1. Spirit Fanfics >
  2. Unlikely passion (Ateez- Seonghwa) >
  3. A vida nem sempre é fácil

História Unlikely passion (Ateez- Seonghwa) - Capítulo 8


Escrita por: e DricaRose


Notas do Autor


Mais um cap para vocês ❤️ Espero que estejam gostando da fic. Temos umas revelações hoje.

Capítulo 8 - A vida nem sempre é fácil


Fanfic / Fanfiction Unlikely passion (Ateez- Seonghwa) - Capítulo 8 - A vida nem sempre é fácil

 POV: DUDA

- Está tudo bem? - Seonghwa me acordou de meus pensamentos enquanto se aproximava de mim.

- Não sei... – Eu falei pensando – Sejun acabou de me ligar, falando que eu preciso ir para a empresa assinar uns papeis.

- Mas não é uma das coisas que você faz? - Seonghwa me perguntou como se fosse obvio.

- Sim... Mas não é normal um pedido de desculpa depois de pedir para eu ir lá... 

- Não é nada, vamos nos trocar, vou te levar lá. E depois que você assinar a gente para em algum lugar para tomar café da manha, ok? - eu concordei com a cabeça que estava sendo segurada pelas mãos de Seonghwa e um beijo foi roubado de mim.

Nos trocamos e saímos o mais rápido possível. Eu estava ansiosa de mais, não estava com uma  boa sensação com isso... 


POV: DRICA

Eu recebi uma ligação logo cedo de Sejun pedindo para eu fosse na empresa assinar uns papeis, mas não me explicou o que era pelo que eu sabia era Duda que assinava as coisas eu simplesmente cuidava da parte artística dos shows, como figurinos e efeitos especiais durante a apresentação. San havia ido embora muito cedo porque ele tinha coisas para fazer então me troquei e sai de casa muito rápido. 

Assim que cheguei na empresa fui abordada por Heo Chan, que pediu para eu subir em uma das salas de reunião e assim que cheguei lá o grupo todo estava reunido. 

- A Duda ainda não chegou? - Seungwoo me perguntou. 

- Não faço ideia – Eu tinha medo de Duda querer tacar o fodasse e não vir... Não que seria errado, era folga dela. – Vocês conseguiram falar com ela? - Eu perguntei me lembrando de que ela iria sair com Seonghwa no dia antes, eu não duvidava nada que ela nem atendesse o telefone.

- Eu liguei para ela, mas ela disse que estava ocupada – Sejun me respondeu com cara de preocupado – Bom...  Vamos te falar o que está acontecendo enquanto Duda não chega. 

- Não precisa, calma, eu cheguei – Duda entrou na sala com uma cara de muito brava, provavelmente ela estava dormindo com Seonghwa e não queria ter saído tão cedo para vir aqui – Fala logo o que vocês precisam, eu ainda tenho coisas para fazer. 

- Bom... É complicado – Sejun respirou fundo tirando uns papeis do envelope em sua mão – Vocês são muito importantes pra nós... Mas estamos precisando fazer alguns cortes. – E nos entregou os papeis em sua mão e eram nossa demissão. 

- Porque? - As palavras saíram da minha boca naturalmente, eu realmente não entendia.

- Vocês são as mais novas na empresa e muito boas para diminuirmos os salários de vocês – Seungwoo falou indo dar um abraço em Duda que já estava com águas nos olhos, mas a mesma desviou de seu toque. – Por essa demissão encima da hora vamos dar a vocês o salário do ultimo mês e mais outro – O mesmo nos entregou dois envelopes com esses pagamentos, nosso ultimo pagamento.

- Mas essa demissão vai nos dar só um mês para arranjar um novo emprego... – Duda falou olhando para eles como se isso fosse a maior traição que ela já tivesse recebido... E de fato se você pensar era mesmo, Duda passava dias inteiros ajudando eles com musicas e coreografias, era como se demitissem um membro. 

- Um mês para acharmos um emprego novo enquanto arrumamos a nossa mudança... – Eu falei também sem acreditar – Vocês não podem nem dar um jeito de estender nosso visto?

- Desculpa... Não – Sejun falou sem duvida com muito aperto no coração, podia sentir isso. 

- Bom... Como eu disse tenho coisas para fazer – Duda entregou os papeis já assinados e saiu da sala muito irritada e eu fiz o mesmo e tentei segui-la. 

- Ei Duda espera – eu corri atrás dela, mas ela só me ignorou – Calma a gente vai dar um jeito. 

- Bom eu não vou pensar nisso agora... 

- Só não faz merda – eu não duvidaria de nada que ela fizesse com a raiva que ela estava.

- Não prometo isso – Ela logo saiu do prédio e entrou em um carro, por um momento vi Seonghwa e isso me tranquilizou, pelo menos eu sabia que em boas mãos ela estava... E a Duda irritada pode ser bem imprevisível.

 

 

 POV: SEONGHWA 

 

- Está tudo bem? – Eu perguntei assim que Duda entrou no carro muito irritada e a mesma so concordou com a cabeça cobrindo seu rosto com a mão.

- Só vamos sair daqui – Ela encostou a cabeça na janela e seus olhos encheram de lágrimas. 

- Ei... – eu puxei seu rosto para mim e sequei suas lágrimas – O que aconteceu? 

- Nada... Só dirige – Ela voltou o rosto para a janela e meu coração pesou... Eu não sabia o que estava acontecendo e me doía não poder ajudar, mas também não iria forçar-la a falar.

- Aonde você quer ir? 

- Qualquer lugar longe daqui... 

Eu comecei a dirigir até um café que eu gostava muito e o caminho foi um completo silêncio.

- Espera... – Duda falou levantando a cabeça e me olhando – Para aqui por favor... Preciso comprar uma coisa. – A mesma apontou para uma conveniência logo a frente. 

- O que você vai comprar? – eu perguntei sendo ignorando pela mesma que só saiu do carro indo em direção à conveniência –  “Mas que porra” – eu pensei comigo muito bravo virando o rosto para o outro lado e quando voltei para olha-la ela estava comprando um maço de cigarros e cinco garrafas de Soju – “O que ela está fazendo?” – eu me virei pra pegar um moletom com capuz que eu tinha no banco de trás e sai pra encontrá-la – O que você pensa que está fazendo, ficou louca? São exatamente dez da amanhã, que merda. – Eu tirei o cigarro que estava em sua boca e ela me olhou com um olhar muito irritado que eu não tinha visto antes.

- Me da isso – ela tentou pegar de minha mão mas eu joguei para longe e a mesma pegou outro da carteira que havia comprado. – Eu vou fumar e vou beber até meu corpo vomitar tudo e eu não quero nem saber.

- Para... Porque? – as palavras dela pesaram no meu coração e seus olhos encheram de lágrimas de novo e minha única reação, por mais que estava muito bravo, foi abraça-lá – O que aconteceu?... Pra isso aqui dar certo a gente tem que conversar, você não pode sair dez da manhã bebendo, você ainda tem um dia todo pela frente. 

- Não tenho não... Eu fui demitida – Ela começou a chorar mais e eu apenas apertei o abraço – Eu tenho um mês de visto, UM MÊS... Não da para achar outro emprego em um mês.

- Calma... Não pensa assim – Eu empurrei ela um pouco pra poder olhar seu rosto – Você não vai ter que voltar. Nem que eu tenha que casar com você – um alívio tocou meu coração quando uma risada saiu de sua boca. 

- Você não pode casar comigo...  mas um sorriso saiu de sua boca. 

- Não ligo... – eu dei um beijo nela – Vamos comer alguma coisa, depois você bebe tudo oq você quiser, tá bom? – eu sequei suas lágrimas com a ponta com meu moletom e ela concordou com a cabeça. 

Eu realmente não sabia o que fazer naquela situação... Eu geralmente sabia agir em tudo, mas aquilo, ver ela chorando me desestabilizava. Assim que chegamos ao café nós pedimos duas tortas e um milkshake de morango. Nós comemos em um silêncio completo, o que me fez perceber o quanto ela realmente estava mal, geralmente ela não parava de falar e isso era uma coisa que realmente me encantava.

- Você está liberada pra beber – eu falei assim que entramos no carro.

- Eu deveria? – Ela me olhou com a cara mais fofa do mundo, com aqueles olhinhos inchados de choro. 

Se você acha que isso vai te ajudar de algum jeito... – A mesma pegou uma garrafada do soju que ela tinha comprado e virou em uma golada só – Meu deus... Você sabe o quanto de alcool isso tem? 

- Sei... 14% - A mesma me apontou para a garrafa e me fez rir.

Você não cansa de ser um pouco sem noção não?

- Na verdade não... – Ela abriu outra garrafa e deu uma grande golada – Eu preciso ir para casa... Não quero atrapalhar você.

- Você nunca vai me atrapalhar – Eu peguei sua cabeça e lhe dei um beijo – Mas eu te levo lá... 

Seguimos viagem ate o apartamento de Duda e assim que chegamos ela já tinha terminado com a outra garrafa. 

- Sabe que isso é uma puta sacanagem? – Duda falou com a voz um pouco arrastada provavelmente já estava meio bebeda – A gente lutou tanto por eles... Quantas noites eu e a Drica ficamos sem dormir para fazer coisa para o show ser perfeito... E os caras não  fazem questão de avisar antes ou tentar aumentar nosso visto.

- Não pensa nisso hoje – Nós entramos no elevador e eu peguei as bochechas dela e apartei fazendo um biquinho em sua boca – Você tá bebendo para ficar chorando? A última vez que você vai falar desse assunto vai ser para o Mingi, ok? – Dei meu dedinho para ela e a mesma me olhou meio indecisa. 

- Eu não vou prometer... – Ela cruzou seus braços de forma fofa e eu ri  Eu ainda vou beber mais vai ser difícil superar essa, então não prometo.

- Ta bom – Eu a abracei enquanto ria, porque ela ficava tão fofa bebada? gente vai dar um jeito... – eu lhe dei um beijinho na testa e ela apertou mais o abraço. 

Assim que entramos no apartamento Mingi estava sentando no sofá e logo se virou para nós. 

- Ai vocês chegaram! – ele falou indo em direção à porta – HongJoong pediu para a gente ir treinar hoje...  Ele desviou seus olhos para Duda que já havia começado a chorar de novo e correu para abraça-lá – Que que você fez? – Mingi virou me perguntando.

- Ele não fez nada – Duda secou seus olhos na blusa de Mingi que a olhava muito assustado – Fui demitida... Tenho um mês para ir embora ou arranjar um novo emprego. 

- Ai cacete – Naquele momento não sabia quem parecia mais desesperado, a Duda ou o Mingi, mas mesmo assim ele tentou manter a calma – Ta bom... Tudo bem, vai trabalhar nem que for no mercado. Mas alguma coisa a gente vai arranjar. – A mesma começou a chorar mais. 

- Depois eu que fiz ela chorar – Eu falei mas fui cerrado com um olhar de raiva de Mingi. 

- Você bebeu? – Mingi a perguntou e ela apenas concordou com a cabeça- Não fez ela chorar, mas deixou ela beber 11h da manhã? 

- Quem sou eu para não deixar?

Duda saiu dos braços de Mingi e se jogou no sofá e parou de chorar. 

- Agora pronto... Eu vou chamar a adrielle, a Gih e o Gui para beber. E a hora que vocês voltarem vamos beber mais e tragam todo mundo.

- Ninguém do Ateez vai sair bebendo assim em uma terça-feira – Mingi falou claramente irritado – Marca alguma coisa sexta

- Pois bem então - Ela falou colocando a perna para cima e tentando pegar seus pés, e aquilo me fez rir, como uma pessoa ficava tão fofa assim bebada? - Sexta fest aqui em casa.

- Ei princesa... Eu volto se voce quiser ok? Por favor almoça e chama alguem para ficar aqui com você – Eu me aproximei dela para lhe dar um beijo e logo sai com Mingi  O que vamos fazer? – assim que fechamos a porta eu perguntei para ele.

 

POV: DRICA 

Eu cheguei em casa e não tinha ninguém lá. Eu não sei se não havia me abalado com a demissão ou eu só estava em negação, mas eu estava muito calma. Assim que eu entrei deitei no sofá e fiquei um tempo ali olhando para cima pensando em várias coisas e uma mensagem chegou e meu celular. 

DUDA: Gente alguém quer vir aqui em casa beber hoje? 

EU: Já já eu estou indo. 

GIH: O que deu em vocês? Terça-feira!

GUI: Amanhã vocês não vão trabalhar?

EU: A gente não tem mais trabalho... 

DUDA: Isso nos da a obrigação de beber. 

GIH: Eu não sei se posso hoje... 

GUI: Nem eu... 

EU: Bom jaja eu to ai

Tomei um banho e me troquei. A hora que eu estava saindo uma mensagem apitou em meu celular, era San perguntando se eu estava bem, apenas respondi que sim. Eu não queria ter o San para me preocupar agora, estou indo beber com minha amiga. No caminho passei em um mercado e comprei umas bebidas, provavelmente a Duda teria comprado, mas nunca é de mais nesses casos, peguei duas garrafas de vinho e fui ate o apartamento de Duda.  

- Oi amiga – Fui recebida com um sorriso logo que eu cheguei.

- Oi! – Tirei meu sapatos e entrei na casa, logo Duda me deu uma garrafa de soju – Você já bebeu muito? 

- Consideravelmente, comecei a beber 10 da manhã – Eu a entreguei os vinhos que eu havia comprado e foi para a cozinha guardar no freezer. 

E ali nos ficamos bebendo, dançando e vendo videos cada um mais nada haver com o outro e eu realmente cheguei a esquecer que tínhamos sido demitidas e aquele momento me daria forças para tentar ao máximo ficar na Coreia, eu amo esse país. Nós duas já estávamos bem bebadas e a campainha tocou. 

- Quer apostar quanto que o Mingi perdeu a chave de novo – Já estava ficando tarde, aquela campainha me fez perceber isso. Duda foi abrir a porta e eu a segui para ver quem era e assim que abrimos a porta Gui e Gih estavam ali. 

- Quem vai de ressaca amanhã para a aula? – O Gui falou mostrando as bebidas em sua mão e eu e Duda nos olhamos e começamos a rir descompensadamente. 

- Mais do que a gente já bebeu o dia todo? – Eu falei rindo mais. 

- Sinto muito, mas não viemos aqui atoa... – A Gih falou entrando na casa e indo guardar as bebidas – E agora vocês vão beber mais e eu nem quero saber, mas espera a gente chegar no nível de vocês antes... – Provavelmente ela falou isso vendo que já estávamos no nível ultra-retardo da bebida que era para nos duas rir sem parar

- Vocês tem certeza que so beberam? – Gui perguntou pra nós duas que já rolavamos no chão de rir. 

- Videos bizarros e muita musica – Duda falou indo se apoiar no ombro de Gui o mesmo pois a mão na cabeça dela em forma de consolo.

- Tudo bem faz sentido.

- Então vamos começar a bebedeira da noite? – Gih veio entregando uma garrafa de Vodka para Gui com 4 copinhos de shot – Esse vocês vão tomar com a gente. 

Colocamos uma música muito alta e começamos a dançar acho que se alguém entrasse ali naquele momento achava que nós somos sem noção. 

- Tá eu cansei – Duda falou se jogando no chão, nós jogamos juntos no sofá. 

- Amiga... Preciso falar um negócio para você – Gih deitou ao lado de Duda que olhou um pouco assustada para ela – To saindo com o Hong Joong... 

- Ouxe... como vocês se conheceram? 

- Na balada aquele dia que estava lotada. 

- É, mas não vai achando fofo não amiga – Gui falou vendo que a Duda tinha feito uma expressão muito feliz – Ela está saindo com ele para para fazer ciumes para o Mingi... – Duda pegou um cigarro e saiu para a sacada deixando aberta a porta para falar com nós. 

- Ai Giovanna... – Ela acendeu o cigarro e passou em sua testa a outra mão – Eu não deveria... Mas... 

- Não deveria o que? – Gih perguntou.

- Contar isso para vocês... Não cabe a mim, mas eu cansei. Você tem que viver sua vida e parar de correr atrás do Mingi – Duda deu um trago longo em seu cigarro, o que deixou ainda mais um clima de mistério no ar – O Mingi namora. 

- Meu deus – Uma expressão saiu da boca de Gui – Chocadissimo

- É... E ele namora um homem. Então você tem tipo 0% de chances. – Quando a Duda queria ela sabia ser bem fria, mas sempre com uma boa razão.

- Pera o Mingi é gay? – Gih perguntou e Duda apenas concordou com a cabeça enquanto dava mais um trago em seu cigarro. 

- COM QUEM ELE NAMORA? – Eu perguntei extremamente animada, porquê quem é fã do Ateez sabe que Yunho e Mingi davam um puta casalzão. 

- Exatamente quem você pensou – Ela falou rindo e eu ri junto, era muito bom saber que todas os ships que fazíamos deles não eram atoa. 

- Porque você não me contou antes? – Gih perguntou de certa fora magoada. 

- Amiga... Não cabia a mim – Ela apagou seu cigarro e sentou junto de Gih – Na verdade ele nem me contou... Eu descobri. Um dia eu cheguei antes do que eu tinha avisado Mingi e os dois estavam se pegando ai nesse sofá- Ela apontou onde eu e Gui estávamos sentados e nós rimos. 

- Amiga... Sabe o que eu lembrei? – Eu falei para Duda – Todos nós viemos dirigindo? – Eu Gui e Gih nos olhamos como se ninguém tinha pensado nisso antes. 

- Vamo pegar meu colchão e trazer para cá, faço uma pipoca e a gente ve um filme, ai dois dormem no meu colchão, tem um colchão de voces ai ainda e eu durmo no sofá ou com o Mingi, não tenho que trabalhar mesmo... 

- Posso eu dormir com o Mingi? – Nós cerramos os olhos para a Gih – Ta bom parei

Nós levantamos para ir pegar o colchão, não sei se estávamos muito bebados ou se o colchão era realmente pesado, mas foi um parto para conseguir leva- lo para a sala, Duda e Gui cairam no meio do caminho e eu realmente não sei porque achamos uma boa ideia levar para lá, mas finalmente conseguimos. Juntamos o colchão que era de nossa casa nos pés do colchão da cama e Duda trouxe pipoca para nós, até chegamos a por um filme, mas acabamos dormindo. 


Notas Finais


É isso gente, espero que tenham gostado ❤️ Até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...