1. Spirit Fanfics >
  2. "Unmei" >
  3. "Unmei II"

História "Unmei" - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoas!!!
Espero que gostem do capítulo!
Estou tentando fazer de tudo para postar dois capítulos, mas por enquanto não tenho capítulos suficientes para isso!

Capítulo 2 - "Unmei II"


                      K •◦⊰◊⊱•◦T

O dia finalmente havia chegado, eu já havia arrumado minhas coisas, e minhas malas já estavam na carruagem, como combinado minha família ficaria um tempo no reino vizinho, mas em algum momento as rainhas deveriam voltar para casa, e quando esse dia chegasse, eu deveria continuar no reino de Harutsu, se eu me casar ou não, ainda assim vai ser um bom tempo de experiência, seriam dois dias de viagem, e mesmo que fosse um pouco cansativo, seria um tempo em família, enquanto eu checava mais uma vez se não havia esquecido nada, minha mãe entrou no quarto, eu odiava o fato de Sayuri não respeitar meu espaço, ou não se importava com isso, nós dois somos bastante parecidos, desde a aparencia, seja nos cabelos lisos e pretos, o formato do rosto, as expressões faciais, a cor da pele, e o principal, no temperamento, temos as mesmas atitudes, que nos fazem conflitar as vezes, por isso quando estamos sozinhos sempre discutimos.

– Eu sei que esse castelo é seu, mas o quarto continua sendo meu, bata na porta na próxima vez.- Tento não soar rude, não queria tomar um sermão logo cedo.

– Se você seguisse os horários não precisaria vir aqui.- A mais velha deixa os ombros caírem, e me encara.- Quando vai tomar um jeito Tobio? Você é um príncipe.

– Eu sei que sou um príncipe.- Sussurro baixo, e minha mãe suspira novamente, sinal de que ela estava brava.

– E ainda assim não age como um, sair pra caçar, se envolver em brigas de rua, não respeitar os horários impostos, fugir das reuniões que exigem sua presença, se esse casamento não te fizer crescer, duvido que possa se tonar rei.- Como sempre ela não me dá tempo de responder, apenas saí pisando firme, não demora nada para que minha outra mãe aparecesse no quarto, com aquele olhar doce.

– Vocês dois não tomam jeito, só ignore Sayuri por enquanto, sua mãe está uma pilha de nervos.- Hanae cruza seu braço junto ao meu, e começamos a andar para fora do quarto.

– Eu não sou um príncipe ruim mamãe.- Sussurro para a mais velha que sorri grande.

– Talvez você seja o melhor príncipe que esse reino já teve, mas sua mãe não parece perceber.- A mais velha para em frente a uma das grandes janelas, olhando para o vasto horizonte.- Sayuri não consegue ver que o povo te ama, que sempre que precisam de algo falam com você, não me lembro de conhecer príncipe nenhum que trabalhasse na chuva para ajudar a construir uma casa.

– Como soube disso?- Pergunto curioso, já que havia feito de tudo para que elas não soubessem, até pedi ajuda de alguns guardas para me encobrir.

– Sou sua mãe garoto, eu tenho olhos em todo lugar do reino.- Ela sorri fofa me fazendo revirar os olhos.

– Quem te contou?- Pergunto mais uma vez e ela ri.

– A dona da casa me contou, ela é um amor.- Tenho que lembrar de nunca pedir nada a senhorinhas de idade, elas não sabem guardar segredo.

– Traidorazinha.- Murmuro e minha mãe ri, eu gostava do som da sua risada, de certa forma me acalmava.

Depois de escutar minha mãe dando ordens aos empregados do castelo, e pedindo para que o conselheiro e o guarda real tomassem conta do reino, finalmente entramos na carruagem, meu irmão ia sentado ao meu lado, e minhas mães estavam no outro banco, e antes que o cocheiro fechasse a porta, meu lobo entrou com tudo, se jogando no colo de Hanae, os dois eram bons amigos, já que a mais velha foi a única que não se opôs a me deixar tê-lo como amigo.

– Tobio controle o seu animal de estimação.- O sarcasmo na voz da mais velha quase me fez revirar os olhos.

– Querida não o chame assim, Nagi não é qualquer bichinho de estimação.- Minha progenitora sorriu, acariciando os pelos do lobo, fazendo a mais velha entre nós ficar quieta.

– Um lobo não é um animal doméstico.- A mais velha retruca me fazendo revirar os olhos.- Eu vi isso garoto, mais respeito.

– Como quiser mamãe, Nagi vem pra cá.- Chamo o animal para que se deitasse nos meus pés, assim não incomodaria a rainha, estou quase cogitando a ideia de ir ao lado do chocheiro, ir a viagem toda ao seu lado, sem sombra de dúvidas, vai ser mais agradável...

                     Q •◦⊰◊⊱•◦T

Depois de dois longos dias, finalmente estávamos chegando no castelo, o reino de Harutsu era totalmente diferente do meu reino, era quentinho e tinha uma brisa suave e reconfortante, era um lugar cheio de vida por assim dizer, flores para todos os lados, árvores enormes que abrigavam ninhos de pássaros, alguns animais andavam entre as pessoas, estas que não pareciam se importar com a presença dos seres de quatro patas, não demorou muito para que entrassemos na grande cidade, as casas continham o mesmo estilo, e todas, sem nenhuma exceção, carregavam flores, sejam nas janelas, nas calçadas, até em alguns telhados.

E foi quando conseguir ver o enorme castelo do reino, era absurdamente lindo, e colorido, haviam flores e árvores por todo lado, quando a carruagem parou em frente aos grandes portões, fomos recebidos por alguns dos mordomos, primeiramente minhas mães saíram, em seguida eu e meu irmão mais novo, o lobo veio logo atrás como nosso guarda pessoal, e finalmente estávamos dentro do castelo, enquanto andávamos pelo corredor central, eu focava mais nas decorações, e nos pequenos detalhes do caminho.

Estava tão absorto no novo local, que não percebi quando entramos na sala do trono, o que claramente não passou despercebido por minha mãe, engolindo em seco, fingi que estava tudo bem, voltando minha atenção para os reis a minha frente, o homem alto e moreno, de olhos castanhos e cabelos marrons, que carregava consigo a maior coroa, era o rei Daisuke, nascido em berço de ouro, herdeiro puro do trono, e ao seu lado estava seu esposo, de pele branquinha, olhos verdes, e cabelos ruivos, a aparência jovial, e um doce sorriso nos lábios, este era o rei Satoru, ao seu lado, havia uma garotinha cabelos marrons presos em um coque e olhos verdes, baixinha, usando um vestido rodado e florido, a cópia perfeita dos pais, mas o príncipe, ele não estava ali.

– Minhas amigas, sejam bem vindas ao reino de Harutsu, de prontidão já peço perdão pelo atraso do meu filho mais velho.- O rei Daisuke se aproxima, dando um abraço apertado em Sayuri.

– Nós que agradecemos a hospitalidade, eu acho que ainda não havia apresentado vocês.- Minha mãe aponta para mim, e eu dou alguns passos a frente.- Este é Tobio, meu filho mais velho, e aquele ali escondido atrás da minha amada esposa, é Seiichi nosso caçula.

– Me sinto lisonjeado em conhecê-lo.- Me curvo respeitosamente, e antes que eu me levantasse, sinto algo se chocar tão violentamente com meu corpo, que me faz perder o equilíbrio.

Demorei um pouco para entender que havia alguém em cima de mim, e pela cara dos reis, eu já tinha uma noção de quem era, eu me virei calmamente, ou tentando fingir estar calmo, e me deparei com um par de olhos grandes e castanhos, mas o que me chamou mais a atenção, além da cabeleira ruiva, foi o rostinho corado, as bochechas e o nariz, a boca aberta naquela típica expressão de quem sabia que havia feito besteira, mas aquele rosto não me era estranho, eu tinha certeza que o conhecia de algum lugar...

                     H •◦⊰◊⊱•◦S

As vezes eu pensava que eu não tinha jeito, não importava quantas vezes eu tentasse, quando eu realmente precisava chegar na hora, eu me atrasava de uma maneira ridícula, dessa vez foi porque simplesmente esqueci que o príncipe e sua família chegavam hoje, as pressas eu segui para o castelo, desejava tanto chegar a tempo, que quando comecei a correr, já não prestava atenção no que acontecia a minha volta, e foi quando vi de relance duas moças, eu julguei que eram as rainhas, meu corpo inteiro gelou, e quando eu pensei em parar era tarde de mais, meu corpo bateu contra algo, e eu fui pro chão.

Eu tive pouquíssimos segundos para raciocinar o que estava acontecendo, consegui sentir o olhar dos meus pais me queimando, e percebi que havia feito uma merda bem grande, e conclui esse pensamento ao ver o príncipe de Akiyu em baixo de mim, ele era totalmente diferente do meu pensando, não tinha a barba grande, cicatrizes no rosto, e um mal cheiro, ao contrário, a pele parecia ser lisinha, não havia uma marquinha, os cabelos lisos me davam a vontade de passar a mão, e aqueles olhos azuis pareciam me tirar o fôlego, e foi então que eu notei que ele era familiar.

– Não vai sair de cima de mim?- Ele foi sutilmente grosso, estreitando seus olhos, e me encarando de uma maneira nada doce.

– Me desculpe.- Peço baixo e envergonhado ao que me retirava de cima do seu corpo, o moreno, alto e esbelto, se levantou primeiro e então me estendeu a mão, está que eu prontamente aceitei, e voltei a encara-lo, procurando descobrir de onde o conhecia.

– Pode parar de me encarar?- O príncipe pergunta parecendo nervoso, e eu entendi de onde o conhecia, há alguns anos, estive em uma academia para príncipes e ele estava lá, sendo um completo idiota comigo.

– Eu te conheço, você é aquele garoto babaca que vivia implicando comigo na academia.- E novamente eu havia falado demais, julgando o olhar do meu pai, eu iria tomar uma belíssima bronca.

– E você é aquele baixinho chato que não conseguia fazer nada sozinho.- Ele retruca me olhando de cima a baixo.- Cresceu mais quantos centímetros?

– Ora seu...- Um pigarreio vindo do meu pai Satoru me faz parar de falar, e eu engulo em seco.

– Eu acho que como vocês dois já se conhecem, nos podemos esquecer as formalidades, Shouyou que tal você levar o príncipe pra conhecer o castelo?- Sorrindo eu concordei, mesmo que pensasse que seria uma perda de tempo, eu não me dava bem com aquele rapaz, desde a primeira vez que o vi já pensei que seria o típico garoto problema, e eu não estava disposto a fazer dele o meu esposo.

                    Q •◦⊰◊⊱•◦T

Já fazia um tempo que estávamos no castelo, a família real já estava acomodada em seus aposentos, e depois de tomar um pequeno esporro, comecei a acompanhar o príncipe em uma visita ao palácio, eu o mostrei cada pequena parte relevante da minha moradia, se estivéssemos sozinhos eu não acharia tão ruim, mas a sensação de que eu poderia morrer a qualquer instante me assombrava, e vinha graças ao grande ser de pelagem escura que andava atrás de Tobio.

– Então você é um príncipe? Pensei que era filho de um duque.- Puxo assunto assim que saímos de dentro do castelo, ficar em silêncio me incomodava bastante.

– Aparentemente sim, também estou impressionado que você seja um.- O moreno caminha a minha frente, aparentava estar curioso com o lugar.- Você ainda não me respondeu se cresceu mais alguns centímetros.

– Minha altura não é relevante, e se você quer mesmo saber, eu cresci mais uns seis centímetros.- Havíamos chegado ao jardim, eu me sentei na grama, e pude ver ao longe que a rainha Sayuri nos observava, a mais velha era extremamente parecida com o filho, não era atoa que ele era tão bonito.- Você não é o exemplo de príncipe que todos esperam, ou é?

– Eu sou apenas eu mesmo, príncipe ou não, e você?- O mais alto se senta ao meu lado, e eu suspiro.

– Olhe para mim, acha mesmo que sou o príncipe dos sonhos dos meus pais?- Pergunto sarcástico, e um pequeno sorriso aparece em seu rosto.

– Eu não tenho dúvidas, agora entendi porque estou aqui, se você não se casar esse reino vai sucumbir rapidinho.- Com o mesmo sorriso no rosto, o moreno se levanta, e sem me esperar ou falar qualquer coisa, começa a andar para longe, e eu não consigo cogitar a ideia de que me casarei com um idiota assim...

                        •◦⊰◊⊱•◦



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...