1. Spirit Fanfics >
  2. Unrestrained Heart >
  3. All traces of my Unrestrained Heart

História Unrestrained Heart - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


Badum tss
Oi galerinha, esse é o último capítulo de Unrestrained Heart
buuuut
Vai ter um epílogo
Então
Yeah?
Faço os agradecimentos nele :v

Capítulo 29 - All traces of my Unrestrained Heart


Fanfic / Fanfiction Unrestrained Heart - Capítulo 29 - All traces of my Unrestrained Heart

“Wen Ruohan está em investigação por cumplicidade no caso de Wei Wuxian”

“Wen Chao preso por tentativa de homicídio”

“Wen Qing, ex esposa de Lan Wangji, e Su She, ex gerente nas empresas Gusu, respondem processo”

 

 

- Estou muito aliviado, sinceramente – Wei Wuxian falou olhando o rapaz a sua frente.

- Me desculpe, eu não sabia que ela planejava algo assim e-

- Ei ei, tá tudo bem – Sorriu – Confio em você – Bagunçou levemente os cabelos do Wen mais novo – E antes de ser levada, sua irmã deixou claro que você não teve qualquer envolvimento – Explicou lembrando das ultimas palavras da mulher. Wen Ning soltou um suspiro cansado, quando tudo aconteceu, o rapaz estava em seu trabalho de meio período, só soube do acidente da irmã e foi diretamente para o hospital. Mas não poderia passar muito tempo, então garantiu que a mais velha estivesse bem e voltou para o trabalho – Você é um bom rapaz, não precisa ficar nervoso com isso – Ning se acalmou aos poucos, era uma situação realmente frustrante.

- B-bom, eu preciso ir – Disse com uma carinha triste – O resultado do processo dela sai hoje, me desculpe por tudo – Pegou as coisas que depositou na mesa e deu um sorrisinho antes de se despedir e virar para sair.

Wuxian suspirou, havia sido uma madrugada exaustiva, mas agora estava tudo certo. Voltou a passos lentos para o quarto, encontrando os filhos enganchados com o pai, todos dormindo. Sorriu enquanto apreciava a ternura e o calor que a cena lhe propiciava, o que fariam agora? Wei Wuxian ainda era ocupado com o trabalho, Lan Wangji também, mas dariam um jeito.

Sentou na beira da cama e por lá ficou, encarando suas pessoas preciosas por vários minutos. Notou Wangji com os olhos levemente cerrados, já dando sinal de que acordaria, e deu um sorriso ao homem.

- Bom dia Lan Zhan – Sussurrou enquanto virava para o relógio de mesa – Quase tarde, na verdade – Corrigiu levantando. O rosto sonolento do outro era fofo, proporcionando uma risada baixa no mais novo.

- Bom dia Wei... Ying – Falou entre bocejos, deu um jeito de não acordar as crianças enquanto saia da cama e seguia direto para o banheiro, fazendo a higiene matinal. Tomou um banho pelo cansaço da madrugada, saindo depois de alguns minutos apenas com uma toalha na cintura e gotículas escorrendo pelo pescoço e tronco.

Wuxian babava pela cena de longe, lembrando da pequena aventura de alguns dias.  Tomou rumo até o maior, o abraçando por trás e dando um leve selar em seu ombro.

- Dormiu bem? – Questionou. O corpo do Lan eriçou pelos toques, mas deu um sorriso e assentiu.

Virou na direção do outro, o puxando para um beijo tranquilo e gentil, apesar de não ter durado muito tempo. Logo o contato passou a ser mais necessitado, mudando o clima sereno em que estavam e o tornando mais quente.

- Lan Zhan... – Falou manhoso ao sentir os lábios em seu pescoço, os dentes o apertavam em leves mordidinhas antes de voltarem até a boca do mais novo – Zhan...

- Shh – Ouviu o tom de repreensão e sentiu as mãos fortes dando impulso em seu corpo para que desse um pulinho, parando com as pernas envoltas ao redor da cintura alheia.

- Vamos para a sala dos instrumentos – Falou baixinho ao lóbulo da orelha de Wangji – As crianças estão aqui e... Quando a sala é completamente fechada, o som é abafado – Sorriu iniciando leves beijinhos no rosto do mais velho, descendo ao queixo definido e o pomo de Adão, mordendo suavemente o local.

- Hm – Foi tudo o que ouviu antes de iniciarem o caminho até o outro lado da casa.

 

 

 

 

 

- E aí, a bruxa feia apareceu e ficou falando umas coisas que bruxas falam – Jingyi gesticulava tentando transmitir a história – E depois a polícia chegou, e o dada também, e o vovô Qiren, aí a gente viu os papais e fim! – Exclamou animado e Sizhui bateu palminhas.

- Final feliz – O garotinho Jin falou alegre – Agora a gente pode lanchar? – Encarou a expressão risonha dos pais.

- Claro – Yanli respondeu levando os sanduíches até a mesa. Hoje o dia era de comemoração, por estar tudo certo e todos estarem felizes e tranquilos. A casa estava como Wuxian gostava, cheia, lotada com a família grande e carinhosa.

Encarava as três crianças sorridentes na mesa que eram acompanhadas por Yanli, Zixuan e Jiang Cheng. Lan Qiren e Fengmian conversavam no sofá, Xue Yang, MianMian e Xingchen faziam algo na cozinha que o dono não queria saber, com medo de encontrar um desastre, Xichen e Guangyao pareciam presos em seu próprio mundinho na beira da piscina, Huaisang e Wen Ning conversavam em baixo de um guarda-sol e... Wangji, ah, Lan Zhan estava ali do seu lado apreciando a mesma visão enquanto abraçava o rapaz.

- Nossa historinha acabou bem – Sorriu lembrando da conversa que teve com os filhos – Soube que eles fizeram desenhos pra você, por que não trouxe? – Questionou virando a cabeça um pouco para cima.

- Hn, vai ficar no escritório.

- Por que? – Fez beicinho.

- É bom ver todo dia, tira o meu cansaço enquanto estou ocupado – Respondeu calmamente com um sorriso pequeno. Wuxian também sorriu.

- Certo... – Deu de ombros – E quando você vai trazer suas coisas para cá? – Sentiu o corpo petrificando atrás de si – Quero dizer... Vamos morar juntos, não? – Falou receoso.

- Ah, sim – Falou em um tom desconfortável – Preciso organizar tudo ainda...

- ... Entendo – Disse em um sussurro, Wangji parecia nervoso com algo, e isso o deixava preocupado – Sabe, se você não quiser se mudar, tudo bem – Falou em baixo tom – Não precisamos acelerar as coisas e nem-

- Não! – Exclamou abruptamente – Quero dizer... – Sem dúvidas, o Lan estava mesmo nervoso. Talvez não quisesse morar com Wuxian, ou viver como uma família, o amor que sentia pelo mais novo poderia ter passado, qualquer situação nessa linha de pensamento ocupava a mente de Wei – Vem cá – Se assustou com a puxada para fora da casa, os fazendo ficar em frente a porta já fechada.

- Lan Zhan? – Wei Ying não entendia o que estava acontecendo, tudo estava indo bem até alguns momentos atrás – O que aconteceu? Eu fiz algo que te chateou?

- Longe disso – Recebeu um sorriso anasalado do Lan – Na verdade, eu não sabia qual seria a melhor hora pra isso e... Fiquei nervoso com toda essa gente em casa... Não conseguiria fazer lá dentro – Explicava cada vez mais rápido, Wei Ying sentia que o Lan poderia se embolar com as próprias palavras.

- T-Tudo bem, o que é então? – Questionou já se sentindo aflito. Observou o movimento discreto do rapaz ao levar a mão até o bolso da calça que usava, e trazer de lá uma pequena caixinha de veludo. Se sentiu nervoso, suas mãos tremiam e seus olhos repentinamente se encheram de lágrimas.

- Meu Deus, calma – O Lan deu uma risada fraca com pena da expressão do outro, levando assim a mão vaga até seu rosto e fazendo carinho – Não precisa chorar – Falou suavemente enquanto a expressão de Wei se tornava cada vez mais chorosa.

- P-Preciso s-sim – Falou em meio a fungadas, pegou a mão do rapaz e a pressionou em seu próprio rosto enquanto sorria – Hm, continue – Wangji deu uma risadinha.

- Certo... – Disse suspirando, parecia estar guardando aquilo por um tempo – Como eu disse e sempre faço questão de deixar claro, eu sempre te amei, amei cada momento que passamos juntos desde nossa infância até agora – Dizia calmamente sem tirar os olhos do rapaz – Sei que não chegamos a namorar, mas creio que não precisamos mais disso – Sorriu – Todo dia eu lembrava do seu sorriso, do carinho que você fazia quando eu ficava triste, das palhaçadas na escola, das broncas que meu tio dava em nós, os seus beijinhos no meu rosto, tudo isso faz parte de quem eu sou hoje. Uma pessoa completamente apaixonada por Wei Ying – A cara de quem tentava se conter era hilária, e apesar do clima, fazia o Lan querer rir – Quero passar todos os dias da minha vida ao seu lado, cuidando dos nossos filhos e fazendo programações em família. Não ligo para as regras ou restrições do meu tio, nós dois sabemos que não é assim que queremos viver – Levou o dedo até o nariz avermelhado do outro, dando um leve aperto no local – Não quero perder mais nada, não posso passar nem mais um segundo longe de vocês. Quero usar todos os vestígios do meu coração livre pra amar vocês  -   Finalmente usou ambas as mãos pra abrir a caixinha, revelando um delicado anel de ouro com pedrinhas discretas – Wei Ying,

 

Você quer casar comigo?


Notas Finais


kkkk amo vcs hein <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...