História Unicórnio do sexo. ( Hiatos) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Stray Kids
Personagens Baekhyun, Bang Chan, Chanyeol, Chen, D.O, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kai, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lay, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais, Sehun, Seo Chang-bin, Suho, Xiumin, Yang Jeong-in
Tags Bekhyun!uke, Chansebeak, Chanyeol!top, Kaisoo, Sehun!flex, Sulay, Xiuchen
Visualizações 163
Palavras 2.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha mais um cap aí.......
Esse cap já estava quase pronto então resolvi terminar-lo e já postar.....

Não sei aí certo quando vou atualiza dnv porque tenho várias trabalhos na escola pra fazer aí fica muito corrido, espero que entendam.

VIRAM O TIRO QUE FOI A INTRO DO JIN? EU TO MORTA AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA....parei

Bjos.

Capítulo 2 - Nunca fale de yaoi em público.


Fanfic / Fanfiction Unicórnio do sexo. ( Hiatos) - Capítulo 2 - Nunca fale de yaoi em público.

Sehun acordou naquela manhã de quarta-feira estranhamente atrasado. Sabia que não devia ter ficado até tarde tanto descobrir que diabos era mangas yaoi que seus amigos tanto falavam. Se arrependeu amargamente quando em um dos sites de pesquisa clicou em um link totalmente aleatório e o que era somente uma dúvida para si virou algo totalmente inusitado. Vejam bem, Sehun nunca, em hipótese alguma, havia entrado em sites proibidos e para si aquilo era extremamente assustador. Assim que focou seus olhos naquele vídeo que dizia " Conheça aqui as melhores formas de agradar seu parceiro ", não pensou que, algo com uma legenda tão inofensiva fosse acabar com suas horas de sono. Assim que clicou naquele play pensou serialmente se estava fazendo a coisa certa, porém, sua curiosidade aguçada não o deixou voltar atrás. À princípio não achou nada de interessante ali, era basicamente dois homens conversando algo que ele nem ao mesmo entendia, até que, um beijos e um afogo nos cabelos do mais baixo do vídeo fizera Sehun arregalar os olhos, afinal nunca havia presenciado tal ato. E isso já fora o bastante para o jovem, bateu a mão em seu notebook com força o chegando com a respiração descompensada. Não entendia o que significava aquelas reações em seu corpo, não fazia ideia do porque seu amiginho lá de baixo formigava tanto.

 Sehun de fato era um inocente de carteirinha.

 Conhecia sim sobre sexo, mas as poças coisas que sabia eram os momentos "românticos" de seus livros favoritos. Sabia também que homens podiam sim ter numa relação entre si, mas nunca havia visto um casal assim juntos. Mas, isso não era o suficiente para o conhecimento do jovem. Passou boas horas em desvanieos tentando entender o que diabos havia acontecido consigo, não chegando a nenhuma conclusão. Decidiu assim que deitou finalmente em sua cama que iria atrás desse tal mangá yaoi e o leria de imediata, precisava sanar sua curiosidade de um vez por todas. 

Sehun corria pelo seu apartamento, não conseguia achar seus óculos e não e muito menos suas lentes de contato. Assim que encontrou o seu parceiro de leituras - esse que se encontrava em seu rosto - correu mais ainda rumo ao seu trabalho.





 [.........] 



 - Bom dia.- Sehun saudou a tão conhecida secretária e fora respondido com um sorriso gentil da mesma. Seguiu ainda apresado até sua sala - essa que dividia com seu colega de trabalho Minseok - o saldando assim que adentrou o local.

 - Bom dia Minnie hyung! - sorrio. - Você poderia me dizer o que é yaoi?.- Perguntou ao seu colega esse que se engasgou com seu café.

 - De onde você tirou isso?.- Perguntou o mais velho franzido o cenho. Todos alí sabiam da ingenuidade de Sehun. Minseok era um dos que tentaram de todas as formas ter algo com o mais novo, mas após uma breve sondada percebeu que o jovem era muito bobinho e desistiu de e imediato. A partir daquele dia tratará o mais novo como seu irmão e nunca imaginou que o mesmo surgiria com essa pergunta então repentina. 

 - Humm! Eu estava conversando com o Jongin ai ele me disse que minha vida precisava de mais yaoi, mas eu não sei o que é isso.- Disse virando um pouco a cabeça, fazia muito isso quando estava pensando ou curioso.- Sabe até tentei achar algo na internet, só que....- Parou no meio da frase.- Acabei..bom...acabei entrando em um lugar estranho onde dizia que tinham soluções para agradar seus parceiros e bom, havia dois homens se beijando e eu senti um formigamento lá em.....-Falava tudo sem para mas fora cortado por um arranhar de garganta. Virou-se e deu de cara com um homem extremamente alto e de orelhas um tanto saltadas. Se naquele momento Sehun não tivesse um tanto envergonhado com certeza acharia fofo. Corou assim que percebeu que o homem desconhecido havia escutado todo seu diálogo com seu hyung. 

 - Me desculpe mas, você realmente não sabe o que é yaoi?.- Perguntou o mair com uma voz potente e rouca causando arrepios no podre Oh. Já era a segunda vez na semana que aquilo acontecia consigo, primeiro fora com aquele homem bonito que havia esbarrado e agora lá estava o jovem Oh sentindo coisa estranhas novamente. Balançou a cabeça negando fazendo o homem em sua frente arquear uma de suas sombrancelhas. Impossível, pensou o maior. Para si aquele ser ou era louco ou extremamente ingênuo, e após uma leve observada percebera que sim, ele era alguém totalmente ingênuo. Presa fácil aos olhos do maior. 

 - Oh! Senhor Park o que faz aqui?.- Minseok que até agora se encontrava calado perguntou para o maior, esse que o olhou com uma careta. 

 - Pelo amor de deus Minseok! Quantas vezes terei que falar para não me chamar assim.- Disse o maior. Ambos se conheciam des da infância, porém os status e as vidas corridas não os deixaram viver juntos para sempre, assim como sempre idealizavam. 

Kim Minseok era um escritor um tanto conhecido pelos seus contos polícias regrados de sangue e torturas psicológicas. Aos seus 28 anos, vivia sozinho em um apartamento um tanto grande no centro de Seul. Passava boa parte dos seus dias no trabalho pelo simples fato de não querer ficar sozinho, tinha sim alguns amigos, mas assim como ele, todos já tinham suas vidas corridas para enfrentar.

 Park Chanyeol era o CEO daquela grandiosa empresa. Aos 25 anos cuidava com afinco dos negócios que passaram de geração a geração até chagada da sua vez. Vivia em um apartamento luxuoso em um dia bairros granfinos de Seul, junto de seu marido Beakyun. Não era novidade para ninguém a sexualidade do maior, porém, ali em sua frente havia um jovem totalmente desprovido a vida segundo ele mesmo.

 - O que você quer Chanyeol?.- Perguntou o outro risonho.- Não vai me dizer que brigou com o Byun novamente?.- Perguntou Minseok. Sehun que ainda estava envergonhado estava alheio a conversa os dois, seus olhos percorriam o corpo alheio sem o menor pudor. Não era suas intenção parecer atirado ao algo assim, mas, ultimamente, seu corpo tem andado estranho e o menor não entendi aquilo.

 - Não é Sehun?.- Ouviu a voz de Minseok o tirando de seus desvanieos. Piscou algumas vezes arrancando um riso sobrado só Park. 

 - Huum?.- Perguntou ainda não entendendo o que acontecia ali. - Está aqui falando para o Park quão bom você é na escrita.- Disse para o maior que ainda o encarava sem entender. - Quer saber esquece.- O Kim disse. Sabia da lentidão do Oh e não tinha mais paciência para isso. Após alguns minutos o Oh ainda se encontrava sem fazer a mínima ideia do que os dois mais velhos tanto conversavam.

 Suspirou algumas vezes lembrando das suas relações estranhas, não fazia a mínima ideia do porquê se sentia tão estranho e ao mesmo tempo temia ser alguma doença. 

 - Sara que isso tem cura?.- Perguntou a si mesmo um tanto alto demais chamando atenção dos dois mais velhos. Mesmo trabalhando ali a quase um ano o Oh não fazia ideia de que o Park era seu chefe, era desligado o suficiente para nem ao menos saber onde ficava o refeitório daquele lugar mesmo indo até o local todos os dias acompanhado do Kim. Sehun talvez devesse prestar mais atenção ao seu redor, pois assim, não seria surpreendido pelas atitudes em tanto suspeitas do Park. 

 - Está doente?.- A voz grave soou do além para o Oh. Que diabos, pensou assim que deu um pulinho devido ao susto.- Me desculpe.- Disse o Park dando um sorriso encantador em direção ao Oh.

 - Tu..tudo..be..bem.- Gaguejou. Sehun nunca fôra uma pessoa comunicativa e esse era mais um dos motivos que contribuíam para sua ingenuidade.- Não estou.- Festejou por conseguir falar sem gaguejar. O Park iria falar mais alguma coisa mais o som estridente do toque de seu celular o fez suspirar e sair apresado daquela sala ampla. O Oh ficou alguns segundos encarando a porta antes de suspirar, não sabia no que aquela coisas estranhas iam dá mas não estava preocupado com aquilo no momento. [




[........] 





 Sehun andava tranqüilamente com o intuito de chegar rapidamente em uma livraria perto de sua apartamento. O Oh estava determinado a encontra o tal mangá yaoi, passou à manhã inteira pensando no assunto e não era atoa, afinal, todos pareciam saber sobre o assunto menos ele. Sehun veio de uma família um tanto conservadora, típica família tradicional coreana. Até seus vinte anos morou com seus país, e fora um tango trágico quando resolve finalmente sair das asas de sua mãe. Já faziam três anos e não ouve nenhuma ligação sequer dos seus progenitores. Sehun muitas vezes se sentia solitário, mesmo tendo Vivi ao seu lado.

 Em nenhum momento pensou que seria esquecido tão facilmente, oras, era o único filho daquela casa, mas parece que estava enganado. Não se lementava por isso, afinal, se fosse importante eles iriam atrás de si, mas o sentimento de solidão ainda se encontrava dentro de si. Assim que chegou em frente a livraria sorriu ao notar que a mesma se encontrava vazia. Adentrou o local dando de cara com Jongdae, seu amigo e funcionário dali. 

 - Oi Chen.- Disse assim que viu o menor. 

 - Olá pequeno.- Disse o mais velho.

 Kim Jongdae era um aspirante a cantor que vivia sua vida de um jeito digamos que "rebelde" demais para sua idade. Aos 24 anos, morava ali mesmo naquela livraria que antes pertencia a uma tia distante e agora era sua. Conheceu Sehun quando tinha apenas oito anos e des de então nunca mais se separaram. 

 - Ya! Eu já sou granadinho hyung!.- Disse fazendo um bico.- Hyung.....- Disse baixinho.- Você pode me explicar o que é yaoi?.- Perguntou sem rodeios, odiava enrolação então sempre era direto com seus assunto. Aquele momento com certeza entraria para a lista se coisas estranhas que já fizera na vida, o que só tinha apenas uma linha que era descobria o que era esse tal de yaoi. Jongdae encarava o Oh com os olhos arregalados, para ele o seu "pequeno" deveria ser puro para sempre e talvez seus dias de ingenuidade estivesse em fim acabando.

 - Onde você ouviu falar disso?.- Perguntou o outro já tendo uma ideia.

 - O Jongin hyung me disse.- Disse o Oh. Jongdae suspirou, iria matar o Kim mais novo assim que colocasse os olhos nele. Recusou-se a explicar aqui para o jovem Oh que ficara um tando entristecido. Seus amigos nunca parariam de trata-lo como um bebê e aqui estava frustando o Oh. 

 Saiu em passos apresados não ligando para os gritos que seu amigo dava. Seguiu de cabeça baixa até uma praça que havia ali perto resmungando coisa sem sentido. Sentou-se em um dos vários bancos que haviam ali ainda resmungando, estava tão distraido com seus lamentos que não percebera que havia se sentando ao lado de um figura um pouco conhecida. 

 - Você é só uma criança Sehun.- Disse com uma voz extremamente fina tentando imitar a voz de seu hyung.- Yaoi e coisa para adultos...Puf! Eu sou adulto.- falava um tanto alto. Não percebeu que o homem ao seu lado o encarava com o cenho franzido. - Vocês vão vê! Vou descobrir quem é esse yaoi!.- Disse com convicção logo ouvindo um riso sobrado ao seu lado, assutou-se assim que se virou e deu de cara com on homem que havia esbarrado dias atrás o encarando com um sorrisinho de canto um tanto suspeito, não suspeito para ele é claro. 

 - Parece que você tem um problema.- O homem disse com sua voz rouca causando um arrepio involuntário em Sehun. Denovo, pensou. Ficou alguns segundo pensando se deveria ou não falar com aquele estranho, mas assim que viu que não tinha jeito de saber do tal yaio pelos seus amigos resolveu a aceitar a ajuda do desconhecido. 

 - Por um acaso você sabe quem é yaoi?.- Pergunto o Oh com sua cabeça levemente inclinada tornando aquela frase ainda mais ingênua do que parecia.   


Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Desculpem os erros.

Até o próximo?...


Outra fic da minha autoria.

https://www.spiritfanfiction.com/historia/o-diario-de-jung-jaehyun-13160084


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...