História Único (taekook) - Capítulo 20


Escrita por:

Visualizações 67
Palavras 3.474
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 20 - Tu és quem és


Fanfic / Fanfiction Único (taekook) - Capítulo 20 - Tu és quem és

Hoseok e Jimin encontram-se no estúdio de dança que o mais velho estava decidido a comprar. O Park tinha sido convidado pelo amigo para que fosse até lá e mesmo estando frio, Jimin nunca iria recusar alguma coisa vinda do Hoseok. Claro que o estúdio ainda não estava montado nem arranjado, era velho e precisava de algumas obras, mas Hoseok estava disposto a mostrar ao Jimin aquilo que tinha e o que pretendia fazer, pois no futuro esperava que o loiro ficasse consigo, quem sabe a trabalhar ali, fosse como ajudante fosse como professor de dançar. Assim que Jimin chegou, Hoseok abriu-lhe a porta deixando-o entrar para que saísse do frio.

- Ainda bem que vieste – sorriu Hoseok vendo Jimin tirar o casaco que o cobria, mesmo que aquele lugar não fosse o mais quente sempre estava melhor do que do lado de fora.

- Claro que viria, é uma ótima oportunidade para ver o sítio onde treinávamos quando eramos mais novos – Jimin disse olhando em volta recordando a sua infância, fazendo-o sentir a nostalgia por estar novamente ali.

- Vem, vou-te mostrar tudo – Hoseok tirou o casaco das mãos do amigo para pousar em cima de uma cadeira velha que estava encostada no canto da parede e puxou-o consigo.

O estúdio de dança estava velho, quando os dois eram mais novos e passavam ali muito tempo, ele já estava degradado, mas como era barato treinarem ali não se importavam muito com o estado dele. Agora as paredes estavam com manchas negras pela humidade e pela falta de cuidado, o chão tinham alguns azulejos partidos e com uma cor feia, as salas de dança ainda tinham espelhos que embora tendo um pouco de ferrugem e manchas ainda se podiam tentar recuperar e o teto precisava mesmo muito de ser composto. Ainda assim Jimin olhava para o lugar com um brilho nos olhos recordando vários momentos que passou ali, sendo eles com Hoseok ou sem ele, aquele sítio era especial para si e estava feliz que o amigo se estivesse a esforçar para o comprar e recuperar.

-Há quando tempo o estúdio está fechado? – Jimin perguntou aproximando-se dos grandes espelhos da sala de dança, passando os dedos pelo vidro frio deixando um pouco de pó na ponta dos mesmos.

- Fechou pouco tempo depois que eu parti, mais de quatro anos – Hoseok respondeu aproximando-se do loiro que vestia uma roupa de frio que lhe ficava muito bem, claro que Hoseok tinha reparado nisso, as calças pretas de Jimin eram perfeitamente coladas às coxas deixando-as realçadas dando-lhe um ar sexy, mas a camisola grossa cor-de-rosa deixava-o fofo.

Jimin era assim, consegui ser a pessoa mais fofa e a pessoa mais sexy ao mesmo tempo e essa dualidade era uma das qualidades que Hoseok tanto gostava no loiro. Jimin deixava-o feliz e excitado ao mesmo tempo isso podia ser uma coisa boa como podia ser uma coisa má.

- Quando é que vais saber se podes ou não ficar com ele? – Jimin voltou a perguntar ainda sem olhar para o amigo, apenas se focando na sua imagem um pouco baça refletida no espelho empoeirado.

- Na verdade queria-te mostrar uma coisa – o mais velho deu-lhe uma folha para a mão, só nesse momento é que Jimin se virou para ele, para segurar a folha e ler o que dizia.

A folha era nada mais nada menos que um contrato de compra, dizia que Hoseok tinha um ano para conseguir recuperar o estúdio e começar a mostrar lucros. Jimin animou-se, Hoseok tinha conseguido mesmo comprar o estúdio e agora só faltava começar a preparar tudo para que ele funcionasse, no que depende-se de Jimin ele ia ajudar em tudo. Aquele lugar fazia parte da sua vida e agora continuaria a fazer.

- Não acredito que conseguiste mesmo! – gritou feliz – Quando vais começar a preparar tudo? Eu quero ajudar!

- Pretendo começar o quanto antes, tenho que falar com os meus pais e com o meu irmão, eles provavelmente vão ter que me dar uma ajudinha financeira, mas pretendo pagar-lhe de volta quando conseguir erguer novamente este estúdio. – explicou – Agora quero começar a pensar em compor o teto e as paredes, estão muito degradadas, acho que é a primeira coisa a fazer.

- Eu estou muito animado, vai ser ótimo ver este estúdio a funcionar outra vez, nunca devia ter fechado – Jimin voltou andar pela sala de dança olhando atentamente todos os pormenores.

- Estava a pensar pedir ao Taehyung para pintar alguma coisa nas paredes, ele tem jeito para isso e é dinheiro que poupo – Hoseok deu a ideia e Jimin assentiu com a cabeça achando que era uma excelente ideia.

- Taehyung é muito talentoso, ele não me mostra muito dos seus trabalhos, mas os que mostrou deixaram-me surpreendido – comentou.

- Nunca pensei que ele gostasse de arte. Quando me disse que fazia faculdade nessa área fiquei espantado, não sabia que ele tinha assim tanto talento, mas fiquei feliz por ele encontrar algo que goste de fazer.

Deram mais uma volta por todo o estúdio, iam trocando opiniões sobre aquilo que era preciso fazer, qual seria a melhor forma de ser feito e como gastar a menor quantia de dinheiro possível. Acabaram os dois na sala de dança novamente e aproveitaram para matar saudades. Com o telemóvel de Jimin puseram uma música que logo fluiu pelo ambiente e os dois começaram a dançar em sincronia, os movimentos dos dois ainda eram perfeitos, talvez agora mais que à anos atrás. Tudo isso porque seguiram os seus sonhos que era poder dançar até o mundo acabar.

- A faculdade de dança tem-te feito bem, estás a dançar melhor que nunca – Hoseok elogiou o mais novo que estava encostado nos espelhos tentando recuperar a respiração, a dança tinha-o deixando sem fôlego, mas com energia para mais.

- Digo o mesmo, realmente fazer faculdade nos Estados Unidos é uma coisa do outro mundo – sorriu vendo Hoseok aproximar-se dele para se encostar nos espelhos ao seu lado. – Todas as pessoas que estudam fora têm oportunidades incríveis cá dentro.

- Sabes que se eu pudesse nunca teria ido, preferia ficar por cá, mas era algo muito importante para o meu irmão e foi por isso que eu fui, por ele – explicou. Claro que Jimin compreendia, se fosse ele teria feito o mesmo sem pensar duas vezes.

- Não te preocupes – olhou para o ruivo mostrando um sorriso fofo com direito a olhinhos sorridentes – O importante é que estás de volta.

Hoseok desencostou-se dos espelhos e segurou Jimin pelo rosto fazendo as suas costas chocarem totalmente contra o vidro pouco se importando se estava sujo ou não, para então unir os lábios com os de Jimin proporcionando um beijo que os dois tanto esperaram. Era um beijo delicado, como se quisessem aproveitar o mais possível daquele momento tão desejado por ambos. Os lábios moviam-se em sincronia deixando soar alguns barulhos baixos pela sala, quando finalmente se separam foi apenas para unir as testas para desta vez sincronizarem as respirações.

- Jimin! Eu... – Hoseok tentou dizer, mas foi cortado pelo outro.

- Não! – voltou a beijá-lo, respondendo a todas as possíveis dúvidas que pudessem existir.

Quando saíram do estúdio estavam de mãos dadas, podiam dar a desculpa que era por estar a fazer muito frio, mas pelos sorrisos e pelas bochechas coradas todos sabiam que não era por isso. Não tinha havido um pedido de namoro oficial, mas aquilo era o primeiro passo de muitos e os dois queriam muito que acontecesse no futuro. Também não conversaram sobre contar aos amigos, preferiam manter aquilo para eles mesmo por enquanto.

- Posso-te levar a casa? – Hoseok perguntou desfazendo o enlace das mãos só para passar o braço pela cintura de Jimin, deixando um beijo na bochecha dele.

- Não é preciso, ainda tenho que passar no mercado e levar algumas coisas para a minha mãe, mas eu ligo-te mais tarde – sugeriu fazendo Hoseok assentir com a cabeça.

- Vocês os dois por aqui? – ouviram uma vez conhecida atrás deles e logo se viraram para dar de cara com Yoongi, agora com a cabelo pintado de verde.

- Oh Yoongi hyung, adorei a nova cor – Hoseok disse vendo que Yoongi não estava com muito boa cara, tentou animá-lo, mas ele não parecia muito feliz. – Bem acho que vou indo, Jimin quando chegares a casa avisa-me.

Hoseok despediu-se de Jimin com um sorriso e um aceno para Yoongi e foi para casa. Ele provavelmente ainda ia conversar com os pais sobre o estúdio e começar adiantar algumas coisas para não ficar sobrecarregado.

- O que faziam os dois por aqui? – Yoongi perguntou começando a caminhar lado a lado com Jimin com o objetivo de acompanhá-lo a casa.

- Encontrei o hyung por acaso e estávamos a conversar – explicou, não queria mentir aos amigos, mas a relação que tinha com Hoseok ainda não era oficial e só contaria quando os dois estivessem prontos para isso – Não te tenho visto, o trabalho está muito puxado? Desde do fim-de-semana em casa do Taehyung não te pus a vista em cima.

- O trabalho é assim Jimin, sentiste a minha falta? – Yoongi sorriu pela primeira vez desde que tinha chegado perto do amigo.

Jimin ficou calado, não que não sentisse saudades, claro que sentiu, Yoongi era o que desaparecia mais de todos os amigos que ele tinha. Gostava de conversar com os seus amigos, mas Yoongi era uma pessoa muito ocupada e só com esforço, ou indo a casa dele é que conseguiam conversar com ele. Raramente mandava mensagens, raramente atendia os telefonemas, se ele estivesse doente ou se acontecesse algo grave quase ninguém sabia, mas não deixava de apoiar os amigos sempre que possível, em qualquer circunstância.

- Posso acompanhar-te a casa? – perguntou-lhe o menino de cabelo verde.

- Não vou para casa. A minha mãe pedir que passasse no mercado para comprar umas coisas, mas obrigado na mesma hyung – sorriu.

- Então eu acompanho-te ao mercado, também estou a precisar de fazer umas compras.

Jimin achou estranho, achava que Yoongi não fazia as compras lá para casa, mas fazia sentido. Yoongi viva sozinho, passava mais tempo a trabalhar e quando não estava a trabalhar estava a descansar fechado em casa. Às vezes Jimin ficava triste por Yoongi, ele mal passava tempo com os amigos e pôs-se a pensar na pergunta que lhe tinha sido feita, sim tinha saudades do seu hyung, ele e os seus amigos tinham, mas não podia fazer nada em relação a isso. Os dois foram até ao mercado, mantendo uma conversa normal, querendo saber mais um do outro.

- Jimin posso-te pedir um favor? – Yoongi perguntou de repente, claro que Jimin achou estranha aquela pergunta repentina, mas eram amigos e claro que ia ajudar o seu hyung no que fosse preciso.

- Claro hyung, alguma coisa que eu te possa ajudar? – estavam no mercado, já tinham feito grande parte das compras e estavam quase a ir embora. Talvez por isso o mais velho só tenha feito aquela pergunta naquele momento.

- Achas que me podias dar o número do Jungkook?

***

Tinham passado apenas quatro dias desde o ocorrido com Jungkook, o moreno disse à mãe e ao irmão que se tinha sentido mal por não ter almoçado bem e isso levou a que ficasse esses quatro dias em casa, pois a mãe não queria correr o risco de ter que levar o filho mais novo a correr para o hospital até ele estar melhor. Era domingo e Saeron estava ao lado de Jungkook, ambos sentados no sofá da sala enquanto um filme clichê qualquer passava na televisão, não havia sinal do Hoseok, apenas disse que tinha coisas para fazer e saiu de casa depois de almoçar, até agora não tinha aparecido por ali.

- Achas que amanhã já podes ir à faculdade? – a mãe perguntou ao filho passando as mãos pelos seus cabelos negros – Não te quero pressionar, mas estás a perder aulas e mesmo que os teus colegas te mandem alguma matéria não é a mesma coisa sem ires às aulas – beijou a testa dele ouvindo Jungkook suspirar alto.

- Acho que estou melhor e por um lado estou farto de estar em casa – disse não muito convencido daquilo que tinha saído da sua boca – Tenho que recuperar a matéria antes que cheguem as férias do Natal, não me posso atrasar.

A mãe assentiu com a cabeça, sabia que Jungkook estava estranho, mas não queria fazer soar nenhum alarme e punha na sua cabeça que o filho só estava cansado e um pouco doente por não ter comido de forma saudável. Saeron tentava não se preocupar tanto com Jungkook como fazia antes e durante a transição, na fase mais vulnerável da vida dele, tentava dar-lhe o devido espaço e liberdade para fazer o que quisesse, mas não conseguia realizar o seu objetivo a cem por centro. Conhecia demasiado bem a sociedade em que viviam e nem todos tinham a capacidade de aceitar o Jungkook assim como ele era.

- Vou preparar as coisas para a faculdade e dormir um pouco, desço para jantar okay? – Jungkook perguntou e depois de ver a mãe afirmar com a cabeça focando novamente atenção no filme que estava a dar, saiu de junto dela e seguiu para o seu quarto.

Jungkook não estava com sono apenas queria ficar sozinho, tinha um plano em mente para voltar à faculdade em segurança, mas não tinha a certeza se ia correr bem ou não. "Quero que ele fique assim como veio ao mundo", essas palavras não saíam da sua cabeça, mas talvez essa fosse a solução para aquele problema: ficar assim como veio ao mundo. Tirou de baixo da cama um saco que tinha escondido ali uns dias antes, depois de ter saído para passear no shopping com a mãe, quando a mesma foi à casa de banho ele aproveitou para comprar umas coisas.

Taehyung saiu de casa, estava frio, mas queria ir visitar o Jungkook e saber se ele estava melhor. Quem sabe, conseguisse convence-lo a fazer queixa à polícia pelo que aconteceu, embora achasse que estava bem longe de isso acontecer não custava tentar. Felizmente a casa do menino não era longe e depois de uma caminhada a pé conseguiu lá chegar mesmo estando um frio de rajar e precisar de muitos casacos em cima dele. Foi recebido por Saeron que ficou animada por o ver e o convidou a entrar antes que congelasse até aos ossos.

- Aceitas alguma coisa para comer Taehyung? Talvez um chocolate quente? Tem feito muito frio, acho que o inverno começou a sério agora – a mãe do Jungkook perguntou caminhando até à cozinha sendo seguida por Taehyung que ainda tirava toda a roupa que tinha vestido para sair de casa, ali estava quentinho.

- Não obrigado, eu só vim ver se o Jungkook está melhor e se amanhã já vai à faculdade. Posso passar aqui caso ele vá sozinho – o menino de cabelo azul disse fazendo Saeron sorrir por ver que Taehyung estava mesmo empenhado em conseguir pelo menos ser amigo do filho e ajudá-lo caso fosse preciso.

- Ele disse que amanhã já ia à faculdade. Também disse que ia descansar um pouco no quarto dele, mas vai lá, pode ser que ainda esteja acordado e consigas falar com ele – disse-lhe a Sra. Jeon e depois de assentir saiu da cozinha indo em direção ao quarto que era tão conhecido por si, talvez agora mais do que antes.

Não queria acordar o mais novo caso estivesse a dormir então em vez de bater à porta do quarto abriu-a devagar e espreitou para dentro para confirmar se estava ou não a descansar. O que viu deixou-o com um nó no estômago, a sua garganta trancou e mesmo que quisesse gritar não conseguia. O seu coração começou a doer novamente, como se pesasse dentro do seu peito assim como tinha acontecido à dias atrás depois de ver Jungkook tão vulnerável nos seus braços. Jungkook estava em pé em frente a um espelho que tinha no quarto, vestia uma camisola de seda cor-de-rosa com um colarinho e uma saia preta que lhe chegava um pouco mais a cima dos joelhos, enquanto se via ao espelho chorava em silêncio.

Para Taehyung aquilo não fazia o menor sentido, o corpo de Jungkook não se encaixava naquelas roupas femininas, não conseguia perceber o porquê de ele ter vestido aquilo, mas parecia que aquela roupa lhe tocava na pele e o queimava fazendo-o sentir uma dor insuportável. Jungkook deixou-se cair sentado na cama e foi aí que percebeu que estava a ser observado pelo Kim que se assustou, mas não recuou, entrou dentro do quarto e fechou a porta atrás de si.

- Vinha ver como estavas, a tua mãe disse que podias estar a dormir então não quis acordar-te. Desculpa entrar assim no teu quarto – desculpou-se sem olhar diretamente para o menino ainda sentado na cama sem saber o que dizer ou fazer.

Taehyung pensou na possibilidade de sair dali e deixar Jungkook sozinho, talvez naquele momento ele estivesse envergonhado por ele o ter visto vestido daquela forma, chegava a ser ridículo como aquela roupa ficava no moreno, não por ser feio, mas porque Jungkook não estava confortável com aquilo vestido. As lágrimas ainda escorriam pelas bochechas do Jeon quando Taehyung se aproximou dele e se sentou ao seu lado na cama, não disse nada apenas ficou ali ao lado do outro dando-lhe a oportunidade de dizer ou fazer o que quisesse quando quisesse.

Na cama ainda permanecia um saco com roupas femininas lá dentro, Taehyung percebeu isso pois conseguiu ver que para fora do saco estava um vestido com flores. Era um vestido bonito sem dúvida alguma, nunca o tinha visto na vida, nem mesmo quando namorava com Junghwa, mas não era uma roupa para Jungkook usar e entendeu isso vendo a dor pela qual ele estava a passar, a dor para ser aceite pela sociedade.

Jungkook acabou por encostar a testa no ombro do Taehyung e chorar, por mais que tentasse não conseguia ser forte naquele momento, aquelas roupas faziam o seu corpo ferver, não era o que queria, mas era aquilo que era aceite por todos, era a única forma de resolver o problema que se tinha instalado na sua vida e foi assim que ele veio ao mundo.

- Quero que saibas que tu não podes ser aquilo que os outros querem que tu sejas, tu tens que ser aquilo que tu és para ser feliz – a voz do mais velho foi ouvida, baixa e grossa, mas o que fez Jungkook arrepiar foram as palavras proferidas pelo Kim, nunca pensou em ouvir tal coisa vindo dele – Tu és o Jungkook, e eu aceito-te como tu és – concluiu, fazendo o outro chorar ainda mais, mas desta vez por estar feliz.

Claro que para ser feliz Jungkook não estava à espera que Taehyung o aceitasse, mas isso só o deixava um passo à frente de conseguir ter um pouco mais de felicidade na sua vida. Depois de ouvir aquilo que o Kim lhe disse conseguiu esquecer um pouco aquilo que planeava fazer, ir para a faculdade vestido daquela forma não era mais uma boa deia, ele não podia fingir ser uma pessoa que não era, nunca iria resultar, não iria ser feliz assim.

Ele não passou por toda a fase de transição para agora deitar tudo a perder, para agora deixar de ser quem ele realmente é e percebeu isso graças a Taehyung que estava ali ao lado dele.

- Obrigado Taehyung – Jungkook disse levantando a cabeça do ombro do Kim e sorrindo. Ele tinha sido um bom apoio tanto naquele momento como nos outros em que passou por situações complicadas, Taehyung estava lá para ajudá-lo. – Posso-te pedir que não contes isto a ninguém? Eu vou deitar fora as roupas prometo.

Taehyung sorriu e quando estava prestes a assentir com a cabeça a porta do quarto foi aberta fazendo os dois jovens assustarem-se. Hoseok entrou no quarto do irmão sem bater à porta e vendo a forma como Jungkook estava vestido, a cara de choro e Taehyung ali ao lado dele mil e uma coisas começaram a passar-lhe pela cabeça sendo que a maioria delas não eram boas e envolviam o Kim. Aproximou-se do menino de cabelo azul e agarrou-o pela gola da camisola levantando-o da cama e acertando um murro em cheio no seu lábio fazendo-o cair no chão com força.

- O QUE É QUE FIZESTE? – Hoseok gritou já pronto para bater novamente no Kim, mas foi agarrado pelo Jungkook que estava assustado com o que o irmão mais velho tinha feito. Hoseok nunca partia para a violência mesmo quando eram coisas muito graves.

O canto do lábio do Taehyung sangrava e ele queria chorar, não tinha feito nada demais, merecia ter levado aquele murro?


Notas Finais


(n/key): Olá anjinhos, estou de volta.

Primeiro eu queria pedir desculpa porque não pus um aviso neste capítulo por ter violência física, mas não achei que fosse um capítulo tão pesado assim como foram os outros, então espero que me entendam.

Segundo, espero que não julguem o Hoseok pelo seu ato defensivo em relação ao irmão, tudo será explicado no próximo capítulo.

Terceiro, espero que estejam a gostar tanto de ler como eu estou a gostar de escrever e lembrem-se qualquer acontecimento menos bem descrito que encontrem avisem-me para correção posterior.

Comentem o que estão achar e partilhem a história com amigos que possam gostar, amo todos vocês, até ao próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...