1. Spirit Fanfics >
  2. Universitários brilhantes >
  3. Toda nudez deve ser mantida em segredo

História Universitários brilhantes - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem pelo capítulo curto e por ter demorado para postar, mas é que meu pulso ainda está doendo e, para piorar, ele inchou, mas eu achei melhor postar algo curto do que não postar nada, só isso mesmo, fiquem com a história!! ^w^

Capítulo 7 - Toda nudez deve ser mantida em segredo


(Tanjiro on)

 

                                                                                         08:00 da manhã.

 

Tanjiro acabara de acordar, afinal era sábado, aquele dia maravilhoso em que quase todos os estudantes levantam as mãos aos céus e dão glória a Deus, mas tinha algo estranho... O ruivo não estava reconhecendo aquele ambiente arrumado e brilhoso em que estava deitado, aonde estava aquela bagunça básica o seu quarto?? Foi aí que ele se lembrou, "Eu não estou na minha casa, esse é o quarto do Giyuu...!! Como eu pude esquecer?!?!" pensa o rapaz se virando e olhando para a cama de seu colega, ele ainda estava deitado... "Tão lindo... Pera!! O quê eu acabei de pensar?!?! Eu devo ter sido levado pelos boatos... Afinal eu nunca tive atração por nenhuma das garotas que me pedem em namoro, não posso me apaixonar de uma hora para a outra por um cara que eu considero meu amigo!! Posso...?!?!" como seus pensamentos estavam enganados, afinal o amor é algo que nem regras e barreiras podem impedir de se surgir, ele apenas surge, assim, de uma hora para outra, afinal os humanos ainda sabem pouco demais do amor, sabem tão pouco que os amantes nem imaginam que os mesmos pensamentos podem percorrer suas mentes.

Devagar o ruivo se levanta, seguindo para o banheiro, iria tomar um banho, já que na noite anterior Giyuu havia lhe dito que ele poderia banhar se acordasse mais cedo e ele próprio não estivesse acordado para autorizar, depois, talvez, ele prepararia um café como forma de agradecer pela janta, ele pegar a toalha e segue para o banheiro, acabara de perceber, realmente os terceiranistas tinham privilégios, não havia um chuveiro no local e sim uma banheira, ele começa a encher ela com água quente, depois que estivesse com uma quantidade de água necessária ele submergiu nela, como era boa aquela sensação, deitar-se lá, cada poro de seu corpo sendo lavado, quando tinha terminado seu banho, o ruivo havia acabado de sair da banheira quando, distraído demais para notar, a porta do cômodo se abre.

Tanjiro nunca sentira tanta vergonha em sua vida, como ele pudera esquecer de trancar a porta?!?! Mas a merda já estava feita, ali se encontrava ele NU, completamente despido, todo molhado, os cabelos caídos sobre boa parte de seu rosto, talvez a parte de seu cabelo estar cobrindo seu rosto fosse boa, afinal o corado de sua face poderia se camuflar com os fios, mas ainda sim nada poderia camuflar suas intimidades, a toalha ainda estava a alguns passos de distancia, se ele andasse talvez fosse pior, então ele permaneceu ali, totalmente petrificado, talvez por ter sido pego de surpresa, Giyuu, se encontrava ainda com a mão na maçaneta, estupefato, e como seu colega, paralisado...

Assim como na noite anterior os dois ficaram se encarando, mas tinha algo diferente, Tanjiro não havia mais aquele corado fofo em seu rosto, mas aquele selvagem, totalmente vermelho e que realmente se chocava com seus cabelos, já o mais velho não olhava o outro com um olhar atordoado, mas sim com um olhar desejoso, sem nem ao menor saber o que desejava, mas intimamente sabia, ou melhor tinha certeza, de que sua fera interior que estava lhe mandando esses desejos estranhos.

"Meu Deus me desculpe Tanjiro-chan!!" (Fala o veterano se libertando do transe e saindo rapidamente do local).

Enquanto se trocava o ruivo não conseguia imaginar como olharia novamente no rosto de seu senpai, talvez ele o ignoraria, mas de que adiantaria se os dois tinham um trabalho inacabado a fazer?!?! Foi nesse momento em que ele mais odiou esse trabalho, e inconscientemente, sem saber o porque, se lembrou dos boatos, afinal porque se lembrara disso ele não sabia, já que não tinha ligação nenhuma com o que acabara de acontecer, ou tinha?!?! "Então os boatos são reais?!?!" ecoa voz de Sanemi em seus ouvido, afinal porque estava se lembrando dessas coisas sem sentidos?!?! Não era como se ele e Giyuu tivessem se agarrado na banheira e chegado a fazer algo mais, não era nada disso!! O ruivo apenas tinha se esquecido de trancar a porta e acabou que ocorreu fatos vergonhosos no momento!! Mas talvez ele fingisse que nada aconteceu, parra que pudesse conversar normalmente com seu veterano, sim, isso parecia uma boa ideia...

Ao seguir para a cozinha ele encontrou, assim como o imaginado, o mais velho, ainda envergonhado, preparando o café.

"Bom dia Giyuu-senpai!!" (Cumprimente como se nenhuma intimidade tivesse sido exposta entre os dois).

"Bom dia..." (Estranha o outro, será que seu colega estava fingindo que nada aconteceu?!?! Bom, se fosse isso ele seguiria com a atuação, para não envergonhar o ruivo).

"Deixe eu te ajudar com o café!! Ontem você fez a janta, não quero dar tanto trabalho assim...!!" (Fala aliviado que o colega entendeu que ele não queria falar sobre a cena da manhã).

"Ah...!! Claro."

Eles preparam o café e se sentam no balcão, o clima ainda continuava meio ruim...

"Então... Você acha que nós conseguimos terminar o trabalho hoje...??" (Pergunta o mais novo, tentando manter um clima agradável).

"Am...?!?! Quê...?!?! A sim!! Sim, eu acho que sim, afinal ontem conseguimos escrever todas as formas da respiração da água, agora só falta contarmos sobre o teste final para ver se nós podemos fazer a seleção para entrar na universidade."

"Que ótimo!!" Assim eu poderei voltar para meu dormitório logo e não te darei mais trabalho!!" (Fala ele com sinceridade).

"Você não me dá trabalho, o que te fez pensar isso??" (Pergunta o outro).

"Bom... Eu achei que você estivesse incomodado com... Bom... Tudo que ocorreu, dês de os boatos, até mesmo... Bom você sabe..."

"Você realmente achou isso?? Que tolo hahaha!! Me ouça bem!! EU sugeri que você dormisse aqui o que fez com que os boatos ficassem maiores, EU que entrei naquele banheiro sem antes perguntar se havia alguém dentro, se tiver alguém aqui dando trabalho para alguém, esse alguém sou eu!!" (Desabafa o rapaz).

Depois de os rapazes se esclarecessem, eles foram terminar o trabalho, na despedida Giyuu fala:

"Olha realmente me desculpe por tudo Tanjiro-chan..."

"Tudo bem... Mas será que nós poderíamos manter isso em segredo...??"

"É claro!!  Eu nunca espalharia algo desse tipo!!"

"Eu sei hahaha!! Mas eu gostaria que nós não falássemos mais disso... Por favor..."

"Tudo bem... E, bom, u queria te perguntar se você não quer sair comigo amanhã... Sabe, para nos divertirmos..."

"Você não tem medo dos boatos aumentarem...?!?!" (Pergunta ele receoso).

"Que se dane os boatos, onde já se viu eu não poder sair com um amigo por conta disso!!" (Falou o outro explodindo e, depois de notar o que falou, se admirando que tivesse tido coragem para falar aquilo).

"Hahaha tem razão!!" (Diz Tanjiro com tom de risos).

"Então eu irei te pegar no seu quarto às quatro horas amanhã, combinado??"

"Claro, mas para onde iremos??" (Pergunta o ruivo).

"Talvez à praia, ou ao parque de diversões, você decide."

"Aos dois hahaha!! Se prepare!!"

E, fazendo algo que nunca havia feito antes, Tanjiro se aproxima de Giyuu, que ao notar a aproximação ficou paralisado, e deu-lhe um beijo, rápido, em sua bochecha.

Já fora do quarto Tanjiro corou, corou mais do que jamais corara antes, por que fizera aquilo?? Foi um impulso!!" Realmente algo muito estranho estava acontecendo ali.

(Tanjiro off)

Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado, byeee!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...