1. Spirit Fanfics >
  2. Unpredictable Love >
  3. Família

História Unpredictable Love - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Família


    Luke encontrava-se em casa, mais precisamente sentado em seu sofá. Ele olhava seu celular enquanto fazia carinho em seu gato, o qual encontrava-se confortavelmente em seu colo, quase dormindo. Realizou um singelo sorriso, logo recebendo uma mensagem de seu primo dizendo que em breve chegaria na residência do ruivo para pegá-lo, pois naquele sábado ambos tinham decidido ir visitar Rebecca Blackmore, tia de Luke e mãe de Noah.

    Enviou de imediato uma resposta para o moreno, esperando-o então pacientemente. 

    Ouviu um som de buzina de carro, indicando que Noah tinha chegado. E com isso fez um último afago no felino que agora encontrava-se triste, pois tinha sido retirado do seu conforto e Luke percebeu isso.

一 Não fique assim, eu vou voltar. 一 

    Recebendo um miado como resposta o ruivo saiu de sua casa, vendo assim seu primo que estava dentro do automóvel o esperando com o seu típico semblante tranquilo. Guardou a chave em seu bolso da calça e através de passos rápidos Redwood entrou no carro, logo colocando o cinto de segurança.

一 Desculpa a demora. Antes de vir pra cá eu passei no mercado para comprar algumas coisas. 一

一 Tranquilo. Você não demorou. 一 Disse ajeitando-se. 一 Como está a tia Rebecca? 一

一 Ela está bem, mas está morrendo de saudade de você. 一 

Deu um sorriso fraco. 一 É compreensível, já tem um tempo que eu não apareço por lá. 一 

一 Prepare-se para receber um belo puxão de orelha quando chegarmos. 一 Brincou.

    Com um riso vindo do ruivo Noah deu assim partida no carro, dirigindo em direção a Amersham, uma cidade pacata o qual levava cerca de uma hora para chegar. E entre assuntos diversos a dupla após um tempo chegou ao local, se deparando com uma paisagem muito bela e rústica. Era um lugar perfeito para as pessoas que desejavam tranquilidade e se desligar por um tempo da modernidade das cidades urbanas. 

    Saíram do veículo ao ficarem próximos o suficiente da residência pertencente a mãe de Noah, chegando na porta da mesma e apertando a campainha. Luke se preparava mentalmente enquanto sua tia não aparecia, pois sabia que receberia uma bronca por conta de seu sumiço. 

    Ouviram a porta destrancar, vendo sem demora a mais velha com um semblante feliz por vê-los. Seu cabelo curto possuía o mesmo tom de seu filho e sua aparência era de uma mulher que beirava aos cinquenta e poucos anos. 

一 Vocês vieram! 一 Abraçou Noah e depois Luke, seguido de um puxão de orelha no mesmo. 一 E você, mocinho, deveria aparecer mais vezes! Esse seu sumiço só não me deixou mais preocupada porque o Noah me deixou a par da situação. 一

一 Ta bom, tá bom. Eu prometo não sumir mais. Agora, por favor, solte a minha orelha, tia! 一 Implorou com a voz um pouco chorosa.

    Após um resmungo Blackmore resolveu atender ao pedido do sobrinho, logo dando espaço para os rapazes entrarem na casa. O cômodo tinha um porte mediano e bem aconchegante. A madeira era o principal elemento da casa. 

    Percebendo isso Luke deu um riso contido, pois aquele ambiente fazia jus em ser de Rebecca. Tudo naquele lugar lembrava a mais velha, desde as decorações repleta de quadros e flores até a cor do tapete da sala. E pensar naquilo fez com que o rapaz voltasse automaticamente alguns anos, na época em que era um adolescente imprudente o qual morava com sua tia e seu primo. Um período em que Redwood vivia dando dor de cabeça por conta de sua atitude. 

    Ouviu Rebecca então chamá-lo, retirando o ruivo de seus pensamentos.

一 Me diga, Luke. Como está sendo morar sozinho? Está se alimentando bem? 一 Perguntou com um semblante preocupado.

一 Estou sim. No começo foi um pouco complicado, pois tinha que fazer tudo sozinho, mas agora me acostumei. 一 

一 Até hoje eu não entendi o porquê de você querer morar sozinho. Digo, você ainda é muito novo e eu não ficaria nenhum pouco incomodada de ter você morando comigo. 一 Franziu o cenho, fitando o moreno. 一 Já o seu caso eu tive que praticamente implorar para você arrumar um canto para morar. Que irônico. 一 

一 Nossa, mãe, isso foi muito carinhoso da sua parte. Obrigado. 一 Disse num tom de ironia junto a um sorriso falso.

Fitou os dois, suspirando em seguida. 一 Vocês não vão brigar, né? 一 Disse chamando a atenção de ambos. 一 Tia, eu só não queria te dar mais trabalho. Fora que eu já tenho dezenove anos. 一 

一 Você SÓ tem dezenove anos. É muito novo e tem várias coisas para conquistar ainda. 一 

一 Pare de mimá-lo, ele já tem idade para beber, logo não é nenhum garotinho. A senhora já deveria saber disso. 一 

一 Tem idade, mas acredito que o Luke não beba, certo? 一 Olhou para o ruivo que soltou uma tosse como resposta. 一 Espera, o quê? Você bebe? Desde quando?! 一 Com uma expressão surpresa ela se aproximou do sobrinho, segurando os ombros do mesmo. 

一 Tia… 一 

一 Ai meu Deus, vamos mudar de assunto. 一 Disse Noah. 一 Eu comprei algumas coisas no supermercado para podermos almoçar. 一 

一 Ah, é verdade. Você tinha me avisado para não fazer nada, pois iria trazer ingredientes para o almoço. Já tinha até me esquecido. 一 

一 Nesse caso eu me prontifico a cozinhar. 一 Avisou Luke, chamando a atenção de sua tia.

一 Tem certeza? 一 

一 Tenho. É um jeito de eu me redimir também, por ficar tanto tempo sem te visitar. 一 Sorriu.

一 Se esse é o caso então você não precisa se preocupar. Eu lido com a comida. 一

一 Não mesmo. A senhora ficará livre dessa tarefa hoje. Fora que não será nenhum problema, eu já estou acostumado a cozinhar. 一

Arqueou uma sobrancelha, proferindo com um tom brincalhão. 一 Cozinhar já é algo natural para o meu priminho. E verdade seja dita, o Luke é muito bom nisso. 一

一 Nossa, que orgulho! 一 Falou contendo o choro de felicidade. 

Suspirou. 一 Francamente… Vocês são muito dramáticos. 一

    Após seu primo trazer os ingredientes que encontravam-se no carro, Redwood começou a preparar a comida de prontidão, deixando tudo o que precisava em ordem para facilitar seu trabalho e torná-lo mais rápido. 

Ele descascava os legumes com maestria e preparava o prato principal com toda a dedicação possível, já que queria fazer uma comida deliciosa para a sua família. E enquanto o ruivo permanecia concentrado nos seus afazeres, tanto Rebecca quanto Noah o observavam um pouco distantes, surpresos com a habilidade que o ruivo realizava na cozinha. E não conseguindo conter esse sentimento eles começaram a conversar entre si. 

一 Eu sabia que o Luke era bom em cozinhar, até porque eu o ensinei, mas realmente não esperava que ele tinha se tornado tão bom cozinheiro assim. 一 Informou Rebecca.

一 Esse é o efeito de se morar sozinho. 一

一 Você mora sozinho e não cozinha tão bem assim. 一 Semicerrou os olhos.

一 Não precisa jogar na minha cara, por favor. 一 Fechou os olhos por um breve momento, logo voltando a observar seu primo. 一 A pessoa que casar com o Luke será sortuda, já que não passará fome. 一 Brincou.

一 Com certeza. 一 Concordou séria.

    Ouvindo a conversa de ambos, Luke preferiu ignorá-los, voltando a focar-se no que fazia. Pois sabia que se desse trela, os dois não não iriam parar de perturbá-lo e ele não queria isso, pelo menos não naquele momento de total concentração. 

    Um bom tempo se passou e com isso o ruivo finalmente tinha terminado de preparar sua comida, logo trazendo-a para a mesa, onde Noah e Rebecca já se encontravam sentados, ansiosos pelo que Luke tinha feito. E sem decepcioná-los ambos foram agraciados por uma bela e suculenta galinha, acompanhada de legumes perfeitamente cortados e uma salada de alface com tomates. 

Redwood sem dizer nada ficou esperando seu primo e sua tia dizerem algo, afinal, ele estava até que orgulhoso do seu trabalho o qual fez com tanto afinco. 

一 Luke… Essa comida está digna de uma revista de receitas! 一 Falou Rebecca com os olhos brilhando.

一 Sim. Você mandou muito bem, priminho. 一 Disse Noah logo colocando um pouco da comida na boca e a sentindo se desfazer. 一 Tão saboroso! 一 Concluiu feliz.

Saboreou a comida, realizando a mesma expressão de seu filho. 一 Meu Deus, Luke. Isso está perfeito! 一

一 Err… Sério? Vocês não estão dizendo isso apenas para me agradar, né? 一 Perguntou um pouco tímido. Ele não sabia lidar com elogios.

一 Claro que não. 一 Disseram os dois em uníssono. 

一 Quando eu digo que você tem talento para cozinhar é porque é verdade. Luke, você seria um ótimo cozinheiro! 一 Avisou o moreno.

一 Pare de ser um vendedor de uma lojinha de instrumentos musicais e seja um cozinheiro, por favor. 一 Implorou a mais velha.

一 Essa “lojinha” pertence a mim, ta? 一 Falou o moreno com uma expressão séria.

一 Parem com isso. Eu cozinho apenas porque gosto, não sei se sirvo para seguir esse tipo de profissão. 一

Arqueou as sobrancelhas, fitando o ruivo. 一 Claro que serve! Você seria um cozinheiro excelente, e não estou dizendo isso porque sou sua tia. 一

Deu um sorriso desconcertado, começando a comer. 一 É… Está bom. 一 Confirmou.

一 E você precisou comer para confirmar isso? Nossa opinião não importa? 一 Zombou o moreno. 一 Assim você me magoa. 一 Fingiu uma cara triste.

Semicerrou os olhos. 一 Engraçadinho. 一 Falou o ruivo.

Parou de comer, olhando o sobrinho e iniciando uma conversa. 一 Me diga Luke, você tem alguma novidade para contar durante esse tempo que ficou sumido? 一 Perguntou curiosa.

一 Novidade? Hm… Não, não tenho. Está tudo na mesma. 一 

Deu uma risadinha, chamando a atenção de ambos. 一 Sério, priminho? Você não tem nenhuma novidade mesmo para contar? 一

一 Noah, não começa. 一 Franziu o cenho.

Fez uma expressão confusa. 一 Do que vocês estão falando? 一 Olhou para o filho. 一 O Luke se meteu em alguma confusão?! 一 

一 Por que a senhora pensou logo na pior hipótese? 一 Fez uma careta. 一 Eu não sou mais aquele Luke que arrumava briga por qualquer coisa. 一

一 Tem razão, você mudou. Me desculpe, Luke. 一 Disse triste, logo mudando de expressão. 一 Mas você tem novidade, não tem? Conta, conta, conta! 一

Olhou de soslaio para Noah que esboçava um sorriso divertido. 一 Você me paga! 一 Pensou, suspirando em seguida. 一 Eu só conheci uma pessoa, apenas isso. 一

一 Sério? E como ela é? 一

Encolheu os ombros, um pouco encabulado. 一 Não é “ela” e sim, “ele”. 一

Ficou um tempo em silêncio, processando o que Luke tinha acabado de dizer. 一 Oh… Não estava sabendo dessa sua preferência. 一 Um singelo sorriso deu, prosseguindo. 一 Mas se você está feliz, então tudo bem. 一

Proferiu de imediato, quase engasgando-se com a comida . 一 O quê?! Não, a senhora entendeu tudo errado! 一 Chacoalhou as mãos, desesperado. 一 Eu não tenho nada com esse cara, nós somos meio que amigos! É só isso! 一

Riu despreocupada. 一 Ah, então esse é o caso. Entendi. Mas esse seu amigo é uma boa pessoa? 一

一 Sim, ele é. O Noah chegou a conhecê-lo e a Sophia também. 一 Respondeu após se acalmar um pouco. 

一 É verdade. O Geralt é um rapaz bem gentil e educado. Acho incrível o Luke ter conhecido alguém assim. 一 Brincou recebendo uma encarada feia do ruivo como consequência.

一 Então o nome dele é Geralt… 一 Fez um semblante pensativo. 一 Espero que você me apresente esse rapaz algum dia. 一 Sorriu.

Deu um sorriso fraco. Ele teria que apresentar o rapaz para mais uma pessoa. 一 Tudo bem. 一

    Enquanto comiam eles continuavam a conversar, colocando o papo em dia e aproveitando ao máximo aquele momento família o qual não tinham mais com tanta frequência como antigamente. 

    E sabendo disso Luke vez ou outra ficava calado, apenas observando tanto sua tia quanto seu primo conversarem entre si, o deixando escapar um riso contido. Ele estava feliz por fazer parte daquela família, que apesar de algumas vezes ambos irem além da conta em certos aspectos, o ruivo sabia que eles faziam isso para o seu bem.

(...)

Na residência dos Isherwood Geralt e sua mãe Elaine encontravam-se na extensa mesa de jantar, comendo em silêncio enquanto vez ou outra alguma empregada aparecia para perguntar se ambos precisavam de alguma coisa. O albino mantinha uma expressão triste, olhando algumas vezes para a cadeira vazia onde normalmente seu pai sentava para comer. E enquanto pensava no patriarca o rapaz resolveu olhar para seu relógio de pulso, indicando que já era hora de Clint Isherwood estar em casa, almoçando com eles.

一 O meu pai não vem? 一 Disse o albino, chamando a atenção de sua mãe.

Sorriu fraco junto de um cenho franzido. 一 Pelo visto não. Mas você sabe como é o seu pai quando o assunto é trabalho. Ele está muito focado resolvendo problemas na construção em Liverpool. 一

Olhou para a refeição com os olhos semicerrados. 一 Eu entendo, mas ele está tão focado nisso que está se esquecendo de passar um tempo conosco. 一 Voltou a focar-se em Elaine. 一 Quando foi a última vez que tivemos um almoço em família? 一 

一 Geralt… 一

一 É final de semana. Ele não deveria estar trabalhando. 一 

Ficou um tempo em silêncio. 一 Eu entendo o seu lado, entendo mesmo, mas o seu pai trabalha até não poder mais porque ele quer continuar nos dando essa vida confortável o qual temos. Então, por favor, não fique com raiva dele. 一

Negou com a cabeça. 一 Eu não estou com raiva dele, mãe. Eu apenas quero que ele seja mais presente. Isso é pedir muito? 一

一 Não… Não é. Mas é complicado para o Clint. Ter que equilibrar o trabalho com a família é uma tarefa difícil. Você o entenderá quando ficar no lugar dele, até porque mais cedo ou mais tarde a empresa será sua. 一

Franziu o cenho. 一 Eu não quero isso. 一 Começou, fazendo Elaine o olhar. 一 No dia em que eu formar uma família eu jamais deixarei o trabalho ficar acima das pessoas que amo. 一 Disse determinado.

一 Você pretende formar uma família? Essa é a primeira vez que ouço isso de você. 一 Falou um pouco surpresa. 一 Você está interessado em alguém? 一

一 Não. Até o momento não tenho interesse em ninguém. 一 

一 Você é jovem, logo encontrará alguém. 一

    Após assentir com a cabeça os dois voltaram a comer em silêncio, preferindo deixar de lado o assunto Clint Isherwood. E ao terminar sua refeição o albino despediu-se da matriarca, subindo as escadas enquanto permanecia com a conversa que teve com Elaine sobre seu pai em mente. Parou então por um momento em frente ao cômodo onde ficava seu fiel piano, olhando para porta ponderando se tocaria ou não, entretanto aquele pensamento logo se desfez, permitindo o rapaz ir direto para o seu quarto. Ele tinha a sensação de que se tocasse, por conta de seu humor ruim, a música não sairia da forma o qual desejava e isso o frustraria. 

    Entrou em seu aposento, jogando-se na cama de qualquer maneira enquanto fitava o teto. Aquele sábado não estava sendo nenhum pouco satisfatório para Geralt. Estava em casa, sem ninguém para sair junto e o momento família era impossível naquele momento. Pensou automaticamente nos novos amigos o qual fez, recordando-se do dia em que saiu com Luke e Sophia e da diversão que teve com ambos.

一 Luke. 一

    Falou o nome do ruivo em um tom baixo, pegando seu celular que encontrava-se no bolso da calça e fitando o aparelho por alguns segundos. Ele queria mandar uma mensagem para o rapaz, para ter alguém com quem possa conversar, mas logo desistiu da ideia. 

一 Melhor não. Ele deve estar ocupado. 一

    Olhou para a janela, vendo o céu cinzento típico de Londres aos poucos escurecer, anunciando que faltava pouco para a noite cair. E por conta da temperatura baixa que fazia o albino começou a sentir as suas pálpebras pesarem, porém ao ouvir seu celular emitir um som Geralt despertou em segundos. Viu assim pela tela do aparelho uma mensagem do ruivo que o surpreendeu, pois até aquele momento era ele quem sempre iniciava as conversas. 

“E aí, Geralt. Tudo bem? Espero que esteja tendo um dia legal com a sua família.”

    Ficou um tempo olhando para a mensagem de Luke, pensando no que iria dizer. Estava com vontade de falar o que realmente se passava em sua mente, porém ele não possuía intimidade o suficiente com Redwood e tinha medo da reação do mesmo se dissesse a verdade. 

“Estou sim. Obrigado por perguntar.”

    Mandou uma mensagem curta, coisa que dificilmente fazia, mas o seu humor estava tão ruim que por mais que tentasse Geralt não conseguia pensar em uma resposta melhor.

    Já Luke, que agora voltava para casa junto de seu primo, percebendo a mensagem curta do albino não pôde conter uma expressão intrigada.

一 Estranho. 一 Disse, chamando a atenção de Noah.

一 O que houve? Ele não te respondeu? Talvez o fato de você ter resolvido puxar conversa do nada o tenha assustado. 一 Zombou.

Franziu o cenho. 一 Não é isso. É que essa última mensagem do Geralt foi curta demais. 一

一 E por que isso seria estranho? 一 Arqueou uma sobrancelha.

一 Nas poucas vezes que conversamos o Geralt sempre mandou mensagens mais longas. Essa é a primeira vez que ele faz isso. 一

一 Bom, sempre tem a primeira vez para tudo. 一

一 Hm. 一 

    Não muito contente com a resposta e estranhando o comportamento do albino, Luke resolveu digitar novamente.

“Está tudo bem mesmo? Você me parece um pouco estranho”

    Um longo suspiro Geralt deu. Pelo visto ele não tinha conseguido fingir bem. Pensou por um momento em finalmente dizer o que estava acontecendo, mas novamente preferiu optar pela mentira.

“Eu estou sim. É apenas o cansaço. Hoje o dia foi bem corrido.”

“Entendo… Se esse é o caso, então é melhor você descansar.”

“Eu farei isso. Tenha uma boa noite, Luke.”

“Boa noite.”

    Após a curta conversa que tiveram o ruivo guardou seu celular permanecendo com uma expressão intrigada, pois por mais que o albino tenha se justificado dizendo que estava cansado, Redwood simplesmente não conseguia acreditar.

一 Ele está estranho. O que será que aconteceu? 一 Pensou.

.

.

.

Continua

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...