1. Spirit Fanfics >
  2. Unexpected pregnancy >
  3. Capítulo XII

História Unexpected pregnancy - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Como prometido, mais um capítulo.
Espero que gostem ♥

Capítulo 12 - Capítulo XII


Dois meses depois...

Dois meses se passaram e Meliodas tornou-se praticamente um morador do apartamento de Diane.

A relação de Elizabeth com ele era apenas uma amizade. Ele tinha a vida dele e ela a sua, cada qual era livre para fazer o que quisesse, pelo menos foi isso que deixaram claro em uma conversa dias atrás.

"Não somos comprometidos, temos apenas uma coisa que nos liga, um filho, você faz o que quiser, pega quem quiser, assim como eu também tenho esse direito." — Elizabeth falou após ele reclamar das suas constantes saídas à noite.

- O sr. Mandão pediu pra você ligar pra ele. — Diane chamava Meliodas assim, e ele odiava isso.

"Não sou mandão, apenas sei o que é certo e o que é errado, e estou tentando colocar isso na cabeça de vocês."

- Okay, depois de tomar um belo banho, dou uma ligada para ele. — sorriu e levantou, seguindo para o banheiro.

- Marcou a consulta que eu te falei? — ela seguiu a amiga até o banheiro e Elizabeth negou com a cabeça.

- Depois vejo isso, só quero meu banho. — ela deu de ombros e saiu.

Entrando debaixo do chuveiro, a albina permaneceu ali durante um bom tempo. Apenas ela e seu bebê, sua nova companhia.

Durante esses meses que passaram muita coisa mudou, dentre elas, Elizabeth. A Liones havia se tornado uma pessoa melhor pelo seu filho ou filha, que viria ao mundo dentro de alguns meses. Não mudou radicalmente, mas estava tentando tomar jeito e juízo.

Após o banho, passou algum tempo em frente ao espelho, observando sua barriga que já estava à mostra.

Sorriu sem motivos.

Saiu do transe quando seu celular tocou.

.

- Diga.

- Ótima forma de me atender. — ela sorriu.

- Olá Meliodazinho. — afinou a voz e ele gargalhou.

- Falsa. Só liguei pra saber se conseguiu marcar a consulta com o obstetra.

- Ainda não procurei um.

- Ok, amanhã te pego às oito.

- Me pega, uau.

- Elizabeth, Elizabeth.

- Aonde pretende me levar sr. Mandão? — jogou-se na cama.

- Me indicaram me indicaram uma boa clínica, nós vamos lá.

- E se eu não quiser ir? — rolou na cama.

- Tchau Elizabeth.

.

A Liones chegou em casa por volta das 13:00 horas, após ter passado a manhã dentro de um consultório, cheio de gestantes. Quem lhe acompanhou na ida ao médico fora  Margaret, já que Meliodas teve uma reunião de última hora e ela se disponibilizou para ir com a irmã.

Durante o percurso para o apartamento de Diane, seu celular tocou duas vezes e a Liones rejeitou as chamadas e silenciou o celular. Não estava com vontade de ser perturbada.

Entrando no apartamento, se deparou com Diane e King, praticamente se comendo na cozinha. Passou direto, fingindo não ver nada, eles não haviam notado sua presença e ela não atrapalharia a futura transa de sua amiga .

- Vamos ver quem estava me ligando. — desbloqueou o ecrã e buscou pelas chamadas perdidas. — Arthur. - no mesmo instante retornou as ligações, e no segundo toque foi atendida.

.

- Ora ora, resolveu me atender dona Elizabeth. — a Liones escutou seu sorriso.

- Olá Arthur, não podia atender quando me ligou.

- Entendo, mas me diga, está livre hoje?

- Acho que sim.

- Posso te pegar às 16:00?

- Ah, pode sim. Aonde iremos?

- Andar um pouco, conversar, e aproveitar a tarde.

- Ok, então nos vemos mais tarde.

.

Elizabeth sorriu e bloqueou o celular, jogando-o em algum canto da cama. Arthur era um grande amigo, o conhecera à pouco tempo, porém confiava a ele boa parte da sua vida.

- Para onde vai? — Diane jogou-se na cama enquanto a albina penteava os cabelos.

- Vou sair com Arthur.

- Esse cara tá investindo mesmo, né? — sorriu.

- Digamos que sim, ele é bacana, talvez eu dê uma chance à ele.

- Você que sabe. — deu de ombros e se aproximou arrumando o vestido da amiga. — A campainha tocou, acho que é ele.

- Abre lá pra mim, só vou passar um batom.

Minutos depois, Elizabeth seguiu para a sala onde Arthur lhe esperava, juntamente com Diane.

- Está linda. — Ele elogiou a Liones, que sorriu em forma de agradecimento.

- Vamos? — ele assentiu e seguiu para a porta.

- Devo te esperar? — Diane sorriu maliciosa, recebedo um dedo da amiga.

- Sim.

Os dois saíram do apartamento de braços entrelaçados e entraram no elevador.

- E como está esse pequenino? — acariciou a barriga da garota.

- Por que tem tanta certeza de que é um menino? – indagou rindo.

- Intuição.

As portas do elevador se abriram, e pra a surpresa de ambos, Meliodas estava ali. Seu olhar foi direto para as mãos de Arthur, que ainda estavam na barriga de Elizabeth.

- Boa tarde. — o loiro entrou fuzilando ambos com os olhos, porém permaneceu calado.

Assim que as portas do elevador voltaram a se abrir, Arthur saiu e Meliodas segurou no braço da Liones, se aproximando de seu ouvido.

- Não o deixe pegar na minha filha! Ela já tem um pai, não precisa de outro. — dito isto, soltou-a e apertou o botão do último andar.

Meliodas odiava Arthur e era totalmente contra qualquer envolvimento de Elizabeth com ele. E o Haznedar acreditava ser uma menina.

- O que ele queria? – Arthur indagou.

- Nada demais, saber sobre Diane. — o rapaz a olhou desconfiado, mas bastou dois segundos para que ele voltasse a sorrir.

Os dois chegaram ao parque central por volta das 17:00 horas, sentaram-se em uma parte mais afastada e ficaram à conversar sobre coisas banais.

Para Elizabeth, o bom de conversar com Arthur era que assuntos não faltavam e ela conseguia se abrir facilmente para ele. Arthur  era um bom ouvinte e até mesmo bom conselheiro. Ele fora a primeira pessoa da qual a Liones conseguiu conversar sobre o que estava passando sem sentir vergonha. Se sentia à vontade com ele.

- E então, com quantos meses está?

- Ah, creio que quase chegando aos quatro.

- Seu... amigo parece não gostar de mim.

- Quem? Meliodas? — ele assente. — Bobeira, ele é apenas difícil; não se relaciona facilmente com qualquer pessoa.

- Entendo, mas diz aí, como vai se chamar meu garoto?

- Ainda não sei o sexo do bebê, não vou me apressar com expectativas.

[...]

Elizabeth ficou na companhia de Erick até o entardecer, logo após, jantaram em um restaurante que havia ali próximo ao parque e em seguida ele a deixou na porta de casa. Se despediram com um simples abraço e ele foi embora.

- Seu namoradinho esteve aqui assim que saiu. — Diane debochou. — Ele estava furioso, tive que me segurar para não rir.

- O que ele disse? — jogou-se no sofá.

- Que não tem necessidade de você se envolver com ninguém porque está grávida, que não gosta do Arthur, que a filha dele não precisa de outro pai... — Elizabeth revirou os olhos. — Você precisa dar mais moral ao futuro papai da sua filhinha, seu lindo namoradinho.

- Meliodas é apenas pai do que estou carregando, mas isso não se lhe dá o direito de interferir nas minhas decisões, e muito menos o título de meu namorado.

- Eu não entendo vocês, sério! Um dia estão de boa, até se pegam, no outro se odeiam... ah, vão transar logo!

A Liones apenas riu, enquanto negava com a cabeça.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Até o próximo ♥
Comentem o que estão achando da fic ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...