1. Spirit Fanfics >
  2. Unlikely Couple >
  3. By Chance

História Unlikely Couple - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, essa é a minha primeira fanfic que partiu da ideia de estender minha au "Unlikely Couple" lá do twitter. Se poderem compartilhar comigo sua primeira impressão ficarei imensamente grata.

Boa leitura ;)

Capítulo 1 - By Chance


Fanfic / Fanfiction Unlikely Couple - Capítulo 1 - By Chance

                                                                                 {Emma Swan}

 

 Não faço a mínima ideia do que estou fazendo da minha vida, antes pelo menos havia um emprego em que poderia me segurar, mas agora nem isso há mais.

   - Patinha, você já está pronta? – Ruby me grita da sala.

Ruby e eu nos conhecemos na faculdade e desde então ela é minha melhor amiga e dividimos um loft.

      - Quase! – Grito de volta.

Até hoje pela manhã eu era uma das jornalistas do ‘Gold´s Magazine’, mas fui surpreendida quando a editora-chefe, Victoria Devil, comunicou que sou uma ótima redatora, porém às vezes passo da medida e com o novo comprador do jornal, não me encaixo na equipe . Não engoli isso, pois além de estar bem na medida só eu sei o quanto corro atrás de uma boa reportagem e meu esforço para engajar o assunto, dou meu sangue! Amo meu trabalho, a forma crítica e cômica de informar as pessoas diariamente, é como gosto de me expressar. 

Killian e Ruby pediram – na verdade exigiram – para que deixasse o dia de hoje de lado e tentasse extravasar e nada melhor do que bebida, ou sexo, mas a segunda opção não está muito ao meu alcance no momento. Por ser uma sexta-feira e por estar precisando dessa agitação é que me encontro neste exato momento em frente ao imenso espelho do meu quarto avaliando a roupa que escolhi para noite. 

Como Ruby, Killian também é meu melhor amigo, desde quando chegou no Maine e acabou sendo meu colega de classe no primeiro ano do ensino médio não nos afastamos mais, mesmo quando acabamos indo para lugares diferentes por conta das nossas faculdades. Meu melhor amigo se relaciona com um homem, que rotulado por ele, é de extrema importância para sociedade nova-iorquina – um quase sugar daddy eu diria – e por conta de toda essa sua importância o tal daddy nunca foi apresentado a mim ou a Ruby, mas talvez isso mude está noite já que a nossa bebedeira será em um coquetel da alta sociedade que ele estará.

 

   - E... Então? – Pergunto à minha amiga assim que ela aparece na porta do quarto. Estou usando um conjunto de shorts social e blazer em um tom de creme com uma regata branca. Cabelo solto com cachos naturais nas pontas e no rosto uma leve maquiagem e meus óculos de grau.

   - Uau, eu amei esse look, só o óculos que não combinou muito. Cadê as sua lentes? – disse ela vindo até mim e tirando meus óculos. 

  - Eu não consegui me acostumar muito, guardei.

  - Pegue e tente usar hoje! O desconforto deve ter sido pelo primeiro contato. Ah, eu amei essa sua sapatilha de oncinha. – Me deu um beijo na bochecha e saiu rumo à sala.

 

Vou até o banheiro e coloco as indesejadas lentes. Pego minha bolsa e coloco meus óculos dentro, chaves, celular e dou uma última checada no espelho.

Que pelo menos a noite seja boa!

 

Ruby e eu seguimos com meu fusca para o apartamento de Killian e de lá seguimos para o coquetel. O lugar era uma mansão rodeada de janelas de vidro. Do lado de fora era possível escutar uma música instrumental.

Assim que entramos pegamos com o garçom que passava uma taça de champanhe para cada. O salão bem iluminado estava cheio de pessoas engravatadas e vestidos de tubinho, bem formal. Eu e minha melhor amiga nos dirigimos para as mesas que estavam repletas de petiscos e Killian seguiu atrás do seu boy misterioso.

[...]

                                                                                                {Narração}

Boy II Men estava se apresentando no pequeno palco do salão. Emma, que já estava com sua terceira taça de champanhe na mão, observava as pessoas dançando ao som do trio quando avistou uma morena baixinha que parecia curtir muito aquele momento, dançando e pulando com os braços pro alto. A loira fixou seu olhar na morena e não tirou por uns bons segundos, dado certo momento os olhos cor de amêndoas se encontraram com as suas esmeraldas, mas acabou os desconectando quando percebeu que Ruby tentava chamar sua atenção.

  

 - Pelo visto você seguiu nosso conselho, está conseguindo curtir, né patinha? – perguntou a morena de mechas vermelhas. – Falamos que ia ser bom! Sabe, comida e bebida grátis...

  - Que droga, Ruby! – Esbravejou Emma 

 - Ihhh, o que foi que aconteceu, Emmão? O propósito era vir beber e relaxar... – Falou a morena tentando encontrar o foco anterior da amiga. – Ah, agora está entendido... Estava de olho na morena ali. Dessa vez o alvo é grande, amei! – Empurrou a loira com o ombro.  

- Não é isso ou pode ser também – Disse de forma sussurrada a última parte com um sorriso de canto nos lábios. – Tenho quase certeza que ela era minha babá. Faz tanto tempo, eu tinha uns 10 anos. - Falava olhando de canto de olho a morena mais a frente virada para si. - Nunca esqueceria aquele rosto, ainda mais que eu... Hã,  meio que… tinhaumapaixoniteporela. – Fala tudo de uma vez só.

  - Eu não entendi a última parte, querida.

  - Faz tanto tempo? - Tentou enrolar após perceber que poderia ter falado bobagem, porém foi sem sucesso, pois Ruby rapidamente negou. - Hã… Eu tinha uma paixonite por ela. – Diz se encaminhando para o lado exterior do salão.

  - Eu não creio nisso! – Disse Ruby empolgada. – Além da poderosa Secretaria do Estado ter sido sua babá ela também foi sua crush. – Falou rindo enquanto a amiga a sua frente entornava mais uma taça de champanhe. – Emma safadinha desde pirralha. – Dá pequenos tapas no braço da loira. – Me conta mais sobre essa história...

    - Eu possa estar enganada, ok? Pode nem ser ela. - A amiga lhe olhou com seu melhor olhar pidão e Emma bufou. - Ok, eu vou te contar a história! – Diz a loira largando a taça vazia que estava em sua mão. – Então, eu tinha 12 anos e ela 16...

       

 22 anos atrás...

                                                                                                   {Emma Swan} 

 

        - Já pedi a nossa pizza. Ajuda-me a continuar os cartazes até chegar? - A minha babá diz ao entrar na cozinha. Todas as vezes que ela fica mais próxima  eu me encanto mais por sua beleza. Não sei se é sua descendência latina, seus cabelos pretos levemente cacheados, os olhos amendoados ou a cicatriz que ela ganhou quando foi separar os nossos gatos. Ela é perfeita! - Emma? Terra chamando Emma… - Ela me desperta do meu transe. - Vai continuar me ajudando?

 

- C-claro! - Estamos fazendo cartazes para sua candidatura ao Grêmio Estudantil. - Você pode continuar me contando sobre aqueles projetos seus?

 

- Posso… mas você sabe que falta muuuuito para conseguir realizá-los, né? Pelo menos eu já estou em algum caminho. Sabe começar na escola e depois fazer algo na faculdade....- Ela dá continuidade ao que pedi, mas acabo preferindo prestar atenção nas ondas sonoras que saem da sua boca e parecem fazer desenhos no ar até chegar aos meus ouvidos. - Vem cá, preciso que segure essa folha para colar com essa outra - Me chama alcançando a fita adesiva e mostrando uma folha em sua mão e outra no balcão.

 

Ela é mais velha, inteligente, um pouco durona e dona de uma beleza incomparável. A Ruby, minha melhor amiga, já falou que Regina é realmente uma deusa, mas que eu devo ler muito desses livros de amores clichês e impossíveis e que fico sonhando muito, pois a Regina nunca me notaria, nunca! Porém, aqui do ladinho dela sinto as mãos suando de nervosismo e uma pontinha de confiança aflorando de dentro para fora.

 

- Eu vou segurar os papéis e você pode ir puxando a fita para grudá-los? - aceno em positivo.

 

Coloco meus braços por cima dos dela e começo a puxar a fita. Enquanto faço meu trabalho aproveito para sentir seu perfume de maçã. Quando chego ao final do papel acabo colando um de seus dedos com a fita. Murmuro um “desculpa” com as bochechas tomando uma cor avermelhada. Ela me olha e me sorri. Acho que a confiança que estava aflorando aqui veio com tudo, pois ao olhar fundo em seus olhos me estico e colo nossos lábios.

 

- Gina? Estava te esperando na porta e a pizza chegou. - Ao escutar a voz de Daniel, namorado da minha babá, arregalo os olhos e descolo nossas bocas. Certamente me encontro feito um pimentão, mas antes de qualquer coisa rapidamente corro para o outro lado do balcão e começo a guardar as canetas. - Amor, ´ta na cozinha?

 

- O-oi… ´Tô aqui na cozinha - Regina responde descolando os dedos do adesivo e me olha com um pequeno sorriso nos lábios. Sorriso?

 

- Hey, baby. - O engomadinho entra na cozinha e dá um selinho na boca que acabei de selar. - Olá, pequena Swan. - Lhe dou um sorriso amarelo como comprimento. 

 

- Emma, pegue a pizza e coloque na mesa da sala, sim? - Ela não me olha mais. - Eu e Daniel terminamos de arrumar aqui e logo nos juntamos à você. - sussurro um ´ok´e vejo ela sussurrar um ´desculpa´de volta.

 

O que eu fui fazer? É agora que implorarei para meus pais me deixar sozinha. Eu posso… E preciso ficar longe de Regina.

      

 

Flashback off

 

 - E depois desse dia ela nunca mais foi minha babá. - Termino de contar minha “decepção amorosa” para Ruby. 

 

 - EMMA SUA SAFADINHA - Minha amiga praticamente berrou gargalhando.

 

 - Shiu, Ruby! Quer que todo mundo saiba… - Tampo sua boca e ela maneia a cabeça em negação.

  

 - Mas espera aí… Você disse que ela pediu desculpa? Não ´ta inventando não? - Faço que não com a cabeça. - Então ela ´tava se desculpado pelo namorado ter chegado e atrapalhado tudo?. - Faz a pergunta mais pra si do que para mim. - Analisando bem, parece que ela gostou do que você fez. - Diz com um riso sacana nos lábios.

 

 - Eu não sei não… Como eu disse, depois desse dia ela não voltou a ser minha babá. A última notícia que tive dela era que havia ganhado a eleição e no baile dos formandos ela acabou indo com o menino que perdeu pra ela. - Meu tom de voz sai com uma certa tristeza. 

 

 - Poxa, patinha. - Ruby diz acariciando meu braço. - Mas você viu o que está acontecendo agora, né?

 

 - O que? Não vai me dizer que é coisa do des… - Ia falando, mas a morena me cortou. 

 

 - Isso mesmo, o destino! - Me afirma e bate palminhas. - Depois dessa história e desse acaso das duas no mesmo ambiente… Você só precisa ir falar com ela! 

 

 - Você ´ta maluca! - Balanço a cabeça negativamente e rio das bobagens. - Amiga, nós nem temos certeza se é ela mesmo e se for - Dei ênfase no “se”. - ela nem deve lembrar quem eu sou… e se a última coisa que ela quer é meus lábios correndo atrás dela de novo.

 

 - Ai meu Deus! - Quando minha amiga abriu a boca pra continuar um homem alto de terno preto aproximou-se de nós.

 

 - Com licença, a Secretária Mills gostaria de falar com a senhorita. - Disse o homem de terno apontando para eu. 

 

Secretária Mills? Mills? É ela! 

 

 - Comigo? Agora? - Foi as últimas palavras que disse antes de Ruby me empurrar para acompanharmos o homem que estava á nossa frente. 


 

Deus, se o senhor estiver me ouvindo agora, me acuda! 

 


Notas Finais


É isso! Espero que tenham gostado desse primeiro capítulo. Para qualquer dúvida, ideia... podem me procurar no twitter @SrtaSwen_

Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...