História Unreachable - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Kookmin, Namjin, Namjoon, Seokjin, Taehyung+sohyun, Taeso, Taeyoonseok, Yoonseok
Visualizações 145
Palavras 3.344
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, boa tarde! Como estão?
Eu até queria ter postado ontem, mas essa semana passei mal e fiquei dois dias na cama, e acabei não escrevendo nada. Masss, eu sempre volto, hm?
O capítulo de hoje é um BÔNUS que tem o foco APENAS em Jikook, e não altera na história da fanfic, mas eu gostei muito de escrevê-lo e como amo Kookmin, resolvi postar! Espero que gostem!
Boa leitura.

Capítulo 23 - Twenty Two (Jikook Bônus)


Fanfic / Fanfiction Unreachable - Capítulo 23 - Twenty Two (Jikook Bônus)

França, século XII, Idade Média.

Jimin suspirou enquanto dedilhava as cartas trocadas entre ele e Jungkook. Sabia que não era o certo ficar repassando isso o tempo todo em sua mente, mas ele não sabia como deixar isso de lado.

O próprio já tinha aconselhado Seokjin, dizendo que ele tinha que perdoar Namjoon e ver se realmente valia a pena terminar todo aquele relacionamento. Então por que não tinha coragem suficiente para falar com Jungkook? Seria o seu orgulho?

Ele não sabia direito, mas o que tinha certeza era que o Jeon estava tentando de verdade. Os avós de Jimin recebiam todas as manhãs, uma cesta de frutas que o outro comprava para eles. E Jungkook passava as suas tardes trabalhando na feira da aldeia, já no período da noite, ficava em frente à casa de Jimin, mesmo que não dissesse nada.

O ruivo tinha tirado um tempo para ficar com seus avós, e ele via pela pequena janela que Jungkook chegava a adormecer em frente a sua casa. Antes, o moreno tentava falar com o mais velho, que apenas o ignorava. Mas agora ele ficava ali, admirando uma família que quase foi sua.

E hoje não havia sido diferente para Jungkook, porém foi diferente para Jimin.

O Park abriu a porta de entrada da pequena casa em que morava com seus avós e por mais que estivesse escuro, conseguia visualizar a imagem de Jungkook, que ajudava uma criança a carregar um tipo de carroça até a casinha dela.

Jimin mordeu o lábio inferior e se encostou na porta, esperando que o outro terminasse o serviço, embora Jungkook ainda não tivesse percebido que estava sendo observado por alguém.

Assim que Jeon se virou limpando as mãos na sua calça, o outro notou que ele respirou fundo e coçou a nuca, sem saber muito bem o que fazer. Apesar do mais novo querer se aproximar, não sabia se deveria. Por que Jimin estava ali?

Quer dizer, era a casa dele. Então, por que Jeon Jungkook continuava a ir ali? Era o que o próprio se perguntava, enquanto Jimin temia que ele parasse de fazer isso.

Jungkook havia prometido; se Jimin não dissesse nada, ele ainda iria persistir, ainda teria esperança. Mas, e se Jeon desistisse? E se ele achasse outra pessoa ou apenas se cansasse de esperar o ruivo o perdoar?

Na cabeça do moreno nenhuma dessas alternativas iriam acontecer, ele sabia do tamanho do seu amor. Porém, Jimin estava inseguro com isso, e não queria mais ficar longe do outro, independentemente de qualquer coisa.

- Jungkook. - Jimin chamou o outro, que tentou fugir daquela situação ao virar as costas. Virando-se novamente, passou a encarar os olhos profundos de Park. - Eu sei o porquê que você continua a vir aqui, não é um acaso.

- E eu também sei o motivo de você estar falando comigo agora. - Jeon suspirou e andou alguns passos vagarosos na direção de Jimin, que franziu o cenho com aquela afirmação. - Só não pensei que fosse acontecer tão cedo. - E agora eles estavam frente a frente, apesar de manterem uma distância agonizante um do outro.

- Você acha que eu vou te mandar embora? - Jimin questionou e não viu nenhuma expressão vinda do outro. Era um “sim” silencioso. - Talvez esteja certo. - Isso fez com que o moreno desviasse o olhar. - Ou talvez eu queira conversar com você. - Já com essa frase, Jungkook ergueu uma sobrancelha ao encontrar os olhos misteriosos do ruivo.

- Você sabe que vou te esperar o tempo que for, seja para receber perdão ou uma despedida fria. - Jungkook começou a falar. - Mesmo que eu queira ficar independente da sua resposta.

- Mesmo que eu esteja te odiando? - Jimin indagou e o outro fechou os olhos, apertando-os.

- Mesmo que esteja me odiando. - Abriu os olhos devagar. - Porque eu serei ainda mais tolo por continuar a te amar. - Jimin se desencostou da porta onde se apoiava e deu alguns passos para o lado, parecendo confuso e ficando de costas para Jungkook.

O amor é tolo. E quem ama fica ainda mais. Jimin riu com essa conclusão.

O moreno sequer sabia o que passava pela cabeça do outro naquela hora, mas continuava a observá-lo como se Park Jimin fosse a obra de arte mais bonita do mundo; porque para Jungkook era. Embora o ruivo estivesse despojado, com roupas simples para um embaixador francês, ele continuava a ficar bonito. Com aquele cabelo alaranjado, deixava o mais novo tentado a tocá-los de novo. Tocar em Jimin... Ele sentia falta. E de abraçá-lo e o mimar também.

Contudo, naquele momento, ele não tinha direito e querer ou sentir. Jungkook se culpava de como as coisas haviam acontecido, afinal, de fato, era culpa sua e ele admitia. Mas não aceitava em como deixou Jimin escapar de seus braços.

- Eu sinto sua falta. - E contradizendo toda a sua consciência, Jungkook sussurrou alto o suficiente para Jimin o escutar, dando um longo suspiro em seguida.

- Isso não muda as coisas. - Jimin se virou minimamente para dizer.

- E o que muda?

- A verdade. - O ruivo voltou a fitar Jungkook, que pareceu pensar naquela frase.

- É aí que eu quero chegar. Ela muda o nosso presente e o nosso futuro, mas não corrige o passado. - Jungkook falou e o mais velho mordeu o lábio inferior.

- Não precisaria ter corrigido se você tivesse me contado. – Rebateu, e novamente, voltaram a ficar um de frente para o outro. É como se os corações deles voltassem sempre para o mesmo lugar.

- Mas eu acho que precisei errar para aprender. - O moreno respondeu sincero, e colocou as mãos no bolso pela timidez. Jimin sabia que ele fazia isso quando se sentia nervoso, o que eram ocasiões raras. - Aprender que a mentira não protege, e sim destrói. Assim como destruiu o seu respeito por mim.

Jugnkook parecia tão maduro e tão tranquilo falando aquilo, sendo que por dentro ele tinha vontade de sumir da vida de Jimin, pois ele sabia que o ruivo merecia todo o amor do mundo, e por mais que tivesse isso para oferecer, tinha medo de que isso não bastasse. Porque o Park merecia tudo.

E Jimin suspirou ao notar o quão honesto e arrependido soava as coisas que o outro dizia. Isso confundia a cabeça do mais velho, que por um lado parecia disposto a se reaproximar de Jungkook.

- É difícil, Jungkook... Eu não quero que você minta mais. - Jimin admitiu tão baixo que se o outro não estivesse olhando para si, não teria entendido tão facilmente.

- Eu não vou. - Jungkook falou o mais confiante possível. - Eu te prometo, Jimin, eu serei o melhor homem do mundo para você, caso me dê uma chance. - Jimin deu um passo, ainda hesistante enquanto olhava se não havia ninguém por perto. Felizmente, estava de noite. - Não vou mentir dizendo que sou perfeito, pois não sou. Tenho defeitos, mas eu amo você. E por mim e por ti, eu irei melhorar cada vez mais.

Jimin nada respondeu, ainda que estava abalado pelas coisas que Jungkook dizia. Ele não estava totalmente seguro, mas queria se arriscar, porque apesar dos pesares, conhecia de verdade quem estava ali na sua frente.

Jungkook estava praticamente tremendo quando subiu a sua mão na direção do rosto de Jimin, tocando-lhe a bochecha esquerda com o maior cuidado do mundo. O ruivo fechou os olhos firmemente quando sentiu o toque carinhoso do outro após tanto tempo.

O mais velho deixou uma lágrima solitária escapar, e isso fez com que o outro se assustasse levemente. Jeon, um pouco preocupado com aquilo, a secou com seu dedão, acariciando a vermelhidão do rosto do outro.

- Céus, como eu senti saudade disso... - Jungkook se perdeu nas orbes escuras de Jimin, que havia aberto os olhos há alguns segundos. Se fosse para se perder naquela sensação que lhe trazia euforia, Jeon estava disposto.

Apenas um toque era tão valioso, tão imenso para Jungkook. Com Jimin era tudo tão grande.

- E-eu... Quero... - Jimin tentou falar e levantou um pouco os braços, fazendo com que Jeon entendesse que queria se aproximar ainda mais. Jungkook sorriu ternamente e puxou o ruivo para o abraço mais aconchegante que conseguira dar. E apenas com o cheirinho do moreno, o mais velho já se sentia em paz novamente.

Jimin circulou a cintura de Jungkook, prendendo-o o máximo possível. Já Jungkook passeou as suas mãos pelas costas do ruivo, que se sentia um pouco mais aquecido por isso.

- Jiminie... - A voz da senhora Park foi ouvida e Jungkook congelou no lugar, mas Jimin parecia estranhamente confortável com aquilo. Afastaram-se mais rápido do que gostariam, e o ruivo foi até a mais velha, que conversou consigo durante alguns minutos.

Jungkook sequer conseguiu ouvir sobre o que falavam e aquilo o deixava cada vez mais nervoso. Conhecia os avós de Park e gostava deles, os respeitava muito, mas ele tinha medo do que eles fariam caso soubesse que... Que, bem, ele e o querido neto dos dois namoravam.

O ruivo retornou de novo para perto de Jungkook, que recebeu um aceno da mais velha. Embora estivesse confuso e nervoso, retribuiu sem entender quando Jimin também se despediu da senhora Park.

Os dois se viraram e Jungkook questionou o que o outro tinha falado.

- Acho que está na hora de conhecer onde você está morando. - Jimin sorriu para si e segurou rapidamente em seu braço, fazendo com que o moreno voltasse com o seu jeito galanteador e carinhoso de novo.

Ambos seguiram por um curto período de tempo, até que chegaram em uma rua onde a maioria eram tabernas, e todas elas estavam abertas, mesmo que já estivesse consideravelmente tarde.

- O que disse para sua avó? - O mais novo perguntou e ele entrou em uma que não havia tanto movimento, sendo seguido por um ruivinho curioso e ao mesmo tempo, confuso.

- Eu disse a verdade. - Jungkook o encarou, mas ainda assim não tinha parado de andar. - Bom... Disse que eu iria ficar com você durante essa noite, mas não falei o que iriamos fazer. - O moreno escutou a risada baixa de Jimin, que estava atrás de si.

- Uh... - De supetão, Jeon se virou e isso fez com que o mais velho esbarrasse em si. - Bom, então... O que vamos fazer essa noite? Deve ser algo interessante, já que não pode contar. - Jungkook mordeu os lábios e Jimin sorriu envergonhado, dando um tapa no outro, que gargalhou e voltou a andar.

Enquanto caminhavam, Jimin reparou o quanto ali era agitado e animado apesar de não haver tanta movimentação. As paredes cheias de velas iluminavam o local, assim como uma música sendo cantada por jovens camponeses enchia a taberna de volume.

As mesas de madeiras eram bem espaçadas, e haviam poucas moças ali, sendo a maioria as que trabalhavam lá. Todos pareciam bem felizes enquanto bebiam e comiam, e até que deu uma leve vontade no Park de ficar ali.

Mas, pelo menos por hoje, ele tinha outro plano em mente. A diversão na taberna em que Jungkook morava poderia ficar para outro dia. Afinal, Jimin sabia que não sairia mais de perto do outro.

- Você mora nos fundos? - Jimin perguntou, mas aquilo soou mais como uma afirmação, já que cinco passos depois eles estavam no último corredor da taberna, onde havia algumas portas que davam para inúmeros quartos.

- É, eu não tive tempo de arrumar uma coisa melhor ainda. - Jungkook brincou com a barra de sua camiseta, pensando o quanto aquele lugar poderia ser ruim e precário. Não queria que Jimin tivesse a imagem errada de si.

- Tudo bem, Jungkook. - Riu baixo, e nisso Jungkook abriu a porta do pequeno cômodo que estava chamado de quarto temporário. Jimin foi o primeiro a entrar, e observou em volta.

Os objetos eram bastante simples. Havia apenas uma cama e um baú no canto esquerdo, para que Jungkook guardasse as suas roupas. Em contrapartida, a cama dele era espaçosa e adornada com colchas.

No canto direito havia uma mesa simples de madeira com uma cadeira alta, com uma pena e uma pequena pilha de documentos escritos e alguns em branco.

- É aconchegante, eu gostei. - Jimin comentou com um sorrisinho, e se sentou na cama de Jungkook, que ergueu uma sobrancelha para si e riu em seguida, enquanto perambulava pelo quarto e acendia algumas velas.

O moreno se aproximou do outro e ficou de frente para Jimin. Acariciou o cabelo alaranjado dele, e o que estava sentado abraçou a cintura de Jungkook, puxando-o cada vez mais para si. Jimin colocou o rosto no abdômen de Jungkook, olhando em sua direção de forma manhosa.

E aos poucos, Jungkook se agachou até que ficasse em uma altura mais próxima do mais velho, ficando bem próximo de seu rosto. Sem esperar mais alguma iniciativa, Jimin roçou a sua boca no outro algumas vezes, deixando-os tentados a avançar. E o ruivo fez um carinho na bochecha do mais novo.

O ruivo não se conteve e o puxou para um beijo caloroso, que estava repleto de saudade e muito carinho. Jungkook se levantou de novo, colando-se cada vez mais em Jimin, deitando-o devagar. Passou as suas pernas em volta do corpo do ruivo e ficou por cima.

Voltaram a se beijar intensamente e quando Jungkook desceu um pouco o seu rumo, foi ali que ele se afastou um pouco e passou a encarar Jimin, que estava de olhos fechados, mas que se abriram pela falta de contato. O moreno mordeu o lábio.

- Você não quer? - Jimin perguntou sério, parecendo um pouco chateado. Sentou-se um pouco torto, tendo as pernas do moreno em cima de si.

- Jimin, eu quero, quero muito. - Jungkook balançou a cabeça, parecendo ficar nervoso. - Mas mesmo que já tenhamos feito isso... Você quer? - Os olhos tímidos revelavam a juventude que ficava, na maior parte do tempo, escondida dentro de Jungkook.

- Eu quero, meu amor. - Jimin sorriu completamente lindo e confiante, e isso fez com que Jeon se derretesse inteiro por dentro, fazendo-o sorrir e beijar o mais velho de novo.

- Obrigado por essa chance. Eu amo você. - Jungkook disse, deitando o ruivo novamente na cama, mas dessa vez mais confortável. A camisa que Jimin vestia foi facilmente retirada pelo mais novo, que passou a beijar o pescoço branquinho dele.

Dando chupões e beijos molhados pela extensão do peitoral de Jimin, Jeon se viu ainda mais apaixonado naquele homem. - Eu sou tão sortudo... - Jungkook sussurrou e Jimin sorriu de olhos fechados. - Você é tão lindo, meu ruivinho... Tem um corpo maravilhoso... - Voltou a dizer, e apertou as coxas grossas do Park, que gemeu baixo pela surpresa. Levantou suas pernas, tirando lentamente a calça do ruivo.

Sem resistir aquela região que amava tanto de Jimin, mordiscou as coxas dele até que ficassem avermelhadas, mas nada que realmente machucasse o outro, que gemia com qualquer toque mais sensível em seu corpo.

Levantou-se um pouco para tirar a sua camiseta, ansioso para o que viria. Jimin observou os ombros e braços definidos de Jungkook e foi tão tentador beijar essa região, que ele realmente o fez. Passou as mãos pelo tronco de Jeon, e o ruivo estava quase explodindo em ansiedade e desejo apenas de ver quão bonito ele era.

Jungkook o colocou em cima de seu colo, e o Park não perdeu tempo em movimentar o quadril naquela área, causando uma fricção gostosa. O moreno já se sentia bastante excitado, e conduziu Jimin nesse movimento tão prazeroso.

Depois disso, Jimin deu um beijo molhado e sensual na boca de Jungkook, que parecia cada vez mais extasiado. Em seguida, desceu até a barra da calça de Jeon e a abaixou devagar, causando ainda mais tensão no mais novo.

Com um último sorriso malicioso, Jimin explorou a região íntima de Jungkook detalhadamente, e isso fez com que durante a noite toda, Jeon não parasse de ter espasmos com tanto prazer.

Park Jimin merecia ser amado de todas as formas, e Jeon Jungkook estava completamente disposto a fazer isso. O amaria sem restrições, e seria com toques e os sentimentos mais sinceros que poderia oferecer.

E enquanto beijava os lábios cheios e vermelhos de Jimin, percebeu que ali era o único lugar que ele queria estar. Queria que o resto de sua vida fosse ao lado daquela pessoa maravilhosa e que achava cada vez mais que ele não era real.

Os sons que o ruivo emitia, a forma da qual ele friccionava o seu corpo com o de Jungkook e até mesmo o corpo perfeito que tinha; tudo fazia com que o outro se apaixonasse perdidamente por si. O amor que eles faziam não podia se comparar as explosões que sentiam dentro de si, a euforia que estava aprisionada no peito de Jungkook e que se soltava aos poucos, em cada beijo ou toque.

- Essa foi a terceira vez e eu ainda não me acostumei com você... - Jimin disse se fingindo de emburrado quando Jungkook pediu descaradamente para que fizessem de novo. Ouviu a gargalhada do moreno e sentiu que ele o abraçou por trás, e se sentiu aquecido por ter o corpo do outro perto de si.

O ruivo se virou novamente e deitou no peitoral do mais novo, tentando descansar por fim.

- Bom... - Isso fez com que Jimin abrisse os olhos. - Quando nós morarmos juntos, você não vai precisar mais pensar nisso, porque você vai perder a conta. - E de novo, uma risada gostosa soou naquele quarto, mas dessa vez era de Jimin.

- Eu estou ansioso para provar isso... - Jimin se escondeu na colcha que os cobria por conta da vergonha, e isso fez com que Jungkook quisesse apertar o outro inteirinho. - Falando em provar, eu também gostaria de me divertir na taberna com você.

- Podemos vir aqui de noite, é divertido. Conheço a maioria dos trabalhadores daqui e até os que apenas frequentam o lugar. - Jungkook contou e o outro estreitou os olhos, focando o olhar em si.

- Você quer dizer então que ficou bastante conhecido por essas bandas, hm? - Jimin perguntou cheio de ciúme, e mesmo que estivesse brincando, agarrou o corpo de Jungkook para si.

- Será que o ruivinho está com ciúme? - Jungkook riu, fazendo carinho no cabelo dele.

- De você? Jamais. - Jimin pareceu dar de ombros. - Desde que nenhum deles queiram beijar a sua boca, está tudo bem. Pena que para mim isso parece um desafio difícil.

- Sabe o que é um desafio difícil? - Jungkook perguntou baixo como se fosse um segredo, e Jimin murmurou querendo saber a resposta. - Quer beijar outra boca que não for a sua! - Com isso, Jeon o puxou para mais um beijo apaixonante, ainda que os dois estivessem rindo com aquilo.

E com mais algumas brincadeiras que, lá no fundo, Jimin gostava bastante, adormeceram juntos e mais felizes do que o normal. O corpo perto um do outro os fazia se sentirem confortáveis e seguros, pois um era o porto-seguro um do outro.

Jimin e Jungkook era a prova de que o amor poderia sim vencer mágoas, desde que não envolvesse algo que fosse irreparável em um relacionamento. Jungkook tinha escondido algo do outro, mas o Park conseguiu entender que a pessoa ao seu lado era humana, e tinha todo o direito de errar, desde que ele estivesse disposto a melhorar.

E quando se tratava de Park Jimin, Jungkook fazia qualquer loucura.

Você é a causa da minha euforia

Quando estou com você, estou em utopia

Pegue minhas mãos agora

Não importa quem agite este mundo

Não solte a mão que está segurando

Você é o sol que se ergueu de novo na minha vida

Euphoria.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, perdoem qualquer erro.
GENTE AAAAAAAAAAAAA Eu amo Jikook, sério. E nessa fanfic eles são muito lindinhos, não tem como não se apaixonar! Eu até pensei em detalhar o lemon que aconteceu, porém, eu preferi escrever desse jeito, espero, de verdade, que entendam! Até porque sim meus queridos, o negócio Namjin tá BEM perto, rs.
E, bem, vocês viram que o Jimin se interessou na taberna? No próximo capítulo vou tentar incluir um pouco mais disso e vou mostrar que eles foram lá no outro dia ksksksks acho que vai ficar um pouco mais no estilo divertido heehe
Bom, comentem aqui!
Obrigada por tudo e por lerem até aqui! Nos vemos no próximo!
Beijinhos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...