1. Spirit Fanfics >
  2. Ursinho de Pelúcia (Sasusaku) >
  3. Minha esposa o que?

História Ursinho de Pelúcia (Sasusaku) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olha só o que a quarentena faz com a gente, Deus me defenderay. Quem aqui sonhava que em algum dia eu iria escrever uma Sasusaku? Pois eu não, não mesmo ksksksks
Eu tava ali, entediada, e me veio inspiração após ver um vídeo que me fez morrer de rir, então aqui está a Sasusaku que eu surtei dizendo que ia fazer na tl. Espero que gostem, e perdoem qualquer erro, eu acabei de escrever a one, aí já corri pra fazer a capa e vim postar. Minha primeira Sasusaku, to com o cu na mão!

Capítulo 1 - Minha esposa o que?


A vida de Sakura Uchiha era, sem dúvidas, muito difícil. Não era pra qualquer um ter que diariamente acordar às  05:00 da manhã para fazer o café, arrumar e levar as crianças ao colégio, ir para o escritório e passar horas e mais horas trabalhando. Ter tempo para si mesma? fora de questão, já nem sabia o que era isso. Seu marido, Sasuke Uchiha, teimava em dizer que tinha mais trabalho que a rosada, e o desgraçado ainda reclamava quando ela chegava morta em casa sem ânimo algum para transar.

“Mas faz tanto tempo desde a última vez que transamos, Sakura”, era o que o moreno filho da puta dizia todo santo dia quando estavam prestes a dormir. “Que mentira mais esfarrapada, seu desgraçado, transamos ainda ontem na cozinha, porque você não consegue segurar esse seu fogo.” 

E para piorar sua situação, estava tendo problemas com os filhos. Daisuke, o mais velho dos três, estava tendo constantes atos de rebeldia, e Sasuke não fazia absolutamente nada para o controlar, muito pelo contrário, sempre parecia empolgado quando o filho contava alguma travessura, como por exemplo, ficar se agarrando com uma garota no armário do zelador de seu colégio. “Esse é o meu filho, pegador igual o pai.” Os dedos de Sakura ainda doíam de tanto que puxou a orelha daquele peste irresponsável, sem contar que deixou o marido sem sexo para aprender a não incentivar o filho a fazer merda. Sarada não dava problemas em casa, o único problema é ter puxado o temperamento da mãe, ou seja, todo dia recebia uma reclamação por ter socado a cara de alguém, e Sakura não sabia como chamar sua atenção, já que fazia exatamente o mesmo na época de escola. Satoru era o mais novinho, com apenas 9 anos de idade. Era uma peste! Irritar todo mundo era especialidade do garoto, principalmente sua irmã Sarada, e foram várias vezes que Sakura tivera que tirar a filha psicopata de cima do garoto, e como sempre, Sasuke não fazia nada.

A mulher deu um longo e forte suspiro, passando os dedos entre os fios rosados. Sentia que iria enlouquecer a qualquer momento, podia até imaginar a veia em sua testa inchada, pressão alta que o diga. Pegou o celular para mandar mensagem para Sasuke, pedir que pelo menos hoje ele fosse útil e buscasse as crianças na escola.

Não vai dar, amor. Reunião com os Uzumakis daqui á duas horas.

Sakura iria surtar, e seria agora, mas sua atenção fora tomada pela chegada súbita de suas amigas até sua mesa. Hinata, Ino, Tenten e Temari pareciam tão destruídas quanto ela, exceto Temari que parecia que ia enlouquecer, e tinha um notável olhar assassino.

— Eu juro que vou enlouquecer, quero pedir arrego, fazer simpatia, qualquer coisa pelo amor de Deus. — disse uma Tenten desesperada que parecia a ponto de arrancar os cabelos.

— Juro por tudo que é mais sagrado que estou prestes a colocar o nome do Naruto na boca do sapo, como que esse homem pode ser tão inútil?

— Eu quase fiz o Gaara engolir meu scarpin ontem, porque o ruivo do diabo queria transar quando as pestes estavam quebrando a casa inteira. — Ino dizia chorosa ao lembrar de Inojin quebrando seu vaso egípcio favorito. 

— Não tem nenhuma reclamação a fazer, Temari? — perguntou Sakura ao perceber que a loira estava muito calada e séria. Olhava para um ponto fixo, e definitivamente, o olhar assassino permanecia.

— Eu não sou de falar, eu sou de fazer. — murmurou. — se eu falar o motivo de querer matar o Shikamaru, vou repensar as minhas ações e irei acabar indo presa, e eu não quero matar o pai do meu filho!

— EU DARIA TUDO PRA IR PRESA! — gritou Tenten chamando a atenção de todos os outros funcionários para a mesa das garotas.

— Definitivamente seria a solução para meus problemas, pena que sou santa demais para cometer um crime. — exclamou Ino deitando a cabeça na mesa, em um ato de cansaço e desespero.

— Você acabou de se chamar de santa, isso já é um crime contra as leis de Deus! — Hinata não perdia uma.

[...]

Sakura não imaginava que estava realmente na sarjeta, pelo menos não antes de se olhar no espelho já dentro do carro e reparar nas olheiras fundas e difíceis de não serem notadas. Começou a chorar e a culpar Sasuke mentalmente. Ela era tão linda e cheia de vida, aí apareceu aquele moreno desgraçado, filho da puta e gostoso do caralho lhe pedindo em casamento, agora ela estava ali, prestes a ter um treco e cheia de olheiras em seu magnífico rosto. 

Enquanto dirigia para ir buscar as pestes na escola, passou em frente uma loja bonita. Se lembrou do que as amigas haviam dito. “EU DARIA TUDO PRA SER PRESA”. Vejamos; na cadeia ela teria paz, sossego, tempo para ler todos os seus livros que já estavam acumulando poeira na estante, já que não tinha tempo de os ler, poderia ouvir suas músicas em paz e não teria crianças gritando em sua cabeça.

Será que a cadeia era o paraíso?

Agir com imprudência não era algo difícil para Sakura Uchiha, afinal, havia se casado com Sasuke, nada seria mais imprudente do que isso. Estacionou o carro na esquina, acionou o alarme e atravessou a rua. A loja era uma gracinha, cheia de coisas fofas que Sakura amava, mas o que lhe chamou a atenção, foi um ursinho de pelúcia na prateleira superior. Aproveitou que a atendente ajudava uma criança a escolher algo, pegou o ursinho e saiu correndo, sem pagar nem nada. Correr não era bem a palavra, já que caminhava mais do que corria.

— Puta que pariu, o que eu fiz da minha vida? — não havia tempo para arrependimentos, a merda já tinha sido feita, e agora tinha um guarda correndo em sua direção.

— Dona, pare aí dona. — Sakura esperou que o homem fardado se aproximasse. — A senhora não pagou pelo urso.

— Ah, é verdade. — respondeu em um sorriso cínico. — É eu não tenho dinheiro, ‘seu guarda.

O homem olhou para a mulher de cima abaixo, não acreditando no que ouvia. A mulher tinha cabelos cor-de-rosa, claramente bem cuidados, usava um terninho feminino branco, brincos e colar de ouro, maquiagem muito bem feita e scarpin vermelho nos pés.

— A senhora está brincando, não é?

Sakura apenas balançou a cabeça em negação, estendendo as mão para o homem. Ele não entendeu bem o gesto, ficaram exatos seis segundo se encarando, ele com cara de idiota que não entende nada, e ela sorrindo como se tivesse ganhado na loteria.

— Não vai me prender, seu guarda?

[...]

Se arrependia de não ter virado um cantor famoso, e sim um CEO, exatamente como seu pai queria. Sasuke chorava litros ao lembrar de sua banda quando estava no colegial, tinha tudo para dar certo, lógico que nesse tudo talento não estava incluído, mas isso era apenas um mero detalhe. Papelada, reuniões, papelada, telefonemas, eu já disse papelada? Ser CEO não era divertido.

O Uchiha de olhos e cabelos negros estava irritado, como sempre, e em momentos como esse, só lhe restava lembrar de sua amada esposa. Ah, como será que Sakura estava naquele momento? estaria tão cansada quanto ele? Não, com certeza não estava.

Sua esposa sumiu de seus pensamentos quando alguém bateu em sua porta, deveria ser Karin com mais papelada para ele, por isso decidiu ignorar, voltando a pensar em sua família. Seus filhos eram o seu orgulho, causando caos para onde quer que iam, e bem, se tinha algo que Uchihas amavam era o caos. Karin continuava batendo na porta, Sasuke continuava ignorando.

Sua esposa era maravilhosa, temperamental, mas isso era o que o encantava nela. O que mais amava nela? muitas coisas, mas nada o fascinava mais que o sexo deles, ele parecia um maníaco sexual? com certeza, mas o que ele podia fazer? Karin continuava a bater na porta!

— Que foi mulher? — gritou exaltado,odiava ser atrapalhado em seus momentos de reflexão sobre a vida.

— Senhor Uchiha, o delegado está no telefone querendo falar com o senhor. — respondeu com expressão aflita, Sasuke estranhou vê-la daquele jeito.

— O que será que aquele velho do Tobirama quer comigo? — murmurou Sasuke, e não demorou para se lembrar do quanto aquele delegado de araque o odiava, sempre procurando um motivo para o colocar atrás das grades, como por exemplo, a vez em que o Senju lhe prendeu por respirar demais, alegando que o Uchiha fazia mal uso do oxigênio.

“Velho maluco do caralho.”

— Transfira a ligação. — mandou, e logo Karin saiu de seu escritório. Sasuke suspirou fundo, antes de pegar o telefone e apertar o botão vermelho em seguida. — Pois não, demon..., digo, delegado Senju?....... Minha esposa o que????

[...]

Sakura não sabia, mas realmente faz diferença quando a pessoa que vai presa é rica. Seu scarpin estava no canto da cela, e seu celular e joias já haviam sido confiscados pelos policiais. Se todos ficaram espantados ao verem a esposa de Sasuke Uchiha sendo presa por roubar um ursinho de pelúcia? a mídia simplesmente parou tudo apenas para focarem nesse caso. Sakura já havia dado umas três entrevistas nesse pouco tempo, e ria sempre que imaginava a cara de suas amigas ao verem aquilo tudo.

Uma caixinha de som tocava Sevage de Bahari, enquanto em suas mãos jazia o livro A guerra não tem rosto de mulher. Sim, a prisão era o paraíso, e Sakura não tinha intenção nenhuma de sair por agora. Seu advogado já havia ligado duas vezes, mas a rosada simplesmente mandou ele ir a merda.

— Cadê a minha mulher? — Sakura revirou os olhos ao ouvir a voz de Sasuke, e ele não estava sozinho. Junto dele vinha a trupe de pestes, gritando “mamãe” como se ela fosse de outro mundo. Sasuke parou de frente a cela, com a cara vermelha e as orelhas pegando fogo. — Sakura Marie Haruno Uchiha — gritou seu nome feito louco. — Você sabe o susto que passei ao ter a escola me dizendo que você mão tinha buscado as crianças? Que porra estava pensando ao roubar uma loja? Eu te dou dinheiro pra que, mulher?

— Primeiramente; você me dá porra nenhuma, eu gasto meu próprio dinheiro, segundamente; não fale palavrões na frente das crianças, caralho!

— Mamãe, pelo amor de Deus, não me deixe sozinha com esses loucos. — suplicou Sarada se agarrando e sacudindo as grades da cela.

— Como se fosse divertido conviver com você. — Daisuke revirou os olhos.

— Mamãe, posso jogar fogo no sofá enquanto a senhora tá presa? Aliás, a senhora matou alguém? — Satoru era o único animado.

Sakura olhava aquela cena com um sorriso no rosto, pela primeira vez na vida aquelas pragas não lhe irritavam, e porque? Porque Sasuke é quem teria que arcar com tudo dali em diante, falando no moreno, já podia o ver quase tendo um ataque cardíaco, e olha que só fazia quase duas horas que ele tomava conta daquelas bênçãos do senhor, pra não dizer outra coisa.

— Sakura, amor, docinho, razão do meu viver, mulher da minha vida...— Sasuke suplicava pela atenção da esposa, que apenas o olhava com um sorriso cínico de encher as maçãs do rosto. — Pelo amor de Deus, saia dessa cela, venha pra casa comigo, vamos fazer amor quando chegarmos em casa e vamos cuidar desses anjinhos que Deus nos deu.

— Papai, como que faz amor? — perguntou Satoru puxando balançando a mão do pai.

— Eu vou vomitar. — Daisuke saiu de fininho.

— Sasuke. — Sakura o chamou, vendo-o praticamente agarrar as grades ao vê-la falar com ele. — Eu quero que...você se foda!!! — sorriu ao ver a cara de tacho dele. — Estou simplesmente cansada, cansada de você e dessas crianças que me deixam louca. Eu quero paz, e se pra ter isso eu preciso ficar presa, eu fico feliz da vida. — jogou a bomba em cima do marido, agora era ver se ele iria conseguir aguentar até que ela explodisse.

— Amor, não faz isso, eu não sei cuidar dessas crianças tão bem quanto você!

— Pois então aprenda, porque só saio daqui semana que vem. — falou se virando e tornando a se deitar na cama. Aumentou o volume da música voltando a ler seu precioso livro, tinha que terminar logo, pois havia mais 43 para ler.

Completamente derrotado, Sasuke saiu da delegacia, passando por Tobirama vendo a expressão de “tomou no cu, cuzão” na face do Senju. Sasuke ainda mataria aquele velho, se sonhasse que ele estava perto de sua mulher, arrancaria as bolas dele.

— Papai, a mamãe matou alguém? — Satoru tornou a fazer a pergunta

— Ainda não, filho, ainda não!

Sasuke arrastou seus filhos para fora da delegacia já sentindo que iria explodir, por Deus, como Sakura suportava aquilo diariamente? Com muito custo, conseguiu colocar as crianças na caminhonete, mas antes que pudesse entrar na mesma, viu quando outra viatura chegava, e o Uchiha não acreditou quando viu Hinata, Ino, Tenten e Temari saindo algemadas.

— Não acredito que a Sakura conseguiu incentivar essas malucas a fazerem o mesmo que ela. — murmurou Sasuke boquiaberto e perplexo. Logo pôde ver Naruto, Gaara, Neji e Shikamaru se aproximando. — Não me digam que as malucas ali também roubaram ursinhos de pelúcia.

— Hinata, Ino e Tenten sim, já a Temari foi presa por bater no Shikamaru. — respondeu Naruto rindo igual retardado, nada fora do normal. Sasuke olhou para Shikamaru, e pôde ver bem a marca vermelha no rosto do amigo, riu com a imagem.

— Porra Sasuke, sua mulher é doida? sabia que a Sakura era uma péssima influência para a Tenten e a Hinata. — Neji era claramente o mais irritado, tendo de defender a esposa e a prima ainda por cima.

— Eu não sei vocês, mas vou pra casa, porque aquelas crianças devem ter botado fogo na cozinha. — e após Gaara dizer aquelas sábias palavras, Sasuke se lembrou de seus filhos no carro, e gritou ao ver o carro sair andando em marcha ré. Será que ainda dava tempo de roubar um ursinho de pelúcia também? tinha certeza que sua sogra amaria cuidar dos netinhos.

 


Notas Finais


A fic mais aleatória que eu já escrevi ksksksksk meu deus, senhor me helpa.
Caso queiram saber qual vídeo que me deu inspiração, aqui está ele; https://youtu.be/eAXUXAAeyDM
Espero que tenham gostado, a ideia inicial era ter somente Sasusaku, mas aí do nada eu tava botando Naruhina, Gaaino, Nejiten e Shikatema no meio, aliás, tadinho do Shikamaru gente ksksksks morta estou!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...