro tentando me reconstruir e ser forte.

Caminho pelo corredor e vou em direção dos quartos enxugando as lágrimas. Entro em meu quarto e olho para Tae que já estava capotado em sua cama. Então apago a luz e me deito com uma dor enorme em meu peito, estava impossível de inspulsá-la de mim. Eu estava me esforçando para ser forte, mas a saudade não fazia isso se tornar possível.


Notas Finais


Aaahhh, segurem as lágrimas!! Estou precisando de forças! Kkkk

Gostou da capa?
Capa feita por:
@Littleyoon_

Quer conhecer melhor o trabalho dela?
Canal:

https://www.youtube.com/channel/UCBvem058Ok9wvSYM2Jmvk_A

⚠️Inscreva-se!!❤

Leia também:

https://www.spiritfanfiction.com/historia/water-and-wine-17788256


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...