1. Spirit Fanfics >
  2. Us - Yugyeom (Got7) >
  3. Capítulo 1

História Us - Yugyeom (Got7) - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo 1


— Apenas uma mordida. - digo, estendendo meu sorvete na direção de Yugyeom.

Com um sorriso debochado, o vejo morder e devolver apenas o palito, antes coberto pelo doce.

— Eu não... - paro de falar, o empurrando.

Caminho rápido, mas logo sou alcançada, já que as pernas do garoto são quase o dobro das minhas.

— Desculpa. - pede, rindo, enquanto segura meu braço.

— Não sei porque ainda ofereço. - reviro os olhos.

— Nossa amizade não pode acabar apenas por um sorvete. - sorri, enquanto aperta minha bochecha.

— Você irá pagar outro. - digo, o puxando até a sorveteria mais próxima.

Entramos, logo vejo Bambam, filho da dona, e aceno em sua direção.

— Qual é o maior pote? - pergunto, rindo pela maneira que Kim me encara.

— Mas eu... - o tailandês o interrompe.

— Você sabe que não podemos contrariar. - o mais velho afirma.

Escolho alguns sabores e uma das mesas. Volto para o balcão, pegando mais uma colher.

— Eu não quero. - nega, sem ao menos desviar os olhos de seu celular.

Apenas aceito, aproveitando a cobertura, batendo leve palmas ao experimentar.

Yugyeom permanece em silêncio, suspirando alto algumas vezes enquanto encara a tela.

— Aconteceu alguma coisa? - pergunto, batendo de leve em sua mão.

— Nada demais. - diz, mostrando uma mensagem de seu pai.

"O dia que você estiver no mesmo nível de sucesso que o seu irmão, poderemos conversar sobre o orgulho que sinto sobre isso."

— Não se importe com ele, Yug. - peço, apertando de leve sua bochecha.

Mais uma vez, ofereço a colher e, com um pequeno sorriso em seu rosto, o vejo aceitar.

— Kim Yugyeom. - escuto uma voz conhecida o chamando e, ao virar minha cabeça, vejo Jaebum.

O garoto que nos meus sonhos poderia ser, facilmente, o pai de todos os meus filhos.

Seu sorriso aberto faz seus olhos diminuírem ainda mais, dando ênfase para suas pintinhas.

Desvio o olhar rapidamente ao perceber que me encara, voltando minha atenção para o meu pote.

— Hyung, o que está fazendo aqui? - o mais novo pergunta curioso.

— Estou esperando a Nara. - dá de ombros.

— A sua gata? - questiono sem entender.

— Não. - ri, arrumando meu cabelo - A minha gata se chama Nora.

Sorrio envergonhada, apenas concordando.

— Posso? - segura minha colher, querendo experimentar um dos sabores.

Um largo sorriso surge quando sente o sabor dos pequenos pedaços de chocolate congelados.

Agradecendo, se afasta rapidamente, andando até uma linda garota que entra no local.

— Não irá reclamar que alguém babou em sua colher? - Yugyeom chama a minha atenção, levantando uma de suas sobrancelhas.

— Não, esse é o mais próximo que consigo chegar da boca do Jb. - afirmo, rindo de sua reação.

— Nós podemos ir? - pergunta, deitando a cabeça na mesa - Eu ainda preciso sair.

— Outra, Kim Yugyeom? - cruzo meus braços, o encarando séria.

— Sim, outra. - dá de ombros - A sua vida é parada, a minha não.

— Doeu. - faço uma careta, colocando a mão em meu peito.

— Você precisa conhecer pessoas novas. - diz simples, brincando com meus dedos.

— Preguiça. - respondo, colocando o pote de lado.

— Quem foi o último? - sua questão me faz pensar.

— Youngjae. - digo simples.

— No meu aniversário? - parece surpreso ao me ver concordar - Você saiu com outros depois dele.

— Eu sei, mas nada aconteceu. - afirmo sincera - Sou difícil.

— É chata, isso sim. - ri ao receber um tapa em seu braço.

— Por que isso lhe interessa? - reviro os olhos.

— Bambam queria saber. - dá de ombros, encarando o espaço atrás do meu corpo.

Viro, acenando para o garoto no balcão que parece não entender.

— Você irá deixá-lo constrangido, Yuna. - ri, meneando a cabeça.

— Bambam nunca ficaria assim. - sorrio  debochada - A confiança dele transborda.

— Quer mais alguma coisa? - a pergunta do tailandês me assusta ao se aproximar rapidamente.

— Sair com você. Pode ser hoje? - o encaro, vendo, pela primeira vez, suas bochechas corarem.

Yugyeom ri pela maneira que o garoto concorda e sorri envergonhado.

— Podemos sair juntos. - o mais novo sugere e aceitamos.

(...)

Combinamos de sair às 19h00, já arrumada, espero Bambam. Logo o garoto chega, pegamos um táxi, indo à feira noturna da cidade.

Encontramos os outros, sorrindo, acenando na direção de ambos.

— Eu não acredito. - escuto o garoto dizer baixo enquanto encara a outra.

— Bamie. -  a garota parece surpresa ao encará-lo.

Meu olhar cruza com o de Yugyeom, perdidos pela situação.

Andamos pelo local, encontrando o primeiro brinquedo em que devemos acertar o alvo.

— Um casal contra o outro? - pergunto.

— Não, eu prefiro que o Bambam seja minha dupla. - a mais nova fala, fazendo bico.

Reviro os olhos para sua voz enjoada, abraçando Yugyeom de lado.

— Não sei se foi uma boa escolha sairmos juntos. - falo próxima a sua orelha o escutando suspirar alto.

Movidos pela competitividade, acertamos o alvo várias vezes, vencendo.

Sorrio debochada, batendo na mão do mais alto que me abraça, fazendo uma dança engraçada.

Os outros parecem não se importar, focados apenas um no outro.

Andamos até outro, escutando a animação de Bambam e Lina.

— Podemos apenas deixá-los? - Kim pergunta.

— Talvez seja melhor vocês aproveitarem juntos. - digo alto, sorrindo para ambos.

— Yuna... - Bambam chama meu nome, bato de leve em seu braço.

— Está tudo bem, Bamie. - sorrio sincera, puxando Yugyeom.

Ao nos distanciar, chuto uma das pequenas pedras, bufando.

— Isso é algum tipo de brincadeira? - paro, cruzando os braços - Não tente me enganar.

O garoto não responde, apenas continua andando, puxando minha mão.

— Kim Yugyeom. - o chamo, irritada.

— Como eu poderia saber disso? - parece bravo ao perguntar.

Apenas dou de ombros, andando até uma barraca de lanches.

— Qual você quer? - analisa o cardápio.

— Eu pago. - digo simples.

Sentamos, depois de fazer nosso pedido. Percebo o olhar do garoto que desvia enquanto um sorriso envergonhado surge em seu rosto.

— O que aconteceu? - o encaro sem entender.

— Nada. - sorri, meneando a cabeça.

Comemos em silêncio, observando a movimentação.

Após terminarmos, pago, mesmo escutando suas reclamações.

Sinto o vento frio ir de encontro a minha pele exposta. Engancho meu braço ao do mais velho, caminhando entre as barracas.

— Sempre acabamos juntos. - digo sorrindo fraco.

— Não vejo problema nisso. - afirma, deixando o braço em meu ombro.

— Eu vejo. - não controlo a risada ao ver sua reação - Iremos continuar sozinhos.

— Eu não... - para de falar, encarando algo.

Sigo seu olhar, vendo Bambam e Lina aos beijos.

— Você gosta dela? - pergunto.

— Não muito. - suspira alto, puxando-me para o outro lado.

Caminhamos até a saída do local, pego meu celular, tentando ligar para minha mãe.

— Não, Yuna. - fala, segurando o aparelho.

— Ela irá lhe levar na sua casa. - afirmo, mas o vejo menear a cabeça.

— Eu não quero voltar. - fala, desviando o olhar.

— Então dorme na minha. - digo simples - Sua sorte é que meus pais amam você.

— Apenas eles? - seus lábios formam um bico.

— Não seja dramático. - peço, beijando sua bochecha.

Esperamos minha mãe, logo vemos o carro.

Entro e Yugyeom faz o mesmo.

— O seu encontro era com ele? - pergunta, mas nego.

— Fomos trocados. - digo rindo.

— Prefiro que seja assim. - sorri ao escutar nossa reclamação.

— Ele pode dormir em casa? - questiono enquanto coloco o cinto.

— Os amigos do seu irmão estão dormindo lá, então... - a interrompo.

— No meu quarto. - afirmo simples.

— Desde que se comportem. - dá de ombros.

— Mãe... - digo envergonhada, olhando para as bochechas coradas de Yugyeom.

Chegamos em casa após alguns quilômetros. Desço, abrindo a porta, acenando para os outros que estão na sala.

— Mark. - chamo seu nome, pulando em seus braços.

Ele é o melhor amigo do meu irmão e o meu preferido. Pela convivência, já conhecia Kim, o cumprimentando com um toque engraçado.

Abraço Jackson, rindo ao ver o olhar do meu irmão.

— Park Jinyoung, não comece. - peço, rindo ao vê-lo encarar Yugyeom.

— Você sabe o que faz, Park Yuna. - diz, batendo de leve em meu braço.

Subo para o meu quarto, puxando o mais alto. Procuro algumas peças, escolhendo as mais confortáveis para dormir. Despreocupada, afinal, não é a primeira vez que fazemos isso.

Tomo um banho rápido e logo o vejo fazer o mesmo. Deito em minha cama, já com uma de suas grandes camisetas que havia deixado na minha casa. O garoto senta ao meu lado com sua roupa reserva.

— Deite aqui. - bato no colchão, mas o mais velho nega.

— O seu chão é aquecido e... - o interrompo, puxando seu corpo.

— Nem pense nisso. - digo, o abraçando de lado enquanto se acomoda.

Suas mãos afagam meu cabelo, o encaro, mas seu olhar desvia de imediato.

— Estou feliz que tudo tenha acontecido dessa maneira. Afinal, se eu estivesse com o Bambam, você iria precisar voltar para a sua casa. - digo baixo.

— Seria sua chance de beijar alguém depois de tanto tempo. - ri debochado.

— Se o problema é beijar alguém, posso fazer isso com você. - dou de ombros.

— Você não teria coragem. - sorri, arrumando meu cabelo.

— Está duvidando? - apoio meu corpo em meu cotovelo, aproximando do seu rosto.

O vejo negar, virando a cabeça em outra direção, suas bochechas vermelhas são evidentes.

— Olhe para mim, Kim Yugyeom. - peço e ao vê-lo assim fazer, selo seus lábios demoradamente.

Ao me distanciar, nossa gargalhada ecoa pelo local, já que a situação é realmente estranha.

— Isso é tão estranho. - ri, cobrindo o rosto.

— Nós nunca daríamos certo. - afirmo, o abraçando, aceitando a situação.

No começo da nossa amizade, imaginei que seríamos um dos melhores casais, mas, com o passar do tempo, pude perceber que nossa amizade ultrapassava qualquer vontade.

Sim, desejava Yugyeom e, talvez por isso, não me envolvia com muitas pessoas. Mas aceito a situação, sabendo que ao menos seremos amigos até quando a vida nos permitir.


Notas Finais


Oi, amores.

O que acharam do capítulo?

Espero que tenham gostado da ideia da fic. Até o próximo capítulo. 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...