História Until MY Last Breath - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Câncer, Drama, Justin Bieber, Romance
Visualizações 60
Palavras 2.893
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente a menina que tá aí em baixo representa a Loui, ela é diferente da Sofia porque puxou o pai, lembrando que a Loui é irmã da parte de mãe, bjs lindas😘😘🎡

Capítulo 22 - Pesadelo


Fanfic / Fanfiction Until MY Last Breath - Capítulo 22 - Pesadelo

Narrado por Sofia

                 -Vamu Logo- Loui falou assim que saiu do carro, Justin e eu rimos por seu desespero e demos as mãos a ela, que as segurou uma da cada lado, ela era meio atrapalhada então ficávamos de olho.

                Olhei para frente e vi a grande tenda de circo a minha frente. mais ao lado havia barracas de cachorro quente, carrinhos de algodão doce e um lindo carrossel. 

                       -Eu quelo um gudão doce- Loui falou animada e nos puxou até o pequeno carrinho de algodão doce.

                         Quando nos aproximamos mais pude ver uma garota, acho que ela tinha nossa idade, um pouco baixa, cabelos loiros e olhos verdes, confesso que senti uma pontinha de ciúmes quando a vi olhando Justin de um jeito malicioso, também havia uma senhora com ela, acho que era a mãe dela, as duas se pareciam muito.

                        -Boa noite, o que vão querer?- a garota falou tentando ser sensual enquanto mordia os lábios encarando Justin, acho que ela nem inha me notado.

                        -Se aqui é um carrinho de algodão doce, acho que já sabe o que vamos pedir- falei soltando um sorriso falso e ela desviou o olhar de Justin me encarando com nojo- Então princesa, o que vai querer- desviei meu olhar da vaca em forma de garota e me abaixei para ficar do tamanho de Loui.

                     -Eu quelo o losa - ela falou animada movendo suas mãos pra frente e para trás fazendo com que a minha mão e a de Justin balançassem junto, assnti e me levantei voltando meu olhar a vac- garota.

                    -Vamos querer um rosa, vai querer também amor?- Justin falou prendendo o riso pela situação, '' idiota''.

                     -Vou AMOR, eu quero um azul- falei sorrindo debochada enquanto olhava a garota que não tirava os olhos de Justin, mas ela desviou quando ele me chamou de amor e me encarou com raiva.

                     A senhora que estava mais um pouco atrás percebeu o que estava acontecendo e se apressou em trazer nossos pedidos, se passaram alguns minutos e ela veio em minha direção me dando dois algodão doces, agradeci e pedi para que os Loui segurasse os mesmos enquanto eu pegava o dinheiro em minha bolsa.

-Amor, não, eu pago- Justin falou quando percebeu meu movimento para pegar o dinheiro.

-Justin, não precisa, eu tenho dinheiro, eu pago- insisti enquanto tirava uma nota de dez dolares da bolsa.

-Sofia, eu trouxe vocês, eu vou pagar- Justin falou emburrado e eu bufei desistindo de competir com o cabeça dura.

                   Justin entregou o dinheiro a garota, que não perdeu a oportunidade e tocou em sua mão durante o ato, bufei e cruzei os braços irritada.

                   -Mana, seu gudão doce la...lazul?...la... Aí, nun sei fala essa palava não, toma- Loui estendeu meu algodão doce irritada por não consguir pronunciar a palavra e eu ri enquanto o pegava de sua pequena mão.

                   -Não precisa ficar irritada amor, com o tempo você vai conseguir falar tudo- digo enquanto a pego no colo, ela mantem a cara emburrada com um pequeno bico em seus lábios, que faz com que eu e Justin risemos por seu ato.

                    -Vamos, se não, não vamos conseguir um bom lugar- Justin falou com um sorriso doce, nós assentimos animadas e fomos em direção a entrada da tenda.

                       Fazia um bom tempo que eu não ia ao circo, a última vez que fui foi com minha mãe e Carlos, antes dela ter que se mudar para o hospital, naquela época Loui nem exixtia, eu tinha uns...12-13 anos, Carlos era um bom padrasto, nós até nos chamavamos de pai e filha, mas isso acabou quando minha mãe ficou doente, ele a deixou para se casar com a enfermeira que cuidava dela, o mesmo falou que se apaixonou e que não podia continuar com minha mãe se não a amava, minha mãe disse que entendeu e o perdouou, mas eu?, nunca!, o que ele fez com ela foi inaceitável, ele a deixou quando ela mais precisava e isso eu nunca vou perdoar.

                 -Pequena,tudo bem- Justin falou preocupado quando paramos para entregar nossos ingressos a um palhaço em frente a tenda,assenti enquanto entregava o meu e de Loui, que ficou tímida em meu colo se escondendo atrás de seu enorme algodão doce, logo foi a vez de Justin entregar sua entrada e entramos na enrome tenda com várias cadeiras, grade parte delas estava ocupada- Não é o que me parece, você ficou calada de uma hora pra outra, tudo bem mesmo?- ele falou desconfiado e eu dei um sorriso fraco.

                 -Está tudo bem, é que... Esse lugar me lembra minha mãe, a última vez que ela saiu antes de ir para o hospital foi para irmos oa circo- falei um pouco encomodada e Justin me olhou ainda mais preocupado.

                 -Sofia, por que não me contou?, teriamos ido para um parque, ou até mesmo um shopping, ag...- Justin falou desesperado e eu ri por sua preocupação.

                 -Justin!, não precisa se preocupar, foi bom virmos aqui, de alguma forma... Eu me sinto bem, esse lugar me trás boas lembranças- falei o interrompendo e ele sorriu fraco.

                  -Tudo bem, mas se quiser ir embora é só me avisar e vamos entendeu?- perguntou mandão e eu ri assentindo, ele se aproximou mais e colocou sua mão esquerda em meu rosto acariciando o mesmo me dando um selhinho em seguida.

                   -Eca!- Loui resmungou fazendo uma careta e eu e Justin rimos, nos olhamos e assentimos ao mesmo tempo logo dando um beijo em cada lado da bochecha de minha irmã que gargalhou alegre, rimos e voltamos nossos olhares as cadeiras.

                 -Será que conseguimos achar um lugar perto do palco?- perguntei um pouco ansiosa enquanto ficava na ponta dos pés procurando um espaço para podermos sentarmos juntos.

                 -Achei- Justin falou sorrindo e nos puxou até a segunda fileira onde havia apenas 2 lugares, andamos um pouco mais rapido e conseguimos chegar antes de um casal, que quando percebeu que o lugar foi ocupado ficaram irritados e sairam emburrados em busca de outro assento, fazendo com que risemos achando graça da cituação- V-você viu a cara deles- Justin falou tentando parar de rir, eu e Loui assentimos ainda rindo, sério, foi muito engraçado.

                 -RESPEITÁVEL PÚBLICO...- fomos interrompidos por uma voz engraçada, olhamos para frente e vimos dois palhços, um homem e uma mulher, ambos tinham em seu rosto uma maquiagem estravagante e roupas coloridas.

                 -Não grita, vai assustar as crianças com essa voz de ogro- a mulher falou de um modo engraçado enquanto dava um peteleco na cabeça do palhaço ao seu lado, fazendo com que todos da platei rissem.

                  -Não se preocupe, as crianças não vão ter medo de mim, ao contrário de você, que fica batendo nas pessoas- o palhaço falou irritado enquanto passava sua mão por sua cabeça fazendo cara de dor e novamente a plateia riu.

                   -Cala a boca, você que provocou, seu ogro descuidado- a palhaça falou fazendo pose de desdém e rimos.

                    -Não se esqueça que todo ogro tem sua Fiona- o palhaço falou tirando uma flor amarela de sua roupa e estendeu para que ela pegasse, fazendo com que a mesma ficasse tímida e todos rimos.

                     Durante todo o espetáculo rimos, teve uma hora que um palhaço sentava em uma cadeira e colocava um copo de coca cola ao seu lado, enquanto lia o jornal outro se aproveitava de sua distração e bebia todo o conteúdo contido no copo, depois do ato se escondia atrás da cadeira de seu parceiro de cena, quando o palhaço pegava seu copo para beber sua coca percebia que o mesmo estava vazio, ele nos olhava confuso e nós apontavamos para trás de sua cadeira onde se escondia o autor do crime, (sim!, beber coca cola dos outros encondido pra mim é crime), ele enchia novamente e colocava o copo ao lado de sua cadeira, mais o outro bebia novamente, a cena se repetiu umas três vezes até que o palhaço descobriu quem estava acabando com sua bebida e colocou um monte de farinha de trigo dentro do copo, como o mesmo era escuro não podia distinguir se era líquido ou não, ele colocou o copo ao lado de sua cadeira e fingiu estar entretido com a leitura em seu jornal, o outro achando que seu amigo estava destraido nem percebeu o que estava dentro do copo, ele se apressou em "beber" o "líquido" com medo que seu parceiro o notasse, mais foi com "muita cede ao pote" fazendo com que um monte de farinha de trigo esparramasse por seu rosto, enquanto uma boa parte entrava em sua boca, todos na plateia cairam na gargalhada, foi muito engraçado, todos nos divertimos muito com as bobeiras que eles faziam.

               Quando o espetáculo acabou decidimos ir até a barraca de cachorro quente, nos sentamos em uma mesa um pouco mais afastada e esperamos alguém vir nos atender, estava um pouco cheio.

                -Selá que vai demola muito?, tô cum fome - Loui falou fazendo uma careta enquanto passava sua mãozinha por cima de sua pequena barriga enquanto estava sentada em meu colo.

                -Espera só mais um pouquinho Loui, daqui a pouco alg...- eu ia terminar mais fui interrompida por uma voz rouca.

                -Boa noite- desviei o olhar da minha irmã e olhei o garoto a minha frente, cabelos pretos e olhos azuis hipnotizantes, ele usava regata com o eslogan da barraquinha de cachorro quente, o que deixava seus braços musculosos a mostra - O que vão querer?- ele perguntou sem desviar o olhar de mim e Justin se mecheu encomodado na cadeira ao lado da minha.

                 -Vamos querer três cachorros quentes, amor, o que quer para beber?- Justin frisou a palavra enquanto passava um braço por meus ombros tentando "marcar território", mas o garoto não se intimidou e continuou me olhando.

                  -Dois sucos de maracujá, eu acho que já está muito tarde pra Loui beber refrigerante, ela pode ficar resfriada- respondi um pouco incomodada pelos olhares que recebia.

                         O garoto não desviava a atenção de mim nem por um minuto, ele me olhava curioso, como se me conhecesse de algum lugar.

                   -Então... Vamos querer três cachorros quentes, uma coca e dois sucos de maracujá- Justin falou ríspido enquanto o garoto desviava sua atenção de mim para anotar nosso pedido.

                   -Mais alguma coisa?, hoje estamos vendendo brigadeiro, é um doce brasileiro que minha mãe aprendeu a fazer, é uma delicia- o garoto falou um pouco animado mais ainda continuava me olhando.

                    -Mana, eu quelo- Loui falou fazendo bico e eu assenti, também estava curiosa para provar esse doce.

                    -Então vamos querer três...

                    -Dois, não vou querer- Justin me interrompeu, ele estava mesmo com ciúmes?.

                    -E quem disse que o terceiro seria pra você?, o outro eu iria dividir com a Loui- falei debochada mais ele não gostou da brincadeira e me olhou com raiva- Desculpe- eu sabia que ele estava furioso, porque o garoto não parava de me olhar, mais que culpa eu tenho? - Vamos querer só dois mesmo- voltei minha atenção ao garoto que assentiu e anotou.

                    -Trago seus pedidos daqui a pouco, e obrigado por pedir o brigadeiro, tenho certeza de que não vai se arrepender- ele falou sorrindo gentil e saiu indo atender outras mesas

                    -Garoto otário, cê viu o jeito que ele te olhou?- Justin me olhou furioso e eu dei de ombros - Ele que não se atreva a mexer com o que é meu- Justin falou enquanto observava o garoto atendendo outras pessoas. 

                       De certa forma o comentário de Justin mexeu comigo, eu não sabia muito bem a que ponto ele chegaria se o garoto continuasse olhando pra mim, mas... eu ainda tinha aquela sensação de que algo ruim aconteceria, mas também tinha a sensação de eu conhecia aquele garoto de algum lugar, ele se parecia muito com... O meu pai?, não!, só deve ser coisa da minha cabeça.

                       Enquanto esperávamos por nossos pedidos deixei que Loui brincasse um pouco no carrossel, não era muito longe, eu consegui vê-la de onde estava.

                      -Amor!- Justin me chamou e eu desviei rapidamente a atenção de Loui o encarando- O que acha de irmos amanhã ao cinema- ele perguntou e eu ergui uma sobrancelha confusa.

                      -Mais e a Loui?- perguntei olhando na direção da mesma que se divertia enquanto o carrossel rodava, ela estava tão feliz.

                      -Ué!, ela vai, por acaso você queria um encontro a dois?- ele perguntou com um sorriso malicioso enquanto aproximava seu rosto do meu me deixando constrangida.

                       -Eu... Não, p-porque eu pensaria assim- gaguejei e senti minhas bochechas esquentarem, ele me olhou divertido, mas o sorriso malicioso ainda permanecia em seus lábios.

                        -Não sei, talvez... Você queira ficar a sós comigo- sua voz rouca sussurrou em meu ouvido me causando arrepios, ele riu baixinho e mordeu o nódulo de minha orelha, deixei que um resmungo saísse de meus lábios e mordi os mesmos, as coisas estavam esquentando.

                         -J-Justin, aqui não!- o repreendi enquanto me afastava um pouco e ele riu.

                        -Boba- ele falou e tocou meu rosto sutilmente com sua mão esquerda - Eu amo você- ele falou olhando em meus olhos profundamente.

                         Seus olhos tinham um brilho incrível, as luzes da pequena barraca de cachorro quente iluminavam seus olhos caramelados, fazendo com que ele ficasse ainda mais lindo, ele aproximou mais nossos rostos e pude sentir sua respiração bater em meu rosto, fechei meus olhos e segundos depois senti seus lábios macios se juntarem aos meus delicadamente, ele pediu passagem e eu a dei rapidamente, senti nossas línguas se tocarem e soltei um suspiro.

                       Seus lábios se moviam lentamente, enquanto nossas línguas pareciam dançar uma com a outra, subi minhas mãos para seu pescoço e a outra pra seu cabelo puxando-os levemente fazendo com que ele soltasse um pequeno gemido entre o beijo, sorri mentalmente por saber o poder que tinha sobre ele, depois de alguns minutos nos separamos por falta de ar, nos olhamos e sorrimos um para o outro, coloquei uma mecha de cabelo atrás da orelha e desviei minha atenção até o carrossel tentando achar Loui, mais ela não estava lá.

                    -Justin cadê a Loui?- perguntei enquanto me afastava para tentar acha-la mas não a via.

                    -Como assim?, ela está bem al...- ele falou mais parou assim que viu que Loui não estava mais no carrossel - Mas ela estava ali- ele falou mais não dei atenção, Levantei e corri em direção ao senhor que monitorava o brinquedo.

                     -Com licença- chamei a atenção do senhor que olhava as crianças, ele tinha cabelos grisalhos e a aparência um pouco cansada - O senhor viu minha irmã, ela tem 3 anos, usava cabelo preso, vestia um macacão jeans escuro com uma blusa branca por baixo- falei angustiada e ele pareceu se lembrar de algo.

                      -Ah me lembro sim, um homem passou aqui e a levou- ele falou e eu o olhei indignada .

                      -Como assim a levou?- perguntei fechando minhas mãos em um punho, eu com certeza daria um soco nesse cara.

                      -Amor calma- Justin falou colocando sua mão em meu ombro esquerdo e eu o olhei com a vista embaçada pelas lagrimas que queriam escorrer.

                      -Calma?, como posso me acalmar sabendo que um maluco pode estar com minha irmã agora, fazendo não sei o quê com ela- falei com a voz embargada e minhas lagrimas desceram livremente por meu rosto.

                       -Pequena, temos que manter a calma, nós vamos encontra-la, você confia em mim?- ele falou segurando meu rosto entre suas mãos enquanto as mesmas enxugavam minhas lagrimas, assenti relutante e ele deu um sorriso fraco - Ótimo- ele sorriu e voltou sua atenção ao senhor ao meu lado, que parecia um pouco assustado com o acontecido - Ô senhor viu se ela foi levada a força?- ele perguntou e eu engoli a seco, era tudo minha culpa.

                        -Não, na verdade ela parecia feliz em vê-lo, tanto que saiu correndo de encontro com o homem, ele não estava sozinho, havia uma mulher com um criança de no mínimo dois anos- ele falou e eu o encarei confusa - Eu os vi indo em direção ao carrinho de pipoca um pouco mais a frente- ele falou mais nem esperei eu terminasse.

                             Corri em direção ao carrinho de pipoca sentindo meu coração acelerar conforme meus passos, de longe pude ver Loui, corri ainda mais, ela se virou e me olhou animada também correndo em minha direção, quando estávamos perto o suficiente me ajoelhei e a deixei que viesse ao meu encontro, abri os braços pronta para recebe-la, ela também abriu os dela, a olhei chorando e senti seu pequeno corpo se chocar com o meu, não perdi tempo e abracei com todas as minhas forças, eu não podia perde-la também, ela era tudo que eu tinha.

                            -Puque tá cholando?- ela perguntou assim que se distanciou um pouco para observar meu rosto

                            -Eu pensei eu você estivesse sumido, por favor não faça mais isso, você me matou do coração- falei com a voz embargada enquanto a puxava para mais um abraço apertado.

                            -Loui!, que alivio- ouvi a voz de Justin e depois senti braços nos rodeando em um abraço em família.

                              -Desculpe Sofia, não sabia que causaria tanta confusão assim, só queria comprar uma pipoca para Loui, depois iriamos até vocês- ouvi uma voz conhecida e sai do abraço me levantando e o encarando confusa.

 

                               -Carlos?-  sussurrei assustada encarando o pai de minha irmã, isso só pode ser um pesadelo.


Notas Finais


Desculpem os erros, tenho uma notícia, a fic já está na reta final, sim gente, tá acabando, mais não se preocupem, ainda vai ter mais umas três temporadas ou quatro, sim gente, é muito, tudo isso por vocês viu?, amo cada um(a) de vocês💟💘💝💞❤️💓bjs lindas(os)😘😘😘.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...