História Único ômega - Mitw - Capítulo 31


Escrita por:

Visualizações 288
Palavras 973
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 31 - Primeiro encontro... Finalmente


Capitulo 31

07/07, 19h30min, Wixom - Michigan.

Logan aproveitou a oportunidade e atravessou o corredor enquanto a recepcionista estava ausente, tentou ser discreto e ao mesmo tempo rápido para chegar ao quarto de Marilia, durou 10 minutos a caminhada até o quarto 114. A porta estava aberta e Logan checou se havia alguém por perto, depois ficou ali encarando a mulher com ódio, pela sua cabeça apenas passava as lembranças dos horrores que ela havia feito, da morte que ela causou e que deveria ser paga pela mesma moeda. As dúvidas sumiram e decidido Logan deu o primeiro passo para entrar no quarto, olhou para o rosto pálido e seco de Marília.

- Desgraçada. - Disse soltando o ar que não havia percebido ter trancado. Seu olhar virou para as máquinas que permitiam Marília continuar com vida repensando novamente no que iria fazer.

- Logan, certo? - Disse o homem incerto, Logan virou-se um tanto assustado e viu o médico de alguns dias atrás, Diego. 

- S-sim. - Respondeu. 

- Esta aqui pela notícia? - Logan ficou confuso. - Sabe, liguei para Mickhael hoje, acho que ele ainda não disse que ela acordou hoje à tarde, estava confusa e teve um ataque do pânico o que resultou em uma probabilidade maior de que... Ela não resistirá muito tempo. - Um certo alívio posou em Logan.

- Diga com total sinceridade... Como ela estava? - O médico respirou fundo.

- Assim que acordou deu gritos, sofridos, ficou realmente desesperada quando percebeu que não conseguia se mexer, ela tentou se mexer e isso causou algumas lesões e alguns pontos foram abertos, perdeu muto sangue e seu estado mental parece estar bem afetado... Com sinceridade, não penso que ela irá viver mais que alguns dias se continuar assim. - Isso soou como uma ideia na cabeça de Logan, deixá-la se matar por si só. Ele realmente pensou que estivesse sendo cruel e frio, porém não poderia perdôa-la depois de tudo. 

- Entendo... Acho melhor eu voltar para casa, doutor. Obrigado por me avisar.

Alguns dias depois...

Assim como o médico havia dito, Marília não teve muito tempo, além de seu tempo ter sido sofrido e duro por se ver sem movimento, sem o dinheiro que queria estudando Tarik e sem ninguém ao seu lado, Marília também teve seus últimos dias como pesadelos quando Logan a visitava.

Bem, finalmente estavam definitivamente livres de Marília e por pelo menos algum tempo do laboratório também, Mike ficou com uma cicatriz em sua perna depois dos pontos, mas ficou bem. Todos voltaram a normalidade um mês depois do luto de Anthony.

- Mike não está atrasado? - Perguntou Jéssica olhando o relógio.

- Logo ele vem. - Disse Pac e na mesma hora Mike estava chegando na esquina com seu carro.

- Vamos, mor? - Perguntou o moreno. Tarik foi para o carro sorridente. - Finalmente vamos poder ir há um encontro a sós, animado?

- Animado é pouco. - Disse lhe dando um selinho.

Mike se virou para entrar no carro e Pac fez o mesmo. Depois de algum tempo dirigindo Mike parou no seu destino, o shopping. Saíram animados do estacionamento e logo entraram no elevador.

- Vamos primeiro no cinema, no boliche ou na praça de alimentação? - Perguntou Pac.

- Boliche, ah... No final eu tenho uma surpresa pra você!

- O quê? Sério? O que é?
   
- Se eu falar deixa de ser surpresa.

- Então por que me contou isso agora?! Me deixar curioso?

- Sim, ué. Qual outro motivo existe?

- Nossa, moço! - Disse Pac irritado. O maior riu da situação. O elevador se abriu e os dois saíram, logo que entravam no shopping havia uma loja de e para animais, na vitrine havia alguns cachorrinhos, gatinhos e alguns aquários com peixes, todos com comida e água.

   - Que fofo, moço! - Disse o menor se aproximando da vitrine. 

- Aquele parece com você. - Disse apontando para um gatinho totalmente negro que parecia estar mais isolado.

- Não, aquela fofura é melhor. - Pac com certeza estava bobo com os animaizinhos. - Vamos antes que eu queria roubar um. Mas realmente, como podem pedir tanto por eles?

- É mesmo. - Concordou o moreno. - Aquilo ali não é um fliperama?

- Mentira, sério? Quando que fizeram isso aqui? Vamos dar uma olhada? - Perguntou curioso.

- Boa ideia. - Ambos entraram no fliperama e ficaram animados ao ver o jogo Just Dance, o pebolim, os vídeo games, alguns fliperamas, uma cesta de basquete e um simulador de snowboard.

- Que tal adiar um pouco o boliche? - Perguntou Pac animado como qualquer outra criança que estava no fliperama.

- Simbora, sou o melhor dançarino! Vou te derrotar de novo.

- Ah, nem vem agora é a minha revanche. - Os dois foram em direção do jogo e começaram uma partida, algumas crianças ficaram vendo os dois disputando e até tentaram imita-los o que foi uma graça, uma torcida havia começado e os gritos de guerra eram azul e verde por causa das roupas dos maiores. Depois de vários passos de dança eles pararam em expectativa para ver o resultado.

- YOU WIN - Disse a máquina.

- EEEH! EU SOU O MELHOR DANÇARINO! - Gritou Tarik feliz de ter ganhado a revanche e não ter passado mais um mico.

- Eee azul! - Gritaram algumas crianças que torciam.
      
- Eee! Agora podem ir dançar. - Disse Pac saindo da área do jogo e Mike o seguiu. - Fui o melhoor, fui o melhoor!

- Só por dez pontos. - Disse o maior meio irritado pelo deboche de Pac. - E ainda estamos empatados.

- Isso vai acabar no boliche! - Disse Pac.

- E óbvio que eu vou ter a melhor. - Disse Mike, ambos estavam saindo do fliperama.

- Nos sonhos.  - Mike pegou a mão do menor e tomaram rumo ao boliche. Depois de algum tempo chegaram ao lugar tão esperado.

- Agora eu desempato essa joça!        


Notas Finais


E realizamos nossos sonhos! #TchauMarília
Pra quem vcs torcem? Pac ou Mike?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...