1. Spirit Fanfics >
  2. Unexpectedly >
  3. "Está tudo bem". Tem certeza?

História Unexpectedly - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Hallo nenéns! 💙💙

Pov's: Sina e Krystian.
Não se preocupem, com os que ainda não tiveram muito foco, pois eles vão ter, só peço que tenham paciência.

Obrigada @VITORIA_HIDALGO pela ajuda com o roteiro 💙💙

❄ Esse capítulo ainda não foi revisado, mas revisarei assim que possível. Então, me perdoem pelos erros ortográficos ❄

Espero que gostem 💙💙
Aproveitam a leitura 💙💙

Capítulo 23 - "Está tudo bem". Tem certeza?


{ Sina }



Levamos o Noah para o hospital, mas os médicos ainda estão resolvendo algumas coisas com ele, então nós estamos aguardando.

-- Quem vai ficar com ele? - Josh pergunta.

-- Como assim? - Bailey pergunta.

-- Nós temos que ir atrás do criminoso, não podemos ficar aqui, além de que precisamos descansar. Mas alguém tem que ficar aqui para ajudar ele. Eu queria muito ficar, mas tenho que pôr juízo no resto do pessoal - Heyoon diz.

-- A Sina pode ficar! - Josh afirma.

-- Pode ser, Sina? - Bailey pergunta.

-- Acho que sim... Pode ser sim - Respondo.

-- Certo, obrigada Sina - Heyoon me abraça. Ownn, eu amo o quão carinhosa ela é.

-- Bem, temos que ir agora. Nos conte sobre ele depois. Tchau! - Bailey falou.

-- Pode deixar. Tchaau! - Eu disse, e eles foram até a porta, e acenaram de lá.

-- Até mais Sininho. Cuide bem do meu amigo e futuro marido seu - Josh disse me dando um abraço e um beijo na bochecha.

Futuro marido? Meu Deus, o Josh me irrita um pouquinho as vezes, ele fica só me incomodando falando do Noah. Eu e o Noah somos só amigos, qual a dificuldade de entender?

Tá certo que eu acho ele bem bonitinho e super legal, mas não passa disso.

-- Tá bom, tá bom - Respondi, e ele foi correndo até a porta. Vamos ignorar a parte sobre futuro marido.

Não pude deixar de rir, o Josh é uma figura mesmo.

Joshua sendo Joshua.

-- Te amo Calopsita! - Gritei para ele.

-- Eu também te amo Sininho! E muito! - Ele gritou alto lá da porta. Ah meu Deus, eu amo tanto o Josh.



___________________S___________________



Depois que o pessoal saiu do hospital, eu fiquei meio sozinha. O hospital está silencioso, e não tem ninguém para conversar comigo. Está bem tedioso aqui.

Claro que algumas pessoas passam pelo corredor, mas continua silencioso. Só ouve-se o som dos sapatos batendo no chão.

Eu estou cansada do vôo, e eu estou com muito sono. Eu gostaria de dormir um pouco, mas o Noah precisa de mim. 

Se eu não fosse ficar aqui com ele, quem ficaria?

Os médicos estão demorando, e eu espero conseguir manter os olhos abertos e não cair no sono. 

Mas confesso que estou ansiosa para ver como ele está.


Vários médicos passam por mim no corredor, e eu sempre fico na esperança de ser o do Noah, mas nunca é.

Finalmente, um médico que passou no corredor, parou na minha frente. Agora acho que é o do Noah.

-- Você é algo do Noah Urrea? - O médico me pergunta ao chegar.

-- Sou amiga dele. Eu e alguns amigos fomos quem o trouxemos.

-- Tem algum familiar dele ou coisa do tipo? - Ele pergunta.

-- Não, os pais dele estão... Ocupados.

-- Hm, certo. Quer ir ver ele então? - O médico pergunta, e anota algumas coisas na prancheta.

-- Sim, por favor.

-- Ok, ele está no quarto 712, no andar de cima.

-- Certo, muito obrigada - Sorrio, e ele retribui. Depois subo as escadas.

Hmm, é o quarto 712, né?

Acho que é sim. Agora eu só tenho que achar.

Caminho pelos corredores, e observo atentamente os números das portas. 708, 709, 710, estou perto...

712! Achei.

Eu vou até a porta, e bato nela.

Escuto o Noah dizer um "Pode entrar", então eu entro.

-- Oi Sina!

-- Oi Noah! Está melhor? Como você está se sentindo? - Pergunto ficando de pé ao lado da cama.

-- Tá doendo pra caramba. Os médicos fizeram o Raio-X, e eu realmente quebrei a perna - Ele diz -- Acho que eu não deveria ter feito aquilo - Admite.

-- É, você tem que tomar mais cuidado Noah. Poderia ter sido pior, sabia? Tem que pensar um pouquinho mais antes de fazer as coisas, senão você se dá muito mal. Agora, todos estão preocupados com você. Claro que alguns estão te achando um burro teimoso - Rio -- Mas estamos preocupados.

Ele gargalhou de leve com o que eu falei por último, e é muito bom ver ele sorrindo.

-- Mas eu estou bem, estou de boas até. É que na hora, parecia tanto que iria dar certo. Uma vez quando eu tinha 15 anos, eu fui tentar e consegui, então eu achei que conseguiria denovo - O Noah é tão engraçadinho, muito fofo.

-- É Noah, mas agora você tem 17 anos - Passei a mão no cabelo dele -- Mas, logo você vai ficar melhor. Provavelmente, você vai ter que usar um gesso ou amuletas, e vai ter que parar de ser tão agitado, mas depois melhora. Se eu não me engano, dá de tirar depois de... uns 2 meses ou por aí - Eu disse.

-- DOIS MESES? Eu não vou aguentar todo esse tempo com a droga de um gesso na perna. Eu não vou poder nem correr? - Resmungou.

-- Provavelmente, não - Ri.

-- Ah não véi, que saco.

-- Você não deveria ter tentado Noah. A Heyoon mandou vocês não fazerem o mortal - Eu disse.

-- Tá bom, tá bom, eu entendi - Ele reclamou, e eu apenas ri. Ele parece uma criancinha quando resmunga desse jeito; é engraçadinho.

-- E o resto do pessoal, cadê eles? Tipo, o Josh, a Heyoon, e o Bailey - Ele pergunta.

-- Eles tiveram que voltar lá com o resto do grupo. Eles precisavam resolver algumas coisinhas, e eles estavam bem cansados, então eu deixei eles irem para descansar - Respondi.

-- Mas e você? - Ele pergunta.

-- O que tem eu?

-- Não está cansada? Você parece com sono baby.

-- Não, eu estou bem, está tudo certo comigo. Além de que eu quis ficar aqui com você, não queria que você ficasse sozinho - Eu disse.

-- Ow baby, não precisava ficar aqui comigo. Pode ir descansar se quiser, você deve estar com sono. Não se preocupe, eu tento me virar - Ele diz, e eu rio com o que ele diz no final.

-- Não Noah, eu já disse que estou bem.

-- Tá bom, tá bom, você ganhou. Só espero não estar te dando trabalho - Como se ele não desse trabalho sempre, e para todo mundo.

-- Sem problemas, Noah. Você é meu amigo, não vou te deixar aqui todo quebrado e sozinho ainda por cima.

-- Obrigada baby - Ele agradece.

-- Não tem de quer, sou sua amiga, sempre vou te ajudar quando precisar.

Ele apenas sorriu, e eu sorri de volta.

-- Acho que nós temos que esperar ele um pouco - Eu disse ao sentar na poltrona que tinha ali.

-- O médico disse que foi ver algumas coisas, e que vai demorar 1 hora ou coisa do tipo - Ele diz.

-- Certo, tudo bem.



____________________S__________________



O médico ainda não chegou, e eu estou com muito sono. O Noah está sentindo dor, mas mesmo assim não desiste de falar sem parar. Eu não sei muito bem o que ele está falando, meu sono não me permite isso. Então, apenas estou concordando com ele; ele fala demais. Mas eu estou tentando prestar atenção.

-- Você também acha? Eu achei um absurdo ela fazer aquilo na loja - Ele diz.

-- Oi? - Eu nem sei sobre o que ele está falando.

-- A Linsey, sobre ela não ter pego aquela blusa.

-- Ah... sim. Eu também acho - Respondo em concordância.

-- Ela disse que não queria porque era horrível, mas eu amei muito, ela deveria ter pego. E depois, acredita no que ela fez? Ela jogou milkshake no meu cabelo!

-- Nossa, que doida - Digo, apenas para não o deixar no vácuo; tadinho. É só que eu estou com um pouco de sono.

O médico está demorando. Tipo, eles já fizeram algumas coisas na perna do Noah, mas ele é meio dramático.


Depois, acho que ele cansou de falar tanto, e ficou durante um período em silêncio. Mas ele é fofo sim, admito.


-- Sina - Ele diz, e eu abro meus olhos, eu estava quase pegando no sono. Ainda bem que ele me chamou, senão eu teria dormido ali. Se bem que, ele não me chamou para me acordar, mas sim para conversar.

-- Oi?

-- O que você fez? - Ele pergunta.

-- "O que eu fiz"? - Pergunto confusa, sem entender -- Como assim? Eu não entendi muito bem o que você quis dizer.

-- O que você fez para vim parar nisso? Eu vi o Josh falar várias vezes que você não fez nada. Mas então, por que você foi posta no meio de tudo isso?

-- É que... Eu não gosto muito de falar sobre isso. Mas, só consigo te dizer, que a culpa é da minha mãe, não minha. Eu acho difícil falar sobre isso...

-- Ah, me desculpe... E caraca, deve ser bem ruim ter uma mãe má; deve ser horrível na verdade. A minha é incrível! Já meu pai, eu meio que ma... Eu só não gostava muito dele.

-- Meu pai era legal. Sinto falta dele... - Digo.

-- O que aconteceu com ele? Ele está bem? - Ele pergunta.

-- Eu acho que... sim. Faz tempo que não vejo ele - Eu respondi.

-- Eu não sei muito nem como é não ter alguém que ama ao seu lado, pois antes dessas missões lokonas, eu morava com minha mãe e minha irmã na paz, e inclusive estou com saudades delas. Mas, se você precisar de ajuda, saiba que pode contar comigo. Não sei se consigo fazer muita coisa, mas juro que estou disposto a tentar. Não sei como é passar pelo que você passa, mas vou te ajudar do mesmo jeito.

-- Nossa Noah, obrigada. Obrigada mesmo. Você é um ótimo amigo, obrigada - Sorri. Own, o Noah é tão legal.

-- Você também é - Sorriu -- Vem cá - Ele pediu.

-- Hm? - Perguntei ao me aproximar.

Ele não me respondeu, apenas me abraçou. E eu apenas o abracei também.

Apesar de eu estar sorrindo, eu corei um pouco, não sei o porquê. É que eu tenho um pouco de vergonha dessas coisas, ainda mais quando vem do Noah.




{ Krystian }


Como já está tarde, e nós precisamos descansar, vamos começar nosso "trabalho" amanhã.

Já recebemos alguns equipamentos, ordens e informações, mas vamos resolver amanhã, até porque algumas coisas ainda vão ser enviadas para nós.

Decidimos deixar a Heyoon no comando, pois ela é a mais apropriada para o cargo. Não que ela seja a melhor com liderança, mas é a mais madura e a que nos mantêm nos trilhos.

Alguns já queriam dar uma olhada nas coisas, e organizar os cargos hoje, mas a votação para descansar, ganhou.


O Noah está no hospital, porque o retardado foi tentar fazer um mortal mesmo sem saber. A Sina ficou com ele, então provavelmente ele deve estar bem.


Já são cerca de 10 horas da noite, e alguns já estão dormindo, e outros já vão ir.

Eu nem sei se vou dormir, porque eu não estou com sono, nem um pouco, já que dormi a viagem inteira; praticamente.

Eu já tomei banho, não estou com sono, e estou no tédio: não tem nada pra fazer.

A casa onde estamos, é bem escondida. Afastada, na verdade, já que é bem longe da cidade.


Sabe, eu preferia ter ido preso. Na verdade, provavelmente eu seria morto, mas eu acho que eu mereço isso. Mas a Savannah implorou tanto, mas tanto, que eu nem tive a opção de dizer "não".

Eu espero que tudo isso realmente valha a pena como me disseram que vai.



___________________K___________________



Agora já são 11:45, e eu ainda não estou com sono.

Eu estou sozinho na sala. Os bonitos já foram tudo dormir, então não ninguém aqui além de mim.

À uma hora atrás, a Savannah estava aqui comigo, ela estava lendo um livro, mas ela acabou saindo daqui. Ela disse que precisava pegar um pouco de ar, por isso foi para fora. Ela pediu se eu queria ir junto, mas eu acabei nem indo. Além de estar um frio dos inferno lá fora, ela parecia precisar de um descanso, então resolvi deixar ela quieta e na dela.


Mas, agora, quem ficou com vontade de pegar um ar, fui eu. Então eu vou sair um pouco lá para fora. Deve estar bem fresco, e deve estar menos frio do que antes, e se eu pôr um casaco, dá de ficar lá tranquilo.

Vou tentar achar a Savannah, assim eu fico um pouco lá com ela.

Me levantei do sofá, e botei minha jaqueta vermelha.

Ao chegar na porta, Heyoon aparece no corredor, e me chama:

-- Krystian - Eu só vi que era ela, por causa da iluminação da TV, já que as luzes estavam apagadas.

-- Que?

-- Por que não está dormindo? Está sem sono? - Ela pergunta.

-- É, eu estou sem sono. E, eu não tenho nada para fazer, então eu vou lá fora pegar um ar.

-- E a Savannah? Ela ainda não foi dormir.

-- Ela tá lá fora - Respondi.

-- Certo, vai lá então neném. Mas vê se dorme ao menos um pouquinho, senão vai ficar sem energia para depois - É meio engraçado ver ela me chamando de neném, porque acho que é ela a neném, mas tudo bem.

-- Ok, Boa Noite Yoon - Eu sorrio para ela, e ela me dá Boa Noite e desaparece no corredor. 

-- E, neném, não esqueça de desligar a TV - Ela volta para dizer.

-- Ok Yoon - Eu respondo. Ah, depois eu desligo. 

Eu abro a porta, e saio para fora, depois, a fecho.

Achei que Savannah estaria de cara aqui na parte da frente da casa, mas ela não está. Dou a volta na casa, e finalmente a acho: ela está na parte de trás da casa, sentada na grama, no topo de um morro que tem no pátio.

Ela está de costas, então eu acho que seria engraçado dar um susto nela.

Me abaixo, ponho as mãos nos ombros dela, e sussurro no seu ouvido:

-- Bu.

-- Ai meu Deus, ai meu Deus! - Ela berra.

Ela quase que caiu do morro por conta do pulo que deu.

Ela me encara, com a mão no peito, e tenta recuperar o fôlego.

Isso foi HI-LÁ-RI-O.

Não rir nem garagalhar da reação dela, é algo completamente impossível.

-- Meu Deus Krystian - Ela diz se levantando -- Eu levei um susto!

-- Mas era esse o objetivo - Eu digo rindo.

-- Seu cara-de-pau. Não teve graça - Ela diz tentando parecer brava -- Tá, só um pouquinho - Ela diz soltando a gargalhada.

Que gargalhada gostosa.

-- Sério, isso foi muito bom. Você precisava ver a sua cara. Foi simplesmente ótimo - Eu digo rindo.

-- Tá bom - Ela diz rindo -- Mas não faça mais isso comigo - Ela ri.

-- Vou pensar no seu caso.

-- Krystiaan.

-- Tá bom, talvez eu não faça mais - Faço sinal de rendição com as mãos, enquanto ainda sou risada.

-- Talvez?

-- Sim, só talvez - Respondo.

-- Certo certo - Ela dá uma última risada, e depois se senta na grama denovo -- Vem Krys, senta aqui do meu lado - Ela pede, batendo levemente a palma da mão sobre a grama. Então, eu me sento, de forma que minhas pernas ficaram dobradas, com os joelhos para cima, e com os meus braços apoiados nos meus joelhos.

Ficamos um tempinho em silêncio, até que eu resolvi falar algo:

-- Você não está com frio? Você está usando só essa regatinha, e tá com bastante vento aqui.

-- Não, tudo bem. Eu estou até com um pouco de calor - Ela responde calmamente.

-- Tem certeza Sav? - Ela sempre sorri quando a chamo assim. É tão bom a ver sorrir.

-- Sim, estou tranquila, não precisa se preocupar.

-- Ok então - Digo -- Você parece pensativa. Está tudo bem com você? - Pergunto.

-- Sim, eu estou bem, tudo certo - Ela sorri.

-- Savannah, você sabe que pode me contar se algo estiver acontecendo com você - Eu digo. Ela costuma sempre dizer que está tudo bem, mas nem sempre é verdade.

-- Não Krys, eu estou bem, não se preocupe. Eu só não quero falar sobre esse assunto - Ela diz.

-- Pode contar pra mim, eu sou seu amigo Savannah - Eu a encaro por um tempo, esperando ela contar a verdade.

-- Tá bem. Eu não gosto muito de me lembrar disso, mas é que eu estou com saudades de uma pessoa... Do meu namorado. Ex, no caso.

-- Ah eu sinto muito Sav... - Digo de forma compreensiva -- Vocês terminaram?

-- Não.

-- Mas e o que aconteceu? Ele está bem? Ele te fez algo ruim? O que aconteceu?

-- Não, não é nada disso. É que ele... Ele - Ela respira um pouco tentando prosseguir -- Ele... Se foi - Ela diz olhando fixamente para o chão.

Não sei se ele morreu, ou se ele foi para longe dela, mas eu sei que ela ficou bem triste quando eu perguntei.

Meu Deus, eu sou um merda.

Eu fiz algo que não deveria, e agora eu fiz uma pessoa chorar.

-- Não Sav, não chora, por favor - Eu digo a puxando para um abraço.

-- Mas que droga - Ela diz para si mesma -- Me desculpe, perdão. É só que eu... Eu sou uma chorona, me desculpe - Ela diz limpando as lágrimas.

-- Não, você não fez nada de ruim. Eu que falei merda, me desculpe.

-- Não, tá tudo bem. Eu que sou muito sentimental... - Ela diz saindo do abraço.

Por que eu tinha que estragar tudo?

-- Eu acho que vou... Dormir. Me desculpe pelo meu drama Krystian. Você não tem culpa dos meus problemas... Me desculpe por estragar tudo - Não! Fui eu quem ferrei tudo, não ela.

-- Não. Merda. Foi mal Savannah, eu juro que não queria te magoar eu só... - Ela me interrompe:

-- Tá tudo bem Krystian, eu só estou cansada e... preciso dormir um pouco.

-- Eu sou um merda.

-- Krys, eu já disse que está tudo bem e que a culpa não é sua - Ela segura o meu maxilar com as mãos -- Eu vou... Ir para o quarto. Boa Noite, conversamos mais amanhã Krys - Ela diz sorrindo, para tentar esconder que a conversa lhe trouxe memórias ruins. Não está tudo bem, e eu sei disso.

-- Ah... Boa Noite...

Eu acho que não deveria ter insistido para ela falar sobre isso.

Porque agora, eu caguei tudo.


Notas Finais


E vamos de Noart e Krysvannah!
💙💙

Bom, algumas coisas da história, não estão saindo exatamente como planejadas, não estão seguindo o rumo que deveriam, mas eu vou ver se consigo fazer a história andar no rumo que deve.
Talvez eu consiga, espero que sim, na verdade.

E, me desculpem pelo capítulo minúsculo. Mas, é que eu estava sem tempo, então escrevi o que consegui.

Comentem pls 💙💙


❄ Tschüss ❄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...