1. Spirit Fanfics >
  2. Upside Down (Camren) >
  3. Nonstop

História Upside Down (Camren) - Capítulo 22


Escrita por:


Capítulo 22 - Nonstop


Fanfic / Fanfiction Upside Down (Camren) - Capítulo 22 - Nonstop

#Camila 

-Não tem ninguém aqui....- falou Siope, o garoto fazia parte da gangue, bom, era um novato que fugiu de casa e sua primeira missão foi invadir a casa onde minha mãe estava com aquele monstro 

bom, pensei que minha mãe estivesse naquela casa.... mas eu avia me enganado..... 

-e agora?- perguntou Austin, o garoto que eu convoquei pra invadir junto comigo... 

olhei pros dois que me olhavam a espera de uma ordem 

-desgraçado..... ele sabia que eu ia voltar......- falei com raiva, sentia meus olhos se encher de lágrimas. Só Deus abe o que ele poderia estar fazendo com ela... 

-DESGRAÇADO...-  comecei a socar a televisão  até ver minha mão sangrar de forma exagerada e as lágrimas escorrerem pelo meu rosto

senti uma mão pesar no meu ombro... 

-eu quero.... essa casa pegando fogo....- falei com raiva o bastante pra dar outro soco na televisão

#Lauren

e lá estava eu, lendo mais um livro de novela clássica do seculo XVIII enquanto bebia uma taça de vinho branco frutado

eu estava deitada na minha cama, sentia o cheiro da Camila na minha cama, lembrava do que tinha acontecido mais cedo na escola... não sei como deixei tal ato acontecer

a cada 5 minutos minha atenção sumia do livro pro celular... nada de mensagem dela, nenhuma ligação. Mordi o lábio inferior... sábia o quanto estava sendo fraca... 

não, eu não podia me submeter a ela... 

[...]

00:00

#Camila

 estava com uma garrafa de uísque na mão, parei o carro com tudo em frente ao grande muro branco que tinha alguns seguranças na frente

como estava chovendo a maioria dos seguranças não estavam cercando o muro  e eu aproveitei pra pular o mesmo e sair correndo pelo gramado até eu chegar a grande casa 

fui escalando o cano que estava escorregadio até chegar ao lado da janela da Lauren, dei uma batida forte na janela mas foi sem querer 

dou outra batida e a janela se abre 

-CAMILA?!- ela fala me segurando e me ajudando a entrar 

foi difícil pois eu estava bem zonza e falava nada com nada

#Lauren

eu estava dormindo, quando ouso algo bater forte na minha janela, ignoro, podia ser um pássaro cego voando por ai

ouso novamente uma batida ainda mais forte e eu levanto com tudo abrindo a janela e me deparo com aquele par castanho me olhando 

-CAMILA?-falo ajudando ela a entrar e ela sai esbarrando em tudo pelo quarto

conseguia sentir o cheiro de álcool dela de longe, ela falava nada com nada e conseguia ver a cabeça dela sangrar, provavelmente batel em algum lugar e pelo visto foi forte 

-pelo amor de Deus Camila...- ela estava derrubando tudo no meu quarto, espero que meus pais não tenham acordado 

ela caminhou até o banheiro e se jogou ao lado do vaso e começou a vomitar  um monte, segurei o cabelo e massageei seu ombro pra que ela relaxasse e não sujasse o cabelo 

-Camila,  sabe que não se dá bem com bebidas e mesmo assim... você não aprende mesmo- olhei pra ela que estava quase desmaiando 

tirei a roupa dela e deixei ela dentro da grande banheira na água fria. passava a bucha pelas costas dela e logo mais lavei o cabelo da mesma 

terminando, sequei o cabelo dela com o secador e ela mal conseguia se equilibrar. Coloquei apenas cueca dela e deixei ela deitar na minha cama a mesma falava tudo embolado e eu apenas ri daquela situação...

senhor... Camila ainda era um bebe de 4 anos 

[...]

#Camila 

acordo com uma enorme dor de cabeça e começo a olhar em volta e percebo que eu estava no quarto da garota de olhos verdes 

-hum...- minha cabeça latejou e eu apenas deitei novamente.

sentia aquela bunda encaixada na minha cintura e eu comecei a ficar dura  só de imaginar eu entrado nela

me afastei dela e fiquei olhando ela dormir.... tão linda

ela tinha o semblante calmo, comecei a beijar seu ombro e a massagear a cintura da mesma, comecei a sarrar ela bem lento e forte e ouvi um suspiro dela 

-bom dia Lo...- ela sorriu e e eu também, ela abre os olhos pela primeira vez naquela manhã me dando a visão daquele verde

-Camila...- beijei o pescoço dela e a dar mordidas de leve 

#Lauren

estava meio sonolenta e conseguia sentir ela me agarrar... e tirar minha roupa até me deixar toda despida e eu continuei deitada, esperando ela terminar o serviço 

a mesma tirou minha calcinha sem mais e nem menos, sua mão espalmou entre minhas pernas. Estava toda melada mais isso só deixou ela ainda mais excitada. Quando seu dedo do meio deslizou entre meus lábios sensíveis e me penetrou, me arrebatei de vez e fechei os olhos. Daquele jeito eu me viciaria. Viraria uma dependente, totalmente dominada pôr Camila e por tudo o que me fazia sentir. Passou a me penetrar o dedo com mais força e pressão, chupando meu mamilo até doer. Eu  ondulava, abria as coxas movia meu quadril de encontro a seu dedo. Meu clitóris roçava na palma da sua mão. meus seios estavam duros, e sua boca sugava meu peito até eu achar que não aguentaria mais, então ia para o outro e o torturava da mesma forma. 

Meus lábios vaginais estavam sensíveis, um pouco dolorido, mas isso apenas aumentava as sensações extasiante. Fui perdendo o controle, tornando me mais faminta, precisava de um alivio ou explodiria em tantas sensações devassas. As mordidas em meus seios faziam minha vulva latejar e despejar líquidos em seus dedos, meus ventre contorcia, meu corpo se esticava fora do controle.

-Camila...-supliquei chorosa, meus dedos em sua cabeça, não para afastala, mas para para manter sua cabeça em meu peito

-AI, CAMILA, AI...- comecei a me mover mais descontrolada, desesperada. Ainda tentei me conter, mas não dava mai. Gozei forte, fechando meus olhos, a boca aberta em busca de ar, meu corpo todo devastado pelo prazer descomunal. Ondulei, gemi, choraminguei. E em nenhum momento ela parou de sugar forte o meu mamilo ou penetrando o dedo em mim. Quando desabei, arrasada, lambeu meu brotinho dolorido devagar devagarinho e seu dedo subiu ao meu clitóris, fazendo me estremecer e convulsionar um pouco mais. Por fim, afastou se o suficiente para me olhar. E sorriu ao ver meu estado 

la segurou minha cintura e ergueu, comecei a me mexer, minha vulva palpitava chegava a doer

seu pau abrindo caminho até meus lábios vaginais inchados e latejante. Eu arfava, fora de mim, tremendo de ansiedade.

E então ela penetrou duro, com força. Mordi os lábios para não gritar de tão grande que ela é, enquanto ela apoiava nos braços músculosos e me fudia violentamente. 

-Ah, que gostoso...Meu Deus, Lauren...- gemeu metendo mais, tirando e entrando, seu pau me deixando toda cheia...

Camila deitou-se em cima de mim, estocando duro, mordiscando minha orelha e sussurrando rouca:

-Você é a única mulher que eu quero...A única. Vai ser minha pra sempre. Minha.

-Sim...ah, Meu amor....QUE DELICIA- parecia ainda mais intenso, descontrolada. Eu sentia com perfeição deslizando, entrando, empurrando meu útero, se agasalhando em meu ventre. Choraminguei, sabendo que não aguentaria muito, meus clitóris duro e inchado roçando na cama, seu pênis duro, sem piedade, me fudendo devassamente.

-Camila, eu...Eu vou gozar...

-Goze.

explodiu num orgasmo longo e ardente, que  parecia me suspender, derrubar. Ela gemia rouca também, fora de si, inundando-me por dentro com seu esperma quente, se tornando mais e mais potente, mordendo meu ombro, dizendo palavras desconexas. Até que ambas desabamos, satisfeitas, saciadas, suadas. 

Meu surpreendi quando ela levantou e me virou fazendo eu ficar de bruços e já ia me penetrando de novo quando eu disse:

-estou cansada... não aguento mais...-minhas voz tremula 

-vai aguentar e vai gostar, gozando de novo- falou ignorando o meu pedido, e meteu aquele cacete, na minha buceta.

-AI...-choraminguei, quando ela foi mais fundo, lágrimas vieram, mas isso não fez ela parar com os movimentos.

-ai, não... Camila!- deslizou até o fundo, tão grande, que suas bolas só faltavam entrar também. Parou um pouco me fitando

-mexa o quadril. Faça meu pau deslizar nessa bocetinha apertada do caralho- parecia um maniaco fora de si. Seus olhos semi cerados, seus lábios entreabertos em busca de ar. Fiz o que ela pediu, e dei início a reboladas em baixo dela e isso deixou ela alucinada póis começou a me bombear com agressividade por um vinte minutos seguidos ora lento e hora rápido. Não satisfeita me virou e ergueu minha perna esquerda até o ombro, bem aberta se deitou sobre meu corpo e minha perna e passou a me comer com força. Eu nessas alturas gemia feito uma cadela, minhas unhas se cravaram nas costas dela e nos musculos da bunda dela. Ela largou minha perna e pegou o travesseiro e colocou em baixo da minha bunda pra ficar um pouco mais suspensa e voltou a introduzir aquela porra dela em mim, e me fodendo com brutalidade e violência por quase uma hora até ela gozar em jatos violentos dentro da minha boceta massacrada de tanto ela socar dentro, sem piedade 

estava largada em baixo do coberto  com ela em cima de mim e desabou do meu lado...

me agarrei a ela enquanto apoiava minha cabeça no peitoral da mesma e assim caímos no sono 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


eu sei, eu sei
demorou meu povo kkkk
espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...