História Until forever - Imagine Park Jisung - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias ITZY, Neo Culture Technology (NCT), The Boyz, Tomorrow X Together (TXT)
Personagens Chaeryeong, Choi Chanhee (New), Jisung, Kim Younghoon (Younghoon), Kun, Lia, RenJun, Ryujin, Winwin, Yeji, Yuta
Tags Bbangnyu, Imagine Jisung, Jisung!alfa, Leitoraômega, Outros Shipps Secundários
Visualizações 54
Palavras 5.911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


olaaa meus amoress
como vcs estão????
ok tô empolgada, mas é pq eu já estou de férias e eu já não aguentava mais aquele inferno de escola aaaaa
olha manxs passei fucking 14 dias escrevendo esse cap, sim 14 dias
já vou avisando:
* esse cap tem muito de Bbangnyu
* e muito de Jisung e você{s}
eu tava escrevendo esse cap e pensando: será que vcs conhecem o shipp Bbangnyu? bom se não, vou dar uma pequena aula a vocês:
Bbangnyu consiste em um skinshipp do boy grupo THE BOYZ (que tá completando 2 anos de debut essa semana, amo meus bebês), que originalmente é composto por 12 membros mas, devido a problemas pessoais e de saúde, um dos membros saiu do grupo então agora são só 11 membros. O shipp é formado por Choi Chanhee, que tem seu nome artistico: New e por Kim Younghoon, que é apelidado de ppang (pão em coreano) por amar pãos, portanto temos Bbang (Younghoon) Nyu (Pronúncia de New) ok? é isso
na foto abaixo estão eles, e pra quem não sabe, New é o pãozinho fofo de cabelo rosa, e Younghoon é outro gostoso com cara de tacho, me desculpem o vocabulário mas é impossível, Younghoon é um bocó de marca maior, é isto.
Dito isto, boa leituraaa
Tradução do título: Passo três: declarações e mudanças
Nos vemos nas notas finais ^.^

Capítulo 3 - Step Three - Statements and Changes


Fanfic / Fanfiction Until forever - Imagine Park Jisung - Capítulo 3 - Step Three - Statements and Changes

[...]





- Você disse que tinha algo para me contar... Quer falar agora? - Perguntou ao perceber que eu parecia incomodada, tentando mudar de assunto, mas o que ele não sabia era que o que eu tinha para lhe falar era exatamente o assunto que me incomodava.

- Bom... eu achei meu alfa, Hee... - Contei tudo que havia acontecido desde o meu desmaio até a descoberta de quem era o meu alfa.

- Você... eu... eu não sei o que dizer Mia... - O mais velho ainda estava perplexo com tudo que eu havia dito. - Mas... vocês já conversaram? - Perguntou.

- Não, nós ainda... - Fui interrompida por outra voz.

- Bom dia alunos. - Era o professor que daria a primeira aula. Virei-me para frente dando total atenção ao regente a frente da sala. 

- Depois conversamos. - Ouvi a voz do mais velho soar atrás de mim. Não respondi, apenas balancei a cabeça em confirmação mantendo minha postura.





POVS JISUNG {POINT OF VIEW > PONTO DE VISÃO DE JISUNG} 




Eu estava tendo a segunda aula do dia, mas não estava conseguindo me concentrar e nem prestar atenção em nenhuma palavra que a professora a frente da sala proferia.

Na minha cabeça apenas tinha a conversa que tive com meus pais há dois atrás, onde o mais velhos me contaram que Minzy, a garota na qual eu havia esbarrado e que eu havia encontrado com Hyunjae, era a pessoa que completava minha marca, era minha ômega. E as novidades não paravam por aí, descobri também que teríamos que morar juntos, pela nossa saúde e pela saúde dos nossos lobos. 

O fato de minha vida mudar drasticamente não sai da minha cabeça por nenhum segundo. 

- Jisung? Está aí? - Sou tirado de meus devaneios pela voz feminina alta da minha professora. Levantei o olhar para a mais velha sentindo meu rosto queimar minimamente logo em seguida ao perceber que todos da sala tinham seu olhar voltado para mim. - Você está bem? Parece bastante aéreo hoje. - 

- An? Ah... oi, me desculpe senhora Lee. - Respondi de forma acanhada. - Posso ir ao banheiro? - Perguntei.

- Claro, vá tomar um pouco de ar e lavar o rosto, está muito desperso hoje. - A mulher disse voltando sua atenção a aula. 

Fiz uma breve reverência antes de sair da sala, indo em direção ao banheiro. Entrei no lugar que parecia estar vazio indo de encontro a pia onde joguei água no rosto repetidas vezes na tentativa de esquecer o que tanto me incomodava.

- Jisung? - Uma voz familiar soou atrás de mim. Virei-me vendo Renjun hyung, senti meu estômago revirar. Em outras situações estaria tudo bem, já que Renjun é um grande amigo em horas e dias como esses, mas nessa situação específica não.

- Oi hyung. - Respondi desanimado.

- Como você está com relação a... você sabe... ir morar com a minha irmã? - Perguntou meio sem jeito, dava para perceber que ele também não estava nada confortável com relação a essa situação. 

- Bom... para ser sincero, não sei hyung... - Respondi-o frustrado, soltando um suspiro pesado antes de continuar a falar. - Não estou feliz com isso, mas como uma pessoa com responsabilidades eu tenho que aceitar... - 

- Minzy tem chorado desde o dia em que soube... eu realmente não queria que nada disso estivesse acontecendo, principalmente com vocês. - Renjun dizia com um certo pesar em sua voz. - É só questão de tempo até as coisas se acertarem... vai ficar tudo bem. - Concluiu sorrindo pequeno, logo em seguida passando a mão em meus fios em forma de conforto. 

- Eu sei que sim. - Sorri pequeno em sua direção. A verdade é: eu sabia que não ia, nada iria ficar bem. Somos duas pessoas desconhecidas que estão sendo obrigadas a morar juntas, não tem a menor chance das coisas darem certo.

- Até mais Jisung-ah nos vemos no intervalo.- Renjun disse antes de deixar o banheiro deixando-me sozinho. 

Suspirei antes de deixar o banheiro e retornar a sala de aula.

Apesar de ter ido ao banheiro lava o rosto, as duas aulas antecedentes ao intervalo fora tão agoniantes quanto a primeira, por algum motivo eu estava ansioso para o intervalo, e isso me deixava um tanto inquieto.

O som do sinal tocou, anunciando o fim das primeiras aulas e o início do intervalo. Levantei, seguindo Jaemin e Jeno, que rumaram para fora da sala em direção ao refeitório, para uma mesa específica onde os hyungs nos aguardavam. 

- Hey hyungs. - Comprimentei-os ao sentar-me na mesa junto aos mais velhos. Sorri ao notar mais uma presença que quase nunca estava com a gente. - Hey Younghoon hyung. - Sorri indo sentar ao lado do citado. 

Younghoon é um dos poucos garotos do quarto ano com quem me dou bem, já que a maioria dos alfas da quarto ano são tão babacas quanto Hyunjae. Younghoon é um dos poucos alfas legais desta sala. O conheci logo que entrei nessa escola, em um dos meus primeiros dias de aula em um momento de agonia acabei por esbarrar no mais velho sem querer, naquele dia eu realmente senti medo de apanhar de alguém, levando em conta que, o garoto era mais alto e bem mais forte que eu, mas ao contrário do que eu pensei ele apenas bagunçou meus cabelos e me disse para tomar cuidado com outros garotos da sala dele. E daquele dia em diante sempre que o via falava com ele. Nos tornamos amigos, não muito próximos, mas ainda sim amigos.

- Como vai Jisung-ah?! - Comprimentou-me de volta passando o braço por cima dos meus ombros. 

Sorri, começando a conversar com a mais velho sobre assuntos aleatórios.


AUTORA POVS {POINT OF VIEW > PONTO DE VISÃO}



Os dois alfas continuaram conversando até Younghoon chamar Jisung para dar uma volta na escola. Coisa que eles faziam algumas poucas vezes mas que, fazia algum tempo desde a última vez em que fizeram. Os dois alfas levantaram-se e rumaram em direção a saída do refeitório, andaram pelos corredores conhecido pelos dois, até um corpo conhecido que vinha em direção aos alfas não propositalmente, acompanhado de outra pessoa, chamar a atenção de Younghoon. 

Choi Chanhee sorria animado enquanto conversava com a garota ao seu lado pouco centímetros mais baixa que si, o garoto usava o uniforme escolar de sempre mas ainda sim estava impecávelmente lindo, como sempre. 

O garoto de cabelos tingidos de rosa andava de forma distraída e não prestava muita atenção em quem vinha a frente, e como quem não queria nada, Younghoon apressou o passo deixando o alfa mais novo um pouco atrás de si. Parou em menos de um metro de distância do ômega que caminhava em sua direção sem saber. 

Chanhee por outro lado contava a Minzy de quantas cores diferentes ele pretendia pintar o cabelo no próximo ano, a mais nova apenas sorria murmurando um "qualquer cor ficaria bem em você Hee" vez ou outra. Chanhee sobressaltou ao sentir seu pequeno corpo chocar-se com outro maior que o seu. Abaixou a cabeça e quis chorar ao sentir o cheiro forte e amadeirado de menta que conhecia e que tanto tinha vontade de sentir de perto. Ele sabia quem era, era a pessoa que ele vinha tentado evitar desde o maldito dia em que abriu o coração para o alfa e saiu correndo sem nem esperar qualquer reação do mesmo. Engoliu as lágrimas. Ele estava diante de Younghoon, um dos alfas mais bonitos e populares da escola e o alfa que tinha fisgado seu coração de manteiga. 

Sentiu seu coração errar uma batida ao sentir o toque macio dos longos dedos do alfa em sua cintura delicada. 

- Por favor não fuja agora. - A voz melodiosa do alfa soou baixinha em seus ouvidos. Afastou-se do alfa contragosto de modo que, quebrasse o contato físico ficando em uma distância considerável do outro. Younghoon suspirou. - Chanhee, nós podemos conversar? - Perguntou juntando toda a coragem que tinha. 

Um pouco mais atrás do alfa, Jisung se encontrava travado, seu olhar estava preso na ômega um pouco mais atrás de Chanhee, essa que também lhe encarava. Minzy engoliu seco, sentindo um bolo formar-se em sua garganta, era a primeira vez que se viam desde o acontecido de alguns dias atrás, e ambos já sabiam sua situação e o que aconteceria no futuro. Jisung deu um passo a frente na intenção de aproximar-se da garota para acabarem com aquele clima pesado, mas está apenas sussurrou alguma coisa no ouvido do outro ômega presente ali e saiu as pressas em direção ao refeitório, Jisung se permitiu apreciar o cheiro da garota pela primeira vez assim que está passou por si de forma apressada. Fechou os olhos sentindo seu lobo agitar-se querendo mais daquele cheiro docinho de morango. Estava tão imerso a sensação de familiaridade que o cheiro da ômega o fez senti que nem notou Younghoon lhe chamando. 

- Jisung? - Younghoon chamou encarando o mais novo que, após alguns segundos voltou a realidade. - Eu preciso conversar com o Chanhee, mais tarde nos vemos sim? - O mais velho disse ao que passava o braço por cima dos ombros do ômega ao seu lado, esse que, corou intensamente.

- Tudo bem hyung... - Respondeu ainda meio atordoado. - Vou voltar para o refeitório. - Dito isso, girou os calcanhares andando em direção ao refeitório.




CANHEE POVS {POINT OF VIEW > PONTO DE VISÃO}



Segui o mais velho que nos guiava para a arquibancada da quadra de vôlei da escola. Subimos alguns degraus até o mais velho parar e sentar-se, repeti seu ato. 

- Prime... - Comecei a falar de forma acanhada, mas fui impedido de continuar pela voz do mais velho.

- Não Chanhee, me deixe falar um pouco, sim? - Perguntou, apenas assenti voltando minha atenção ao mais velho. - Olha, primeiro eu queria me explicar... naquele dia, eu não consegui falar nada, mas não porque eu não gosto de você, mas sim porque eu realmente não esperava que a pessoa que me chamou a atenção desde a primeira vez que vi e por quem tenho sentimentos, fosse se declarar para mim... - Eu ouvia tudo que o mais velho dizia, prestando o máximo de atenção, e a essa altura eu já tinha meus olhos lacrimejando e meu coração totalmente acelerado, eu realmente não estava acreditando que tudo isso estava mesmo saindo da boca do mais velho. - Naquele dia eu fui para casa tão feliz... mas tão bravo comigo mesmo por não ter dito tudo que eu queria dizer, por não ter feito nada... Eu sinto tanto Chanhee, eu queria ter falado o que eu sinto antes, eu queria... - A essa altura minhas lágrimas já desciam contra minha vontade. E agora foi minha vez de interrompê-lo.

- Tá tudo bem Younghoon hyung... - Pronunciei baixinho sabendo que mesmo assim o mais velho escutou.

- Chanhee você me perdoa? - Perguntou enquanto se aproximava mais. 

- Sim... - Murmurei. 

- Nós podemos... podemos tentar algo... como eu gosto de você e você gosta de mim... nós podemos? - Senti meu coração acelerar ao ouvir tal pergunta. Suspirei não acreditando que isso estava mesmo acontecendo. 

- Hyung eu... - E pela segunda vez no dia, fui interrompido.

- Chanhee eu prometo que não vou fazer nada antes do tempo e que você não queira, eu juro que vou cuidar muito bem de você, eu prometo que... - O alfa dizia tudo rápido de forma agoniada. Sorri antes de interrompê-lo.

- Nós podemos hyung. - O interrompi.

O mais velho sorriu fazendo seus olhos sumirem e virarem duas meia-luas, sorri também. O alfa aproximou-se mais, e tomando uma iniciativa passei meus braços por seus largos ombros sentindo o mais velho passar seus braços por minha cintura, quase fazendo-me sumir em meio a seus músculos. 

- Obrigado Chanhee por me dar essa chance, obrigado por me deixar tentar. - 

- Obrigado você hyung. - Permiti-me relaxar nos braços do, agora, meu hyung. Sensações novas tomaram conta do meu lobo ao que me senti em uma bolha, protegido de tudo, como se nada pudesse me machucar. Sorri completamente extasiado pelo cheiro forte do alfa e por seus feromônios, me senti completamente mole em seus braços. 

"Dizem que quando se encontra a pessoas certa que as duas partes, lobo e humana, realmente se gostam e se desejam, quando o alfa solta seus feromônios para um{a} ômega, ele está marcando território, e esse ômega não se senti intimidado ou se mal, é como se aceitasse ser do alfa. E então os ferômonios do alfa passam a ser o lar dos dois." 

Agora, mais do nunca eu entendo o que isso quer dizer. 




AUTORA POVS {POINT OF VIEW > PONTO DE VISÃO}




Minzy caminhou em passos apressados até o refeitório, queria encontrar Renjun e tinha certeza que o mais velho estaria lá. Após adentrar o local cheio de pessoas, Minzy andou um pouco mais até avistar a cabeleira recentemente tingida de castanho do seu irmão e caminhou até este em passos rápidos. Não estava se sentindo bem desde que deu de cara com Jisung e o mais velho passou a lhe encarar de forma estranha. Sentia-se com o corpo pesado e com fracas pontadas na cabeça mas que, ainda sim eram incômodas. 

- Injun? - Parou atrás do garoto que ao ouvir seu nome ser pronunciado pela voz tão conhecida por si, virou-se rapidamente, indo de encontro ao corpo um tanto sem equilíbrio da mais nova.

- Mia? Céus, você está bem? - Perguntou ao passar o braço por trás da garota e guiá-la até a mesa onde estava sentado com seus amigos que encaravam a situação preocupados. - Parece pálida... - 

- Eu tô bem, só com um pouco de dor de cabeça... - Mentiu. Abaixou a cabeça deixando-a sobre seus braços em cima da mesa assim que sentiu o cheiro fraco de alfa, o mesmo cheiro que sentiu quando passou por Jisung. 

O barulho de sapatos batendo contra o piso do refeitório de forma um tanto apressada foi ouvido e logo Jisung estava em frente a mesa dos seus hyungs. Assim como Minzy, Jisung também não parecia estar muito bem. 

- Jisung? - Renjun estranhou.

- Jisung também parece pálido... - Jeno disse preocupado com o mais novo. - Senta aqui um pouco... - Levantou-se dando espaço para o mais novo sentar.

Assim Jisung fez, sentou-se sentindo as energias renovarem, como se tivesse tomado um remédio e seu cansaço tivesse esvaido. Respirou fundo sentindo o cheiro doce de morango de pertinho, já que a dona do mesmo estava acomodada a sua frente. Sem nem perceber deixou um pouco da sua presença ser sentida e seus ferômonios tomar conta de si, Minzy respirou fundo sentido a sensação de proteção e familiaridade mesmo sem saber o porque. Involuntariamente levantou a cabeça encarando o alfa a sua frente, que a encarava. 

- Mia? - A voz de Renjun, que estava sentado ao seu lado soou em seus ouvidos fazendo-a quebrar o contato visual, o que o alfa não gostou muito. 

Minzy inclinou-se para o lado esquerdo descansando a cabeça no ombro largo de seu irmão. 

- Eu quero ir pra casa. - Murmurou baixinho para o mais velho. 

- Tudo bem, vamos ligar pra alguém vir nos buscar... - Renjun ditou. 

Os dois irmãos levantaram-se.

- Onde está o seu carro? - Jaemin perguntou ao que levantava também. 

- Hoje vim com a minha mãe, ela veio trazer Minzy aqui e eu não quis vir sozinho... - O mais velho explicou. Jaemin riu mínimamente. Sabia muito bem que Renjun odiava andar no próprio carro sozinho, pois segundo o chinês, ele ficava intediado e não tinha com quem conversar.

- Quer meu carro emprestado? - Jaemin perguntou, como sempre gentil.

- Não é necessário Nana, vamos ligar para nosso pai... - Falou gentil. Afastou-se de Minzy e aproximou-se de Jaemin para voltar a falar. - Preciso falar com meu pai com relação ao que acabou de acontecer... - Segredou apenas para o outro garoto ouvir. - Mas obrigada mesmo assim. - Agradeceu gentilmente. 

- Tchau Mia, espero que você melhore, se alimente bem, sim? - Jaemin pronunciou, dessa vez para a Qian mais nova. 

- Tchau Jaemin-ah, pode deixar. - Sorriu gentil para o mais velho. 

- Tchau Qian's brothers, Minzy repouse e coma muito arroz... - Jeno disse brincalhão tirando uma risada dos "Qian's brothers" segundo ele. 

- Pode deixar Jeno-ah, irei... - Agradeceu pela preocupação do mais velho. 

- Jisung, não acha melhor ir para casa também? - Renjun perguntou preocupado apesar de sentir-se melhor, o garoto não parecia totalmente bem. - Pode vir conosco se quiser... - Renjun concluiu.
- É, está bem hyung, acho que vou para casa... - Jisung respondeu-o.

- Você pode vir com a gente se quiser, não é Minzy? - Renjun perguntou como quem não queria nada recebendo um olhar espantado da irmã após ouvir seu nome ser proferido. Jisung encarou a mais nova.

- S-sim... - Proferiu abaixando a cabeça quando seu irmão lançou-lhe um olhar repreendedor. 

- Obrigado, mas não quero incomodar e eu estou com carro, não se preocupe hyung. - 

- Tem certeza que pode dirigir? - Renjun perguntou.

- Tenho sim hyung, não se preocupe. - Jisung respondeu sorrindo pequeno.

- Certo fique aqui, iremos buscar sua mochila Jisung. - Jeno disse enquanto puxava Jaemin em direção a saída do refeitório. 

- E eu vou buscar a minha mochila e a sua Minzy... Aguarde aqui... - Ditou para Minzy que o encararou assentiu. 

Minzy sentou-se novamente onde estava, respirando fundo. Sentiu-se bem ao sentir os ferômonios do alfa direcionados para si. 

Suspirou tentando não falar o que lhe estava preso na garganta a dias: um pedido de desculpa por tudo.

- M-me desculpe por te fazer passar por isso, eu juro que eu não queria nada disso, eu sinto muito por te prender a mim dessa forma... - Não aguentando mais aquele clima estranho e não conseguindo mais segurar as palavras, Minzy soltou tudo que tinha vontade de dizer ao alfa naquele momento. A voz da garota soava de um jeito afobado mas ainda sim baixa, quase inaudível.

Sentiu lágrimas formarem em seus olhos ao lembrar que dali a dois dias se mudaria para a casa na qual morariam com o alfa.

- Isso... isso não é só sua culpa. - Foi tudo que Jisung conseguiu pronunciar antes de ouvir seu nome seu chamado por Jeno, que devido a aula já ter iniciado não tinha tempo de levar a mochila do mais novo até ele, então pediu a este que pegasse o objeto na porta enquanto o outro voltava correndo para a sala de aula antes que o professor não lhe deixasse entrar e de quebra ainda receberia uma falta e uma advertência, por "cabular" aula, que era o que seu professor pensaria. 

Jisung apanhou sua mochila, abrindo-a logo em seguida para conferir se não havia esquecido nada na sala de aula e em poucos segundos pôde ver Renjun retornando e trazendo consigo duas mochilas. 

Depois de perguntar milhares de vezes se Minzy não preferia que ele levasse a mochila da mais nova e todas as vezes obter um não como resposta, Renjun finalmente se deu por vencido entregando a mochila a custódia de sua verdadeira dona. 

Renjun apanhou seu celular com a intenção de ligar para sua mãe, realizando a chamada logo em seguida.




*ligação on*


- Alô? - A voz de Hana se fez presente. 

- Oi mãe, sou eu. - 

- Oi meu filho, aconteceu alguma coisa? - 

- Minzy não está se sentindo muito bem, você poderia vir nos buscar? - 

- Céus, foi algo com o Jisung? - 

- Bom... sim, mas não foi nada de mais, não se preocupe... te explicamos no carro... - Encarou os dois citados.- Você pode vir aqui? - 

- Sim, já já chego aí Jun. - 

- Ok, obrigada mãe. -



*ligação off* 




Não demorou muito para que Hana já estivesse com o carro estacionado em frente a escola. 

Mandou um torpedo ao seu filho mais velho avisando que já os aguardava e em questão de poucos instantes, Hana pode ver duas silhuetas bem conhecidas por si deixando a escola e caminhando em direção ao carro. 

Assim que seus filhos chegaram de encontro ao automóvel, Renjun abriu a porta do passageiro, acomodando-se ali, enquanto Minzy acomodou-se em um dos bancos traseiros. 

- Oi mãe. - A mais nova ali pronunciou para sua progenitora. 

- Olá meu amor. - A mais velha respondeu terna. 

Renjun apenas selou a bochecha da mais velha, que sorriu com o ato. 

- Tenho uma notícia para vocês, mas antes, quero que me digam o que houve, sim? - Hana disse tendo sua atenção totalmente voltada ao volante.

- Não sei exatamente como Mia e Jisung se encontraram, mas Mia apareceu no refeitório bem pálida, e parecia muito mal, assim como Jisung que apareceu logo depois dela, ele também estava pálido e parecia pior do que a Mia, por um momento achei que os dois desmaiariam novamente... Os dois melhoraram quando ficaram próximos... - Renjun explicou para sua mãe, que ouvia tudo atentamente. 

Esperou receber alguma resposta de sua mãe ou que ela enchesse Minzy de perguntas, perguntando-a como ela se sentia mas, apenas recebeu um suspiro cansado da mais velha, e só por isso Renjun pôde concluir que a notícia que vinha a seguir não era boa.

- Mãe, qual era a notícia? - Minzy perguntou quebrando o silêncio que instalou-se derrepente no carro.

- Bom... - Começou a falar assim que estacionou o carro em frente a grande casa da família Qian. Hana suspirou mais uma vez. Tinha que ser forte por sua filha. - Devido a alguns acontecimentos, vocês vão se mudar amanhã. - Falou suspirando logo em seguida.

- O que? - Minzy sentiu lágrimas formarem em seus olhos, sentiu seu lobo acanhado em seu interior. 

- Jisung tem estado muito mal ultimamente, o seu lado alfa exige a presença da ômega dele... - Hana respondeu baixo. A essa altura sentia seus olhos lacrimejarem. Não queria que sua filha passasse por isso, era tão doloroso em Minzy, quanto nela.

- Isso quer dizer que, hoje é meu último dia aqui? - Minzy perguntou chorosa, a essa altura suas lágrimas desciam livremente. 

Hana não a respondeu, mas o silêncio falava por si só, só o fato de sua mãe não ter lhe respondido, já dizia tudo. 

Minzy apanhou sua mochila, deixando o carro, sendo acompanhada pelos dois mais velhos. Entrou na casa, que encontrava-se vazia, até sua mãe e seu irmão entrarem. 

Andou até a sala de estar respirando fundo, apenas a hipótese de que amanhã quando chegasse da escola  não iria mais para aquela casa, deixava seu coração em pedaços. 

- Eu vou para o meu quarto.- A mais nova avisou, rumando as escadas que davam direto no segundo andar, onde em uma das portas se encontrava o seu quarto. Adentrou o ambiente, trancado a porta após estar do lado de dentro desta e largou sua mochila em um canto qualquer. Fechou os olhos respirando fundo. Aquela seria sua última noite ali, no quarto onde passou quase todos os seus dezesseis anos de vida. Uma lágrima grosso escorregou por sua bochecha. 

Respirou fundo, xingando-se internamente por ser quem é. Poxa a maioria das pessoas podiam morar com seus pais por todo o tempo de ensino médio e ficar com pessoas que gostam, mas porque ela não? 

A vida realmente não estava ajudando. 

Caminhou em direção ao banheiro, precisava de um banho para colocar seus pensamentos em ordem. 

Tomou um banho, demorado -diga-se de passagem-, indo de encontro ao seu armário. Hoje mal se importando com que iria vestir, Minzy pegou as primeiras peças de roupas que viu, essas consistiam em um moletom azul forte que nem era seu, -esse pertencia a Renjun-, e uma calça jeans do estilo vintage, esta era um pouco curta e ia até um pouco mais acima do seu calcanhar, calçou uma meia qualquer e jogou-se sem nenhum cuidado sobre a superfície macia de sua cama. 

Respirou fundo. 

Teria de começar a arrumar suas coisas para a mudança. 

Suspirou levantando e indo de encontro ao seu armário de onde apanhou duas malas grandes. Teria de fazer isso uma hora ou outra e quanto mais cedo começasse, mais cedo acabaria.

Apanhou seu celular vendo que este marcava onze horas e vinte e cinco minutos da manha, procurou por sua playlist de Lana Del Rey -uma de suas cantoras favoritas- e deu play, logo começando a ouvi-lá. 

Enquanto guardava suas roupas deixava as lágrimas caírem livremente ao som de "13 beaches" que não colaborava muito.



BREAK OF TIME > QUEBRA DE TEMPO 



Já fazia algum tempo desde que a ômega havia chegado e desde então não comido nada, Hana havia insistido para que a filha comesse algo, mas MInzy apenas recusava alegando estar sem fome. Ainda estava arrumando sua mala mas diferente de quando começou agora tinha a ajuda de sua mãe. 

- Acho que precisamos de mais malas... - Hana disse enquanto analisava as duas malas; uma totalmente cheia e outra quase cheia, e a grande quantidade de roupa que ainda faltava. - Vou pegar algumas minhas e do Renjun, já volto. - Minzy assentiu. A mais velha sorriu pequeno saindo do quarto da filha. 

Enquanto esperava Hana, Minzy ouviu seu celular vibrar, foi de encontro ao objeto que se encontrava em cima de sua cama, a essa altura seu celular não tocava mais musica nenhuma.

Não evitou sorrir pequeno ao ver que tinha cinco mensagens de Chanhee em seu kakaotalk. Sorriu ao ver sobre o que as mensagens se tratavam. 




*Chat on*


Hee ♡: 

Miaaa!!

O Younghoon hyung disse hoje que gosta de mim também!!!! 

E perguntou se eu e ele podíamos tentar algo

Eu disse que sim!! 

Ele disse que gostou de mim desde a primeira vez que me viu... Ai Mia estou tão feliz...


You: 

OMG

Estou tão feliz por você Hee... 

Sabe, não me surpreendo do Younghoon-ss gostar de você desde a primeira vez que te viu... você é uma pessoa maravilhosa.

Desejo toda a felicidade do mundo para vocês.


Hee: 

Obrigada Mia~~ 

Eu amo você ♡~


*chat off*




Sorriu ao ver a mensagem do amigo antes de desligar o celular e ver sua mãe entrando novamente em seu quarto acompanhada de duas malas grandes. Suspirou antes de voltar a arrumar suas coisas. 

Enquanto em uma casa na muito distante da de Minzy, encontrava-se um Jisung com uma pilha de nervos. O garoto já se encontrava na casa onde moraria com a sua ômega, por motivos de descontrole. Sim, descontrole, o alfa não conseguia controlar sua presença forte de alfa e sua áurea um tanto assustadora, e tendo dois ômegas em casa, - quer dizer, uma ômega e meio, já que seu irmãozinho de recém-completos quatro anos ainda estava na fase de descoberta de sua classificação, por mais que todos da sua família desconfiavam que o pequeno Dohyun seria ômega, por seu modo de agir e pelo cheirinho deste começar a ficar mais doce. - , por isso o alfa optou por, passar um tempo na sua nova casa, desse modo além de poder se acalmar também conheceria a casa na qual moraria dali em diante. 

Respirou fundo, jogado no sofá da grande casa.

Imaginava como controlaria sua presença de amanhã em diante, de jeito nenhum queria assustar a ômega que moraria consigo.

A casa já estava inteiramente mobiliada, desde a cozinha até os três quartos da casa.
Ficou apreensivo derrepente ao se lembrar do que faria quando sentisse fome, cozinhar não era lá uma de suas maiores virtudes. Deixou um suspiro aliviado sair ao lembrar que Yoorim moraria consigo também. Ficou apreensivo novamente ao pensar direito na situação em que estava. 

- Cheguei, e trouxe comida. - Ouviu a voz do seu pai soar após ouvir a maçaneta ser girada e a porta da saída aberta. Chanyeol foi até a cozinha tirando as comidas de suas embalagens apanhando dois pares de hashis e indo de encontro ao filho. - Você precisa se alimentar Jisung. - Disse após o filho fazer uma careta ao ver a comida direcionada a si.

- Pai, eu não consigo... - Resmungou. Seu lobo estava deveras agitado, nunca admitiria para si ou para alguém mas, sabia muito bem que seu lobo apenas queria a ômega dele por perto. 

- Jisung sobre isso... bom, eu falei com o Kun e ela está vindo amanhã... - Chanyeol disse vendo o garoto num misto de surpresa e ansiedade. - Por favor tente... - Contiuou mais foi interrompido pelo alfa mais novo.

- Eu vou controlar minha presença. - Disse. Sua voz saiu firme. Seu lobo voltou a agitar-se ao passar por sua cabeça que poderia assustar a ômega. A garantia de que controlaria sua presença veio do alfa agitado em si. 

- Ótimo. - Seu pai disse sério. - Agora preciso ir, Dohyun não está muito bem. - Seu pai concluiu após acabar de comer e levantar em busca das chaves de seu carro.

- A minha presença o fez ficar doente? - O mais novo perguntou perplexo começando a sentir-se culpado por seu descontrole.

- Não foi sua presença, ele apenas está ficando resfriado, não se preocupe filho. Amanhã ele estará aqui. Como prometeu. - Chanyeol disse arrancando um suspiro aliviado de Jisung, que não se perdoaria por deixar seu irmãozinho doente, e um sorriso ao lembrar da promessa feita pelo pequeno, dizendo que iria conhecer a nova casa do irmão para ver se aprovaria e deixaria seu hyung morar lá. Sorriu mais uma vez, sentiria falta do mais novo. 

- Tudo bem pai. Diga ao Dohyunie que é para ele melhorar e ficar bem logo pois eu o aguardo aqui amanhã. - Jisung disse enquanto acompanhava o alfa mais velho até a porta. 

- Eu direi sim. - Chanyeol sorriu. - Se cuide filho. - Concluiu antes de abraçar Jisung e sair da casa. 

Jisung trancou a porta e retornou a sala, sentando-se novamente e começando a degustar da comida trazida por seu pai.




BREAK OF TIME > QUEBRA DE TEMPO 




O resto do dia passou voando, assim como a noite. Minzy apenas queria que o outro dia não chegasse mais o tempo não colabovara muito. A ômega abriu os olhos percebendo o quão ensolarado estava o dia, pois mesmo por cima de duas cortinas o sol ainda iluminava o seu quarto. 

Suspirou.

Hoje era o dia.

Suspirou novamente.

Após finalmente se convencer que precisava levantar, Minzy caminhou em direção em banheiro, tomando um banho e  fazendo suas higienes matinais.

Desde o dia anterior quando arrumava suas roupas na mala, já havia separado a roupa que usaria hoje. Pegou as únicas peças de roupa que continham em seu armário logo vestindo-as, a ômega havia escolhido vestir uma camisa branca lisa, uma saia jeans cinza e uma jaqueta com um tecido que se assemelhava ao jeans - porém está era mais macio - e um allstar azul forte de cano médio. Como sempre, ficaria com o cabelo solto. 

Acabou de se arrumar devidamente, soltando um suspiro.

Estava na hora de partir. 

Suspirou, não queria chorar mas levando em conta a situação, era quase impossível. 

- Não posso chorar... - Falou para si mesma tentando se convencer.

- Mia? - A voz de Renjun foi sua salvação para sair de seus pensamentos ruins, que pouco a pouco tomavam conta de si. - Vamos? - O mais velho entrou no quarto observando a mais nova em frente ao espelho de sua penteadeira. Deixou um selar no topo da sua cabeça. - Vem aqui. - Chamou-a abrindo seus braços. 

Minzy levantou-se de onde estava indo de encontro ao mais velho, que circundou a cintura da mais nova fazendo-a passar os braços ao redor de seu pescoço. Ficaram assim por mais alguns segundos até Kun chamá-los alegando que estava na hora de irem. 

Depois de terem colocado todas as malas no carro de Hana, como não teria espaço para duas pessoas irem com a mesma, Renjun optou por ir com Kun em seu carro,com Minzy. 

Após marcar a localização da casa que não era muito longe dali, a família partiu em direção a outra casa.

Hana ia a frente e logo atrás estava o carro de Kun que vinha acompanhado de Renjun e Minzy, essa que tinha sua cabeça descansada no ombro do irmão, enquanto este fazia um carinho em seus cabelos. 

 Não demorou muito e logo já estavam em frente a grande casa. 

Todos saíram dos devidos carros e puderam ver a família Park parada um pouco mais a frente. 

- Bom dia. - Kun os comprimentou gentilmente.

- Bom dia. - Chanyeol comprimentou de volta da mesma forma. 

- Seja bem-vinda Minzy, eu morarei com vocês aqui. - Uma mulher desconhecida por Minzy comprimentou-a indo em sua direção. Sorriu pequeno reverenciando-se a mulher logicamente mais velha que si. - Me chamo Yoorim. - A mulher sorriu para a mais nova.

- Olá, obrigada Yoorim noona. - A ômega sorriu. Yoorim achou-a adorável, e muito educada pois apesar da situação ser ruim a ômega demonstrou respeito por si.

- Vamos entrar, sim? - Chanyeol chamou-os. Os Qian andaram em direção a entrada da casa parando a frente do grande portão, enquanto este era aberto. 

Minzy abaixou a cabeça e negou a vontade que sentiu de chorar. 

Sentiu algo cutucar sua perna, olhou para baixo encontrando um garotinho que até agora não tinha visto. O pequeno fez um sinal com a mão pedindo para que a ômega se agacha a sua frente e assim Minzy fez.

- A noona parece triste. - A voz soave do garotinho soou. Adorável, Minzy pensou.

- Bom... eu não... - Começou a falar mas foi interrompido pelo pequeno.

- A noona está triste porque é a nova namorada do hyung? - Perguntou e Minzy o encarou assustada. O que falaram para o garotinho para ele estar lhe perguntando coisas daquele tipo? 

- Não, a noona não está triste... - Pensou em uma desculpa convincente. - A noona só está chateada, porque vai estar longe de sua família... - Minzy explicou, o pequeno encarou-a. O garotinho ficou calado por um tempo e Minzy cogitou a ideia de que o pequeno poderia não ter compreendido, mas teve essa linha de pensamento cortado ao sentir o mais novo selar sua bochecha. 

- Tudo bem noona, eu vou falar para o tio Kun ir te visitar todos os dias, tá bom? - Perguntou inocentemente. Minzy sorriu. 

- Tudo bem. - Minzy sorriu antes de selar a testa do pequeno. - Qual seu nome? - Perguntou.

- Me chamo Park Dohyun, mas eu deixo a noona me chamar de Dohyunie, igual o hyung. - O pequeno respondeu-lhe. A essa altura todos já haviam entrado na casa, menos os dois.

- Tudo bem Dohyunie, me chamo Minzy, mas pode me chamar de Mia. - Minzy sorriu e o pequeno sorriu junto. 

- Mia noona tem um nome bonito. - Segredou para a mais velha após aproximar-se desta. Minzy não pode deixar de sorrir, Dohyun era adorávelmente adorável. 

- Vamos entrar? - Minzy perguntou.

- Vamos! - O garotinho pulou animado antes da dar uma das mãos a Minzy e rumarem para dentro da casa.





[...]



Notas Finais


Primeira roupa da S/n/Minzy: https://pin.it/n442hg6ftkdabu

Roupa escolhida para ir para a nova casa: https://pin.it/damqzb6gom52u2

oi amadxs, gostaram??
desculpa se o cap ficou meio grande como eu disse antes; tô empolgada.
obrigado por lerem sz
desculpem pelos erros, eu verifiquei o cap mas vai que né...
até o próximo cap e beijos ~♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...