1. Spirit Fanfics >
  2. Unsure >
  3. Unsure (Capítulo Único)

História Unsure - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Unsure (Capítulo Único)


1. Unsure (Capítulo Único)

 

Um alarme arrancou Byul de seu sono. Sua mão praticamente esmagou o celular barulhento que estava em seu travesseiro. Com apenas um olho aberto, rapidamente silenciou o alarme e fechou seu olho novamente. Ainda não estava pronta para acordar. Então, respirou fundo, seu suspiro ecoando através de seu corpo ainda adormecido, afundou sua cabeça no travesseiro, ficando mais confortável. Mas infelizmente, seu telefone tocou novamente, agora sendo uma ligação.

Com seus olhos ainda fechados procurou pelo telefone novamente e colocou em sua orelha. — Alô? — Sua voz rouca saindo em um murmúrio.

Houve sussurros do outro lado da linha. — Por que parece que você ainda está dormindo? — A voz de Wheein soou do outro lado da linha. — Byul-Ah, você tem ideia de horas são?

Byul bocejou alto, tirando o telefone do seu ouvido para ver as horas na tela. — Seis e meia da manhã. — Ela não sabia porque tinha olhado, já que esse foi o horário para qual havia programado seu alarme.

— Unnie! — a voz de Wheein era afiada. — Você deveria ter acordado há meia hora! Hyejin e eu já estamos indo para o carro. — Byul ouviu um grunhido cansado do outro lado, Hyejin não era uma pessoa diurna. — Você vai se atrasar! Você realmente quer se atrasar em um dia como esse?

Byul bocejou novamente, não ela não queria se atrasar hoje, mas a noite anterior havia sido cansativa e seus olhos continuavam fechando enquanto falava com Wheein. — Estarei pronta para sair assim que você chegar aqui. — Ela resmungou.

— É melhor que esteja, Byul-Ah ou eu vou… — Byul simplesmente encerrou a ligação. Colocou o telefone no modo silencioso e jogou na mesa de cabeceira. Com certeza, estaria pronta quando elas chegassem, mas ainda tinha tempo para descansar.

Byul rolou para o outro lado da cama, automaticamente abraçando a mulher adormecida ao seu lado, que imediatamente soltou um pequeno gemido. Byul tentou se aconchegar em seu pescoço, deixando a fadiga se dissipar e aproveitando o conforto de sua namorada em seus braços para que pudesse voltar a dormir.

— Quem era no telefone? — Yongsun perguntou, ainda sonolenta, quase não sendo possível entender o que havia dito.

Byul suspirou e se aproximou. — Wheein, elas estão chegando. — Ela beijou o ombro de sua namorada.

Yongsun se virou para que pudesse ficar de frente para Byul, envolvendo seus braços em volta de sua cintura e pressionando um lado de seu rosto sobre o peito da maior.

— Já é hora de levantar?

Byul beijou o topo de sua cabeça. — Ainda não, amor, você ainda pode dormir um pouco mais. — Ela moveu uma de suas mãos para poder acariciar o cabelo de Yongsun.

Yongsun ficou em silêncio por alguns segundos, ela sempre foi quieta durante o sono, mas Byul podia sentir sua respiração contra sua pele. — Isso não dá azar? — ela murmurou após algum tempo.

Byul riu. — Acho que não nos encaixamos nessa superstição. — Ela continuou acariciando o cabelo da menor. — Mas se você quiser posso sair antes que abra seus olhos. — Ela começou a se afastar, mas Yongsun logo a abraçou com mais força, exatamente como Byul esperava que sua namorada fizesse. Quando Yongsun choramingou, Byul riu. — Mas isso dá azar. — Ela brincou, cutucando o lado de seu corpo.

Yongsun balançou sua cabeça. — Você está certa, essa superstição não serve para nós, pois não tem noivo.

Byul pensou por um momento. — Mas você é a única que vai usar um vestido, então talvez ainda sirva para nós. — De jeito nenhum Byul usaria um vestido, mesmo sendo seu casamento, então elas concordaram em uma roupa similar à um smoking.

Yongsun bocejou. — Não, está tudo bem, eu quero te ver antes do casamento. Quando as outras meninas chegarem aqui nós seremos separadas até a cerimônia.

Isso era verdade. Yongsun teria um time completo de amigas em sua casa para ajudá-la a se arrumar, enquanto isso Byul iria para a casa de Hyejin e Wheein. Mesmo Byul acreditando que Yongsun não precisava de todas essas coisas exageradas, ela já era bonita do seu próprio jeito, mas sabia que sua futura esposa queria ficar igual as noivas do cinema, então apenas aceitaria.

Elas conseguiram mais alguns minutos em silêncio até que o celular de Yongsun começou a tocar. Byul suspirou. — Acho que Wheein descobriu que coloquei meu telefone no silencioso. — Byul se inclinou e deu beijou amoroso em Yongsun. — Para que aguente durante o dia. — Ela piscou ganhando um tapa de sua namorada. — Melhor levantarmos, se não estivermos prontas em dez minutos Wheein vai me esfolar viva. — Relutantemente, Byul se separou de Yongsun para enfrentar o dia. O dia em que finalmente iriam se casar.

Byul bocejou novamente. Agora estava no carro com Hyejin, a caminho da casa da morena para que pudessem relaxar enquanto esperavam. Diferente de Yongsun, Byul não precisava de mais de uma hora para ficar pronta para o casamento. Seu cabelo seria simples, sua roupa já estava na casa de Hyejin, recém-chegada do alfaiate. Tudo que tinha que fazer era tomar um banho e se maquiar. Pelo que Byul sabia, Yongsun estava tendo um tratamento completo, cabelo, maquiagem e até tomando banho com água de rosas ou algo assim, ela nunca entenderia, mas se isso fazia sua amada feliz, então tudo estava certo.

A única coisa pela qual Byul estava ansiosa era finalmente chamar Yongsun de sua esposa. Foi um longo processo, primeiro tinha que ser legalizado. Então, vinha o pedido. Byul não era alguém que acreditava em casamento, ela não precisava de um papel para provar que amava Yongsun, mas sua namorada sempre sonhou em se casar. Então, quando finalmente anunciaram a aprovação da lei, Byul se ajoelhou, não porque se sentiu obrigada, mas porque queria, apenas não acreditava que essa seria a única maneira de provar que queria ficar com Yongsun para sempre.

Entretanto, na noite que finalmente fez o pedido, levou Yongsun para uma caminhada sob as estrelas, como sempre faziam. Levou-a para um piquenique e enquanto estavam deitadas numa coberta olhando para estrelas, Byul fingiu que tinha que pegar alguma coisa, então inventou alguma desculpa para deixar Yongsun, dizendo que sua perna estava quase dormindo e que precisava andar um pouco e como esperava, a menor a seguiu. Byul fingiu amarrar seu sapato, deixando com que Yongsun se adiantasse por alguns metros, então chamou seu nome. Quando Yongsun se virou, Byul estava de joelhos com uma pequena caixa em sua mão. O olhar no rosto de sua namorada ainda faz Byul sorrir, especialmente as lágrimas que acompanhavam o momento. Byul nunca imaginou que ouvir apenas a palavra sim iria fazê-la tão feliz. Mesmo agora enquanto lembrava, ela estava sorrindo, se perguntando como se sentiria essa noite. Tinha apenas que esperar e ver por conta própria.

--------------------------------------------------------------

                Byul estava extremamente entediada. Havia passado apenas algumas horas e ainda estava vestida as mesmas roupas com que havia saído de casa, jogada no sofá de Hyejin enquanto assistia TV. A antecipação pela noite novamente estava começando a atingi-la. Hyejin havia saído para buscar café deixando Byul sem nada para fazer enquanto esperava.

                Ela olhou para seu telefone, eram apenas onze da manhã e o casamento iria começar às quatro da tarde, faltando ainda cinco horas para esperar, quatro para se arrumar, talvez pudesse ficar pronta em uma hora e meia. Resolveu pegar seu celular e ligá-lo, uma foto de Yongsun apareceu na tela, sim Byul era uma dessas pessoas cafonas que colocava a foto da namorada como wallpaper. Isso fez com que sentisse mais saudades de Yongsun. Byul não era uma pessoa tradicional, preferia passar o dia todo na cama com sua namorada e então ir até o cartório com alguns amigos, mas Yongsun queria a cerimônia completa, ela também queria, mas ficar longe de sua amada o dia inteiro era cruel, isso foi ideia de Wheein.

                Antes de perceber o que estava fazendo, Byul já estava apertando a opção de ligar em seu celular. Alguns minutos depois, uma Yongsun um pouco corada apareceu na tela. Byul já tinha um sorriso se formando em seu rosto. O que fez tudo melhor foi Yongsun sorrindo também. — Oi. — Byul sussurrou.

                Yongsun deu uma rápida olhada em volta, ela estava no banheiro, vestida com um roupão. — Oi. — Ela sussurrou de volta. — Por que essa ligação de vídeo?

                Byul encolheu os ombros. — Por que estou com saudades. — Ela viu Yongsun revirar seus olhos, mas sorrir logo em seguida, Byul costumava fazer coisas assim. — Como estão as coisas aí?

                Agora foi a vez de Yongsun encolher os ombros. — Vou começar a arrumar meu cabelo. — Byul sorriu, algumas vezes apenas falar com Yongsun em um estado tão relaxado a fazia querer dormir.

                — O que você está fazendo? — Essa não era a voz de Yongsun. O rosto de Yongsun sumiu da tela e Wheein apareceu. — Unnie, o que eu disse! Yongsun precisa se arrumar! — Seus olhos dispararam pela tela. — Onde está Hyejin, ela deveria manter você entretida.

                Byul rolou pelo sofá. — Ela foi buscar café. — Respondeu se espreguiçando, se sentindo menos cansada. — Posso pelo menos me despedir? — Ela perguntou. Wheein revirou seus olhos, mas entregou o telefone para Yongsun. Byul sorriu assim que sua namorada voltou a tela. — Oi amor. — Ela disse suavemente. — Acho que tenho que deixar você se arrumar agora, mas te vejo mais tarde, serei a pessoa esperando no altar. — Isso fez a menor sorrir. — Eu te amo.

— Eu também te amo, Byul-Ah. — Ela jogou um beijo e a mão de Wheein pressionou o botão de desligar. Byul se sentiu solitária no momento em que a ligação foi encerrada, ela suspirou, acreditando que deveria começar a se arrumar. Se levantou do sofá e caminhou até o banheiro.

--------------------------------------------------------------

                Foi difícil achar um lugar que aceitasse celebrar um casamento gay. Não era porque agora era legalizado, que as pessoas aceitavam, muitos lugares baniram casamentos de casais do mesmo sexo. Entretanto, Byul foi capaz de achar um lugar. Uma pequena igreja próxima a floresta, o casamento iria acontecer do lado de fora, a decoração parecia com um conto de fadas. Byul já estava do lado de fora tirando algumas fotos até que Hyejin pegou sua câmera, seu lado fotógrafa nunca descansava.

                Faltavam apenas meia hora para a cerimônia. Byul e Hyejin estavam sentadas em sua sala. Enquanto Hyejin relaxava, Byul estava andando de um lado para o outro, murmurando seus votos, finalmente sendo atingida pelo nervosismo. Quando já estava lendo pela quarta vez, a porta foi aberta. Ambas olharam para aquela direção, Wheein estava parada na porta em estado de pânico. — Yongsun fugiu.

                Normalmente isso faria Byul entrar em pânico. Sua noiva fugindo antes do casamento, mas ela conhecia Yongsun. Tinha uma escadaria na igreja, no segundo nível, um banco de frente para uma janela com vista para a floresta, Yongsun tinha descoberto esse lugar em sua primeira visita. Byul encontrou sua namorada sentada lá, com a cabeça entre suas mãos. Normalmente essa visão tiraria o fôlego de Byul, o quão linda ela estava, mas esse não era o momento. Byul andou até a janela e se abaixou na frente de Yongsun. — O que aconteceu amor? — Ela esticou sua mão e colocou um pouco do cabelo de sua futura esposa atrás de sua orelha, mantendo o rosto dela em sua mão. — Fale comigo Yongsun.

                Yongsun ergueu a cabeça, com lágrimas em seus olhos. — O que estamos fazendo Byul-Ah? — Uma lágrima escorregou por seu rosto e Byul a limpou. — Isso não é muito, não estamos, sei lá, afrontando o destino ou algo assim? Obrigando nossos pais e família a passarem por isso, arriscando nosso futuro. — Yongsun, a pensadora, tantas perguntas passando por sua cabeça.

                — Ei, olhe para mim. — Ela obedeceu, seus olhos grandes e castanhos cheios de tristeza. — Você está preocupada se nossos pais nunca vão aceitar, os meus demoraram um pouco mais que os seus, mas eles aceitaram. Você pensou que nunca poderíamos casar na Coreia e aqui estamos em uma linda igreja. — Ela acariciou mais do cabelo de Yongsun. — Mas, além disso tudo, você disse sim para mim, num piscar de olhos, sem nem parar para pensar e isso foi seu coração falando, não sua cabeça. Foi o seu coração que quis isso, que me quis. Então, deixe seu coração te guiar por isso tudo. Se você quiser cancelar, nós iremos embora agora mesmo, não vou te obrigar a continuar com isso, especialmente se você estiver insegura.

                As lágrimas de Yongsun aumentaram. — Eu quero me casar com você, eu quero passar o resto da minha vida com você. — A voz dela falhou.

                Byul a abraçou, deixando a cabeça de sua namorada apoiada em seu ombro. — Então, fique comigo Yongsun, nesse momento e em todos que virão, fique comigo e nunca iremos para algum lugar que não quisermos. — Ela deixou que Yongsun chorasse por alguns minutos. — Quando parecia que todo o mundo estava contra nós e desistir seria a opção mais fácil, nós resistimos, lutamos para ficarmos juntas. Então, vamos continuar lutando, vamos lutar todos os dias para manter o que temos e eu nunca vou desistir facilmente.

                Ela sentiu Yongsun rir contra seu corpo. — Esses são os seus votos, não é. — Não era uma pergunta.

                Byul também riu. — Você é a que me conhece melhor. — Ela se afastou um pouco de Yongsun para olhá-la. Por sorte, Wheein escolheu maquiagem a prova de água, seus olhos estavam um pouco vermelhos, mas ela estava linda, essa era sua Yongsun, o amor da sua vida. — Vamos casar. — Ela sussurrou. Yongsun sorriu e assentiu. Byul a puxou para que ela ficasse em pé e a abraçou novamente, um daqueles abraços em que ambas relaxavam uma nos braços da outra e era como se pudessem sentir suas almas se conectando. Quando finalmente se separaram, Byul suspirou aliviada. Ela pegou a mão de Yongsun e a guiou para seu futuro juntas.

--------------------------------------------------------------

                Byul segurou Yongsun enquanto finalmente tinham sua primeira dança como casadas. O rosto de ambas estava vermelho, teve muito choro durante a cerimônia, Byul não sabia que era capaz de chorar tanto assim. Ela engasgou quando viu Yongsun começar a andar até o altar. Seu cabelo solto, um vestido branco levemente se arrastando atrás dela, era como se ela estivesse flutuando enquanto caminhava. Não teve niguém que não chorasse quando as garotas recitaram seus votos. E todas as pessoas levantaram e aplaudiram quando ambas disseram “Eu aceito”. Completando a cerimônia com um beijo apaixonado.

                Quando a música finalmente acabou e elas se separaram, Byul olhou profundamente nos olhos de sua esposa, sorrindo apaixonadamente. — Eu te amo, Kim Yongsun.

                Yongsun também sorriu. — Eu te amo, Moon Byul-Yi. Agora e para sempre.

                Byul a beijou. — Agora e para sempre. — Ela a puxou novamente para seus braços. Nada podia ter a preparado para o quão feliz se sentia nesse momento, todos os seus problemas, a longa jornada das duas mulheres, tudo isso não acabou em seu casamento, mas começou um novo capítulo em seu livro. Um que Byul nunca quis ver terminar e com Yongsun ao seu lado, ela não via isso acontecendo tão cedo. Essa era sua vida, sua felicidade e não ia desistir, nem agora, nem nunca.

 


Notas Finais


Observações
1. A versão original, em inglês, pode ser acessada em https://www.asianfanfics.com/story/view/1409715/unsure
2. Uneasy será traduzida posteriormente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...