1. Spirit Fanfics >
  2. Unidos Pelo Divórcio >
  3. País Das Maravilhas

História Unidos Pelo Divórcio - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá!! Eu sei que demorei, perdão! Aqui tá uma correria. Mas esse capítulo compensa TUDO!
EU AMEI ELE!!
Leiam com atenção e amor💙💌

Capítulo 6 - País Das Maravilhas


"Jungkook estava desenhando no sofá, Jimin estava sentado atrás dele com as pernas ao redor de sua cintura; espiava o desenho por cima do ombro de Jungkook. Um gato risonho em tons de rosa e roxo observava, maravilhado, um coelho branco com óculos e relógio de bolso dormir em uma cadeira. 

ㅡ Somos nós? ㅡ Jimin perguntou curioso.

ㅡ Talvez.

Jungkook riu ao ouvir o "Aish!" de Jimin, que não enxergava o desenho direito mas queria que fossem eles. Jungkook enrubesceu e sorriu sem jeito.

Jimin tinha dado a ele o país das maravilhas todo, só não sabia disso."


ㅡ Papai…

ㅡ Hm…

ㅡ Papai…

ㅡ Hmm… ㅡ sentiu sua bochecha ser empurrada.

ㅡ Papai! 

ㅡ Hm? O quê? O quê? 

Jimin acordou, sentou na cama assustado. Não estava enxergando nada e passou as mãos nos olhos. Bonhwa estava sentado na cama. Estava com os cabelinhos em pé e rosto inchado de sono. Jimin sorriu e puxou o menino para perto, beijou sua bochecha várias vezes.

ㅡ O que foi, meu anjo? Está doendo alguma coisa?

ㅡ Não, papai. Tio Tae e Tio Gi saíram há um tempão e eu dormi de novo. Mas agora tô com fome. Vamos comer, papai!

ㅡ Vamos, vamos sim. Só me deixe ver a hora… ㅡ seus olhos saltaram quando pegou seu celular. ㅡ Meio dia?! Meu deus, Bonnie…

Jimin levou o filho até a cozinha e, para não fazer Bonnie esperar muito para comer, pediu uma pizza. Ela chegaria em 15 minutos e Bonnie estava com cara de sono e passava a mão em sua barriga gordinha. Jimin se sentia um monstro.

ㅡ Bebê, papai não quis dormir tanto. Achei que Taehyung ou Yoongi fossem me acordar antes de sair. Desculpe, meu anjo. Desculpe.

Beijou a bochecha de Bonhwa e o abraçou por trás; ele estava sentado no banco alto da bancada, pois gostava de balançar os pés. Jimin tinha medo que ele caísse e por isso sempre estava por perto, pronto para segurá-lo. Bonhwa fez um barulho com a boca e se virou para falar com Jimin.

ㅡ Não estou bravo, papai. Estou com fome. Ainda vai demorar muito?

ㅡ Uns 15 minutos.

ㅡ E quanto é isso? ㅡ Jimin sorriu e beijou a mão direita do filho.

ㅡ O tempo de um episódio de desenho, bebê.

ㅡ Mas isso é tanto tempo! ㅡ colocou as mãos nas bochechas e mexeu a cabeça para os lados. Jimin tirou uma presilha do cabelo de Bonnie.

ㅡ Quem colocou isso em você?

ㅡ Tio Gi. Ele disse que combinava com minhas bochechas rosas. Mas minhas bochechas não são rosas. ㅡ segurou as bochechas. ㅡ São brancas, não são?

ㅡ Devem ser. Devem ser, anjo. ㅡ Jimin apoiou o queixo na mão e sorriu para o filho.

ㅡ Não faz essa cara, papai! Sempre que me olha assim fica parado e não ouve o que eu falo!

ㅡ O quê? ㅡ Jimin riu alto e pegou Bonhwa no colo. ㅡ Eu faço isso? ㅡ Bonnie concordou com a cabeça. 

ㅡ Você olha assim pro papai também. Tio Jin disse que é "cara de bobo apaixonado".

ㅡ Ah… Disse? Bom, vamos assistir algo? Daqui a pouco a pizza chega e eu prometo que você pode comer o quanto quiser! Ok?

Jimin seguiu com o filho até a sala e as palavras dele não saíam de sua cabeça. Ele deixava assim tão óbvio quando estava apaixonado? Não conseguia ficar sério perto de Bonnie. O amava tanto que se sentia entorpecido, e isso não era novidade.

Também sentia isso por Jungkook. Mas será que nunca deixaria de ser tão notável?


{...}


A pizza grande de queijo acabou em poucos minutos e Jimin passou a tarde toda fazendo absolutamente tudo que seu filho queria. Assistiram desenhos, dançaram, cantaram, fizeram desenhos, pintaram as unhas com os esmaltes do Taehyung, correram pelo apartamento e Jimin até deixou Bonnie usar suas gravatas como laço para tentar pegar os passarinhos que voavam perto da janela. Jimin só saiu do país das maravilhas, para que seu filho o levava, quando recebeu um e-mail avisando que deveria aparecer no estúdio segunda de manhã.

Suspirou pesado. Tinha esquecido de seu novo emprego temporário. Estranhou Jungkook não ter ligado ainda e mandou uma mensagem a ele. Só teve tempo de clicar enviar antes de Bonnie surgir na cozinha com um gato.

ㅡ Aonde foi que você achou esse gato?!


{...}


ㅡ Jimin, me desculpe!!

Era o que Jungkook clamava ao telefone. Havia se esquecido de ligar o despertador e acordou às 15:34 da tarde com Seokjin o chamando. Jin tinha uma chave reserva para caso de emergências e ficou chocado ao encontrar Jeon Jungkook, o idoso que às 07:00 já estava tomando café e lendo jornal, dormindo até aquela hora. Jungkook acordou assustado e a primeira coisa que fez foi pegar seu celular e ligar para Jimin. 

E se tivesse acontecido algo? E se Bonnie precisasse dele?! Jungkook estava tendo uma crise.

Tudo bem, tudo bem… ㅡ Jimin repetia. Sua voz doce acalmava o coração acelerado de Jungkook. ㅡ Você trabalha muito mesmo estando desempregado, entendo que tenha dormido tanto. Você sempre dormia muito quando eu não te chamava… Enfim, ah… recebeu o e-mail do estúdio? Vi agora a pouco.

ㅡ E-mail do estúdio? Meu deus, eu mal abri os olhos ainda. Vou checar logo! Mas do que se trata? ㅡ passava os dedos nos olhos com a mão livre.

No meu, dizia que tenho que estar no estúdio segunda de manhã, imagino que seja o mesmo pra você, mas não sei.

ㅡ Certo, certo, verei. E o Bonnie? Ele está bem?

Está sim. Espere. ㅡ Jungkook ouviu Jimin chamar Bonhwa.

Oi, papai! ㅡ Bonhwa disse ofegante.

ㅡ Oi, meu amor, oi! Por que está respirando assim? Estava correndo? Você está bem? Está se divertindo?

Jungkook andava até a cozinha com o celular,  Seokjin apenas o seguiu e começou a fazer café para os dois, mesmo que Seokjin fosse beber a cerveja em sua bolsa.

Eu estava correndo atrás do gato.

ㅡ Gato? Jimin adotou um gato?

É o gato do vizinho.

ㅡ E por que o gato do vizinho está aí?!

Eu peguei.

ㅡ O quê? Como? Por quê? Ele não arranhou você?

Seokjin revirou os olhos para aquela conversa e se concentrou em seu café. Jungkook estava cortando pão.

Não. Ele é fofinho, papai! Ele estava no corredor e eu peguei ele!

ㅡ Jimin sabe disso? ㅡ ouviu Jimin dizer ao fundo: "Estou tentando levar o gato de volta!" ㅡ Certo... O que você e seu pai estão fazendo?

A gente está brincando, papai. O papai Jimin deixou eu pintar as unhas com a tinta do Tio Tae!

ㅡ Tintas? Não seriam esmaltes?

Acho que é. Não sei como fala. Mas agora meus dedos estão vermelhos, papai! Depois… depois o papai manda uma foto pra você.

ㅡ Ok, vou esperar. Que bom que está se divertindo, filho. O papai tem muita coisa pra fazer agora. Devolva o celular para o papai Jimin.

Tá bom, pai. Se o Tio Jin for aí diz que eu mandei oi! Tchau, papai! Te amo, papai! 

Bonhwa correu até Jimin e deu o celular a ele. Jungkook escutou os passinhos rápidos e negou com a cabeça. Mandou beijo antes de Jimin falar ao celular.

Oi, Jungkook. Não sei como ele viu o gato! A porta estava fechada e de repente Bonnie apareceu com o gato do vizinho! Realmente não entendi!

ㅡ Nem eu. ㅡ riu. ㅡ Tenho muita coisa pra fazer, Jimin. Jin está aqui, não disse ao Bonnie porque ele enrola demais com o hyung. Vou arrumar tudo por aqui e depois te aviso sobre o e-mail. Tchau, Jimin.

Não trabalhe demais! Tchau, Jungkook.

Jimin desligou antes que Jungkook pudesse dizer algo. Ele se preocupava e Jungkook sabia; fazia ele se sentir amado e importante. Às vezes ele esquecia disso durante sua rotina sem pausa.

ㅡ Quer café? Fiz pra você. ㅡ Seokjin perguntou e encheu a xícara.

ㅡ Não, não, pode tomar.

ㅡ Eu trouxe cerveja pra mim, Jungkook. Tome logo esse café.

Jungkook nem tentou discutir com Seokjin e aceitou o café. Pensava sobre como se sentia perdido sem seu filho por perto. Jimin também devia se sentir assim, não é? Sentir que as coisas eram menos alegres e significativas sem o filho por perto. Ele não parecia sentir. Jimin tinha mais vida. Jimin com certeza tinha mais vida.

Jungkook não seria nada sem Jimin, e Jimin o tornou nada quando assinou os papéis do divórcio. Um nada que ele queria reerguer e animar com o sorriso do filho, mas que não conseguia. Não conseguia, pois sabia que não era certo colocar em seu filho a responsabilidade de o fazer feliz e completo. Isso é algo que ele devia fazer.

Mas ele não sabia fazer. Não sabia ser feliz e completo. Ele só sabia sorrir da felicidade alheia e ser completo dividindo a si mesmo com alguém.

"Talvez seja consequência do abandono dos meus pais?" ele pensava às vezes. Gostaria de perguntar a Jimin. Mas como poderia? Eles não eram mais um casal. Eles não eram mais uma metade.

Eles não estavam mais juntos.

E Jungkook não estava mais completo.


{...}



ㅡ Papai, quando você vai voltar a trabalhar? ㅡ Bonhwa perguntou a Jimin enquanto eles pintavam algumas camisas que Jimin achou no fundo do armário.

ㅡ Ah… Eu não sei bem. Quando eu achar um lugar. Acho que vai ser logo. Por quê?

ㅡ Eu gosto que você não trabalhe. Você pode ficar mais comigo.

ㅡ É, posso sim. ㅡ sorriu e passou a mão na cabeça do filho, acabou por sujá-lo de tinta. Sua risada alta surgiu e Bonhwa não entendeu. ㅡ Desculpe, desculpe..

ㅡ O que foi? Eu sou engraçado, papai?

ㅡ O quê? Não, não é isso. Eu sujei seu cabelo com tinta azul. Me perdoe. ㅡ beijou o nariz de Bonnie.

ㅡ Ah! Aonde? Aonde foi? ㅡ passou as mãozinhas pequenas pela cabeça. Jimin levou seus dedos gordinhos até a mecha azul. ㅡ É aqui? ㅡ Jimin concordou. ㅡ E agora? Tenho que tomar banho?

ㅡ Acho que tem. Se isso secar e você aparecer azul em casa, Jungkook vai me matar e seus professores vão dizer que somos pais ruins.

ㅡ Aah! Mas isso não é justo! Os professores não tem nada a ver com a minha vida!

ㅡ Meu deus, Bonhwa! Você parece Seokjin falando! ㅡ Jimin passou as mãos no rosto.

ㅡ Tio Jin me disse que… Que… Como ele disse? ㅡ passou a mão no rosto. Agora seu rosto também estava sujo de tinta. ㅡ Aa! "Se as pessoas se importam tanto assim com o que os outros fazem deviam ficar em casa, e não por aí incomodando!"

Jimin queria rir, mas também estava assustado com o quão Bonnie se parecia com Seokjin e queria ligar para Jungkook e perguntar quantas horas por semana Seokjin fica com Bonhwa. Se Bonnie falasse aquilo para algum professor Jungkook teria um ataque.

ㅡ Não fale assim perto dos seus professores ou pessoas estranhas, tá bom? Elas podem ficar bravas. ㅡ Bonnie concordou e eles voltaram a pintar a camisa. ㅡ Seokjin está certo, anjo. Ninguém tem nada a ver com o que fazemos, mas às vezes as pessoas acham que podem nos dizer o que fazer e são maldosas. Por isso tenha cuidado, ok? Seja educado com elas mesmo que não sejam legais.

ㅡ Tipo as crianças da escola?

ㅡ Elas não são legais com você? Achei que você fosse amigo do Mike.

ㅡ Eu sou. Do Mike e do Jongdae. O Mike me chama de hyung e eu gosto. Me sinto grande! ㅡ sorriu. ㅡ As outras crianças que são malvadas.

Jimin sentiu um aperto no peito e uma raiva quase indescritível subir por seu corpo. Mordeu o lábio e bufou.

ㅡ Elas dizem coisas ruins pra você?

ㅡ Elas me olham feio quando você ou papai Jungkook me buscam na escola e às vezes elas dizem que eu tenho que ter uma mãe. Mas eu não tenho que ter uma mãe. Não é? ㅡ olhou para Jimin. Jimin sorriu, tentou dispersar a tensão que sentia.

ㅡ Não, meu bem. Não tem. Você só tem que ter alguém que ame e cuide de você. Eu e seu pai fazemos isso. Não acha?

ㅡ Sim. As crianças que não acham, eu acho. São esquisitas.

Jimin passou a mão no cabelo de Bonnie mais uma vez e se lembrou que tinha que tirar a tinta dali, então levou ele para tomar banho. Ligaria para Jungkook depois, eles tinham que conversar.


{...}


ㅡ Papai, por que você e o papai Jungkook gostam tanto deste desenho? ㅡ Bonnie perguntou e se ajeitou no colo de Jimin. 

ㅡ Na verdade, seu pai gosta muito. Desde sempre. E nós começamos a assistir juntos sempre que ele dormia na minha casa. 

ㅡ Por que o papai gosta?

ㅡ Papai Jungkook? ㅡ Bonnie concordou com a cabeça. Às vezes quando Bonhwa dizia só "papai" ninguém sabia a qual deles ele se referia. ㅡ Ele dizia que queria ser como a Alice quando era criança. Ele queria ir para o país das maravilhas e conhecer criaturas mágicas.

ㅡ Hm. Eu acho esse desenho muito esquisito. Só gosto do coelho.

ㅡ O coelho também é o meu favorito. Me lembra o seu pai.

O filme estava só no começo e Jimin não podia evitar a nostalgia. Tinha assistido tanto aquele filme com Jungkook, tinham sido boas noites. Noites boas demais pra que Jimin se sentisse mal lembrando delas. 

Pegou seu celular e mandou uma mensagem a Jungkook dizendo que queria conversar com ele. "Posso passar aí? Posso levar comida e jantamos juntos." foi a resposta de Jungkook. Jimin sorriu e negou com a cabeça. Jungkook sempre achava uma maneira de fazer eles ficarem juntos. Respondeu que estava tudo bem e voltou a assistir com Bonnie. Meia hora depois, Jungkook bateu na porta. Estava com sacolas de comida tailandesa e uma caixinha com um chaveirinho que comprou para o filho.

ㅡ Nossa, quanta comida! Me dê aqui. ㅡ Jimin pegou uma sacola e a levou até a bancada da cozinha.

ㅡ Achei que Tae e Yoongi estavam aqui e trouxe pra eles também. ㅡ Jungkook respondeu enquanto dava um abraço em Bonnie. ㅡ Ah, estão assistindo Alice No País Das Maravilhas?

ㅡ Sim, Bonnie disse que gosta do coelho. ㅡ Jimin tirava as embalagens de comida das sacolas. ㅡ Tae e Yoongi vão voltar só mais tarde, eles têm muito trabalho. Mas guardo a comida deles.

Jungkook assentiu. Se sentaram os três no sofá e jantaram enquanto assistiam Alice No País Das Maravilhas e Bonnie falava sobre as coisas que tinha feito. Jimin e Jungkook foram para a cozinha quase no fim do filme para conversar. Estavam tomando suco de maçã, já que Jungkook não bebia.

ㅡ O que queria dizer?

ㅡ Bonnie disse que as crianças na escola são maldosas com ele. Olham feio quando vamos buscar ele e dizem que ele devia ter uma mãe. Não sei se ele já tinha te contado, só achei que devíamos falar disso.

ㅡ Droga… ㅡ Jungkook passou as mãos no rosto. ㅡ Eu sabia que eles olhavam estranho, você vê como as mães olham pra nós também. Ele me disse um tempo atrás que um menino tinha perguntado por que ele tinha dois pais. Eu ainda te disse, lembra? ㅡ Jimin concordou. ㅡ Mas ele nunca mais reclamou disso. Acha que ele não confia em mim? Será que sou desatento? ㅡ bufou e encarou Jimin. Jimin apenas riu e tomou um gole de suco.

ㅡ Você? Desatento? Jungkook, pelo amor de Deus. Você sabe até quantas vezes ele faz cocô por semana.

ㅡ Você também sabe.

ㅡ Esse não é o foco do assunto. ㅡ riram. ㅡ Você não é desatento e ele confia em você, sim. Acho que ele não te disse justamente porque você se preocupa. Você sabe que Bonnie nos conhece bem. E passa tempo demais com Jin hyung.

ㅡ Ah, sim. E como! Tenho certeza que ele conta muito mais coisas para o Seokjin do que pra mim.

ㅡ Pra nós. Nós somos os pais, Jungkook. Não podemos competir com o tio legal.

Jungkook riu e tomou o resto do suco. Jimin olhou Bonnie assistindo no sofá da sala, estava quase dormindo.

ㅡ Você ainda gosta deste filme? ㅡ Jungkook perguntou. Jimin fez que sim com a cabeça.

Os dois se olharam por alguns segundos e sorriram. Tinham muitas memórias, muitas boas memórias e elas deixavam ambos muito sentimentais. O filme e as lembranças que ele carregava eram muito significativas para os dois.

ㅡ Aliás, recebi o mesmo e-mail que você. Tem alguma ideia do que vamos fazer? ㅡ Jungkook quebrou o silêncio.

ㅡ Não. Não deram detalhes. Mas acho que vão nos dizer tu… ㅡ Jimin viu uma aranha no chão da sala. ㅡ Jungkook, não vire pra trás.

ㅡ O quê? Por quê? ㅡ Jimin segurou o rosto dele.

ㅡ Não vire pra trás. ㅡ Jimin repetiu, sério, olhando nos olhos de Jungkook, que engoliu em seco e concordou.

Jimin foi até a sala e o som de seu sapato esmagando a aranha foi o bastante para Jungkook sentir um arrepio pelo corpo todo e olhar suas roupas instintivamente. Jimin voltou a bancada e bufou; torceu tanto para que aquilo não acontecesse.

ㅡ Está acontecendo uma infestação aqui e…

ㅡ Infestação?! ㅡ os olhos de Jungkook saltaram e Jimin se xingou por ter abordado o assunto daquele jeito. ㅡ P-por que não me disse?! É perigoso?

ㅡ Não, não. Eu vou explicar! Só… Só beba mais suco, tá bom? ㅡ encheu o copo de Jungkook novamente. ㅡ Tem realmente um número ridículo de aranhas no apartamento, mas eu, Tae e Yoongi estamos lidando com isso. Bonnie não corre nenhum perigo e estou tomando cuidado. Vou entender se você não vier mais aqui, mas te garanto que não te deixaria entrar se fosse assim tão ruim e só não te avisei porque não queria te preocupar.

Jungkook suspirou e passou as mãos pelo cabelo. Odiava quando isso acontecia e não podia evitar de se repreender. Sua aracnofobia o perturbava tanto quanto o envergonhava.

ㅡ Me desculpe, me desculpe. É impulsivo. 

ㅡ Não tem que se desculpar. Eu sei. ㅡ Jimin mordeu o lábio. ㅡ Tome aquele chá que você gosta antes de dormir hoje, pra não ficar ansioso.

Jungkook assentiu. Queria esconder seu rosto nas mangas do casaco. Não tinha medo de dividir nenhum assunto com Jimin, mas sua fobia e todo o cuidado que Jimin tinha com isso faziam ele se sentir uma criança, e ele odiava isso. Jimin sabia e tocou a mão de Jungkook. Os dedos gordinhos e macios fizeram Jungkook viajar.

ㅡ Bom… Eu vou indo. Já conversamos e jantamos. ㅡ se levantou. Jimin lamentou que suas mãos estivessem longe novamente. ㅡ Ligo amanhã e nos vemos segunda.

Deixou um beijo na bochecha do filho, que dormia no sofá, e foi até a porta. Jimin agradeceu pela comida e pela noite, e Jungkook saiu. Jimin o viu andar pelo corredor. Jungkook parou na metade e olhou para trás. 

Os olhares se cruzaram e Jimin acenou. A tatuagem de um coelho de óculos em seu pulso fez Jungkook enrubescer e sorrir, acenando de volta. A tatuagem de um gato de sorriso grande em seu pulso fez Jimin corar e sorrir também.

Eles ainda tinham seu país das maravilhas.


Notas Finais


Estão se cuidando? Espero que sim. Sigam todos os protocolos, gente.
E aí? O quê estão achando? Me digam!
Até💙💌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...