1. Spirit Fanfics >
  2. Unshakable >
  3. Sala de música

História Unshakable - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá!
Nesse capítulo temos música ela começa quando os meninos escutam alguém cantando. Na minha mente ela se estende até o restante do capítulo.

Link nas notas finais. Um adendo: É a interpretação mais linda da música escolhida, na minha opinião.

Espero que gostem.

Boa leitura!

Capítulo 6 - Sala de música


Fanfic / Fanfiction Unshakable - Capítulo 6 - Sala de música

Rafael: - Woow por que a pressa?- Disse ao me ver saindo correndo.

Annya: -Estou atrasada.

Rafael: - Não pode sair sem comer nada.

Annya: - No caminho eu como alguma coisa.

Rafael: - Sugiro bolo.


Annya: - Sempre sugere bolo.

Rafael: - Bolo é vida!

Annya: - Não se preocupe, se eu não conseguir comer no caminho comerei na escola.

Rafael: - Tá legal. Boa aula.


Annya: - Tenha um bom dia.



Passei numa cafeteria muito bonita chamada majestic café, o ambiente é muito agradável, as vezes venho aqui pelas manhãs.


Annya: - Bom dia.

Atendente: - Bom dia, moça.

Annya: - Um frappucino pra viagem por favor.- Não demoraram para trazer meu café.

Atendente: - Aqui está.

Annya: - Muito obrigada.



Logo que cheguei a X academy fui direto para minha sala e pra minha sorte o professor está atrasado. Observei a sala atentamente procurando por Killian. Fui até a mesa de Vick perguntar sobre ele.

Annya: - Olá, onde está o Killian?

Vick : - Não tá no meu bolso.

Annya: -...

Professor: - Todos em seus lugares.- Ia responder mas com a chegada do professor tive que retornar ao meu lugar.

Professor: - Tenho uma surpresinha pra vocês, prova oral revolução francesa. Alguém pode me dizer qual foi o ano em que ocorreu a revolução francesa? Cassandra.

Cassandra: - Não faço ideia.

Dahlia: - 1789.

Professor: - Muito bem, senhorita Dahlia. Carolina, em qual data o rei estabeleceu a assembléia?

Carolina: - Cinco de maio de mil setecentos e oitenta e nove. Com o objetivo de decidir pelo voto os rumos do país. Entretanto, os votos eram por representação de estado. Eram três estado. Sendo assim, sempre o resultado seria dois votos contra um, ou seja: primeiro e segundo estados contra o terceiro. Fato que despertou a indignação de burgueses e trabalhadores. Vale lembrar que um dos mais jovens e destacados generais da revolução foi Napoleão Bonaparte, e foi exatamente em 1799, ao regressar do Egito à França que Napoleão encontrou um cenário conspiratório contra o governo do Diretório. Foi neste cenário que ele passou a figurar como ditador, inicialmente, dando o golpe de 18 de Brumário isso claro segundo o calendário revolucionário, e depois como imperador da França. O Período Napoleônico durou de 1800 a 1815 e mudou o cenário político do continente europeu, ao passo que expandiu o ideal nacionalista para várias regiões do mundo.

Professor: - Fantástico!


(...)


Tio Rafael trouxe minhas roupas limpas e secas coloquei cada uma delas dobradas no armário. Ouvi o toque de mensagem do celular do meu amigo.



Desconhcido: Boa noite, minha linda.

Annya: Boa noite. Como você está?

Desconhecido: Posso dizer que agora eu estou bem porque estou falando com você.
E você  como está?

Annya: Bem...

Desconhecido: Dia difícil?

Annya: Sim, um pouco.

Desconhecido: Imaginei. Quando você escreve "bem..." as coisas não estão muito boas. Já lhe conheço. Aquele garoto te incomodou de novo.

Annya: Ele quase sempre me incomoda, fez uma gracinha hoje. Me sinto mal com isso.

Desconhecido: - Não se sinta mal, Annya ele que é um babaca. E lembre- se de uma coisa... Ninguém pode te fazer se sentir inferior sem o seu consentimento.

Annya: Eleanor Roosevelt disse isso.

Desconhecido: É... outra dama especial como você.

Annya: Obrigada.

Desconhecido: Eu gosto tanto de você, Annya. Eu nunca conheci alguém que me entendesse tão bem.

Annya: Me sinto da mesma forma em relação a você, e também gosto muito de você.

Desconhecido: Como está a bateria do celular?

Annya: Está cheia.

Desconhecido: Mantenha esse celular carregado para que possamos nos falar. Annya, eu quero te ver.

Annya: Me ver?

Desconhecido: Sim, pessoalmente. Quero me encontrar com você. Não precisa ter medo de mim, eu não sou nenhum psicopata. Podemos marcar num lugar público pra que você se sinta amais segura.

Annya: Não é isso, é que...

Desconhecido: Já conversamos há algum tempo e quero muito vê-la. Você não quer me ver?

Annya: Claro que quero.

Desconhecido: Vamos ouvir música?

Annya: Claro, vamos sim. O que vamos ouvir hoje? É seu dia de escolher.

Desconhecido: Turning page. Mas dessa vez não coloca a música aí pra você ouvir enquanto ouço aqui. Vamos fazer como da primeira vez? Me deixa te ligar? Vamos ouvir juntos, irei colocar a música daqui, quero ouvir sua respiração. Deixa eu te ligar?

Annya: Eu consinto.


Depois de alguns segundos bateu uma tristeza que podia ser tocada e, sentida tão vivamente. A tristeza de não poder estar com ele neste momento. E eu sei que ele se sente da mesma forma, eu possi sentir. Olhei para a janela, a música é tão esplêndida e fascinante que os galhos das árvores pareciam dançar lá fora. Fechei meus olhos, é como se a música tivesse entrado dentro de mim, me trazendo uma sensação de paz, porque é isso o que eu sinto quanto estou com o desconhecido paz e tranquilidade. Me deixei levar completamente.

Quando terminou a canção desta vez foi ele quem encerrou a chamada.



Annya: Desconhecido... Quando e onde eu te encontro?

Desconhecido: O que acha da praça onde encontrou o celular? Amanhã a tarde, às 4 da tarde.

Annya: Pra mim está perfeito.



No dia seguinte...


Eu estava ansiosa desde o momento em que acordei, ansiosa e um pouco nervosa com o momento de encontrá-lo. Tantas coisas se passam pela minha cabeça e uma delas é " E se ele não gostar de mim"?


Estamos na aula de educação física, pelo fato de ter que usar peruca não é muito aconselhável que eu participe das aulas práticas então papai conseguiu que eu fosse dispensada das aulas. Como eu não quis assistir meus colegas de classe jogando resolvi dar uma volta pelo colégio.


Então quando olhei para o lado vi uma porta aberta, um lugar que até então eu não conhecia decidi entrar mas não havia ninguém. Vi alguns instrumentos então me dei conta de que estou na sala de música deve ser aqui que fica o pessoal do clube de música. Não muito longe está um microfone com pedestal , eu me aproximei do captador de áudio.


Annya: - É Annya...já faz um tempo. Você deve estar enferrujada.


A música é algo mágico é a arte mais direta. Ela entra no ouvido, vai para o coração e manifesta-se na alma. Eu sinto a música em todo o meu ser, é muito visceral.



Pov Luciel


Mael: - Eu tenho que fazer uma pesquisa pra aula de história, o professor tá pegando pesado com isso de revolução francesa. Aplicou prova oral e agora esse trabalho.



Luciel: - Eu não estava na sala mas você disse que a maior parte da turma não foi bem na prova, certamente por isso ele passou o trabalho.



Mael: - Você nunca tá na sala, cara.



Luciel: - Nunca estou mas sempre vou bem nas provas.Vamos até a biblioteca, talvez lá você encontre algo para o seu trabalho.


Repentinamente ouvimos uma voz linda, maviosa mas ao mesmo tempo forte. Eu poderia ouvi-la por horas.



Mael: - Cara, tá ouvindo isso?- Perguntou tão assombrado quanto eu.



Luciel: - Uma voz dessa não passa despercebida, meu caro Mael.



Mael: - Parece um anjo cantando. Que extensão vocal! Desculpe a minha empolgação mas é que gosto muito de música.- Ele riu.



Luciel : Sei disso mas não precisa ser músico pra ficar empolgado com a voz dessa menina. O som da voz dela vem da sala de música.



Mael: - Quem será ela? Eu quero saber quem é.

Luciel: - Eis a sua chance, vamos lá.

Mael: - Vamo nessa.



Eusébio: - O que fazem aqui, senhores? O professor de esportes me disse que não estavam na aula então eu pessoalmente vim procurá-los para levá-los de volta. Vamos.


Mael: - Espera só um minuto por favor.

Eusébio: - Nem meio minuto, vamos! Imediatamente!


Pov Annya


Acho que nunca estive tão ansiosa, espero que ele goste de mim, acho que estou prestes a fazer uma loucura mas eu vou sem peruca e sem óculos. Quero poder ser eu mesma e com o desconhecido eu posso ser eu mesma, quero que ele veja a Annya e não a Carolina. O traje de minha escolha é uma calça preta, blusa branca e como está frio peguei também um casaco branco, scarpin preto em seguida fiz uma maquiagem leve. Ouvi o toque de mensagem.



Desconhecido: Estarei usando uma camisa branca.

Annya: Certo. Estarei de casaco branco.



Ao chegar na praça não vi ninguém, talvez ainda esteja a caminho ou talvez não venha. Não, o desconhecido não brincaria comigo sei que não.



- Annya?- É ele! Virei- me de frente para o dono da voz. Ele abriu um sorriso tão bonito.



Annya: - Desconhecido ?- Indaguei um pouco espantada.


Desconhecido: - É um prazer poder finalmente conhecê-la em pessoa. Sou Luciel. - Oh my god, é o ruivo da X academy.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...