1. Spirit Fanfics >
  2. Unforgivable Alpha >
  3. 06

História Unforgivable Alpha - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - 06


- Senhor vejo que tem mudado um pouco... Achou algum parceiro a sua altura? - perguntou um dos meus subordinados e sem o respondê-lo apenas olhei com reprovação.

 

- Não acha que já está falando demais? Ou terei de explodir sua cabeça? - questiono vendo que ele apenas se virar percebendo que meu humor estava igual minha paciência, zero.

 

Deixando isso de lado apenas fui ao meu quarto trocar de roupa deixando o Seok para trás, assim poderia conversar e planejar algo para ganharmos essa luta.

 

Entrando no cômodo fechei a porta e andei em direção ao meu guarda-roupa abri as portas, logo pegando um terno no tom preto. Não demorou tanto para vestir, já que era fácil e eu não estou muito afim de usar gravata, então assim que acabei fui ao espelho terminando e analisando.

 

- J-jungkookie... - escutei uma voz mansa me chamar e sabia quem era... Park Jimin, só não estou entendendo o motivo de ele estar desta forma, seu cio está fraco.

 

- O que deseja? Eu não te disse para ficar em seu quarto? - questiono ainda olhando no espelho até que senti seus braços envolverem minha cintura e suas mãos irem até meu peitoral.

 

- Você vai ficar bem alfa? - perguntou e na mesma hora me virei olhando para o mesmo totalmente confuso pelas suas atitudes, até que vi sua íris está completamente nublada.

 

- Você não me odiava ômega? Porque se preocupa com isso? Coisa ruim não morre cedo, pode ficar despreocupado - digo e o retiro de perto de mim, mas Park apenas me empurra na cama me fazendo ficar sentado e seu corpo rapidamente ficou bem próximo do meu.

 

Suas pernas alcançaram a cama colocando seus joelhos no colchão e suas mãos foram até meu pescoço. Aquela bunda enorme pressionou meu pau enquanto seus olhos me analisava com um certo desejo.

 

- Porque diz ao contrário do que já tem a certeza? Seja destinado ou não, você é meu alfa e sempre vai ser - disse com um sorriso de ladinho e o olhei com um certo deboche.

 

- Não sei qual dos dois é o mais impressionante o pior que sua personalidade é o que está ocultado dentro de Park, incrível em?! - nego com a cabeça rindo e o olho totalmente sério - Se não tem mais nada a dizer pode sair de cima de mim, não sou nenhum banco pra que fiquem sentando onde quer e quando quer - digo e o vejo se aproximar um pouco mais me ignorando.

 

Sua boca formou um enorme sorriso como se aquilo tudo que disse não fosse nada mais que uma diversão para seu lobo. Senti sua destra vagar de meu pescoço para minha bochecha logo seu polegar pressionou meu lábio inferior alisando e me observando.

 

- Estarei te esperando, meu querido e amado alfa, aceite seu ômega, é melhor do que ficar fugindo da realidade - seus lábios foram de encontro aos meus iniciando um beijo devagar e quente.

 

Minhas mãos foram para suas nádegas enormes que fiz questão de cravar meus dedos em sua pele e intensificar ainda mais nossas bocas. Estava ficando muito mais excitante e não sabia o que fazer se eu perdesse minha sanidade totalmente, então apenas me afastei um pouco para finalizar.

 

- Me espera chegar, irei te dar mimos, tudo bem? - sorrio fraco e o mesmo assente me dando alguns selares em meu rosto e em meus lábios - Quando der meia noite te quero aqui no meu quarto se não conseguir ficar acordado até lá, eu te busco no seu quarto, se comporte ok? - dou um selinho pegando o mesmo em meu colo e saindo de meu quarto.


Até Park consegue ser dominado pelo seu lobo, inacreditável.

Assim que abri a porta e sai do cômodo apareceu um cara em minha frente apontando uma arma para mim. Novamente esses empregados não sabem o que fazem e não tem medo da morte.

 

Suspirei fundo e agarrei mais forte o Jimin entre meu corpo, já que seu rosto estava grudado em meu pescoço. Quando o tiro foi disparado desviei rapidamente e corri em sua direção e foi em questão de segundos. Dei um chute acertando o peito do pé em seu pulso o deslocando e fazendo a arma cair, mas antes de ela ir pro chão a peguei girando meu corpo e acertando o cano do objeto em sua bochecha assim desparando o restante das balas.

 

- S-Senhor Jeon? - chamou Jimin e eu apenas coloquei minha mão sobre sua cabeça para que não levantasse - O que aconteceu? Eu acabei adormecendo - perguntou um pouco confuso.

 

- Pode voltar a dormir anjo - vejo Seok rapidamente subir as escadas e eu apenas o mandei ficar calado sem dizer nada.

 

O Kim se aproximou e retirou seu jaleco para tampar o corpo do meu ômega, a intenção foi boa, mas nada agradável, irei deixar apenas para o levar de volta ao quarto, não quero ter que sentir outro cheiro de alfa em algo que me pertence.

 

- Chefe... - escutei a voz de Taemin soar desesperado, me virei para o mesmo e na mesma hora dei um soco em seu rosto com a feição nada boa.

 

Seu corpo foi direto para o chão e antes de fazer mais alguma coisa senti o Park remexer, então apenas passei pelo ômega caído entrando no quarto de Jimin e o colocando na cama.

 

Talvez o estresse deve ter o cansado, mas percebi que estava bem confortável e calmo, isso até que me deixou um pouco mais tranquilo. Em seguida retirei o jaleco de Seok e aproximei meu rosto do corpo do menor tentando sentir se tinha outro cheiro, mas não tinha.

 

- S-Senhor me perdoa... - pediu o Lee.

 

Não estava com um bom humor, mas não iria o matar, ainda mais com o Jimin aqui, então apenas virei meu rosto depois de ter coberto o corpo do pequeno e andei até o meu subordinado que estava ajoelhado com a cabeça no chão.

 

- Não é difícil cuidar de um ômega, se eu chegar e vê-lo vestido desse jeito fora do quarto, eu te deixo paraplégico. Não deixe ninguém desta casa conversar ou trocar informação, estou te observando se algo acontecer com este ômega ou encontrar qualquer coisa anormal no corpo dele, você será um homem morto, está me entendendo? - questiono e o mesmo assente rapidamente.

 

- Farei tudo certo Senhor, obrigado por me perdoar - pediu e eu apenas peguei o jaleco do Seok, me afastando dos dois e saindo do quarto, em seguida fechei a porta e voltei para meu mordomo jogando a blusa para o mesmo.

 

Sem muita demora desci as escadas com minhas mãos em meus bolsos da calça olhando para cada um deles conversando entre si e assim que acabei com os degraus me aproximei escutando cada palavras deles e analisando o plano.

 

Parece que alguém fez questão de invadir uma de minhas empresas fingindo ser um dos meus funcionários.

 

- Estou vendo que terei de voltar para a empresa não é mesmo? - pergunto e os mesmos calaram na hora, dava para sentir aquele medo que cada um transmitia.

 

É como os animais, o chefe é o que comanda e o único ser forte se nomeia como dominante e eu sou dessa raça, apesar de estar na extinção não pretendo morrer agora, não depois de acabar com esses filhos da puta.

 

Desejo vê cada sangue derramado do restante de minha família, não bastou ter matado meus pais, agora eu preciso acabar com minha tia e meu primo e desta vez será a primeira caça. Entregarei a cabeça de seu filho como presente e assim terei sua revolta e também a sua morte em minhas mãos.

 

- Chefe foi culpa minha, desculpa - disse o beta e eu andei até sua frente o olhando vendo cada parte de seu corpo tremer.

 

- Vou perguntar uma coisa para vocês - digo segurando em seu braço tirando de minha frente e sentando na poltrona. Cruzei minhas pernas, em seguida apoiei meu cotovelo no braço do móvel - Por qual motivo vocês me seguem? - pergunto e na mesma hora Hyejin responde.

 

- Quando estava sendo violentada por outros alfas na rua, o Senhor me salvou e me acolheu, por isso minha vida agora o pertence - disse a alfa e então meu mordomo foi o próximo.

 

- Mesmo eu sendo alfa sofria agressões e abusos sexuais em minha casa e na rua, então por incrível que pareça o senhor deu um jeito e também me acolheu, me ensinou o que era certo e errado e é por isso que estou aqui ao seu lado - disse Seok sem nenhum problema de se expor.

 

- O senhor me ensinou o que era uma família, mesmo que somos um grupo de empresários também nos tornamos alguém capazes de te ajudar e sermos os melhores do mundo a melhor gangue e isso me trás orgulho do que sou. Apesar de ter visto meus pais serem mortos em minha frente, tive a coragem e força de matar cada um daqueles caras sozinho e quando estava a beira da morte o chefe me deu novamente uma casa, pessoas em que posso confiar e cuidar e é por isso que estou aqui do seu lado - disse Jackson com um sorriso enorme no rosto.

 

- Quando era mais novo, minha mãe e meu pai fez questão de me colocar em um leilão para ser vendido e por sorte foi pelo Senhor, naquele dia tenho certeza de que viu algo que ninguém nunca viu e é por isso que tenho orgulho de estar aqui - respondeu Sehun seriamente e então agora chegou a vez do Beta que fiz questão de deixar ele cuidando da empresa para mim.

 

- E-eu mesmo sendo salvo também pelo chefe não cumpri o meu dever, não sou tão capaz assim como o Senhor e eu falhei, me perdoe - pediu um pouco hesitante e com medo.

 

Continuei ainda calado sem o responder, mesmo não estando com tanta vontade assim de ser compreensivo ou bonzinho demais, eu iria o perdoar apenas agora, mas um chefe nunca deixa nada passar ileso.

 

Levantei da poltrona indo em sua direção e segurei fortemente os fios de seu cabelo escutando um gemido de dor soar de seus lábios.


- Espero que não faça novamente, vocês sabem que mesmo eu ter salvo tenho coragem de tirar suas vidas, me conhecem e deixei claro exatamente tudo, se tem amor a suas vidas, façam seus serviços direito, não são crianças mais para eu cuidar ou olhar - digo frio e ríspido - Vocês me entenderam? - pergunto e todos assentiram - Ok, agora vamos logo resolver este problema - solto o cabelo do Beta e me afasto daquela roda indo em direção da porta da sala.

É hoje que meu estresse será consumido pelas mortes desses fracotes, não irei dar as minhas caras de primeira, mas vou dar um jeito quando precisarem de mim.

8 horas depois

Ainda estávamos investigando o local, não tinha 40 pessoas como Seok havia falado, eles estavam tentando criar uma emboscada, porém fui mais esperto que esses imbecis, consegui acabar com a farsa e matar todos.

Entretanto, algo estava acontecendo pois minhas costas não parava de arder, cansado dei meia volta correndo até meu automóvel e em segundos subi colocando o capacete, liguei e dei a partida.

Não demorou tanto a chegar na rua de minha casa, só havia um porém, mais de cinquenta caras estranhos estavam na porta, só que como sou um homem de sangue, apenas acelerei a velocidade e antes de chegar pulei em cima da moto e com a agilidade que tenho e força, a peguei dando um mortal e jogando em cima dos caras.

Assim que iria cair no chão dei uma cambalhota tirando duas armas de minha cintura e atirando em todos os caras que estavam por perto.

Me livrando de quase todos, a dor começou a ser mais intensa e isso estava me deixando louco. Sem demora comecei a correr para dentro de casa e como meu quarto ficava no segundo andar aproveitei para dar um salto na janela de meu escritório.

Atirei no objeto quebrando algumas partes e com o restante entrei com meu corpo. Soltei as armas de minhas mãos por estarem sem balas e em segundos fui até o quarto de Jimin.

Assim que abri a porta me deparei com Taemin inconsciente no chão sangrando e um alfa pronto para abusar de meu ômega, sem delongas fui até o mesmo segurando em seu pescoço e jogando para fora do cômodo.

Andei até o cara e o vendo no chão sorri de canto pisei no mesmo local com uma certa brutalidade que o vi perder todo ar e tossir sangue.

- Espero que goste de sua morte, porque ela vai ser de doer - gargalhei e continuei a esmagar como louco, porém senti os braços de Park se envolverem em minha cintura e apertar bem forte.

Seu choro era auditivo, mas ele ainda continuava a me abraçar como se estivesse pedindo para parar, então me afastei daquele corpo e me virei para o pequeno.

- Já passou, pare de chorar - digo colocando minhas mãos sobre suas bochechas e limpando suas lágrimas.

- N-não quero... dormir sozinho... fica comigo hoje por favor? - pediu ainda com os olhos fechados chorando desesperado.

- Vou ficar com você meu bebê, venha... - o chamei pegando em sua mão e o levando até meu quarto.

Aquela vagabunda me paga, vou persegui-la até no inferno e terei o prazer de acabar com sua vida com muita tortura e sofrimento.

- Iremos para um hotel distante dormir lá, tudo bem? - digo para o pequeno e o mesmo concorda ficando um pouco mais calmo - Não se preocupe de agora em diante você andará ao meu lado e aí de encostarem um dedo em ti - abro o guarda-roupa e pego um conjunto de moletom para ele vestir.

Nunca fiquei com tanta raiva igual agora puta que pariu. Quer saber foda-se.

Peguei no braço de Park, logo em seguida o prenssei na porta do móvel e sem demora iniciei um beijo bem intenso. Meus dedos cravaram em sua pele apertando fortemente e meu corpo colou no mesmo.

- Preciso tirar esse cheiro horrível de outro alfa, não suporto isso - digo assim que me afastei de Jimin por um momento - Você me pertence Park Jimin e ninguém o tomará de mim, você é totalmente meu tanto seu corpo e sua alma, elas estão nas palmas de minhas mãos. És meu ômega, apenas meu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...