1. Spirit Fanfics >
  2. Unmei No (Predestinados) >
  3. CAPITULO 19: Devemos conhecê-la.

História Unmei No (Predestinados) - Capítulo 19


Escrita por:


Capítulo 19 - CAPITULO 19: Devemos conhecê-la.


# Haru * Atsuo

O clima na cozinha daquela casa passou de animado e feliz, pra confusso e difícil de lidar, logo que o garoto de madeixas azuladas jogou uma bomba do tamanho do mundo sobre a mesa do café da manhã...

* Eu  acabei de caminhar sobre uma corda bamba, e agora a única saída é resolver essa situação toda, afinal quando o meu avô me deu a notícia do tal noivado eu automaticamente pensei em recusar com todas as forças, mas... assim que eu vi que o meu parceiro seria o Sasaki... essa decisão caiu por terra e o pior é que eu não sei o porque... afinal agente não se suporta ou melhor ele me odeia.

* - Eu... não estava namorando exatamente mas... eu gosto muito dessa pessoa! - No calor do momento, essa foi a única coisa que eu consegui dizer pra acalmar os ânimos da fera.

Então depois de ouvir a minha mentira, ela fez uma expressão muito confusa, e voltou a se sentar sobre a mesa do café, como se ainda estivesse processando o que eu tinha acabado de falar.

* "De qualquer forma se eu assumi esse compromisso com aquele cara, a minha família tem que ser a primeira a saber certo???", Não sei por qual razão eu imaginei que depois de contar a novidade, tudo ficaria por isso mesmo, mas invés do pessoal trocar de assunto ou sei lá... me dar os parabéns, a minha mãe disse algo que me fez soar da cabaça aos pés.

- Bom... logo que é assim, você precisa trazer a sua noiva pra gente conhecer! - Ela disse isso, olhando bem no fundo dos meus olhos o que foi assustador. Então eu dei um leve sorriso e na mesma hora procurei uma desculpa.

* - Ele... é muito ocupado... - Pura mentira por que eu não sei nada sobre ele, mas naquela altura do campeonato eu tinha que soar convincente.

Atsuo estava dando um fora atrás do outro, nisso Aiko e o pai ficaram calados por um momento olhando na direção dele, já o Atsushi franziu a testa e começou a tossir com um pedaço de pão na garganta depois que o irmão mais velho disse "Ele"....

- Cof... Cof... - O menino levou a mão na garganta, e na mesma hora o seu velho foi até ele pra dar uns tapas nas costas.

* "Antes eu tivesse calado a boca." Pensou, depois que o mais novo quase engasgou com a comida.

"Ele????", Atsushi arregalou as pálpebras com a palavra carimbada no cérebro, pois o garoto ainda não tinha familiaridade com às relações das classes e essa coisa toda de Alfa, Ômega e Beta.

- Onii-san, a sua noiva é um homem? - Questionou já limpando a boca com a mão, e de imediato Atsuo respondeu com uma gota de suor caindo sobre a testa.

* - Sim... ele é um Ômega, tão bonito quanto a mamãe! - Neste instante o Alfa olhou na direção dos seus pais como quem diz "Vocês ainda não explicaram sobre isso pra ele?".

"Nós vamos explicar, mas ele aínda é muito jovem falta uns dois anos pra ele saber a classificação dele!", Mentalizou o pai fazendo a troca mental com um filho, e alisando as costas do outro.

Então Aiko que ainda não tinha engolido bem essa história, fechou a cara e com uma voz séria, deixou bem claro pro Atsuo que ela queria conhecer essa tal noiva que caiu de paraquedas na família.

- Ele ou ela seja lá o que for, você vai trazer pra jantar conosco nesse domingo Atsuo! e não me apareça nesta casa desacompanhado, estamos entendidos?. - Não existia nenhum Alfa dominante, mas dominante, do que a mãe do vice presidente.

* - Ok... - Disse ele com um sorriso forçado, após sentir a aura sufocante de uma mulher desconfiada.

________

Takeda Atsuo passou o resto do dia pensando em como ele estava ferrado, pois além do contrato por noivado e do encontro cheio de farpas, ele agora tinha que levar o Haru para conhecer os seus pais, e como diabos ele ia fazer isso se nem sabia o número do telefone dele ou algo do tipo.

* "Mesmo depois de 7 anos você continua me causando problemas..." Mentalizou o rapaz, afinal naquela época depois que o Haru foi embora deixando um pequeno bilhete, não foi fácil para ele, inclusive o mesmo ficou muito doente, pois o enfermeiro da escola explicou que essa intensa troca hormonal e a atração sentimental e sexual dos garotos foi por conta de um vínculo próximo ao sistema dos lobos onde algumas pessoas nascem predestinadas...

E por conta disso, o Atsuo não só ficaria doente por cerca de um mês, como também iria sentir falta do Ômega em questão, no entanto o menino ficou tão magoado naquela época por ter sido "usado" e depois "jogado fora" que ele decidiu jogar essa porcaria de "predestinados" pela janela.

No entanto o destino costuma pregar peças, e mesmo que ele tenha dado um de durão ou negue até a morte, o seu coração tremeu depois de encontrar o Sasaki de novo, e nenhum outro Ômega por mais que ele faça sexo conseguiu lhe dar essa mesma sensação de desespero.

* - Argh foda-se, eu preciso fumar! - O rapaz pegou um maço de cigarro que também ficava em cima da sua escrivaninha, e após ascender um deles, ele começou a tragar olhando através da grande janela de vidro filmé que havia no seu quarto.

Pois a noite já tinha caído sobre Tokyo, e a vista era incrível principalmente de cima, nisso o telefone do garoto de cabelo azul notificou uma mensagem, e com uma das mãos livre ele foi olhar o aplicativo do Line.

> Eu já estou chegando na portaria do seu prédio, então você já pode ir descendo por que vamos no meu carro! < 

Nobuki digitou rapidamente a mensagem, e mandou pro seu melhor amigo dando as últimas voltas no quarteirão, pois essa noite ele e o Atsuo combinaram de se encontrar com o Maeda, entretanto o pobre garoto mal conseguiu dormir na noite anterior.

"Eu... Não vejo o Maeda faz um tempo...", Mentalizou apertando as mãos sobre o volante.

Só de olhar dava pra dizer que o pobre Nobuki estava nervoso sobre esse encontro, afinal ele gosta do loiro desde a época da escola, mas nunca teve coragem de se confessar, e o único que sabia dessa paixão unilateral era o Atsuo....

* - Você pode me trazer de volta pra casa depois? - Perguntou o Alfa, já adentrando o veículo, depois que o seu amigo estacionou na portaria.

Takeda estava usando um grande sobretudo preto, já o seu braço direito também estava com um casaco quente mas sendo na cor marrom, Afinal as noites no Japão são frias em certas épocas do ano.

Então depois que o vice presidente se ageitou sobre o banco do passageiro e colocou o cinto, ele engatou a marcha do veículo e deu partida, já respondendo a pergunta em relação a trazer o outro de volta pra casa.

- É óbvio que sim, mas porque a pergunta? - O Nobuki sabia que tinha algo de arrado só de encarar a sobrancelha amarrotada do outro.

* - Por que essa noite eu preciso encher a cara com tequila! e esquecer o tamanho do rolo em que eu fui metido...

- "?!"


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...