História Uva - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Castelo, Destino, Drama, Fantasia, Ficção, Incesto, Lgbt, Luta, Mentiras, Mistério, Revelaçoes, Segredos, Tragedia, Yuri
Visualizações 15
Palavras 927
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Pansexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ooolá pessoinhas lendo a fic!

Bom, a princípio eu gostaria de dizer que essa é minha primeira fanfic, entãaao, não esperem muito pois ainda estou começando...
Gosto de caps longos e história longas.
Qualquer erro gramatical ou de sentido, avisem nos comentários para serem corrigidos.
Obs: sugestões são aceitas e analisadas.
E quem prefere o modo de leitura, ou também gosta de ler no Wattpad, o link do meu perfil lá fica sempre no meu perfil, além de ficar também nas notas finais dos capítulos, eu posto igualmente as fics lá (tá, as vezes com um deleizinho lá ou aqui, mas a gente supera né).

Obs2: Haverão algumas características físicas não-reais, que não são encontradas naturalmente, ou que sejam extremamente raras, e mistura de épocas, por isso está escrito "fantasia", a história não se passa numa época, ou evento histórico, e não tem qualquer compromisso com a realidade.

Boom chega de enrolação e vamos para o início da fanfic Uva!

P. S.: Por favor não impliquem com o nome da Uva, se não gosta, imagina ela com outro nome, sei lá, mas eu NÃO VOU mudar o nome dela okay?

bjuss e aproveitem a fic <3

Capítulo 1 - Prólogo e Apresentações


Uva narrando:

Por onde começar? Meu nome é Uva, tenho 19 esse ano (e não me pergunte sobre o dia ou mês do meu aniversário, pois eu também não faço ideia), fui encontrada pela Tia Pamy, e lembro-me vagamente de seu rosto, de sua voz ou de seu cheiro, pois aos meus 10 anos, eu saí com Lina, minha melhor (e única) amiga, e Luca, meu melhor amigo (que não vejo desde então), para fazer umas compras no mercado da vila, quando voltamos, cerca de 1 hora depois, o orfanato da Tia Pamy estava completamente queimado, nenhum sobrevivente, causas misteriosas, nunca investigadas, e o incêndio foi encoberto pelo rei, sem mais nem menos, já que o orfanato era afastado, alegaram que era apenas um incêndio na mata, e o que duas garotinhas de apenas 10 anos e um garoto de 12 podem fazer? 

Enfim, depois disso fizemos um juramento, sempre ajudar um ao outro, sem segredos, sem abandonar, e se um arrumasse problemas, todos nós estaríamos neles juntos, e sempre proteger e cuidar um do outro.

Luca foi o primeiro a quebrar essa promessa. Sinceramente, sinto muito a falta dele, ele era como meu irmão mais velho, sempre enfrentava os meninos maus do orfanato, que tentavam pegar nossa comida, sempre ficava comigo quando eu estava doente, e nunca teve medo de expressar seus sentimentos comigo. Eu não lembro direito o que raios aconteceu com ele, mas ou ele está morto, ou está morto pra nós.

Meus pais nunca fizeram contato comigo, nunca os conheci, nem sei se eles sequer estão vivos, mas eu desejo desde que era criança encontrá-los. Quero dizer, se eles tiverem uma boa explicação para me abandonarem numa droga de orfanato, onde vivo até hoje, com Lina, nas ruínas queimadas de madeira antiga, do que antes era uma casa grande e bonita, que abrigava mais de 15 crianças órfas. Claros que no começo foi difícil, até mesmo ficar de pé em um chão que parecia ser de um vidro muito fino, ou um lago congelado, qualquer deslize e despencava tudo. Hoje em dia nem nos preocupamos mais com isso, pois já cresceram muitas árvores e mato em volta, então vivemos mais nos galhos das árvores do que na própia casa.

Agora chega de histórias tristes da menina órfã e sua amiga fugitiva, agora vamos ajudar na imaginção. Meus cabelos são castanho-escuro, com uma mecha rosa, bagunçados e abaixo dos ombros, lisos, eu acho, meus olhos são uma espécie de roxo-ametista, pra minha idade, sou um pouco baixa, aparentando 15, 16 anos, gosto do meu moletom cinza, e de comer uvas (não, o nome não foi por causa disso), agora, sobre o nome, Tia Pamy me deu, assim como deu a todos do orfanato, ela gosta de nomes diferentes em pessoas especiais, pelo kmenos era isso que ela dizia pra mim quando eu ficava triste por ter um nome tão exótico, "nunca fique decepcionada por não ser compreendida, docinho, não é culpa sua o fato das pessoas não perceberem o quão única e especial você é, e sempre lembre-se, mesmo quando você estiver bem velhinha, de que eu nunca deixei de amar seu nome, e nunca me arrependi de ter te nomeado assim" essas foram suas palavras enquanto eu chorava, por um homem ter rido ao ouvir meu nome.

Sobre Lina, ela tem lindos cabelos brancos curtos, mas também levemente arrepiados num estilo que lembra uma fada, seus olhos, num tom perfeitamente mel, nem marrom, nem amarelo, lembra uma mistura de bronze com ouro, e seu rosto pálido, com  bochechas rosadas e sardinhas charmosas, um nariz empinado, e uma personalidade forte, mandona, corajosa e durona, e tenho que confessar, uma ótima conselheira. Eu e ela enfrentamos a vida juntas desde o começo, sempre honrando nosso juramento. 

Lina teve uma vida difícil, o pai era seu único amigo, já que a mãe nunca foi tão atenciosa quanto deveria, nunca a maltratou, mas também nunca fez questão dela. Infelizmente seu pai fazia parte da guarda real, e um dia, num ataque ao castelo, ele foi morto, e seu corpo só foi descoberto no dia seguinte, desde então, Lina teve que se acostumar a ficar sozinha nova demais, pois sua mãe estava mais ocupada tentando manter ela alimentada, e saindo a noite, á procura de um novo marido, e conseguiu. mas ele nunca gostou da pequena Lina, de apenas 4 anos, então ela foi deixada no orfanato, apenas para ficar por lá e não atrapalhar a vida do casal, depois que eles tiveram uma filha juntos, sua mãe se arrependeu de tê-la deixado no orfanato, e voltou para buscá-la depois de 2 anos, aos 7 anos, LIna já era madura como se tivesse 16, cuidava da pequena Julieta, cozinhava para todos da casa, até que se lembrou de como sentia falta de mim e do Luca, e como era tratada mal naquela casa, então em uma noite, enquanto todos dormiam, ela arrumou uma mochila, com coisas importantes que ela gostaria de levar, pois nunca mais voltaria para aquela casa, até ia levar Julieta, mas sentiu pena de sua mãe e deixou sua querida irmãzinha pra trás, hoje em dia, Julieta tem em torno de 13 anos, de acordo com Lina, e cabelos ruivos e olhos verdes, além disso, não se sabe mais nada sobre ela.

Depois da minha recente decisão de descobrir alguma coisa, qualquer coisa sobre minha família, Lina não me apoiou, pois acha que vou me decepcionar, assim como ela, mas prefiro arriscar, afinal, o que tenho a perder? Nada, certo?

Era isso que eu pensava...


Notas Finais


Booom foi isso por hora, favoritem se gostaram, e comente o que acharam!
Sobre as postagens, vou estar escrevendo bastante nas terças e quintas, e talvez poste uns caps na parte da noite, mas preciso deixar avisado que ás vezes tenho bloqueios de criatividade e acabo ficando um tempinho sem escrever, mas tenho fé nessa fic!

Meu perfil do Wattpad: https://www.wattpad.com/A_NEW_FRONTIER/about


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...