História UNRAVEL - Tokyo Ghoul - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Akira Mado, Ayato Kirishima, Big Madam, Hideyoshi Nagachika, Hinami Fueguchi, Juuzou Suzuya, Ken Kaneki, Kishou Arima, Koutarou Amon, Kureo Mado, Kurona Yasuhisa, Nashiro Yasuhisa, Nishiki Nishio, Personagens Originais, Renji Yomo, Rize Kamishiro, Saiko Yonebayashi, Shuu Tsukiyama, Touka Kirishima, Uta, Yoshimura
Tags Anteiku, Aogiri, Eto, Hideki, Juuzoneki, Juuzou Rei, Juuzou Suzuya, Kaneki, Mei, Tapa-olho, Tokyo Ghoul, Tokyo Ghoul:re, Touka, Touken, Uta, Yomo
Visualizações 151
Palavras 1.695
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Konnichiwa!

O capítulo de hoje vai mostrar: alguns detalhes da relação da Akira com o Juuzou; Eto e Mirai discutindo sobre a missão resgate; Ayato e Hinami como você nunca viu; Kaneki frieza em pessoa invadindo a mente da Touka de novo.

Boa leitura 😘

Capítulo 5 - Arco íris


Fanfic / Fanfiction UNRAVEL - Tokyo Ghoul - Capítulo 5 - Arco íris

- Oh, meu Deus! - Juuzou ia para o lado junto com o seu carrinho no jogo.

- Já era, você perdeu. - Akira disse confiante ao ultrapassar o carro de Suzuya em 2km. 

- Isso que vamos ver! - Juuzou ativou o nitro de seu carro, surpreendendo Akira.

- Que bonito, hein? - Arima parou na porta do escritório dos dois. - Um ghoul está por aí, matando nossos companheiros, e vocês estão jogando Need for Speed?

- É pra relaxar, Arima-san. - Akira sorriu para o superior. - Fizemos grande progresso nas investigações e...

- Quê grande progresso, Akira? - Riu Suzuya, limpando uma lágrima que havia caído enquanto ria. - A gente só sabe que é um one eyed e que se chama Kamikaze. Os registros foram roubados por ele mesmo, e todos os investigadores foram assassinados por ele.

- Progresso, hein? - Arima arqueou uma sobrancelha para Akira. - Vão fazer o seu trabalho, imediatamente. 

- Hai, Arima-san! - Os dois disseram ao mesmo tempo.

[***]

Eto estava se preparando para o início da missão resgate. A Aogiri queria trazer o Kaneki de volta, custasse o que custasse, e ela não pouparia esforços para tal. Com a ajuda de Mirai, não ia ter pra ninguém. 

Quando a ghoul dos cabelos brancos entrava no requinto, tudo ficava silencioso. O respeito até um pouco exagerado para com ela era surreal, mas ela até gostava de ter tantos submissos na palma da mão. 

- Kamikaze! - Eto sabia que Mirai não gostava que todos soubessem sua identidade, por isso mantinham aparências na frente do grupo. - Venha para o meu escritório, vamos discutir os detalhes. Para os demais, podem relaxar por enquanto. 

Mirai foi ao encontro de Eto. Podia-se dizer que eram amigas, uma amizade muito conturbada, porém verdadeira. Elas até saiam juntas fora do "trabalho", como Mirai e Yoshimura, mas saiam. 

O escritório de Eto na fábrica era uma sala que ela havia redecorado e feito pequenas reformas. Colocaram uma lareira, tapete, estante de livros... deixaram chique. 

- Qual é o plano? - Mirai se jogou no sofá vermelho do escritório.

- Vamos, pela primeira vez desde que assumi o poder da Aogiri, usar um plano sem falhas. - Eto sentou ao lado de Mirai.

- Hum... Diga mais. - Mirai tirou a máscara, revelando seu olho ghoul.

- Bem... Primeiramente planejamos...

E elas ficaram discutindo o plano por horas, o tornando ainda mais eficaz e antidor para ghouls. Era tão perfeito que parecia até ter sido planejado pela genialidade de Eisten e pela criatividade de Júlio Verne. Quando a Aogiri ouviu o plano, não teve uma única falha apontada.

- Ayato-kun... - Hinami chamou a atenção do ghoul. - Vai ser a primeira vez desde que entrei na Aogiri que vou ficar longe de você...

- Hinami, até parece que você me ama e somos namorados! - O ghoul dos cabelos roxos bufou. - Vai com calma, e vê se não fode a missão. 

Hinami já estava acostumada com o temperamento de Ayato, embora tenha sido muito complicado conviver com ele nas primeiras semanas. Ele falava palavrões, era frio, cruel, calculista e antipático e ainda vivia de birra com a pobre adolescente. O mais estranho disso tudo, era que ela até gostava deste comportamento. 

Foi mimada pelos pais até o último dia de vida deles. Foi mimada pelos integrantes da Anteiku. Foi mimada. Sua vida se baseava em mimação. Agora, Ayato fazia tudo, exceto mimá-la. 

Literalmente, tudo.

Por vezes, quando estavam sozinhos no apartamento de Ayato, onde Hinami ficava desde que entrou na Aogiri, ou em qualquer outro lugar, ele esbanjava seu swing natural, fazendo a jovem e inocente Hinami ceder a seus pervertidos pedidos. 

Um caso, em particular, se destacava. Foi uma das poucas vezes em que Hinami se viu disposta a fazer tudo por Ayato, abrir mão de sua inocência, abrir mão de tudo o que ela prezava simplesmente por mais. 

Os dois estavam em cima de um prédio, daqueles que o elevador pode levar direto pra lá. Ayato estava escorado na "casinha" do elevador e Hinami olhava a vista. Kaneki tinha lhe explicado algumas coisas sobre sexo desde que ela tinha vindo para a Aogiri, quando soube que ele, mesmo que sem memória, estava lá. O Ken sem memória era mais frio que o Alasca e não se importava nem um pouco de falar sobre o assunto com a garota de catorze anos.

Hinami nem sonhava que, enquanto estivesse inclinada para ver a vista melhor, Ayato lhe agarraria pela cintura, por trás, e faria seu corpo se grudar ao dele. 

- Você é retardada de ficar nessa posição perto de mim, Hinami. - Ele disse sensualmente no ouvido da garota, que entrou em pânico. - Assim você prova que não é tão boa quanto aparenta. 

- A-Ayato-san... - Ele foi puxando ela pra trás, ainda grudados. Então colocou ela de frente para ele e, no segundo seguinte, prensou Hinami contra a "casinha" do elevador. - Ayato!

- Hinami... - Os lábios dele estavam tão próximos dos dela, ela sentia a respiração dele, e a respiração não era a única coisa quente no momento. - ...Você se chatearia se eu dissesse que quero ver você sem esse lindo conjuntinho... - Ele tocou na blusa dela, fazendo o desespero subir. - ...E sem a lingerie kawaii que você deve estar usando por baixo dele... - Ele, descaradamente, colocou a mão por dentro da blusa dela, mas no momento estava só na barriga. - ...Deitada na minha cama? 

Ele deu um chupão no pescoço dela, deixando um roxo enorme. Tirou a mão da blusa dela, colocando as duas na cintura, elevando o suficiente para que ela ficasse em seu colo, forçando Hinami a abraçar o pescoço do rapaz. 

Muito calmo, só que não, Ayato começou a insinuar o que ele queria de sua subordinada, passando as mãos por todo o corpo da garota, inclusive em partes que Hinami nem imaginava que lhe fariam sentir prazer.

Mas um homem, provavelmente um morador do prédio, apareceu ali.

"Hum... o que teria acontecido se aquele homem não tivesse chegado?" Hinami se perguntava às vezes. 

Ayato, volta e meia, já estava fazendo Hinami pensar que ia para o inferno, como se ser um ghoul já não fosse um bilhete premiado para ir pra lá. Ayato era sádico, visivelmente... e Hinami se perguntava porquê isso a excitava.

[***]

Kaneki estava atirado no sofá de Touka, assistindo TV. Tinha passado no teste da faculdade, substituindo a si mesmo, e ainda tinha ajudado Touka e Kimi no café lotado. Ele estava respirando, mas estava morto de cansaço. 

- Como foi o dia, Caneca? - Nishiki invadiu o lugar, indo pra cozinha, pegando suco na geladeira e bebendo da jarra. 

- Cansativo. - Kaneki ainda tinha pânico da história da escova de dentes.

- Ah, nem te falei! - Nishiki cuspiu um pouco do suco em Kaneki, fazendo o lado frio do albino se ativar, e lhe mostrar o dedo do meio. - Nossa! Calma! - Nishiki riu do ato. - Eu tô trabalhando como assistente de uma escritora chamada Yoshimura, você conhece? 

- SIM! - Parecia um morto ressuscitando. - É uma das melhores do ramo, como conseguiu?

- Uma garota, Mirai, conhecia ela e me apresentou. Aí tava feito o regaço.

- Regaço, Nishiki?

- Você fala como se fosse um virjão, Kaneki! Vai dizer que você nunca...

- Eu sou virgem. - Kaneki disse, meio zangado, meio risonho. 

O que, nem um nem outro, esperava era que Touka estivesse ouvindo a conversa deles sem ser percebida. Ela não estava crendo no que ouvira! Como alguém como Kaneki, tão perfeitamente lindo, podia ser, aos vinte e poucos anos, virgem!?

- Oral? - Nishiki insistiu.

- Não. 

- Anal? - O ruivo insistiu mais, recebendo um "não" com a cabeça. - Nem espanhola? Meia nove? Tapinha? Yaoi?

- Yaoi? - Kaneki riu.

- Você e o Hide formariam... - O olhar sanguinário de Kaneki já dizia tudo.

- Acho que eu vou... - O cheiro de Touka fez o ghoul interior de Kaneki surgir de um milésimo para milésimo. - Touka.

- O-Oi, Kaneki-kun? - Touka foi até o centro da sala, corada.

- Há quanto tempo você tava ouvindo, hein Tsundere? - Nishiki arqueeou a sobrancelha.

- O suficiente para você querer me silenciar, Kaneki. - Ela sorriu, ainda um pouco tímida. 

- Eu vou deitar. - O albino levantou e foi na direção do corredor, parando ao lado de Touka e olhando nos olhos da garota de uma forma mortal. - Isso... fica... só... entre... nós. Entendeu? 

Ela só confirmou. Que personalidade era essa? Frio, dominante... ah, de novo, aquela incerteza: gosta ou não? Os cabelos agora preto em cima e branco em baixo davam um ar ainda mais sério para ele. E ela achava isso atraente. 

[***]

- Eu vou ir atrás do Haise, achei ele muito suspeito. - Suzuya disse para Akira quando eles decidiam quem era ou não suspeito e quem iria investigar.

- Juuzou! - Akira deu um cutuque na testa de Suzuya, irritada. - Você vai é me ajudar, não vai ficar vivendo o arco íris por aí enquanto eu faço tudo!

- Arco íris? - Juuzou passou a mão na testa, onde Akira o havia batido. 

- É! Sério que você acha que ninguém percebe que você é bissexual? - Ela pôs a mão na testa, bufando. - Não importa. Foco na missão! 

- Me deixa investigar Haise, Mirai e o tal do professor Takizawa!

- Takizawa é mesmo bem suspeito, sinta-se à vontade. Quanto Haise e Mirai... vou pensar no seu caso. 

- Aêêê! - Juuzou abraçou Akira, prendendo seus braços.

- Suzuya... Não abusa! - Akira empurrou o parceiro para escanteio, mas estava rindo. - O Arima vai nos mutilar se não pegarmos esse maldito ghoul! Kamikaze é o alvo principal, e temos de eliminar ele de imediato!

Desde a morte de Amon, Akira não era a mesma, principalmente com Juuzou. Ela, diferente de Kaneki, criou sentimentos e simpatia. Juuzou era respeitado, isso lhe chamou a atenção, fora que a insanidade dele e sua história eram únicas. Os dois, de certa forma, se completavam. Ela até achava as suturas legais. Se completavam.

Agora, realmente, se eles não pegassem o Kamikaze, Arima ia pendurar a cabeça dos dois em cima da lareira. 

- Ao trabalho, Juuzou! 

[End of Chapter 5]


Notas Finais


Gomen pelo capítulo pequeno em comparação aos outros, mas eu realmente queria deixar os próximos acontecimentos para o capítulo 6, porque, meus amigos, vai ter missão resgate em ação. Eu não contei pra vocês o pianinho pra ficarem curiosos, viu? 😂😂😂

Sayonara, até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...