1. Spirit Fanfics >
  2. Universo. >
  3. Capítulo único.

História Universo. - Capítulo 1


Escrita por: e lastjeedi


Capítulo 1 - Capítulo único.


Fanfic / Fanfiction Universo. - Capítulo 1 - Capítulo único.

“Querido Castiel...

Sei que esse é um jeito totalmente clichê de se iniciar uma carta. Porém, criatividade nunca foi meu forte. Não sou muito bom em expressar através da escrita e estou me esforçando para colocar no papel cada uma dessas palavras.

Tudo mudou por aqui desde sua partida. Queria que estivesse aqui para ter visto tudo com seus próprios olhos. Admirado cada segundo sem ser pela perspectiva de olhos alheios e aflitos. Olhos que estão cansados. Sabe que a minha vida nunca foi justa.

Mas, não falemos de coisas tristes agora. Não agora pela menos... Acredita que Jack se tornou Deus? Pois é. Ele agora é responsável por cuidar dessa coisa tão frágil e inconstante que é a humanidade. Haverá um novo Paraíso. Novos cursos. Uma nova história. Um novo amanhecer.

Confesso que sinto fala dele. Jack se tornara um filho, um irmão mais novo para mim. Mas, sei que ele fará um grande trabalho. Ele sempre se esforçou para dar seu melhor. E tenho certeza de que Jack está nos vigiando lá de cima. E me pergunto se está orgulhoso de tudo pelo que passamos.

Aliás, eu e o Sam decidimos nos aposentar já que o apocalipse acabou. Não temos mais que nos colocar em risco constante. Somos apenas dois homens normais agora. Dois irmãos que compartilharam traumas e ainda carregam cicatrizes internas e externas. Afinal, alguns ferimentos são eternos.

Temos uma vida normal agora. Sam se casou e tem um filho lindo como sempre quis. Eu fico feliz por ele. De verdade. Meu irmão merece isso após tudo que fez por outras pessoas. E agora, sem demônios e anjos nos seguindo, não temos mais medo de perder quem amamos. Toda aquela carga negativa parece ter sumido como fumaça.

Porém, mesmo com tantas coisas boas, eu ainda me sinto um pouco triste. Por que te perdi. Por que não te tenho aqui. Meu coração tem um buraco imenso que você costumava ocupar. E ele nunca poderá ser preenchido por outra pessoa. Pois não existe alguém como você nesse mundo e nem em outro.

Um alguém que possa me amar como você me amava. Como me compreendia e via através do caos que eu sou. Através dos cacos que minha alma é e sempre será. Você via beleza em mim quando a maioria das pessoas via algo feio e monstruoso. Sinto falta disso. Da nossa conexão. De nossas conversas. Do seu sorriso.

Sinto saudade dos seus olhos de céu. De seus toques suaves. Do jeito que fazia meu corpo se arrepiar e minha pulsação acelerar. De como me enchia de vida. De sua mão na minha. Dos nossos dedos entrelaçados. Dos seus lábios sempre macios e quentes enquanto me beijava sem que eu precisasse pedir por um beijo.

Você me completava de inúmeras maneiras. E duvido que eu possa superar isso. Mesmo que eu tenha mil vidas. Sempre serei seu. Todo seu. De corpo e alma...”

As lágrimas pequenas e cristalinas molharam o papel branco, manchando algumas palavras. O peso do luto ameaçou esmagar o peito de Dean. Os soluços vinham sem controle algum enquanto os ombros sacudiam. Por que tinha de doer tanto?

Tudo que ele mais queria era poder achar seu anjo. Seu Castiel. Daria a alma para tê-lo de volta. Afinal, ela de nada valia sem o outro. Sua vida parecia pequena e insignificante sem o moreno. Vazia. Fútil. Cinza como nuvens de tempestade.

O loiro se inclinou devagar sob a mesa, fechando os olhos. Achava que se escrevesse o que sentia poderia ajuda-lo. Porém, nem aquilo apagava o luto. Não o ajudava a se esquecer. Pelo contrário, só o fez se lembrar de cada momento. Cada pequeno e grande momento.

- Cas, por favor... Volta. – Os olhos verdes e sem esperança se abriram devagar e encararam o céu escuro através da janela do quarto. – Por favor, volta.

O loiro fazia aquele pedido todas as noites. De modo incessante, mesmo sem tanta esperança e com a fé abalada. Mesmo não sabendo se alguém poderia ouvi-lo e conceder aquele desejo insano que o consumia por dentro.

- Por favor... – Sua voz soou rouca, baixa.

E então, de modo repentino, o Winchester sentiu arrepios profundos subirem por seu corpo. Seus pelos ficaram eriçados. Seu coração começou a acelerar e um vento leve e quente soprou, roçando no rosto do loiro. Um cheiro agradável invadiu o quarto, dominando o ambiente, assim como uma bela luz azul.

- Dean? – Uma voz bonita e angelical chamou pelo homem, fazendo-o dar um salto da cadeira.

O ex-caçador se virou lentamente, perguntando-se se estaria mesmo acordado. Se não estaria sonhando ou simplesmente alucinando. Ele arregalou os olhos, sentindo a respiração falhar ao ver a figura baixa e pálida ali parada, encarando-o com firmeza e carinho. Asas imensas, bonitas e negras se agitavam devagar no ar. O anjo estava nu, mostrando sua graça e beleza.

- Castiel? – O nome do moreno saiu em um sussurro surpreso. – É você? Isso... Isso é real?

- Sim, Dean. Eu sou real. – O moreno respondeu. Os olhos brilhando como nunca, abrigando toda a suavidade do mundo neles. – Jack me tirou do vazio. Ele conseguiu me trazer de volta e eu... Eu me lembro de tudo.

Dean não conseguia falar mais nada. Havia um nó em sua garganta. Era como se todo peso que havia em seus ombros tivessem sido removidos. Ele correu em direção a Castiel e o abraçou apertado, como se tivesse medo de que o anjo sumisse de modo repentino e o deixasse sozinho de novo.

Cas o abraçou de volta, passando os braços ao redor do corpo do maior e apoiou a cabeça no ombro dele, fechando os olhos e suas asas envolveram a si mesmo e o Winchester, abrigando-os. O moreno cheirou o pescoço do loiro devagar. Seu coração também batia depressa. Ele finalmente estava em casa, ao lado de quem deveria estar desde o começo.

E Dean sentia como se tudo estivesse nos eixos de novo. Ali, nos braços de seu anjo, havia achado o que precisava. Seu corpo era quente contra o do menor. Queria beijá-lo e matar as saudades. Dizer mil vezes o quanto o amava e mesmo assim, ainda não seria o suficiente.

O loiro ergueu o rosto. Seu olhar se cruzando com o do ser celestial. Verdes nos azuis. Terra contra mar se colidindo. Dean colou a testa na de Castiel, sem desviar o olhar do dele por um segundo. Sua respiração quente fazendo cócegas no rosto do menor.

Então, seus lábios foram de encontro aos do anjo. E era como se todas as estrelas estivessem se alinhando. Houve uma explosão no peito de ambos. Perderam o fôlego quando as línguas se roçaram sem o menor pudor.

Dean sabia que havia achado todo seu universo novamente...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...