História Untitled - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Black Pink, TWICE, WINNER
Personagens Jihyo, Jinwoo, Jisoo, Mina, Momo, Nayeon, Sana
Tags Jihyo, Jinwoowinner, Jisooblackpink, Mimo, Mina, Minaemomo, Momo, Nayeon, Sana, Yuri
Visualizações 41
Palavras 1.051
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, sejam bem vindos!!!
Já que eu não encontro nenhuma fic descente do meu shipp nesse site, decidi eu mesma fazer! kkkk
Espero que gostem do primeiro capítulo então e isto boa leitura!

Capítulo 1 - I - No Tears


Fanfic / Fanfiction Untitled - Capítulo 1 - I - No Tears

 

   As vozes que preenchiam aquele pequeno espaço pareciam distantes dali, mas infelizmente estavam mais próximas do que Mina gostaria, as vozes das duas pessoas que partilhavam o carro com ela passavam despercebidas e insignificantes, sua cabeça estava preenchida com todos os pensamentos dirigidos a Jisoo, sua amada irmã mais velha, Morta. 

             Perder alguém próximo é infinitamente doloroso, uma parte de nós vai embora e apenas um vazio no lugar e isso machuca. Por mais pequeno que possa ser, principalmente quando é a pessoa mas importante de nossa vida, Faz-nos gritar, chorar desejar ter morrido também.  

— Morta... Ela está morta... — Mina murmurou estas palavras tão baixo, praticamente inaudível, quase podia jurar que tinha as proferido em pensamento.   Aquilo continuava tão vivido em sua cabeça como se tivesse acabado de acontecer.  Nunca conseguimos lidar com a morte de pessoas próximas a nós, principalmente as que amamos, por mais que digam que o tempo cura tudo, não é bem verdade, existirá sempre um pequeno vazio no nosso coração, sempre uma palavra, um objeto qualquer uma pequena coisa  por mais insignificante que possa parecer fará a dor reavivar-se. 

   Foi por esse motivo,  que Mina tentou desistir de tudo. Sua irmã era muito preciosa para si. Cuidava dela como se fosse uma segunda mãe. mesmo com apenas três anos as separando, confiavam plenamente uma na outra, a garota de cabelos negros era a única coisa que a confortava no meio de tantas pessoas frias e ruins. Seu pai era um advogado rígido e quase nunca estava em casa, trabalhando para pessoas que fingiam ser boas,  sua mãe apenas mostrava se sentir bem com tudo em volta, estava muito ocupada tentando mascarar a dor de ter sido traída várias vezes, apenas ligando para si mesma.

 A primeira coisa que fez foi marcar a pele pálida dos seus braços, os cortes que fazia com uma lâmina . Talvez se fizesse isso muitas vezes por sorte do destino todo o sangue do seu corpo poderia esvair-se, ou a dor que sentia na alma poderia ser compensada com a dor dos cortes em seu pulso. Isso a deixava tão fraca, não estava mais frequentando a faculdade de advocacia nem vendo seu namorado que chegou muitas vezes procura-la, mas prometeu que respeitaria sua dor, por mais que tentasse esconder de todos, não funcionou durante tanto tempo. Em uma tarde encontraram Mina desmaiada no banheiro, logo a levaram para o hospital, pensavam que a garota de cabelos longos cor de vinho frequentando psicólogos, iria resolver tudo, mas estavam enganados.

       Myoui Mina já não queria saber de mais nada, os amigos estavam esquecidos, seu namoro de três anos já não tinha tanta importância. Para que se importar e ter pessoas em sua vida se iria deixa-los?

       Logo as tentativas de acabar com sua vida prologaram-se mês por mês, ela começou a tomar remédios de uma só vez, mas nada daquilo a matava, seus pais e Jinwoo seu namorado, sempre a encontravam. O ciclo se repetia e nada que seus pais, agora se importando para não perder a única filha diziam tinha efeito, nem as súplicas de seu amor antes utópico.  

      O carro parou de andar, olhando pela janela a garota pode ver o grande edifício, o céu repleto de nuvens escuras faziam a fachada daquele lugar assustadora. — Mina? — A voz de sua mãe fez ela despertar de seus pensamentos, escondeu o diário rapidamente dentro da mala, saindo do carro suspirou e desejou com todas as forças que aquilo não fosse verdade. Depois de mais uma vez, engolir uma boa dose de comprimidos,  que a levaram para o hospital,  em conjunto com os médicos seus pais decidiram que o melhor para ela era ser internada em um hospital psiquiátrico. Segundo eles, suas tentativas de suicídio começavam a ser exageradas e percebendo que não conseguiam evitar aquilo, decidiram manda-la para aquele lugar. Onde estaria praticamente vinte e quatro horas sendo monitorada.

—  Bem vindos á  Gonjiam  —  Proferiu uma senhora, já com uma certa idade avançada. Mina estava tão absorta em seus pensamentos que  não sabia como tinha chegado até a porta do edifício. —  Obrigada —  A voz de sua mãe foi a seguinte a pronunciar-se  depois de mais uns quatros cumprimentos amigáveis os quatro adentraram em uma das divisões. 

 

 Na cabeça de Myoui apenas pessoas malucas se internavam em lugares como aquele,  e a magoava profundamente saber que os pais a viam como tal. Não valia a pena fingir que estava satisfeita com aquelas decisões, porque não estava. Da sua boca não havia saído uma única palavra desde que tinha acordado naquele dia, e ela pretendia que assim continuasse. 

 

 Cerrou os dedos na mala que estava em uma de suas mãos, a qual continha as poucas coisas de que iria necessitar ali.  — Depois voltamos para te visitar, Jinwoo também virá ver como você esta assim que chegar de viajem. — Ela não sabia ao certo o que aconteceu a seguir, sua mente estava em um perfeito modo automático, viu os pais se despedirem  sua mãe com um sorriso triste. Vius os dois abandonarem aquele lugar a deixando para trás. Ela só queria gritar com eles, insulta-los e pergunta-lhes o porque de estarem fazendo isso com ela.  Não iria ficar bem, não ia, aquilo apenas iria mata-la ainda mais lentamente e doloroso. Ela só queria morrer da forma mais rápida possível.

  O olhar de Mina voltou-se de novo para aquela mulher, quando sua voz se fez ouvir, mais uma vez. — Vamos? vou levar-te ao teu quarto. — A  jovem limitou-se a assentir com a cabeça. De seguida o passo de ambas começaram a soar pelos corredores. Vários seguranças percorriam as divisões existentes, e aquilo fez com que Mina começasse a ter noção de onde estava.  Os corredores completamente brancos não pareciam ter fim. Tudo era branco ali, Mina deu por si a achar que começaria a odiar essa cor. 

 

Os seus olhos desviaram das infinitas paredes brancas,  para irem de encontro a uns cabelos claros que chamaram sua atenção. O seu olhar desceu mais tentando ver as feições daquela pessoa, apesar dos cabelos loiros estarem ligeiramente caídos, e a franja tampando um pouco, ela consegui na mesma hora reconhecer aquelas feições. 

 O olhar da Jovem elevou-se  e assim que seus olhos se encontraram ela teve a certeza que estava certa sobre suas teorias que sempre guardou no fundo da mente. 


Notas Finais


>Gonjiam era realmente um hospital psiquiátrico na Coreia que foi fechado em 96, dizem hoje em dia que é mal assombrado.

>Sim Jisoo do Blackpink na minha historinha é irmã da Mina, Link do visual da irmã perfeita: https://goo.gl/images/qyGZF4
>Um visual desses, pode entrar namoradinho da Mina no meu mundo Untitled.9, Kim Jinwoo do Winner: https://goo.gl/images/ms79Kr

Até a próxima pessoal <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...