História Unknown Number: New Message - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Ângelo, Jikook, Jimin Papai, Jungkook Dodói, Myung, Sora, Taegi, Um Pouco De Texting
Visualizações 34
Palavras 2.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiiii
Desculpem por ñ estar atualizando as outras,mas é que eu não estou conseguindo mesmo,e também tenho andado muito ocupada.
Mas essa fic ela vai ter capítulos curtos e ser bem fluffyzinha,então creio eu que ñ vou demorar tanto,a não ser quando ñ tiver internet.

Ps: Não tenho dias certos para postagens.

Espero q gostem
Estou nessa vibe mais amorzinho e calma,com o OTP

É isso

🎈Boa leitura🎈

Capítulo 1 - Um pouco do jimin


Número Desconhecido:

Nem de todos os momentos felizes,vive um homem.

Mas é na persistência de tentar vivê-los,que ele alcança a paz.

(CHM)

"enviada"✔

Após apertar o botão de enviar,o rapaz de cabelos acinzentados bloqueou seu celular,e com um sorriso enorme no rosto,fechou seus olhos e se pôs a relaxar.

Havia tido um dia cheio,de trabalho,e não tinha tido descanso ao chegar em seu doce lar;até porque tinha de cuidar da mesma e do ser que a dividia consigo,esse sendo o seu maior repositor de energias.

Não era fácil ser pai solteiro de um menininho de dois anos de idade,cuidar da casa e ainda ter de dar conta de seu trabalho. Mas não era como se jimin não fizesse tudo isso com um belo sorriso no rosto. Era fato de que sempre chegava exausto e tudo o que ele mais queria era tomar um banho,comer algo e passar o pouco de tempo que tinha para descansar seu corpo e mente.

Mas como havia citado mais acima,ele tinha mais um alguém que necessitava de sua atenção e cuidados,sem contar nos carinhos obrigatóriomaue deliciosos que o bebê tinha de receber. Era de praxe todos os papais agirem assim com seus filhos,embora muitos não o fizesse. Mas com o park era diferente. Mesmo tendo um dia super cansativo,quando chegava em casa,tinha todas as suas baterias regarregadas quando,ao pegar seu filho com um amigo vizinho,recebia um belo sorriso de poucos dentes em troca. E só com isso ele sabia que tudo havia valido a pena.

Park jimin sempre fora um rapaz alegre e super simpático com quem quer que fosse. Sua docura era tanta que cativava a todos,inclusive uma certa pessoa que ainda continuava sendo bastante especial para si,mesmo que já não estivesse mais consigo.

Park jimin conheceu Tyler Smith em uma festa de faculdade na qual ambos cursavam jornalismo. De cara fizeram amizade,mas não uma amizade qualquer,tyler e jimin eram os melhores amigos,tanto que com o passar do tempo sentiram vontade de expandir o grau de amizade deles só para ver no que podia sair daquilo. E deu certo. De amigos se tornaram namorados. Ficaram juntos por quatro anos. E foi no final do quarto ano que tyler descobriu estar grávido de seu melhor amigo. Sim,a amizade deles nunca foi abalada por estarem juntos como um casal. Muito pelo contrário,ela se tornou ainda mais forte.

Jimin havia amado a notícia tanto quanto tyler,e logo já estavam planejando todo um futuro para ambos. Estavam realmente super felizes com o serzinho crescendo no ventre do mais novo. Devido a felicidade suprema ao qual estavam,logo já estavam montando o quartinho no apartamento de jimin. A criança podia vir a qualquer momento que já tinham tudo pronto só a esperando. E seu ápice de felicidade foi quando o loiro já estava no sexto mês de gravidez,estavam sentados abraçados na varanda do apartamento do mais velho,quando tyler disse "nada pode abalar nossa felicidade". E nada podia mesmo,a não ser que o próprio destino se encarregasse de fazer tudo ir por água abaixo.

E foi exatamente o que aconteceu. Com o sétimo mês de gestação,tyler foi hospitalizado devido à um aumento em sua pressão. Não sabiam o que tinha feito para que ela aumentasse sendo que eles seguiam rigorosamente todas as indicações médicas.

E foi lá,naquele quarto sem vida, que eles descobriram ser de família,ou seja,esse problema estava em sua genética.

Mas tudo bem. Voltaram para casa três dias depois e continuaram com os cuidados com o gestante,só que dessa vez tiveram de ser ainda mais cuidadosos. E assim fizeram.

Tudo estava correndo perfeitamente bem,os dois últimos meses haviam sido cansativos,porém tranquilos.

E assim o grande dia de conhecer o bebê e descobrir qual o sexo dele,pois queriam ter a surpresa estampada em seus rostos,havia chegado. A cesariana tinha sido marcada com antecedência,logo ambos os papais já estavam dentro da sala cirúrgica enquanto o mais novo era submetido a retirada de seu bebê. Os dois sorriam um para o outro e de vez em quando trocavam juras de amor e selavam seus lábios em um singelo toque calmo. Jimin tinha um sorriso de orelha a orelha,tyler também,mas o dele estava mesclado com seu cansaço. Se sentia bastante exausto,quase como se estivesse prestes a cair no sono a qualquer momento. Mas aguentou firme,pois não queria dormir sem antes ver o rostinho de seu neném.

O choro estridente soou para os presentes médicos e enfermeiras,como algo alarmado,mas para os pais,era como se fosse a mais bela melodia que seus ouvidos já tiveram a bênção de ouvir.

A criança gritava a plenos pulmões enquanto as enfermeiras o limpavam. Jimin chorou. Tyler chorou. Ambos acompanhavam seu bebê naquela sinfonia que era o começo de uma nova vida. Afinal,o menininho estava os avisando de que tinha uma vida fora do ventre agora e que eles tinham ela em suas mãos.

Assim que tudo estava pronto,a mulher baixinha o trouxe para perto dos pais,deixando-o em cima do peito do mais novo. Jimin se aproximou deles e selou de leve os lábios do companheiro e em seguida a cabecinha de seu filho. Tyler sorria,mas sua vontade mesmo era de fechar os olhos e dormir um bocado.

E fora exatamente o que ele fez logo após memorizar bem o rostinho de seu filho,beijar seus fios ralos e negros e susurrar para jimin que o amava,fechou seus olhos e dormiu. Mas não um sono qualquer. Tyler não disse nada pois não queria preocupar jimin,mas ele estava sentindo uma terrível dor de cabeça desde que havia começado a operação.

Após fechar seus olhos,o antes ruivo,escutou um longo e contínuo barulho fino e logo foi posto para fora da sala junto da enfermeira que estava encarregada dos cuidados com seu filho. Ele já sabia o que estava acontecendo e a partir do momento que ele escutou o eu te amo vindo do mais novo,ele soube que a partir dalí seria somente ele e o filho.

E assim foi. Jimin permaneceu no hospital por um bom tempo,pois seu filho estava recebendo leite doado de várias mães dalí,inclusive tinha feito amizade com uma que foi a que doou mais para seu menino. Seu nome era Mina. Era mais nova que si e estava internada esperando sua bebê receber alta.

O enterro de seu namorado havia sido no dia seguinte ao que dera a luz. Jimin teve somente tempo de pedir uma roupa à seu irmão e do hospital mesmo ir para lá. Fora tudo rápido,e jimin agradecia,mas nem por isso havia sido menos doloroso. Jimin tinha chorado muito nesses dias,e só não deixou se levar pela dor,pois agora tinha que ser forte pelo seu filho. E foi com isso em mente,que ele se reergueu e seguiu em frente junto de seu anjinho.

....

Jimin estava quase acordando,pelo visto a noite passara rápido demais,sorte que era sábado e não teria trabalho,quando sentiu algo fininho entrar em seu nariz. Fez uma careta e só não bateu com a mão no que quer que fosse,pois logo após ouviu uma rizadinha sapeca ao seu lado. Sorriu. Já que não poderia voltar a dormir,ao menos fingiria que estava,só para ver o que viria a seguir.

Dito e feito,sentiu novamente algo fino em seu rosto,dessa vez em suas pálpebras. E de novo escutou uma rizadinha. Permaneceu imóvel ainda que portasse um sorriso de lado. O alvo da vez era sua boca. Abriu os olhos rapidamente abocanhando o dedinho do filho,sem utilizar seus dentes,o vendo gargalhar enquanto tentava tirar seu dedo indicador da boca do pai.

__Grrr,eu vou comer seu dedo e todos os outros também.-disse enquanto grunhia e fazia cócegas no bebê. A criança era uma máquina de risos e era gostoso demais ouvir as gargalhadas deste;tanto que jimin estava sempre fazendo por onde ver o lindo sorriso de seu menino estampado no rostinho dele.

Permaneceram nessa batalha de cócegas e ver quem ria mais,se era a criança por ser atacada pelos dedos ágeis e suaves de seu pai,ou se era jimin,pelas risadas altas de seu filho. Teriam permanecido mais um pouco nessa brincadeira,se o pequeno não tivesse acertado,sem querer,as partes baixas de seu pai. Jimin se contorceu parando com as cócegas enquanto fazia uma careta de dor. O bebê era novinho e não muito magro,mas tinha um chute bastante pesado.

__Poxa,Ângelo,assim não vou poder te dar irmãozinhos.-brincou fingindo estar sentindo ainda mais dor. Ângelo vendo a cara contorcida em dor de seu papai,arregalou os olhinhos enquanto beijava o rosto do mais velho,pedindo desculpas.

__Culpa,papai,culpa.-alisava o rosto do pai e cada vez mais ia subindo em cima dele se sentando sobre a barriga.

__E agora? O que é que o papai merece?-fez cara sofrida.

__Bjinho no naliz?

__Beijinho no nariz!-jimin confirmou e logo em seguida teve a ponta do seu nariz selada e babada,já que o pequeno tinha o polegar na boca.__Eww,anjinho. Você me babou!

A criança só fez rir da cara do pai enquanto passava mais ainda a mãe melecada no rosto do outro. Park fingia fazer cara de nojo só para ter o filho rindo cada vez mais. E novamente ele tornou a fazer cócegas no pescocinho dele. Estavam bastante entretidos na brincadeira que mal viram quando a porta do quarto fora aberta.

__Por que não me chamaram para brincar também?

__Ti hobi!-Ângelo gritou risonho ainda sendo atacado pelos dedos de seu pai.

__Agora é tio hobi,né? Seu danadinho.-sorriu e se jogou na cama se sentando ao lado do irmão enquanto pegava o sobrinho no colo. Olhando agora,hoseok via o quanto seu irmão merecia estar passando por coisas maravilhosas por já ter passado por momentos bem difíceis há dois anos atrás e ao longo deles também. Hoseok era muito grato ao seu sobrinho por ter feito da vida de seu irmão,não um mar de rosas,mas um grande jardim com todos os tipos das mais belas flores. Ângelo era um verdadeiro anjo na vida de cada um que convivia com ele.

__Não vai trabalhar hoje,hope?-jimin perguntou ao se levantar da cama. Ajeitou sua roupa e cabelos enquanto seguia para o banheiro,sua bexiga já estava pedindo arrêgo.

__Não. Tenho plantão agora só amanhã.-respondeu desbloqueando o celular colocando em algum vídeo infantil,logo o entregando para o sobrinho.__E você? Vai fazer o que hoje? Vai ser voluntário?

__Hoje não. O sábado é todo meu e do anjinho.-sorriu voltando a se sentar na cama enquanto afagava os cabelos do filho. Hobi fez cara triste.

__E eu? Vou ficar em casa sem fazer nada?-perguntou olhando com olhos pidões para o irmão. Nem parecia que era o mais velho.

__Pode vir também hobi. Afinal,não vai ser só eu e o Ângelo. O jin,o namjoon e a sora também vão.

__Só pais? Aish,tenho que tratar logo de ser pai também.

__Pois corre que já já vai estar ultrapassado.

__Uma ova. Estou firme e forte tá?-empinou o nariz,mas logo voltou a encarar o irmão,dessa vez com um sorriso sincero nos lábios.__Mas e aí? Já mandou suas mensagens diárias?

__Ainda não.-suspirou e logo tratou de procurar seu celular o desbloqueando e selecionando o segundo chip para que pudesse ver os contatos à quem mandava as mensagens.

Jimin tinha essa mania de sair mandando mensagens de incentivo ou engraçadas,mas não com humor sarcástico,mas sim um humor saudável,para pessoas que ele nunca viu na vida. Ele simplesmente pegava o código de seu estado,digitava qualquer número,escrevia a mensagem e enviava. Ele nunca esperou uma resposta,e até hoje nem mesmo xingamentos veio,o que era uma coisa boa,significava que elas não estavam achando ruim chegar mensagem de alguém anônimo com conteúdo incentivador ou inspirador. Park tinha até uma lista na qual ele mandava mensagens regularmente;e todas com números aleatórios. Também nunca os procurou por aplicativo na qual se colocasse o número apareceria a foto de seu contato.

Ele não tinha um motivo real para fazer isso tudo. Só queria passar algum sentimento bom através de suas próprias citações,frases,citações de algum escritor favorito,livros,música ou poema qualquer. O objetivo era fazer com que as pessoas que recebiam suas mensagens,se sentissem bem e acreditar que mesmo que tudo tenha dado errado,ainda assim tinham a possibilidade de darem a volta por cima e se reerguerem,ou para quem já estava tendo um dia ótimo,ao menos agradecer por isso.

__Vou fazer agora.-sorriu para o irmão e passou a procurar citações e frases que gostava,ou até mesmo criar algumas em seu celular. Hoseok então se levantou com o sobrinho no colo.

__Você não existe,jimin.-andou até a porta e se virou para olhá-lo.__Não existe.

Negou com a cabeça,porém rindo ao que o outro nem ao menos prestava atenção em si. Estava focado demais enviando suas mensagens.__Vou dar banho no Anjo e dar a mamadeira dele,não demora.

__Tudo bem,já estou indo.-se focou ainda mais. Ele era rápido no que fazia.__E obrigado.

Número Desconhecido:

Não comecemos apontando o que de mau estará por vir.

Levantemos e façamos por onde tudo acabe bem ao final do dia.

(CHM)

"enviada"✔

O acinzentado sorriu satisfeito e se levantou da cama seguindo para cozinha onde estava seus bens mais preciosos cantando uma musiquinha infantil e que o mais velho dos três a berrava a plenos pulmões fazendo o bebê rir enquanto batia palmas para o tio.

É...Jimin só tinha a agradecer por tudo de bom em sua vida e por cada integrante que nela habitava.


Notas Finais


Foi isso
Espero de vdd q tenham gostado.
Ela é uma fic q estou amando escrevê-la.
Então até uma próxima 💜💜

Bjokinhasssss💋💋💋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...