História Unforgettable - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Maite Perroni
Visualizações 244
Palavras 3.966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ignorem os erros e boa leitura❤

Capítulo 24 - "Friends? Ops"


                 Alyssa p.o.v


- Vocês são umas falsas! – quase gritei de tão irritada que estava. Coloquei os braços na minha cintura ainda sem acreditar naquele cena toda.

- Qual o problema? – perguntou Sam fingindo ser inocente, eu bem que suspeitei que isso estava estranho.

- O problema? – fui irônica e dei uma risada- pensei que fosse noite de garotas, mas você teve que chamar macho pra cá.

- Isso tudo é medo do meu irmão? – Julie perguntou um pouco baixo para os garotos não escutarem na área da piscina.

- Medo do seu irmão? Ah faça-me o favor, é apenas um idiota retardado e grosso. Não tem o porque ficar intimidada com sua presença.

- Caralho Aly, será que não pode simplesmente baixar a guarda? Vai ficar ignorando o cara pra sempre agora? -balancei a cabeça afirmando e ela bufou- quanta infantilidade.

- Infantilidade uma merda, vocês são umas idiotas que não podem ver um pênis. Pelo amor de Deus Sam, qual a necessidade de chamar eles?

- Minha querida tenho a absoluta certeza que sua implicância não é com eles, é com o Bieber. Não pode fugir dele pra sempre!

- Eu não quero olhar para a cara desse idiota, achei que fossem minhas amigas. Qual foi, ele pegou a minha meia irmã. Vocês sabem o quanto nos detestamos.

- Vocês não tinham nada. – concordei rindo sem gosto e desviei meu olhar para qualquer parte daquela imensa cozinha decorada.

- Ajudou muito! – mordi os lábios ainda sem encara-las.

- Eu sei que você gosta dele. – disseram juntas e riram por isso.

- Eu gosto do meu cachorro, minha relação com seu irmão é de ódio.

- Jura? – seu olhar malicioso era visível a qualquer um, foi até um pouco de sarcasmo de sua parte.

- E você não tem cachorro Aly! – a idiota cortou meu barato, mostrei o dedo do meio.

- Eu tenho sim! Mesmo que não veja muito Bob, ele mora no mesmo lugar que eu moro. Ou seja, também sou dona dele.

- Você consegue ser hilária e séria ao mesmo tempo, seria esse o seu novo modo de ser retardada? – tentou fazer piada porém odiei.

- Presta atenção, você não pode fugir dele pra sempre Aly. Então que tal fazer as pazes? Vocês podem ser amigos, promete que não vai dar um escândalo de ir embora.

- Olha cara, vocês vacilaram feio comigo...

- Por favor! – quem vê até pensa que Julie sempre era um anjo só por causa do seu olhar um pouco meigo. Bom, meigo quando ela queria conseguir algo. Suspirei aceitando a proposta das duas. Só amizade, mesmo que minha vontade fosse arrastar a cara dele pela rua e depois enche-lo de beijos.

- Tudo bem, mas sem forçar a barra comigo. – avisei, claro que tinha que deixar claro algo ali. Mexer comigo seria um problema sem resolução.

Elas pegaram as caixas de pizzas e as acompanhei até a área da piscina onde os garotos estavam em seus devidos colchonetes conversando e rindo de alguma besteira. Assim que nos viram chegar, dei um sorriso forçado ao perceber o olhar sério de Bieber sobre mim. E puta que pariu, aquilo foi tão sexy. Hoje não estava fazendo tanto frio assim como nos dias anteriores, era um frio suportável até. Usava uma blusa branca com short moletom vermelho um pouco colado ao meu corpo. Meus cabelos estavam soltos e não passei nenhuma maquiagem, ou ao menos um simples batom apenas para ocultar a feiura que tenho.

- Pensei que a marrentinha fosse dar um chilique maior, não se preocupe amor, ninguém aqui deu muita atenção para a conversa de vocês. – riu junto com Chris, só que Bieber permanecia em silêncio com seus olhos vidrados em mim, como quem estivesse assistindo sua série de TV preferida. Observava cada detalhe meu, digo isso porque eu também estava assim. Sam pigarreou tocando em meu ombro, despertei e desviei nossos olhares novamente.

- Nossa, você deveria ser comediante Ryan. Está aprendendo isso com Chris. Porquê você sabe, os dois são péssimos. – não deixei de soltar uma piada para rebater seu comentário idiota- e pra você é Alyssa.

- Pensei que fosse Aly. Não nos considera seus amigos? – dessa vez foi Chris com sua excelente ironia.- o único que não é aqui...

- Cale a boca. – Ju repreendeu seu romance proibido, era assim que denominava Chris. Fuzilei os dois querendo ter visão raio laser nesse momento apenas para mata-los com o olhar.

- Podemos conversar agora ou vai tentar fugir mesmo sabendo que não vai dar certo? – uh, essa me pegou de surpresa. Não podia fraquejar ou demonstrar o quanto ficava nervosa perto desse idiota. Logo todos os olhares estavam sobre mim, suspirei deixando todas as barreiras desabarem dentro de mim, toda minha defesa contra Justin Bieber se foi naquele momento.

- Uh, direto em. – Sam resmungou.

Mentira, elas se foram assim que trocamos olhares quando cheguei. Terei uma certa dificuldade em mantê-las novamente.

- Tudo bem. – aceitei na boa, ok, só tinha que ser amiga dele e pronto, tudo resolvido.

Ele me puxou pela mão causando um choque no meu corpo, não esperei por isso. Separei nossas mãos nervosa e o acompanhei para o outro lado da piscina, sentamos na grama. A lua estava brilhante e bonita, deixando a noite perfeita. Seria melhor se fosse outra companhia, no fundo, estou com a pessoa certa.

O silêncio reinava entre nós, mas sei muito bem que Justin não era um cara tímido, era direto e persuasivo. Aquilo me deixava maluca por ele. Talvez estivesse procurando as palavras certas para dizer.

- Olha, nem sei porque estou dizendo isso. Mas, desculpa. Eu não sabia que Jenny era sua irmã. Na verdade não estava em sã consciência pra isso acontecer...sempre deixei claro que não quero nada com ela. – dei uma risada irônica.

- Ah, quer mesmo que eu acredite nessa história. Não precisa pedir desculpa, não tínhamos nada. – nunca imaginei que um dia essas palavras doeriam tanto como agora. Se alguém do futuro viesse me avisar que semanas depois me apaixonaria pelo Bieber, tentaria evitar o máximo que pudesse conhecê-lo.

- Quero que acredite em mim, detesto mentiras. – encarar aqueles olhos penetrantes estava sendo difícil, me intimidava.

- Eu...eu não sei o que dizer. – logo pude sentir suas duas mãos na minha. Droga garoto, por que insiste tanto em mexer comigo? Um simples ato que balançou meu psicólogo por completo.

- Me afastei dela. – seus lábios convidativos em frente aos meus, oh shit, só poderia ser tentação. Nunca imaginei que ia ficar assim por algum cara.

- Não precisa fazer isso, uh...vocês são amigos. – aquela tentativa de não demonstrar nervosismo também sumiu. Estava totalmente entregue a ele.- meus problemas...- seu dedo calou meu lábio.

- Você é mais importante que ela.

Porra, agora fodeu tudo. Abaixei a cabeça constrangida, mas seus dedos foram até meu queixo levantando meu rosto me fazendo encara-lo.

- Não pode fingir que não tivemos nada, sabemos muito bem que sim. – seria algum tipo de jogo contra mim?

- Bieber, sabemos muito bem que você não é flor que se cheire. Além de evitar relacionamentos, não conte mentiras a si mesmo quando a verdade está estampada nas suas atitudes. Seria uma mentira se eu negasse, tivemos sim algo. Uma leve atração passageira e meu bem, isso não é o suficiente pra mim. Não sou de me contentar com o pouco e percebo que é só isso que tem a oferecer pra mim. – sorri encarando sua expressão tentando imaginar o que se passava na sua cabeça nesse momento.

- Oh shit. – murmurou sem saber o que dizer, provavelmente sem saber o que dizer. Mas aquilo com certeza era uma dúvida, assim como eu o garoto sempre tinha uma resposta. Éramos um tipo de calculistas. – Você tem razão em apenas uma coisa. Não sou de entrar em relacionamentos e também acho muito cedo para falar sobre isso. – nunca imaginei que veria Bieber tão nervoso falando de relacionamento, eram tantos traumas assim? Sorri contra gosto.

- Isso foi só um exemplo, não quero me envolver com você. É o tipo de cara que me enche de dúvidas, eu nunca sei quando você tá me levando a sério. O melhor é a gente ser só amigos mesmo e esquecer tudo que aconteceu. – engoli em seco cada palavra dita por mim. Era o melhor a se fazer.

- Tudo bem. – nunca detestei tanto essas palavras como agora. Eu queria que ele insistisse e provasse o contrário, que queria tentar comigo e fazer dar certo. Desejei tanto que acabei me decepcionando ainda mais por palavras não ditas por ele.

- Então, amigos agora? – forcei um sorriso de lado e ele assentiu sorrindo forçado também.

- Amigos. – respondeu.

Amigos o caralho, que ódio desse idiota. Como pude me apaixonar por esse lesado do caralho. Ele só queria me pegar.

Depois disso levantei da grama indo em direção aos outros e o idiota me acompanhou. Queria socar sua cara perfeitinha que chegava a me irritar com tanta perfeição.

- Pararam com essa palhaçada agora? – sua irmã perguntou rindo, sentei no meu colchonete comendo um pedaço de pizza. Não ousei em encarar Justin mais, era uma fraqueza minha.

- Vamos ficar parados aqui comendo pizza? Se isso é algo legal, prefiro ficar no meu quarto quentinho assistindo netflix.

- Mano, tu não consegue ficar um segundo sem reclamar, incrível isso. – o nojento do Ryan disse.

- Reclamo quantas vezes eu quiser Ryan Butler, não sei como sua namoradinha te aguenta. São dois chatos mesmo. – bebi o refrigerante de coca que estava sobre a mesinha no chão.

- Calem a boca. – Julie disse estressada de boca cheia. Fiz cara de nojo, então deitei no colchão ficando por dentro das cobertas.

- Não acredito que já vai dormir! – quase gritou histérica, revirei os olhos encarando o céu estrelado.

- Só estou observando as estrelas. – disse simples sem desviar o olhar para encara-la.

Era incrível como o céu estava bastante estrelado, o que deixava tudo mais bonito por conta da lua. Sempre fui o tipo de pessoa que adorava observar o céu estrelado em uma noite qualquer e refletir sobre a vida, aquilo de fato me dava uma sensação de alívio.

Peguei meu celular no bolso e coloquei uma música de Cashmere cat.

- Vamos jogar verdade ou desafio. – não foi bem uma pergunta vinda de Chris. Isso não ia prestar.

- Estou fora. – falei antes que viessem com coisa comigo.

- Todos vamos. – riu maliciosa pra mim. Vadia, filha da puta! Parei a música no celular e sentei no colchão.

- Vamos primeiro jogar “eu nunca ou eu já”. – encarei confusa essa ideia de Julie. Estava por fora desses assuntos malucos de bêbados.

- Boa ideia, até secar essa garrafa de tequila que os meninos trouxeram, vou pegar os copos e alguns limãos.

Lembrei aquela bebida amarga que desceu rasgando minha garganta e fiz careta, estavam falando dessa mesmo.

- Como é esse jogo? – perguntei assim que Sam saiu dali praticamente correndo. Bêbada safada.

- Alguém fala algo e quem já tiver feito bebe um pouco de tequila com limão.

- Pois nunca vou chegar a beber, vocês são nojentos. – na verdade eu não era nenhuma santa, só que comparada com eles...sim, eu era uma santa.

Sam apareceu com sete copinhos e alguns limões em um recipiente de vidro, um copo tinha um pouco de sal. Colocou sobre aquela mini mesa ao redor da bebida e um Peguei o meu copinho e alguém se pronunciou.

- Eu começo! – Julie disse.- Eu nunca transei com alguém. – pude perceber seu irmão ficar incomodado ao ouvir sua irmã mais nova dizer essas palavras. Então os três rapazes e a vadia da Sam encheram seus copinhos e beberam aquela bebida após chupar os limões com sal.

- Tá vendo, não vou beber nada hoje. – dei-me por vencida e eles riram.

- Agora sou eu! – Chris se pronunciou.- Nunca peguei alguém pensando em outra pessoa.

Peguei o copinho e enchi junto com Sam, Ryan e Justin. Nem fiz questão de encara-los, fiz o mesmo que eles e depois uma careta surgiu no meu rosto.

- Por que não trouxeram um refrigerante? Caralho, que negócio ruim. – mostrei a língua e Justin riu.

- Refrigerante é pros fracos. – falou tentando ser engraçado.

- Engraçadinho. – disse sem olhar pra ele.

- Julie é a única que não vai beber em. – Sam disse rindo.- Nunca me masturbei pensando em alguém. Na verdade é mentira, então vou beber também porque amo tequila.

Justin, Ryan, Chris, Sam e até mesmo Julie beberam tequila. Eu fiquei boiando perto dos punheteiros e das duas dj.

Justin estava fuzilando sua irmã com o olhar. O que me fez rir muito alto. Até que era fofinho esse ciúmes, quero ver o que ele vai fazer com o Chris.

- Justin é o pior, até agora nunca ficou sem beber. – eu disse.

- Pra mim não faz um pouco de diferença. – disse.

                     Justin p.o.v


Não tinha mais como negar, ela mexia comigo de uma forma que ninguém jamais fez e isso me deixava nervoso, sem saber o que fazer. Faz um bom tempo que não me envolvi dessa maneira intensa com alguém. Aly era misteriosa e seu olhar superior demonstrava o quanto era um desafio conquista-la. Eu poderia simplesmente insistir e pedir para nosso lance, sei lá o que é...continue. Ainda não era o momento certo de entrar em relacionamento sério, era frustrante pra mim. Só que porra, eu queria ela só pra mim. Vê-la assim livre me deixava maluco, porque ela é linda e com certeza não tem só eu na fita.

Aquilo estava tenso demais, nervoso seria pouco para definir como estou. As vezes me considerava um covarde por deixar meu orgulho falar mais alto que o meu coração. Minha mente me deixava na defensiva e meu coração, droga, se dependesse dele eu já estaria agarrando ela agora mesmo.

- Sua vez Bieber. – Sam disse me fazendo despertar dos pensamentos confusos que se passavam na minha cabeça.

- Eu nunca parti o coração de alguém. – respondi sincero, isso nunca tinha acontecido. Pelo menos até agora. Aly começou a rir e a encarei sem entender, logo todos beberam mais uma dose de tequila.

- Essa foi sem graça, agora sou eu. Eu nunca me apaixonei. – sorriu como se estivesse dizendo algo glorioso e suas amigas começaram a rir sem parar, e claro que Aly fez uma careta fuzilando as duas.

- Acho melhor você beber para não pagar mico Aly, sabemos que isso é mentira. – Julie continuou rindo como se fosse a piada do século.

- Vadias, idiotas. – resmungou, então todos -incluindo Chris- beberam mais uma dose de tequila com sal e limão.

- Essa é nova pra mim, nunca pensei que o pegador Chris já se apaixonou. – não pude deixar de comentar a minha observação o fazendo rir nervoso.

- Tá bom, já chega! Vamos verdade ou desafio agora. – Sam interrompeu mudando de assunto. Assenti concordando.

- Ótimo, assim não vou ser obrigada a beber como uma alcoólatra igual vocês.

- Hoje a Aly está toda santa, vamos ver até onde isso vai. – riu maliciosa encarando sua amiga.

- Não adianta querida, vou escolher só verdade.

- Não mesmo Aly, assim o jogo não tem graça. Você tem que agradecer muito que trouxeram bebida, senão teria que tirar roupa.

- Olha...-arregalou os olhos assustada e eu ri- até parece que eu ia ficar nua na frente desses tarados, você namora Sam, por favor se dê respeito. Vocês dois não prestam mesmo. – resmungou a última frase.

Quando a bebida acabou colocamos a garrafa sobre a mesa e eu girei.

- Verdade ou desafio? – Ryan perguntou para Julie, já que parou neles.

- Verdade. – sorriu nervosa observando cada ação do Ryan.

- É verdade que quando você mudou de colégio, meio que se vingou das líderes de torcida da antiga escola? Cortando todas as roupas que elas usavam no vestiário. – prendi o riso ao ver minha irmã corada.

- É verdade, aposto que meu irmão saiu fofocando.

- Na verdade foi a Sam. – riu.

Julie girou a garrafa parando em Chris e eu. Ele ia fazer merda.

- É verdade que já deu mais de dois fora em Jenny e que ela não te excita em nada? – as garotas riram e Aly estava sem graça.

- Verdade. – disse e ouvi um “huuuuum”. Falei isso olhando nos olhos de Aly. Meu olhar a deixava intimidada.

- Ela é gata, só que é puta. Fico com a minha morena peituda. – Sam brincou recebendo um tapa da amiga.

Girei a garrafa e aquilo me deixou curioso por tanta demora. Parou em Sam perguntando para Aly.

- Verdade ou desafio? – perguntou sorrindo.

- Desafio! – respondeu firme e confiante. Sam tinha um olhar malicioso e suspeito. Ela conseguia ser pior que Chris, isso não é surpresa. Ela é namorada do Ryan! Só poderia esperar o pior.

- Certeza mesmo? – refez a pergunta e tinha certeza que ia dar merda.- Não pode mudar de resposta. – Aly assentiu com a cabeça reafirmando novamente.

- Manda.

- Vai masturbar o Bieber no quarto de hóspedes. – Aly riu nervosa.- Até ele...- Aly interrompeu.

- Ah, mo...QUE? – berrou- você...você só pode está brincando com a minha cara. – todos estavam nos encarando com olhares maliciosos esperando por alguma resposta. Até eu estava nervoso agora, mesmo com uma imensa alegria percorrer por dentro.

- Perguntei duas vezes se queria desafio, você sabe que não pego leve. E tem que ser até ele...

- Me poupe Samanta, você vai se foder quando chegar na sua vez. Ok, vamos lá.

- Porra mano, não goza rápido não. Não me faça passar essa vergonha...

- Sai fora Chris, tá me estranhando. – dei um soco em seu braço.

Aly nem olhou na minha cara e saiu da área da piscina, apressei os passos e puxei seu braço assim que chegamos na escada. E juro que pude ver suas bochechas avermelhadas.

- Sabe que não é obrigada a fazer isso, se quiser posso dizer que...

- Relaxa, eu quero fazer e vou fazer. Cumpro com minha palavra. – aquelas palavras mexeram comigo e já imaginei nós dois...esquece.

Subimos as escadas em silêncio e entramos no último quarto no corredor. O corredor tinha led roxo e vermelho, deixando tudo um pouco escuro.

Aly fechou a porta e trancou com a chave, sentei na cama de casal. Ela caminhou nervosa até a mim e sentou do meu lado.

- Olha, eu nunca fiz isso em ninguém. Você vai ser o primeiro. – espero que eu seja o último também.- então temos que está...com um clima melhor. – gaguejou tentando não me encarar, estava tão vidrado em seus olhos que não percebi quando seus lábios atacaram os meus.

Estava com tanta saudade dos seus lábios e senti-los assim causou uma reação diferente no meu corpo. Era um beijo quente repleto de desejo, nossas línguas se chocavam com tanto fervor e suas mãos desceram pela minha nuca e eu já estava deitado na cama. Nossos lábios se separaram e eu já estava ofegante, Aly mordia seus lábios excitada. Percebi que ela estava sentindo o mesmo que eu. Aquela garota me deixa maluco.

- Oh, então vamos logo com isso. – suas mãos tremeram ao abrir meu zíper. Meu amiguinho já estava ereto desde o começo do beijo. A mão quente de Aly me fez arfar um pouco com o toque.

- Não precisa ficar nervosa. – ela me olhava aflita e seus lábios estavam bastante avermelhados por apertar tanto. Aquilo era definitivamente bastante sexy.

Sua mão começou com um leve “vai e vem” e dessa vez eu estava mordendo os lábios. Em poucos segundos seus movimentos eram rápidos e precisos. Até parece que não é a primeira vez que estava fazendo isso. Nossos olhares estavam conectados profundamente. Ela estava gostando daquilo tanto quanto eu.


                Alyssa p.o.v


Provavelmente me arrependeria disso depois e ainda xingaria Sam todos os dias por me fazer passar por isso. Mas eu queria muito, isso não tinha como negar. Ao tocar em seu pênis rosado e petrificado, engoli em seco. Pude sentir minha intimidade ficar molhada e o bico dos meus seios se enrijecer. Aquilo mal cabia na minha mão e segui meus instintos, comecei com movimentos lentos e depois aumentei a velocidade.

Ele era tão gostoso, porra. Ver aquela carinha de quem estava morrendo de tesão por mim me deixava maluca, completamente maluca. Seu olhar em mim deixava tudo ainda mais excitante. Seu pênis deslizava sobre minha mão rapidamente e nunca gostei tanto de mover as mãos como agora. Então sem pensar duas vezes afastei meus cabelos para trás dos meus ombros e passei a língua sobre a cabecinha do seu pênis molhado.

Justin se contorceu na cama com meu toque, então girei a língua sobre a cabecinha rosada e sem pensar duas vezes, coloquei lentamente seu pênis dentro da minha boca. Ainda assim não coube tudo na minha boca, oh shit.

Não conseguia controlar meu corpo, ele estava traindo minha mente. Quando me dei conta já estava chupando seu pau sem parar, como uma ninfomaníaca que já tinha costume em praticar boquete. Mas era a primeira vez que fazia aquilo, evitei o máximo não usar os dentes. Sempre soube que isso era constrangedor e bem, isso deu certo.

Estava tão excitada que meus olhos se fecharam automaticamente me entregando completamente ao momento.

- Rápido querida...uh...- gemeu com sua voz extremamente rouca, que homem do caralho é esse.

Assim fiz, aumentei o ritmo e Justin segurou meus cabelos os puxando em seguida.

- Estou quase lá...oh Aly.

Tirei seu amiguinho da minha boca e lambi a cabecinha novamente.

- Não precisa fazer isso. – disse ofegante e o encarei sem entender, logo me toquei sobre o que ele estava falando.

Então colocou sua mão sobre o pênis e gozou, afastei sua mão e lambi seu membro limpando toda extensão com algum resquício de gozo.

- Porra, eles estão se fodendo dentro desse quarto. Já se passou 30 minutos. – Sam gritou batendo na porta.- Ainda vamos continuar o jogo.

Nesse momento dei um pulo da cama e minhas bochechas estavam vermelhas. Que porra foi essa que aconteceu?

- Se veste. – murmurei ao vê-lo deitado na cama acabado. Também né.

Ajeitei meu cabelo que estava bagunçado, limpei minha testa suada e verifiquei se estava tudo ok na minha roupa. Sem falar com Bieber abri a porta do quarto. Nunca mais queria vê-lo, com a vergonha que estou. Quero sair daqui embora correndo! Mudar de cidade e até mesmo de país.

- Como foi lá? – Sam perguntou com um sorriso malicioso no rosto. Não tive a coragem de olhar na cara dela.

- Uh...foi...- gaguejei nervosa sem saber o que dizer, o que mesmo eu poderia dizer? Nossa foi maravilhoso, ele é tão gostoso que não pude conter em prova-lo. - foi péssimo, eu não sei fazer isso.

- Relaxa, com um tempo você aprende. Uma hora vai levar jeito pra coisa, na primeira vez que fiz isso também não foi legal. – concordei com a cabeça e desci as escadas rápido.

- Hum. – eu disse.

- Foi tão ruim assim mesmo em, o Bieber ainda não saiu do quarto. Você não deixou o cara sem pênis né? – a encarei assustada.

- Posso ser inexperiente, mas não uma retardada assim.

- Isso aí minha garota.

Voltamos para área da piscina e os dois rapazes junto com Julie me encararam curiosos.

- Foi tão ruim assim? Pela sua cara acho que foi. – Chris disse e logo riu junto com os outros.

- Não acredito que o Bieber teve ejaculação precoce com você.

- Credo, nunca mais toco na sua mão Aly. – Julie avisou.

- Gente, não quero mais falar sobre isso. – disse sentando em cima do meu colchão. Vou escovar muito os dentes, tipo umas dez vezes ou mais.


CONTINUA 



Notas Finais


Desculpem a demora meus amores, mas ai está mais um capítulo da fanfic. Com esse capítulo inesperado, espero que comentem...por favor❤
Cada comentário é importante, leio e respondo todos.❤
Até o próximo capítulo❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...