História Uniquely Perfect - Camren - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila, Camilacabello, Camren, Hibridos, Hybrid, Lauren, Laurenjauregui, Laurmila
Visualizações 363
Palavras 2.591
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - 15


Fanfic / Fanfiction Uniquely Perfect - Camren - Capítulo 15 - 15

 

Lauren POV

 

Adormecer não tinha sido fácil, mas eu consegui fazer isso no sofá depois de comer torradas no jantar. No momento em que eu acordei, sentei-me e verifiquei as horas no meu telefone.

08h45min AM.

Havia cerca de cinco mensagens de texto de Dinah perguntando se eu estava bem. Eu respondi garantindo que estava bem e que depois do almoço eu iria visitá-la.

Depois do almoço.

Eu teria Camila e Ally de volta depois do almoço.

Na verdade, eu teria Camila e Ally de volta em menos de quatro horas. Se tudo correr bem, na próxima vez eu que me sentasse no sofá, teria Camila se enrolando a mim novamente.

Corri para a cozinha, era hora de tomar café da manhã. Agora eu só tinha que encontrar uma maneira de matar o tempo até que pudesse ir buscar a menina gatinha e Ally. Eu fiz uma tigela de cereal, lembrando que Camila estaria de volta em breve, lembrando também que não havia uma cabeça com cabelos longos e ondulados por cima do meu ombro e me dizendo que a caixa era um retângulo.

Para minha grande consternação, no momento em que eu terminei o meu cereal e lavei minha tigela e colher, ainda eram nove e quinze. Eu caí de volta na mesa da cozinha, olhando para o relógio no meu forno.

Seria pedir demais que as três horas passassem logo?

Eu decidi que iria tomar um banho para passar o tempo, demorando o máximo que pude. Uma vez que eu estava de banho tomado, escovei os dentes e coloquei uma calça de moletom preta, uma camiseta cinza e um suéter verde, eram dez e meia. Eu tinha menos de duas horas para ir.

Eu varri o chão da cozinha, limpei o balcão e até peguei algumas tigelas que estavam limpas dentro dos armários e as lavei, apenas para ter algo que fazer. Finalmente, eram onze e meia, rapidamente fui calçar meus tênis, coloquei meu casaco, e guardei o cheque dentro do bolso do mesmo.

Peguei minhas chaves e saí entusiasmada do meu apartamento. Consegui ficar presa no trânsito enquanto eu dirigia para o estacionamento que o Dr. Cowell e eu combinamos. Finalmente as onze e cinquenta e cinco, cheguei ao estacionamento.

Para minha grande consternação, ele estava vazio. Ainda não é meio-dia, eu me lembrei. Estacionei meu carro, desliguei o motor e fiquei esperando. Quando o relógio indicava que era meio-dia e cinco, o pânico começou a se formar na minha garganta.

Dr. Cowell disse ao meio-dia, e cinco minutos já haviam se passado. Já estava chegando ao ponto em que eu estava prestes a sair do meu carro e começar a bater as coisas, quando uma van cinza chegava ao estacionamento, ao meio-dia e dezoito minutos.

Saí do meu carro e fiquei ao lado dele, hesitante. Dr. Cowell saiu do lado do motorista e caminhou calmamente em minha direção, “Boa tarde!”

Eu fui até ele: “Eu tenho o seu dinheiro, então onde elas estão?”

“Na van,” Dr. Cowell me examinou. “Onde está o meu dinheiro?”

“No meu bolso”, eu respondi.

“Mostre-me”, ele sorriu.

“Mostre-me Camila e Ally primeiro.” Eu cruzei os braços.

“Este acordo não vai funcionar muito bem se você não colaborar comigo.” Dr. Cowell franziu os lábios.

Puxei o cheque do meu bolso em frustração: “Veja! Seu dinheiro está aqui! Agora me mostre Ally e Camila.”

“Um cheque?” Dr. Cowell disse cético. “Como eu sei que o cheque vai funcionar? Talvez eu deva cancelar o negócio...”

“Não!” Engoli em seco, freneticamente empurrando o cheque para ele. “Ele vai funcionar! Prometo que vai funcionar!”

Dr. Cowell olhou para o pedaço de papel em minhas mãos antes de arrancá-lo de mim com um encolher de ombros: “Siga-me.”

Eu suspirei de alívio, seguindo Dr. Cowell de perto enquanto ele abria a parte de trás da van. Assim que ele abriu a porta de trás, meus olhos se fixaram em duas grandes gaiolas com suas frentes cobertas com cobertores. Eu engasguei de surpresa: “Você as colocou em gaiolas?”

Ambas as gaiolas sacudiram em surpresa quando as ocupantes ouviram a minha voz. Um grito que eu identifiquei como sendo o de Camila perguntou: “L-Lolo?”

A voz de Ally soou, “Laur, é você?”

Tirei os cobertores de cima das gaiolas, revelando dois pares de grandes olhos piscando para mim por trás das portas fechadas.

“Lauren!” Camila gritou, suas mãos voando para empurrar a porta da caixa, seus dedos furando através do metal em um desespero para me alcançar. Eu avancei para abrir a porta, mas fui recebida com um cadeado, precisando de uma chave para abrir.

“Abra!” Implorei para o Dr. Cowell.

Dr. Cowell bufou, avançando para destrancar as gaiolas de Camila e Ally. A primeira era a de Camila, ele a abriu e foi destrancar a de Ally, e eu já estava arrancando a porta da gaiola. Camila saiu da gaiola e se agarrou a mim tão forte quanto ela podia, choramingando um mantra de: “Lauren, Lauren, Lauren...”

Seus braços se enrolaram em volta do meu pescoço, suas pernas fizeram o mesmo em volta da minha cintura, e seu rosto estava enterrado em meu ombro. Agarrei-me a ela apenas com força, a felicidade me percorrendo agora que eu sabia que Camila estava segura. Eu gentilmente acariciei as suas costas e sussurrei suavemente: “Você está bem... Você está bem agora.”

“L-Lauren chegou p-para p-pegar C-Camila,” a menina dizia ofegante em meu ombro. “L-Lauren n-não d-deixou Dr. Cowell f-ficar com C-Camila.”

Uma vez que Dr. Cowell tinha destrancado a gaiola de Ally, tentei deslizar Camila para o chão para abrir a gaiola de Ally e abraçá-la, mas Camila me apertou ainda mais, “N-não, não!”

“Está tudo bem, Laur.” Ally riu, colocando os dedos na frente da grade e agilmente abriu a porta.

“Abrace-me, Allyson!” Exigi. “Eu senti sua falta!”

“Bem, nós só estivemos fora por um dia... Mas eu definitivamente senti sua falta”, Ally jogou seus braços em volta de mim e de Camila.

“Que bom”, Dr. Cowell revirou os olhos. “Eu tenho três mil libras e você tem... Amizade. Grande coisa!”

“Nós vamos embora agora”, o informei. Cutuquei Ally com o meu braço e a apertei sobre o meu domínio, ainda estava segurando Camila, então caminhamos para o meu carro.

Para o meu alívio, Dr. Cowell subiu em sua van e foi embora. Ally foi para a parte de trás do carro perguntando: “Você está me levando para casa agora? Para Dinah? Espere, onde está Dinah? Por que ela não veio?”

Eu carregava Camila até a porta do passageiro, tentando deslizá-la para baixo novamente. Ela apertou seus braços como tinha feito antes, “Não! Você n-não p-pode colocar Camila no chão, Camila n-não quer ir para o chão!”

“Eu preciso que você entre no carro, Camz.” eu disse a ela de forma suave, deslizando a mão para acariciar levemente seus cabelos. “Eu vou estar sentado ao seu lado.”

Relutante, Camila me deixou colocá-la no chão. Ela olhou para mim, com seus grandes olhos castanhos e cheios de lágrimas, “E-eles levaram o seu p-pijama, seu s-suéter e o... E o seu gorro, e e-eles l-levaram C-Camila p-para l-longe de v-você...”

“Shhh...” eu afastei algumas lágrimas que escaparam de seus olhos. “Essas coisas não importam agora... Eu tenho você de volta e ninguém nunca mais vai tirar você de mim novamente.”

Camila ainda parecia chateada, então eu fiz o que tinha a feito sorrir antes. Eu beijei sua testa. A sensação de felicidade caiu em cima de mim. Eu estava com medo de que nunca mais veria a menina de orelhas de gatinha de novo, e agora eu estava beijando sua testa para tentar fazê-la sorrir.

Ela esboçou um leve sorriso, então eu beijei sua bochecha. Seu sorriso se alargou, e eu beijei seu nariz. Com isso, ela jogou os braços em volta de mim novamente e se enterrou no meu peito. Abracei-a com força e ri antes de abrir a porta. Ela fez beicinho, mas entrou no carro.

Assim que eu entrei no lado do motorista, Ally gemeu: “Demorou muito, eu quero ver Dinah! Por que ela não está aqui?”

“Ela não sabe que eu tenho vocês duas ainda.” eu respondi, um pouco surpresa quando Camila se inclinou sobre a marcha para chegar a minha mão. Peguei a mão dela com a minha e a apertei com cuidado. “Vai ser uma surpresa.”

“Bem, vamos lá!” Ally se contorcia com impaciência.

Eu ri, e liguei o carro. Olhando de relance para Camila e Ally, eu percebi que elas estavam ambas sem casaco e descalças. Meu queixo caiu, “Vocês vão ficar doente!” Eu acionei o aquecedor, dirigindo o mais rápido que pude para Dinah, tentando manter as duas aquecidas.

Ally estava impaciente no banco de trás, e Camila estava sentada calmamente no banco com as duas mãos tocando a que eu tinha estendido. Ela apertou minha mão com uma das mãos e acariciou as costas dela com a outra mão. Depois de vários minutos de silêncio, Camila falou: “O-Obrigada p-por r-resgatar Camila e Ally...”

Olhei para ela: “Você não deveria ter sido levada em primeiro lugar... E é claro que eu iria salvar você!”

“Nós... Lauren e Camila... Somos amigas?” ela perguntou.

“Nós somos amigas,” eu assegurei a ela. “Nós realmente somos boas amigas, Camz.”

“Isso é bom", Camila sorriu.

Finalmente, chegamos ao apartamento de Dinah. Ally estava saltando do carro em um instante e correndo para a porta. No entanto, ela aparentemente não pode entrar, porque Ally já estava batendo na porta freneticamente. Eu ri, saindo do carro. Camila saltou para fora do carro tão bem e veio para o meu lado em um instante.

"Você não está usando sapatos", disse a ela antes de carregá-la no estilo de noiva.

Finalmente, depois que Ally tinha mantido uma batida contínua, Dinah chegou e abriu a porta. Ela ainda estava de pijama e tinha olheiras escuras sob os olhos, o que significava a falta de sono. Seus olhos caíram sobre Ally, sua cauda começou a balançar animadamente.

“A-Allyson?” ela resmungou, incrédula.

Ally se lançou para Dinah, esmagando-se em seu peito e pressionando o seu rosto no dela. Dinah a puxou ainda mais para o seu peito, dando o que soou como um soluço de alívio. Ela enterrou o rosto no cabelo loiro entre as orelhas de Ally, e a garota cão beijou a linha da mandíbula dela repetidas vezes, quase chorando de alegria. Ally foi a primeira a falar: “Eu achei que nunca mais fosse te ver!”

“Eu pensei a mesma coisa...” Dinah murmurou, com o rosto ainda pressionado no cabelo de Ally. “Eu te amo tanto. Você é tudo para mim.”

“Eu te amo mais do que tudo DJ...” Ally choramingou. “Você é tudo para mim também.”

“Desculpe-me garotas,” Eu ri. “Podemos nos reunir dentro da casa? Tem uma menina gatinha descalça aqui. E a Allyson também não faz o uso de sapatos.”

Dinah saiu de seu transe, balançando a cabeça e enxugando os olhos: “Sim, sim... Desculpe, eu só-”

“Eu sei...” Eu disse a ela enquanto entrava em seu apartamento carregando Camila. “Eu sei exatamente o que você está tentando dizer.”

Eu carreguei Camila até sentá-la no sofá, tirei meu suéter e ofereci para ela. Camila assentiu com entusiasmo, puxando-o da minha mão. Depois que o vestiu, puxou-me pelo braço fazendo com que eu me sentasse ao seu lado para em seguida se enrolar a mim. Ally e Dinah vieram se sentar também, as duas garotas ficaram entre Dinah e eu. De repente, Dinah se levantou: “Esperem um minuto, deixe-me pegar dois pares de meias para elas.”

Ela rapidamente correu da sala, retornando poucos segundos depois com meias macias nas mãos. Entregou um par para Camila e um par para Ally. Camila se contorceu para colocar as meias em seus pés, e depois se enrolou contra mim mais uma vez, esfregando seu rosto contra minhas costelas. Ally calçou as meias e em seguida foi para o colo de Dinah.

Dinah acariciou o rosto de Ally e olhou para ela com amor: “Eu realmente senti a sua falta...”

Sorri para as duas, voltando minha atenção para Camila, para que as duas pudessem ter um pouco de privacidade, além do fato de que estávamos sentadas no sofá juntas. Camila parecia estar dormindo, então eu sussurrei: “Você está cansada, Camz?”

Camila acenou com a cabeça, “C-Camila n-não dormiu na j-jaula.”

Mordi o lábio, meu coração se apertou dolorosamente. Passei meu braço em torno dela e a puxei para mais perto de mim: “Você nunca mais vai voltar para lá, ok? Eu tenho você agora. Eu não vou deixar ninguém te levar.”

“P-por que somos amigas?” Camila murmurou, já meio adormecida.

“Algo como isso, Camz.” eu disse a ela com carinho, não sendo capaz de resistir à tentação de pressionar os meus lábios em sua testa. “Algo como isso.”

Camila cochilou ao meu lado, e Dinah me perguntou em voz baixa: “Como você conseguiu pegá-las de volta?”

“Dr. Cowell me ligou ontem... E fizemos um acordo.” eu admiti.

“E você não me contou?” Perguntou Dinah, aparentemente ofendida. “Eu quero que você saiba que estava péssima! Teria sido bom pelo menos me dar alguma esperança de que eu iria ver a minha Allyson novamente.” Ela cutucou o estômago de Ally quando terminou de falar, e Ally riu, se contorcendo e tentando empurrar a mão de Dinah.

“Foi uma espécie de surpresa. Provavelmente eu deveria ter dito... Mas agora é tarde demais!” Eu ri, esfregando o braço da garota de cabelos longos e lisos, enquanto ela fazia sons de gemidos tranquilamente em seu sono.

“Vocês duas são adoráveis juntas.” Dinah cantarolou antes de perguntar. “Mas, como foi esse acordo... O que você teve que negociar, exatamente?”

“Apenas mil e quinhentas libras.” Eu dei de ombros com indiferença.

“Lauren!” Dinah exclamou. “Você não tem muito dinheiro!”

“Cada uma...” Eu murmurei.

“Espera... Cada uma? Mil e quinhentas libras cada uma?” Dinah disse estridentemente.

“Shhh” eu pedi, olhando para a menina gatinho que dormia. “Valeu a pena...”

“Lógico!” Dinah assentiu com a cabeça, puxando Ally para mais perto dela. “Mas onde foi que você arranjou o dinheiro? O banco lhe permitiu um empréstimo?”

“Não”, eu balancei minha cabeça. “Mas meu gerente, Keaton, me deu o dinheiro de sua conta... Dando-me um cheque para repassar ao Dr. Cowell, melhor dizendo. Ele... Eu contei a ele um pouco sobre Camila, eu disse... Eu disse que ela era como uma gatinha. Então Keaton perguntou se Camila tinha orelhas e eu tentei mentir, mas ele sabia por que havia amado alguém como Camila. Ele já foi apaixonado por um híbrido de gato... Chamada Sabrina.”

“Então ele te deu o dinheiro, porque ele gosta de híbridos?” Dinah perguntou confusa, mas parecendo surpresa ao ouvir sobre Sabrina e Keaton.

“Acho que ele sentiu pena de nós... Porque ele perdeu Sabrina em um acidente de carro”, eu disse calmamente.

“Oh...” Dinah resmungou, seus olhos piscando até Ally, que tinha de alguma forma caído no sono também. “Isso deve ter sido horrível. Eu não sei o que eu faria se...”

“Sim”, eu balancei a cabeça, examinando Dinah e sua amada. “Eu sei... Mas Keaton me fez prometer que ele poderia conhecer Camila e Ally algum dia.”

“Bem, isso é o mínimo que podemos fazer.” Dinah assentiu. “Ele me ajudou a ter o meu mundo de volta.” Ela apontou para a menina dormindo em seu colo.

“Como você é fofa, Dinah Jane.” Eu ri.

“É verdade”, Dinah encolheu os ombros sem vergonha.

“Eu sei, amiga.” sorri, voltando meu olhar para baixo para Camila. “Elas meio que abraçam o nosso coração.”

“Realmente”, Dinah concordou.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...