História Unidas pelo acaso - Capítulo 18


Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Debrah, Kentin, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Visualizações 19
Palavras 4.374
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiii, turu bom? Mais um capítulo!!! É grande, então se preparem! Bona letura😘
~GirlFromBook

Capítulo 18 - O acidente parte 1


                 Yumi

Meu domingo se resume a: anime e pipoca.

Acordo na segunda com uma repentina indisposição, na moral, é muito errado querer que uma manada de elefantes destruísse a escola? (autora: sim, é errado, mas a gente finge que não é)

Levanto, ou melhor: rastejo para fora da cama, me troco, desço, tomo um café e vou para a escola, claro Ryou me dá uma carona.

Quando entro para a escola encontro Lysandre, ele parecia estar procurando algo (autora: pra variar)

- oi Lys!

- olá Yumi, tudo bem?

- sim e com você?

- vou bem também.

- procurando algo?

- Sim, na verdade estou procurando meu bloco de notas.

- eu te ajudo a procurar, onde você acha que pode estar?

- só tem dois lugares onde eu poderia ter o perdido: o Club de jardinagem, ou o porão.

- Ok, então eu vou procurar no porão e você no Club – falo indo em direção ao porão, até que me lembro de algo muito importante – er, onde fica o porão exatamente?

- atrás da escadaria

- ok obrigado! – falo indo em direção do porão, agora sabendo onde fica.

Assim que entro me deparo com um tomate ambulante, digo, com o Castiel. Ele estava de costas pra mim, e com algo nas mãos.

Não resisti à tentação de dar um susto nele!

O mesmo dá um grito e esconde alguma coisa atrás de si.

- ufa é só Você- ele fala tirando um cigarro das costas

- não é proibido fumar na escola?

- por que acha que eu faço isso aqui?

- seria uma pena de a diretora descobrisse né? – ele dá um sorriso irônico e começa a se aproximar de mim até me prensar contra a parede, com uma mão apoiada em cada lado da minha cabeça e com o cigarro no canto da boca, confesso que ele estava extremamente sexy.

- ela não precisa saber – ele fala me olhando.

Sorrio da mesma forma e tiro o cigarro de sua boca fumando o mesmo e sopro a fumaça em seu rosto.

- pode deixar, ela não vai ficar sabendo, pelo menos não por mim! - digo apagando o cigarro na parede atrás de mim.

O empurro para poder sair e vou a caminho da escada – melhor parar de fumar, isso ainda vai te matar! – quando começo a subir as escadas é que me lembro do motivo pelo qual estava ali – o bloco do Lys tá por aí?

- sim eu já ia devolver para ele

Subimos juntos nos deparando com o Lysandre.

- oi Lys! Achei seu bloco! – falo apontando para Castiel.

- EU achei o bloco – ele fala entregando o bloco para o Lysandre.

- obrigado... Aos dois. Vamos para a sala?

- partiu tortura! – falo rindo, e os meninos me acompanham

Mas o sorriso deles morre assim que dobramos o corredor. Tinha uma garota com um decote maior que sei lá o que parada com um sorriso enorme para Castiel.

- oi gatinho! Senti saudades!

- foi só Você mesmo!

- qual é! Eu não consigo acreditar que você passe um dia sem pensar em mim!

- o que você quer aqui Debrah? – o Lysandre fala de um jeito que eu nunca tinha visto: frio e grosso

- não posso vir visitar a minha antiga escola?

- sei que esse não é o motivo- eu olho para Castiel, ele estava paralisado, mas com os olhos cheios de raiva pura. De repente ele sai pisando fundo, e Lysandre vai atrás dele. Me deixando sozinha com aquela garota que pelos poucos minutos que eu a conheci já odeio.

- então... O que você é do Castiel? Mais um brinquedinho? – ela fala com uma voz tão irritante que dava vontade de socá-la ali mesmo.

- não, eu não sou um “brinquedinho” dele. Eu sou uma amiga. E você? Mais uma vadiazinha que ficou com ele?

- eu não sou nenhuma “vadiazinha” sou a ex namorada dele, e também uma celebridade muito famosa!

- a Sim, eu já vi você, na capa da revista Playboy – ela me olha séria.

- e como você tem acesso a isso?

- meu irmão assinava, até ver a sua foto.

- olha aqui garota você não sabe com quem está se metendo!

- acho que sei Sim, com mais uma vadia egocêntrica, parece até a loira azeda da Ambre!

- nem ouse me comparar com aquela estúpida!

- olha, não vou perder meu tempo aqui conversando com você garota! – saio de perto dela antes que a desse um tapa na cara.

Entro na sala e vejo Lysandre olhando feio para Castiel antes de ir conversar com a Helena.

Me sento ao lado de Castiel, que estava com cara de paisagem.

- o que aconteceu? Quem é aquela vadia modelo da Playboy?

- Ela é a minha ex. Debrah, mas como assim modelo da Playboy?

- você não vê a revista Não? Ela posou lá. E que é sua ex eu sei, quero saber como aconteceu.

- vejo, mas nunca vi a foto dela. Como aconteceu o que?

- pra vocês terminarem!

- isso não te interessa!

- vai me conta! Sou curiosa!

- não! E cala a boca!- ele fala em um tom assustador.

Me calei, mas isso não ia ficar assim, eu vou descobrir o que aconteceu.

Passamos o resto da aula em silêncio, e acho que ele nem prestou atenção na aula.

O sinal bateu, eu ia me levantando, mas pelo visto Castiel não ia fazer o mesmo.

- vai ficar aí?

- sim algum problema com isso?

- nenhum, só acho que evitar o problema é pior.

- que tal sair daqui?

- tá bom.

Saio na porta e encontro meus amigos conversando.

Estavam falando do assunto Castiel.

Depois de muita insistência, Lysandre decidiu nos contar a história.

Fomos para o Club de jardinagem.

- ok conte-nos a história – ele da um suspiro antes de começar.

- tudo começou há dois anos atrás, Castiel e Debrah faziam um ano de namorou, e saíram para comemorar, eles foram para um bar de karaokê, e foram se apresentar, Debrah sempre cantou muito bem, depois que se apresentaram foram beber um pouco, e ficaram bêbados, depois desse dia, Castiel nunca mais bebeu em uma festa. Ele viu com os próprios olhos, a garota que ele amava. Em cima de outro, em um beijo frenético.

Eles terminaram, Castiel ficou muito mal. Uma semana depois, ela voltou para pedir perdão para Castiel.

Castiel disse não, e que bom que ele disse não, porque no mesmo dia, Debrah estava se agarrando com aquele idiota do Dake – que história bizarra! Eu não acredito no que ele falou! Que vadia! Eu tô perplexa!Nunca pensei que iria falar essa palavra.

- mais que vaca!

- não disse?

- er... Yumi? Você tá... Bem?

Me levanto- sim eu tô ótima – e saio dali. Eu tinha que socar a cara de alguém.

Vou até um corredor, que estava quase vazio, e encontro a Debrah lá.

- olá japinha!

- oi modelo da Playboy!

- o que você quer?

- só te dizer que se você voltou pra tentar reconquistar o Castiel, não vai conseguir, ainda mais depois de ter visto você se agarrando com outros DUAS vezes... – ela me deu um tapa na cara.

Eu olho para ela, e dou um tapa que com certeza foi dez vezes vais forte, porque ficaram as marcas da minha mão na cara dela. E saio andando. Ela tem sorte de eu não ter feito pior. Entro na sala e encontro Castiel, com as pernas em cima da mesa. Me sento do seu lado.

- fiquei sabendo da sua história, por que não quis me contar?

- porque não te interessava.

- aff! Você é muito grosso sabia?

- sei disso – ele fala sorrindo

- não me pareceu tão grosso quando estava me beijando na festa da Rosa

- pois é. Até que você beija bem... – ele fala muito baixo, eu quase não consigo ouvir.

- o que? Eu não ouvi direito? – falo rindo

- eu tava bêbado tá!

- mentira que o Lys contou que você não bebê desde que terminou com a Debrah!

- tá o Lysandre contou sobre toda a minha vida né?

- quase isso– rimos juntos. Mas de repente, ele me olha sério, eu me perco em seus olhos cinza, quase como se estivesse hipnotizada. Estávamos quase nos beijando, quando eu percebo o que íamos fazer e me afasto.

Ficamos em silêncio constrangidos. Até que o sinal para entrarmos bate. Todos entram na sala.

O resto da aula passa normalmente. Eu iria a pé para a casa hoje.

Quando dobro a esquina uma mão forte segura meu braço, era Castiel.

- onde você pensa que vai?

- vou pra casa ué! Por quê? Quer que eu fique com você te consolando daquela vadiazinha?

- Não! Bem eu só tava pensando se você não quer uma carona pra casa?

- e por que essa repentina vontade de me dar uma carona?

- por nada, só que você sempre sai com algum amigo, e hoje saiu sozinha

- ficou com peninha é?

- Ha.Ha. Ha. Muito engraçada você, anda, você quer ou não a carona?

- claro!

- mas vem cá, o cara que te deixa de manhã, por que ele não vem te buscar?

- ele é meu irmão. E tá procurando um emprego, então ele fica o dia inteiro fora.

- e você vai ficar sozinha?

- vou

- nem pensar! Vem, vamos pra minha casa – ele fala me puxando para a sua moto.

Assim que subimos na moto ele me deu o seu capacete.

- você que deveria usar isso.

- eu já tô acostumado. Uso só pra não levar multa.

- ui ui senhor não uso capacete! – ele da uma risada pelo nariz.

Chegamos rápido na casa dele.

- olha você não tem medo de cachorros né?

- não, eu AMO cachorros! Principalmente os grandes!

- jura? Eu nunca vi uma garota que gostasse de cachorros grandes.

- tá vendo agora!

- bem, vamos entrar!- assim que ele abre a porta entendo o porquê dele perguntar se eu tinha medo de cachorros, ele tem um gigante! Um pastor de beauce! A raça mais linda do universo, pelo menos pra mim!

- oww! Por que não me contou que tinha um pastor de beauce? Eu amo esses cachorros! Oi garoto tudo bom? Como é o nome dele?– falo brincando com o cão.

- Dragon

- que autêntico!

- não fui eu que escolhi

- a é? Então quem foi?

- EU! – fala uma garotinha de cabelos negros e olhos da cor dos do Castiel que apareceu do nada – quem é ela?

- essa é a Yumi. Yumi essa é a minha irmã Clara.

- Clarinha!

- tá bom, essa é a minha irmã Clarinha–eu rio da discussão deles. Sei bem como é.

- Yumi? Gostei! Ela é bem mais bonita que as outras garotas que você traz pra cá!

- CLARINHA!

- que foi? Tô mentindo?

- só... Deixa quieto. O almoço já está pronto?

- Sim, a Clair acabou de sair. Deixou o almoço prontinho! Tem batata frita! Vem Yumi vamos lavar as mãos!

- então, Clarinha, quantos anos você tem?

- dez e você?

- dezesseis

- você é mais nova que o meu irmão!

- o Castiel não tem dezesseis Também?

- sim, mas semana que vem é o aniversário dele! Você faz antes?

- não. Então o Castiel faz aniversário semana que vem? Interessante...

- você gosta de bolo?

- gosto por quê?

- a Clair vai me ajudar a fazer um hoje!

- que legal!

- EÍ VOCÊS DUAS! VÃO DEMORAR MUITO LAVANDO AS MÃOS AÍ? – Castiel grita da cozinha.

Almoçamos juntos então o celular de Castiel toca.

- Ok, ok sem problemas tá tchau! Más notícias Clarinha, a Clair não vai poder vir.

- o que? E quem vai fazer bolo comigo? – ela pergunta com cara de choro, fiquei com tanta pena!

- lamento, sem bolo.

- mas.. Mas eu quero bolo!

- você não tem que ir pra escola não?

- não hoje não tem aula – diz Clarinha antes de começar a chorar.

Aí eu não resisti!Não o aguento ver criança chorando da tanta pena.

- não se preocupa, eu te ajudo a fazer um bolo de chocolate deliciosíssimo!

- sério? – ela me olha com aqueles olhinhos brilhando

- NÃO! – mas Castiel tinha que ser um estraga prazeres!

- por favor, Castiel!- Clarinha fala fazendo biquinho.

Castiel suspira – ok, mas vocês vão limpar tudo!

- EBA- nós duas gritamos

- vão fazendo o bolo que eu vou assistir minha Netflix

- na na nina não! Vai nos ajudar a fazer o bolo!

- Há! Sonha!

- ok, então fica sem bolo!

- jogo sujo! Ok vou ajudar as mocinhas, só porque sei que duas crianças na cozinha não dá certo. –ele fala piscando o olho.

Devo dizer que a presença de Castiel não mudou o fato de termos feito a maior bagunça.

Um resumo: eu estava com o pacote de farinha na mão, e ia colocar na bancada, mas Castiel ficou atrás de mim, quando eu me virei, deixei o pacote cair.

E começamos uma guerra de farinha.

Depois de duas horas conseguimos terminar o bolo.

Mas na casa do Castiel não tinha sorvete, então ele ligou pro Lysandre trazer.

O Lys chega bem rápido, e com o sorvete.

- Lysandre!!! –a Clarinha fala antes de pular no pescoço dele.

- oi Clarinha!

- trouxe o sorvete?

- trouxe está aqu- ela não da tempo de deixá-lo terminar e arranca o pote das suas mãos, indo correndo para a cozinha.

- eaí cara – Castiel fala fazendo um comprimento com Lys.

- olá. Mas onde está a minha educação? Olá Yumi!

- oi Lys!

- então, ensaio hoje?

- vamos. Mas não acho correto ficarmos invadindo a escola assim.

- invadir a escola? Tô dentro! – falo interrompendo a conversa deles.

- viu? Dois contra um!

- ok vocês venceram.

- legal. Vem Clarinha!

- aonde a gente vai? – ela fala com a boca cheia de bolo com sorvete.

- escola. Nem inventa de reclamar que você vai! – Castiel fala antes que Clarinha pudesse demonstrar seu desagrado.

Quando estávamos quase chegando que eu pergunto o que iríamos fazer.

- vamos ensaiar.

- vocês tem uma banda?

- tipo isso. Mas só com um vocalista e um guitarrista.

- Lysssss! – ouvimos alguém gritar, e uma menininha loira com umas mechas rosa no cabelo e olhos púrpura pula no pescoço do Lys como Clarinha tinha feito a pouco.

- chegou a Praga- Castiel murmura

- oi Nina

- senti saudades! E qum é essa?

- meu nome é Yumi muito prazer!

- o que ela é sua Lys?

- é só uma amiga.

- não acredito.

- olha ela é a namorada do Castiel.

- O QUE? – nós dois perguntamos ao mesmo tempo.

Ela olha estranho para nós. E vemos que Lysandre estava fazendo sinais para que concordassemos com ele.

- er.. S-sim nós dois somos namorados.

- e-é sim.

- então se beijem!

- por quê?

- porque namorados se beijam oras!

Meio hesitantes (na verdade muito hesitantes) nos beijamos.

- ok! Agora eu acredito! Então Lys, o que vamos fazer?

- NÓS vamos ensaiar VOCÊ vai pra sua casa.

- não te perguntei! Eu estou falando com o LYSANDRE.

- olha como Castiel falou temos que ensaiar agora, mas amanhã talvez. Pode ser?

- hum... Ok. Tchau Lys – ela fala dando um beijo na bochecha dele e saiu saltitando pela rua.

- quem é aquela maluca?

- uma garota que é minha fã.

- fã maluca, por que ela tinha que achar que eu e Castiel namorando?

- por que ela não pode ver nenhuma garota perto do Lysandre! Aliás! Tá nos devendo uma Lysandre!

- uma não! Duas! Uma por mentir por você e outra por fazer a gente se beijar!

- ok, eu pago vocês como quiserem, muito obrigado por mentirem

- ei vocês! Vão ficar aí conversando ou vamos pra escola?

- vamos. –chegamos aos fundos da escola. Os meninos iam mesmo pular o muro?

- ok, quem me ajuda a subir? – Lys ajuda ela. E já pula junto.

- e você? Quer uma ajudinha pra subir também? – Castiel debocha.

- sonha! – falo andando para trás pra dar impulso. E dou um salto passando direto pelo muro.

Castiel pula também.

- uau! Não sabia que era tão atlética!

- você iria se impressionar com o que eu sei fazer! – entramos na escola e Castiel tirou umas chaves do bolso.

Ele abriu a porta principal. Depois fomos até o porão, ele abriu aquela porta com as chaves também.

- como vocês tem as chaves da escola?

- roubando o representante babaca – eles começam a tocar.

Eles tocam muito bem!

- parabéns! Tocam muito bem!

- obrigado.

- eu sei

- Castiel como você é modesto!

- sou mesmo! Às vezes até eu mesmo me impressiono! – balanço a cabeça rindo

- e você japa?

- eu o que?

- sabe fazer alguma coisa de útil?

- eu toco um pouco, e fiz algumas aulas de canto.

- mesmo? E será que pode nos mostrar as suas habilidades?

- por que não? – peguei a guitarra das mãos de Castiel e cantei Uncover – Zara Larsson.

Até que eu consegui improvisar bem!

Quando terminei a música olhei para Castiel, Lysandre e Clarinha, os três estavam paralisados.

- uau! Yumi você canta muito bem!

- incrível!

- obrigada!

- er Castiel? – Lysandre pergunta depois de ver que o amigo estava imóvel.

- oi?- ele balança a cabeça como se estivesse saindo de algum transe.

- tudo bem?

-sim, sim. Yumi, você canta bem mesmo. Vamos pra minha casa? Já é quase 17:00.

- bora!

Pov Castiel

Eu não acredito! A Yumi canta muito bem! É a garota perfeita! E o os lábios dela são tão macios! PERA! POR QUE EU TÔ FALANDO ISSO? Eu devo tá com algum problema só pode!

Pov Yumi

Passamos a tarde inteira conversando sobre várias coisas, nem vi o tempo passar, quando fui ver, já eram quase nove da noite!

- gente olha à hora! Vou ter que ir pra casa, já tá praticamente noite!

- que pena, bem que você podia dormir aqui né? É... Yumi dorme aqui em casa hoje! O Lysandre vai passar a noite aqui também! Aí a gente pode fazer uma hiper festa do pijama! Deixa Castiel deixa?

- o que? Não...

- a vá! Por favorzinho? Vai deixar sua “namorada” ir pra casa sozinha essas horas?

- cala a boca Clarinha!

- então deixa elá dormir aqui! Você quer né Yumi?

- é claro que eu fico! – falo só pra irritar o Castiel.

- oferecida! Ok...

- EBA!! – ela fala dando um abraço em mim e depois um no Castiel. – brigadu maninho lindo do meu coração! – Castiel balança a cabeça rindo.

Pedimos uma pizza e ligamos em alguma série aleatória da Netflix.

- ok eu e o Lys dormimos no sofá e você e a Yumi no tapete!

- o que? Quem é que fez um bolo pra você?

- você fez. Mas o Lys trouxe o sorvete!

- ok, eu aceito. – Castiel trouxe alguns cobertores.

Eu me arrumei o melhor que pude, eu ia dormir de roupas mesmo. Clarinha colocou um pijama de unicórnio muito fofis!

Castiel sentou ao meu lado e tirou a camisa.

- Castiel!

- que foi Clarinha?

- que feio ficar tirando a roupa na frente das meninas.

- a meu Deus você nunca me viu sem camisa né? Vai Lysandre tira a sua também!

- eu? Por quê?

- sim você, porque eu tô mandando! – Lysandre também tira a camiseta. E meu Deus! Que homem forte!

Ficamos até tarde da noite acordados, na verdade eu e Castiel ficamos, o Lysandre e a Clarinha apagaram rapidinho.

Depois das 2 da manhã decidimos ir dormir também, Castiel deitou de frente, eu não podia perder a oportunidade de deixar ele corado mais uma vez. Me deitei em seu peito. Eu não pude ver a cara dele, mas acho que ele corou.

- er, o que você tá fazendo? – eu não respondo fingindo que estou dormindo. – aff! Você é realmente insuportável! – sorri satisfeita – você tá acordada! Não acredito!

- abraço – murmuro, quero muito ver essa cena!

- te. Odeio!- ele fala antes de passar os braços pela minha cintura. Eu deveria começar a rir, mas estava tão confortável que eu realmente estava começando a dormir – boa noite tábua- é a última coisa que eu escuto antes de dormir.

- bom dia! – ouço Clarinha falar. E quando abri os olhos, me deparo com a coisa mais horripilante do mundo: um sapo! Nas mãos dela!

- AAAAAAAAAAH!!!!!!!!!!!!!!!!- grito um pouquinho (muito) assustada.

Castiel acorda com meu grito. E Dragon (que dormiu nos meus pés) começa a latir. Lysandre estava na cozinha fazendo o café, veio ver o que aconteceu.

- Dragon para! Yumi você tá bem? – ele pergunta ao ver minha cara de espanto, em cima do sofá dele.

- v-vou ficar quando a Clarinha tirar esse bicho de perto de mim!

- Clarinha da onde você tirou esse bicho?

- eu achei atrás da escola de vocês ontem quando estávamos saindo. Mas ele tá morto.

- aí meu Deus que nojo. Cadê a minha bombinha? Eu Acho que tô com falta de ar – falo mais desesperada ainda com o fato dele estar morto.

- joga isso fora!

- tá bom! – ela fala indo em direção a cozinha. Provavelmente vai jogar no lixo.

- você tá bem? – Castiel fala colocando a mão na boca para tentar abafar os risos.

- tô... Só.. Minha mochila... - ele me entrega a mochila e eu pego a minha bombinha pra asma – agora eu tô bem! E você não ri! – aponto para Lysandre que estava vermelho de tanto segurar a risada, quase rindo também.

- bem vamos tomar café? – Castiel fala – ou você quer que a gente tire o sapo de dentro do lixo também?

- idiota! – falo dando um tapinha no ombro dele que ri.

- desculpa pelo sapo, eu queria assustar o Castiel.

- tudo bem.

- você tem mesmo medo de sapo né?

- sim. Bufonofobia. É bem, uma fobia.

- o que é fobia?

- é ter pânico de alguma coisa.

- o Castiel tem isso!

- eu o que? Não tenho nada!

- tem sim! Você não pode ver um palhaço que já sai correndo!

- Mentira!

- verdade!

- deu de discutir gente! – Lysandre fala calmo como sempre.

-Irmãos, sempre discutem! É normal Lysandre.

- com certeza, eu e o Ryou sempre discutimos- só então me lembro que não liguei pra ele ontem! Ele já deve ter chamado até a polícia pra me achar – com licença, eu preciso ligar pro meu irmão rapidinho – falo indo para a sala.

Celular on

- alô?

- ONDE VOCÊ TÁ CRIATURA? QUER ME MATAR DO CORAÇÃO PORRA!!

- desculpa eu esqueci! Mas eu tô bem! Não é isso que importa?

- Onde. Você. Tá?

- na casa de um amigo

- amigO?

- sim, você não conhece.

- quem disse que você podia?

- eu ia voltar para a casa de noite?

- tá bom. Então daí você vai pra escola?

- sim. Te ligo quando sair tá?

- tá bom.

- beijo Praga

- tchau problematica

Celular off

- bem vamos pra escola então?

- bora.

- vocês já vão? Mas eu vou ficar sozinha!

- não, vai ficar com o Dragon!

- tá bom! Tchau! Te amo – ela fala dando um abraço no irmão.

- tchau Clarinha... também te amo Praga. – fomos direto para a escola, a Akemi, o Kentin, o Armin, o Alexy e a Rosa já estavam lá.

- oi miguis! – Alexy fala me abraçando.

Retribuo o abraço. E vejo Debrah entrando na escola falando com alguém no celular.

- sim, sim.... tá ela tá chegando.... já sabe o plano né? O carro já tá pronto?– que plano? Coisa boa é que não é.

Eu olho para o outro lado da rua, a Helena estava chegando.

Mas quando estava atravessando a rua, um carro pegou ela em cheio!

- HELENA! – Lysandre grita, eles vão lá acudir ela.

- que pena não? Que acidente horrível, é nisso que dá a pessoa falar as coisas com a janela aberta. – Debrah fala sorrindo. Aquela vadia filha da puta tem a ver com isso?

Pego ela pelo pescoço e a prendo na parede.

- olha aqui sua vadia! Eu só não de bato agora porque a minha amiga está caída ali no chão, mas eu juro! É melhor você sumir da cidade, porque na próxima vez que eu te vir, não importa a onde, não importa como, nem com quem! Eu vou te mandar pra onde você nunca deveria ter saído: o INFERNO sua demonia! – solto ela e vou ajudar a Helena.

A ambulância chegou rápido, Lysandre foi com ela na ambulância, e eu e Castiel fomos atrás.

Os outros entraram na escola, não ia adiantar de nada eles lá, então eu disse que os manteria informados.

Chegamos ao hospital, Lysandre estava sentado na sala de esperas.

- Castiel vai lá falar com ele!

- por que eu?

- porque você é o melhor amigo dele ué!

- tá bom

Pov Castiel

Me sento ao lado dele

- cara, se acalma, ela já tá sendo tratada!

- você fala isso porque não é com você né! Imagina se fosse a garota que você gostasse! – ele fala nervoso, mas ele tinha razão.

- desculpa, sabe que eu não sou bom com essas coisas!

- claro! Mas rastejar aos pés da Debrah você sabe né!

- lá vem você com esse papo de novo né! Quer saber? Vou ir embora que eu ganho mais que ficar aqui ouvindo você reclamar! – me levanto e vou em direção a saída

- espera Castiel! - Lysandre fala, mas eu finjo que não escutei.

– você vai ficar ai ou vai comigo? – pergunto para a Yumi.

-vou ficar até os pais da Helena chegarem, pro Lys não ficar sozinho, te ligo quando eu sair.

- ok – eu não acredito que deixei meu amigo sozinho, que espécie de amigo eu sou?

Volto para dentro do hospital. E encontro ele e a Yumi abraçados.

Pois é, parece que ele não precisa de mim né!

Há. Eu sou um idiota mesmo!

Pov. Yumi

Assim que Castiel sai, eu sento ao lado do Lys.

- o que foi?

- eu sou um estúpido! – ele fala suspirando

-por que exatamente?

- consegui fazer meu melhor amigo me odiar!

- Castiel não te odeia, eu vi como vocês são quase irmãos. Alias você ta nervoso, ele tem que entender isso!

- não sei… eu tô muito preocupado com a Helena.

-da pra ver na sua cara. Você gosta dela né?

- sim, e muito… eu estou com medo.

- medo de que?

- dela não acordar! Não conseguiria suportar isso – ele está quase chorando.

Eu dei um abraço nele. Para que se acalmasse.

Logo depois os pais da Helena chegam.

- Lysandre! O que aconteceu? – fala a mãe da Helena

- um carro bateu na Helena.

- e como aconteceu? Ele prestou socorro?

- não sei como, mas não, ele fugiu.

- ai meu Deus – a mulher fala se sentando.

- bem, eu acho que eu já vou indo ta, me avisa quando a Helena acordar – falo para o Lysandre.

Ele apenas balança a cabeça em afirmação.

Assim que eu saio ligo para Castiel umas sete vezes, mas ele não me atendeu. Que estranho!

Peguei um ônibus e fui para a casa, não iria conseguir estudar do jeito que eu estava ainda mais se aquela vadia estivesse pela escola ainda.

Assim que cheguei tomei um banho, troquei de roupas e me deitei. Mas antes mandei uma mensagem pro Castiel:

“oi, to preocupada com vc, assim q ler essa mensagem pode me ligar pfr?

Bjs Yumi”

Continua …


Notas Finais


O que acham que vai acontecer?
Não se acanhem, comentem... Isso nos motiva :)
Kisses e até o próximo😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...