História Unforeseen Passion - Imagine Park Jimin - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Drama, Imagine Jimin, Jimin, Park Jimin, Romance
Visualizações 189
Palavras 2.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura.💕
[ps.: Se conter erros ortográficos, desculpem, estou com sono e ainda não revisei.]

Capítulo 17 - Diversão


Fanfic / Fanfiction Unforeseen Passion - Imagine Park Jimin - Capítulo 17 - Diversão

Acordo após escutar pela segunda vez o despertador tocar. Desligo o aparelho permanecendo ainda na cama de olhos fechados. Pela primeira vez, em anos, estava sentindo uma pequena preguiça em meu corpo, deve ser cansaço. 

Espreguiço-me na cama e passo minha mão em meus olhos para que o mesmo se acostume com uma pequena claridade que há no quarto vindo da janela de vidro. Depois do ato, saio da cama indo até o banheiro, que tem no quarto. Faço minhas necessidades matinais, pois quando acordo a vontade de urinar é grande. Depois de toda despida, entro no box ligando o chuveiro na água gelada, queria tirar essa preguiça que há em mim. 

Após um banho gelado, pego a toalha e saio do banheiro indo até o guarda roupa para escolher uma roupa adequada com o clima de hoje. Entramos para a primavera, a estação favorita de Naomi. Ela sempre comenta comigo adorar essa estação, e não tiro a razão. Essa estação nos proporciona uma vista incrível de diversas flores sendo desabrochadas e tornando-se mais visível. 

Abro a janela do quarto tendo a vista de um céu azul com uma grande quantidade de nuvens. Como ainda estava cedo, acredito que na faixa de sete horas e alguns minutos, o sol ainda não era tão nítido, mas o frio da cidade já havia diminuído e não estava fazendo frio e nem calor demais. Decidi, então, usar um vestido. 

Era um vestido pouco longo, de alças. Contendo um decote, nada vulgar, em estilo V. E o mesmo, era feito de um pano totalmente florido. Não, ele não é rodado, é integralmente liso. Para não parecer tão vulgar, ainda mais porque irei trabalhar, usarei um pequeno casaco laranja, sem mangas. Já vestida, penteio apenas meu cabelo deixando-o solto. Arrumo minha cama, pego meu celular e desço as escadas. 

Entro na cozinha tendo a vista de meus pais e Naomi à mesa. Naomi estava sentada sobre à mesa comendo seu café da manhã que minha mãe havia preparado, cereal. Meus pais estavam se alimentando também, havia muita coisa sobre a mesa. 

 

— Bom dia, família – falei ao adentrar o cómodo. Beijo na cabeça da minha filha e senti-me ao seu lado. 

 

— Bom dia, mamãe – respondeu Naomi. 

 

— Bom dia, filha – respondeu meus pais sorrindo gentilmente. 

 

— Não sabia que Naomi já estava acordada tão cedo – falei. Peguei um pão que estava na sacola sobre a mesa e coloquei em meu prato. Enchi um copo com suco de laranja. 

 

— A pequena está tão ansiosa para ver Jimin que acordou era seis horas – minha mãe falou sorrindo, olhando para a pequena. 

 

— Sério, filha? – perguntei. 

 

— Ya! – sorri envergonhada. — Sim, mamãe. Não vejo a hora para ver o tio Jimin e da um abraço desse tamanho nele – falou gesticulando seus braços em um arco grande. 

 

Gargalhamos juntos com a demonstração da pequena e não hesitei em lhe dar um beijo na bochecha. Minha filha é muito fofa. Por fim, seguimos nosso café da manhã em família em uma completa diversão e alegria. 

 

[Quebra de tempo]

 

Estamos seguindo caminho à casa dos Park's. Naomi estava em sua cadeira no banco de trás apenas olhando para a janela, acredito que a menor esteja bem ansiosa para ver o Jimin. Até mesmo eu estou. 

Depois de alguns minutos na estrada, chegamos à residência. Tirei Naomi de sua cadeira e ela logo correu para a frente da casa tocando a campainha em seguida. Quem lhe atendeu foi Maria, com um grande sorriso ao ver a pequena. 

 

— Naomi? – falou maravilhada pegando-a no colo. 

 

— Tia Maria – falou a pequena rodeando seus pequenos braços no pescoço da maior. Sorrio com a cena. 

 

— Olá, Maria. 

 

— Olá, minha menina. Como está? – perguntou-me colocando Naomi no chão. 

 

— Estou bem melhor. Onde está Jimin? – perguntei. 

 

— Alguém me chamou? – escuto uma doce voz se aproximar e quando inclino meu rosto para o lado vejo Jimin adentrar a sala com um sorriso lindo no rosto. 

 

— Tio Jimin! – falou euforica correndo até ele, que lhe recebeu com um forte, e pequeno dificultoso, abraço. 

 

— Ya! Que saudades que eu estava de você, pequena – falou ainda sorridente, após deixar a pequena no chão. 

 

Eu apenas observava tudo com um sorriso único em meus lábios. Meus olhos enchiam-se de lágrimas, lágrimas de alegria. Os dois juntos, os sorrisos em seus rostos, o jeito como eles conversavam, é linda a cena de Jimin com Naomi, pareciam até... pai e filha.

 

— Naomi, você quer brincar comigo enquanto a mamãe e o tio Jimin conversam? – falou Maria. 

 

— Mas, eu queria ficar mais com ele – falou com fazendo um pequeno bico. 

 

— Filha – me aproximei dela e fiquei de seu tamanho. — Mamãe não irá demorar, logo logo eu irei com o tio Jimin até você e Maria, ok? 

 

— Promete? – falou sorridente. 

 

— Prometo! 

 

— Promete, tio Jimin? – perguntou levando seu olhar para o maior a nossa frente. 

 

— Prometo sim, querida – respondeu. 

 

— Vamos!! – e saiu com Maria. 

 

— Está se sentindo melhor? Eu fiquei inteiramente preocupada com você – falei após as duas saírem. 

 

— Estou bem melhor. Ah... – parou de falar. — Soube pela minha mãe que ficou comigo o tempo todo, sério? 

 

— Ya! Claro que sim. Eu não queria sair do seu lado para nada, nem para ir em casa, descansar, beber água ou ir ao banheiro. Fiquei na esperança de que você acordasse.

 

— Eu nem sei como agradecer... Obrigada mesmo, ______. E, desculpas ter feito você passar por isso – falou envergonhado. 

 

— Que nada, Jimin. Eu prometi que estaria com você e vou continuar cumprindo – falei e sorri gentilmente. Jimin leva sua mão até a minha e por ali deixa. Ficamos alguns minutos nos encarando e meu coração logo perde o ritmo de batidas. 

 

Saímos de nosso transe quando Mi-rae desceu as escadas feliz ao me ver. 

 

— _____, querida. Que bom que veio – falou e me abraçou em seguida. 

 

— Bom dia, Mi-rae. Não deixaria de vim – sorri. 

 

— Trouxe a Naomi? – perguntou. 

 

— Sim. Ela está lá fora brincando com Maria. 

 

— Ah, sim. Bom, fique a vontade, irei falar com ela – falou. Mi-rae me abraça novamente e beija a cabeça do Jimin ao passar por ele. 

 

Trocamos sorrisos e, então, decidimos ir até elas. Não trocamos mais nenhuma palavra depois de nossa troca de olhares e aperto de mão que ocorreu minutos atrás. Meu coração perdeu o controle e um sentimento de euforia se fez presente. Sentimento esse que senti por Jungkook, quando estava apaixonada por ele. 

 

[Quebra de tempo]

 

Chegamos na área de lazer da grande casa dos Park's e lá estava Naomi divertindo-se muito com Maria. Mi-rae já havia saído para a empresa com seu marido, então, após ter se despedido de nós, ficamos todos na área de lazer. 

Maria teria que cessar a brincadeira com Naomi porque haveria de cuidar da casa. Pedi para lhe ajudar, mas a mesma recusou e pediu que eu ficasse com Jimin e Naomi. Então, aqui estou. Sentada em uma das cadeiras aqui na área de lazer, vendo minha filha e Jimin brincarem. 

Contemplar eles dois se divertindo era tudo que eu precisava ver. Jimin estava a ir atrás de Naomi apenas pressionando o botão da cadeira enquanto Naomi saía correndo pelo gramado. As gargalhadas, a felicidade deles, são as coisas mais essenciais que agora me pertence. Meus pais iriam amar essa cena deles dois juntos. 

 

— Cansei – escutei Jimin falar ofegante. Sorri e aproximei-me deles dois que estavam parados, um mais ofegante que o outro. 

 

— Cansou, filha? – peguei a menor no colo e vi que a mesma respirava com dificuldade. 

 

— Sim, mamãe. Tio Jimin é rápido com essa cadeira – falou. 

 

— Você também é bem rápida viu, pequena. Quase que não consegui alcançar você! 

 

Naomi gargalhou baixinho e coloquei a mesma no chão. 

 

— Bom, agora que as duas crianças estão cansadas que tal uma pausa? O dia hoje vai ser apenas de diversão, não queremos ninguém mais cansados, não é mesmo? – falei divertida. Jimin e Naomi me olharam sorridentes. Jimin parecia uma criança de cinco anos. 

 

— O que vamos fazer agora, mãe? – perguntou Naomi. 

 

— Hm... que tal assistirmos um filme? – sugeri. 

 

— Ótima ideia! – falou Jimin. Olhei para ele e assim que nossos olhares se encontraram, ele piscou com um sorriso no rosto. 

 

Minha respiração falhou, meu coração acelerou, borboletas no estômago se fez presente e logo me vi atraída em seu sorriso, em sua face única, em seus olhos castanhos. Logo me vi atraída por Park Jimin. 

Sorri envergonhada para ele, após perceber que já estava tempo demais o observando de boquiaberta. Entramos para a casa e Naomi foi direto para a sala escolher o filme. 

 

— ______ – chamou-me Jimin. 

 

— Sim? 

 

— Obrigada! 

 

— Pelo o quê? 

 

— Por ter entrado na minha vida – falou com um sorriso fofo no rosto e apenas deixou-me sozinha no caminho e seguiu reto até a sala. 

 

"Por ter entrado na minha vida". Essa frase vai se eclodir a partir de hoje, para sempre em minha mente. 

 

[Quebra de tempo]

 

O resto da nossa manhã foi divertido, nada de diferente. Depois que terminamos de assistir o filme, Naomi pediu para banhar porque estava um pouco suada da diversão mais cedo com o Jimin. Banhei ela e depois ficamos apenas na sala jogando conversa fora. Eu, Jimin e Naomi. Decidimos que iríamos à tarde no parque que há perto da casa deles, pois Naomi queria ver as flores e Jimin contemplar a vista, agora que entramos para uma nova estação de ano. 

Maria havia terminado o almoço e agora estávamos à mesa, todos sentados, saboreando mais uma delicia de comida que Maria prepara. Após terminarmos de comer, e Naomi, de ter escovado os dentes, ela perguntou onde poderia dormir porque estava um pouco cansada e não queria sentir sono quando fossemos ao parque. Jimin sugeriu que eu fosse colocar ela para dormir em seu quarto, assenti e depois logo o agradeci. 

Fui com Naomi até o quarto de Jimin e coloquei a pequena na cama. Sentei-me no chão ao seu lado até que a menor pegasse no sono.  

 

— Mamãe – chamou-me com os olhinhos fechados. 

 

— Sim, querida. Mamãe está aqui – respondi segurando sua mão. 

 

— Eu amo o tio Jimin e amo a senhora – respondeu e logo pegou no sono. 

 

Sorri abobalhada de amor depois de seu comentário e beijei sua testa. Soltei sua mão e saí do quarto com cuidado. Assim que sai do quarto percebi que a casa estava em um completo silêncio. 

Adentrei a sala vendo Jimin em frente ao sofá assistindo um seriado. Sentei-me ao seu lado no sofá. 

 

— Dormiu? – perguntou assim que me sentei. 

 

— Sim – sorri lembrando do que minha filha falou. 

 

— Do que está sorrindo? 

 

— A Naomi, ela disse que ama nós dois – falei com um sorriso fechado. Jimin logo se surpreendeu e sorriu. 

 

— Sua filha é um amor de pessoa, _____. 

 

Assenti orgulhosa. Jimin parecia querer falar algo para mim, percebeu sua inquietude. 

 

— Está tudo bem? – perguntei tocando sua mão. 

 

Jimin não me responde. Pega o controle e desliga a televisão. Ele suspira e logo pressiona o botão da cadeira ficando frente à mim. Sinto meu coração começar a bater mais rápido e logo fico surpresa com seu ato. Jimin continua sem falar nada, mas, em seus olhos... Nos olhos dele, eu conseguia enxergar dezenas de palavras mas todas eram indecifráveis. 

Jimin aproxima sua cadeira de mim a cada instante e quando não dá mais, quando sua cadeira já ultrapassou o limite para ficar a frente do sofá, ele inclina seu corpo para frente e por questão de alguns centímetros, não tão distantes, ele para e fica me encarando. Nossos olhares não se desvia em nenhum momento, o que agradeço. Porque mesmo que seus olhos nos deixam intimidados, eu não queria perder esse olhar por nada! 

Meu coração já não sabe mais que ritmo seguir, minha respiração vai diminuindo cada vez mais e sinto que estou prestes a gritar de euforia. Eu não sei o porquê estar sentindo isso tudo, será que meu carinho está se intensificando? 

 

— Jimin... o que você está fazendo? – perguntei gaguejando. Praguejo-me mentalmente por isso. 

 

— _______ – chamou-me com calma e sua voz estava suave, tão gostosa de ouvir-se. Se eu pudesse gravava um áudio apenas dele me chamando e colocava para escutar, durante uma hora. — Posso lhe pedir uma coisa? 

 

— Sim... 

 

— Desculpa estar pedindo isso, primeiramente. Mas, eu não consigo mais evitar! – assenti com um pouco de receio do que poderia ser. 

 

— Prossiga, Jimin – eu também já estava ficando ansiosa. 

 

— Você... _____, me beija! – pediu. 

 

Meus olhos logo se arregalaram e minha respiração falhou exatamente agora. 


Notas Finais


>> Ah... como é bom saber que a fic tem muito carinho. Vocês são incríveis!
>> Obrigada a cada comentário de vocês e favoritos, sem vocês não seria nada. Obrigada mesmo! Vocês são os melhores! Eu amo vocês!💘
>> Até o próximo, beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...