História V de Vestidos - Capítulo 16


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Cross-dresser, Drag Queen, Hope Poderosa, Jikook, Jimin Trouxa, Namjin, Sope, Tae Lerdo, Taegucci, Taev, Vhope, Vmin, Yoonseok
Visualizações 207
Palavras 4.135
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoas!
Hoje aconteceu um fenômeno chamado: a autora da vez fugiu das responsabilidades com a vida e escreveu o capítulo no lugar de entender química.
Então, a gente tinha que postar antes.
Afinal o record de atrasos de VdeV é meu, né?
Well, boa leitura <3

MarizaCSC: olha quem está aparecendo sem ter respondido os comentários!
....
Eu mesma.
ME PERDOEM
EU JURO QUE EU ESTOU TENTANDO
MAS NEM TEMPO PRA DORMIR EU TENHO MAIS
Eu juro que vou responder vocês. ;-;
Mesmo com a minha demora, prometo que ceis ainda estão no meu coração trevoso. ❤

Oppa_Addicted: OEOEOEOEOE
Quem diria que quando autoras dizem que vão "parar de postar constantemente" elas vão postar antes????
Eu ainda não acredito.
Falei isso no capítulo passado e vou falar aqui de novo, mas: eu não tenho entrado no Spirit ultimamente! Por isso não tenho respondido ninguém. :c MAS SEMANA QUE VEM SOU EU QUE POSTO, ENTÃO ME AGUARDEM BITCHEEEEEEEEEEEEES!
A única coisa que eu tenho a falar sobre esse capítulo é que eu era a favor de escrever "Jeon Jeongguk" na capa, mas vivemos em uma democracia.
MENTIRA, O CAPÍTULO TÁ LINDO
VÃO LER
<3

Capítulo 16 - V de Vestidos? V de "VMeEngravida"


Fanfic / Fanfiction V de Vestidos - Capítulo 16 - V de Vestidos? V de "VMeEngravida"

– Então, hyung? – perguntei – qual o seu sonho?

Poderia dizer que foi engraçado ver a face de Jimin mudar do normal para surpresa em menos de um segundo. Mas não foi. Na verdade, foi desesperador.

Desde quando nos conhecemos eu achei que seria uma boa ideia usá-lo no meu trabalho de faculdade. Quer dizer, ele tinha os dramas, o amor não-correspondido e a trouxisse necessária pra se tornar um ótimo protagonista.

Eu só não esperava que fosse ser tão difícil.

Nós nos víamos uma vez por semana, nos sábados, e eu tentava ao máximo arrancar algum detalhe exclusivo da vida dele. Só que sempre, sempre, havia um detalhe que me incomodava.

Primeira lembrança? Dia em que conheceu Kim Taehyung.

Primeiro trauma? O dia em que tomou uma surra no primário defendendo Kim Taehyung.

Primeira lembrança de ensino fundamental? O dia em que foi abandonado, porque Kim Taehyung estava se pegando com um crush em algum banheiro da escola.

Admitia que estava ficando desesperado. Jimin hyung não falava nem do tal crush citado no dia em que nos conhecemos, ele só citava o melhor amigo e eu percebia cada vez mais que talvez tivesse de mudar a abordagem para tentar conseguir algum fato da vida dele que fosse apenas relacionado a ele.

Por isso fiz a pergunta do sonho. Tinha uma esperança, mesmo que pequena, que isso não levasse a nada relacionado a Kim Taehyung e que assim pudéssemos realmente começar a fazer algo útil para esse trabalho.

Claro que eu não estava preparado pra receber aquela resposta.

– Na verdade – começou Jimin, me dando um fio de esperança – na noite passada eu tive um sonho bem doido, você quer ouvir sobre ele?

Eu queria xingá-lo.

Queria amaldiçoar até a quinta geração de sua família e dizer que ia atrás de outra pessoa pra fazer essa droga de trabalho. Mas duas coisas me impediam de fazer isso.

A primeira era: a falta de tempo. Eu estava tão preocupado em ter que falar com alguém de fora da minha sala que acabei esquecendo do prazo e, quando percebi, já faltavam dois meses pra entrega do trabalho e eu estava completamente ferrado.

A segunda era: por mais que ele não admitisse, eu sabia que Jimin também era um pouco fã da V. Nunca havíamos realmente conversado sobre isso, mas sempre que via o wallpaper do meu celular, uma foto dela, o suspiro soltado por ele podia ser ouvido à longas distâncias.

– Claro – respondi.

– Foi basicamente assim – se arrumou na cadeira antes de continuar – eu sonhei que a Hope me encontrava em um café...

– Espera, Hope, a drag queen do mesmo estúdio da V?

– Isso, isso – confirmou, antes de continuar – enfim, ela me encontrou em um café e me disse que eu deveria me amar, e eu tentei, sabe? Tentei muito, mas nada deu certo.

– Okay... eu...

– Calma, eu ainda não acabei – me interrompeu – só que tive outro sonho com a Hope esses dias, nesse ela aparecia na porta da minha casa e parecia extremamente puta comigo, mesmo que eu não tivesse feito nada de errado! Então, do nada ela me deu um tapa, bem no meio da minha cara e depois foi embora, como se essa fosse a coisa mais esclarecedora que ela tivesse feito na vida dela!

Fiquei olhando pra ele por alguns segundos, antes de me arrumar na cadeira e dar o olhar mais sério que eu conseguia.

– Hyung, você tá usando drogas?

Após me encarar por alguns segundos, Jimin deu um suspiro, parecido com os suspiros que ele costumava dar quando olhava pro meu wallpaper.

– Foi só... um sonho dolorido.

Então eu esperei. Esperei por realmente muito tempo, pra ver se havia alguma chance de que minha pergunta original fosse respondida, mas, aparentemente, nada naquele trabalho seria fácil.

– Você...

– Eu não sei – respondeu – eu não sei qual é o meu sonho, realmente nunca parei pra pensar nisso.

Essa era provavelmente a hora em que eu devia ficar irritado. Mas eu não podia pensar que de certa forma aquilo era um pouco... triste.

Sabe, eu tinha um sonho. Eu queria me formar, arrumar um emprego em alguma empresa grande, editar filmes, curtas, animações. Enfim, qualquer coisa que me dessem pra editar, e crescer nesse meio. Sabia que seria feliz fazendo isso.

– Então... – comecei – por que você dança?

– Eu... acho que é porque eu sempre fui bom nisso?

– Você não sabe o que quer fazer depois da faculdade?

– Não, na verdade nunca pensei sobre isso.

– Entendi...

– Quer dizer, eu tenho várias opções, certo? Só preciso realmente avaliar elas e escolher uma.

– É.

Eu já não sabia bem o que responder nesse ponto. Finalmente havíamos começado a falar dele, somente dele, mas parecia faltar algo ali, um sonho, um objetivo, qualquer coisa.

Não podia dizer que esperava encontrar um problema assim. Quando fui falar com Jimin hyung eu sabia quem ele era, sempre o via pelo campus, seguindo Taehyung, rindo, parecendo feliz e completo.

Porém, nos dias seguintes à saída do seu melhor amigo da faculdade, ele parecia perdido, como se não conhecesse mais aquele lugar, como se não andasse pelo campus há mais de um ano e meio.

Minha teoria era que Jimin sempre viu Kim Taehyung como uma espécie de sol e inconscientemente começou a orbitar a sua volta, viver em sua sombra sem querer. Aceitou, ainda sem perceber, dar o protagonismo de sua própria vida pra outra pessoa. Como recentemente estava sozinho, se sentia perdido, pois nunca viveu como o personagem principal, só como um dos coadjuvantes na trama da vida de seu melhor amigo.

Se encontrássemos algum objetivo pra sua vida agora estaríamos completando dois objetivos de uma vez só.

Meu roteiro teria uma história sensacional com um final maravilhoso e Jimin encontraria um caminho pra sua vida, aprendendo a viver fora da sombra de Taehyung. Era perfeito.

Meu lado cineasta jamais me deixaria desistir de uma história dessas.

Voltei a olhar para meu acompanhante, que se encontrava meio encolhido em sua cadeira, parecendo tão perdido em pensamentos quanto eu deveria estar até uns minutos atrás.

– Vamos fazer um trato então, hyung – disse, sorrindo.

– Nós já não temos um? – perguntou, arqueando a sobrancelha.

– Sim, mas vamos fazer um trato dentro do trato.

­Ele me olhou por alguns segundos, provavelmente avaliando minha expressão animada, mas não me respondeu nada, provavelmente esperava que eu continuasse.

– Nós tentaremos achar algum objetivo pra você – prossegui – vamos olhar os estágios, marcar entrevistas, falar com professores e alunos que se formaram nos anos anteriores e tentar achar algo que você goste e queira fazer.

– Certo – disse ele – mas o que você ganha com isso?

– O roteiro – digo, tentando passar toda a animação que eu sentia – vai ficar ainda mais incrível.

Sorri e esperei, torcendo do fundo do meu coração para que ele aceitasse minha proposta.

– Acho que... tudo bem.

Minha expressão de felicidade só ficou ainda maior depois da confirmação, fazendo com que até Jimin, mesmo com toda aquela aura depressiva que o rodeava, sorrisse um pouco. Combinamos então como faríamos para tentar driblar minha falta de tempo para terminar o roteiro com o fato de que ele não tinha um fim.

No fim, acabamos combinando de continuarmos nos falando por mensagem e, se fosse necessário, nos encontraríamos mais vezes durante a semana.

– Ah, sim – disse, quando estávamos nos preparando pra ir embora – semana que vem vamos nos encontrar em um lugar diferente, tudo bem?

– Por quê?

– Sabe a V?

– Sei... – respondeu e pude sentir algo diferente em sua voz, parecia... nervosismo?

Decidi que o melhor a se fazer era ignorar e continuar falando.

– O estúdio em que ela trabalha vai fazer uma sessão de fotos aberta ao público e eu consegui um ingresso, porque eu não queria ir sozinho, então eu comprei um ingresso pra você também.

– Eu... não sei se eu quero ir.

– Por favor, hyung – disse, tentando soar o mais adorável possível e usando a mesma cara usada por mim quando queria convencer minha mãe a me deixar fazer algo que ela claramente não queria que eu fizesse.

Com ela não funcionava. Mas com Jimin era outra história.

Ele olhou para os lados e passou a mão pelo cabelo, antes de respirar fundo e me dar minha resposta.

– Tudo bem, eu vou.

Não pude deixar de sorrir ainda mais largo.

Infelizmente, depois disso, a semana se passou muito mais lentamente do que o normal.

Uma das coisas que eu mantinha bem escondidas sobre mim na frente de Jimin hyung era meu lado fã. Já bastava o momento vergonhoso quando joguei na cara dele que shippava TaeV no dia em que nos conhecemos.

Quer dizer, eu não queria que ele se afastasse de mim por me achar uma espécie de maníaco por shippar seu melhor amigo com uma drag queen. Mesmo que ele tivesse tido uma reação boa naquele dia, até pedindo pra eu passar a foto pra ele. Talvez ele tenha gostado do shipp. Ainda assim, era melhor não abusar.

Portanto, por mais que tivesse grande vontade, não fiquei o incomodando a semana inteira com a minha ansiedade para o ensaio fotográfico de sábado. Sofri quieto como o bom menino que eu claramente não era.

Todos a minha volta diziam que eu estava mais distraído do que o normal e que isso podia me causar problemas, mas poxa, ninguém entendia que eu estava prestes a ver minha deusa pessoalmente e que isso era emoção demais pro meu pobre coraçãozinho segurar.

Fazia pouco tempo que eu gostava da V. Descobri ela por acaso em uma revista aleatória jogada no canto de um consultório médico, todas as drag queens entrevistadas nessa revista davam respostas que condiziam com seus rostos perfeitamente maquiados e seus vestidos de marca. Mas a V não. Ela dava respostas completamente esquisitas e, de certa forma, parecia a única que estava sendo totalmente sincera ali, pelo menos pra mim.

Depois disso, fui atrás dela na internet e acabei dando de cara com suas redes sociais, descobrindo assim que ela também tinha uns tweets estranhos e completamente brisados. Ela tinha um olhar que ia de poderoso a completamente inocente em poucos segundos e parecia dizer qualquer coisa que vinha a sua cabeça, não importa o quão estranho aquilo soasse. Foi fácil demais começar a amá-la. Por isso estava tão ansioso. Queria saber se ela era tão incrível assim pessoalmente.

Admito que quase não fui capaz de dormir na noite de sexta pra sábado e que praticamente corri o caminho inteiro da minha casa até a casa de Jimin. Tentei me comportar como alguém que não está tão ansioso quando toquei a campainha e esperei que ele aparecesse, mas cada minuto a sua espera se passava tão lentamente que era como se fosse uma hora.

Quando o hyung finalmente apareceu, parecia mais animado do que quando havíamos nos visto pela última vez. Ainda assim, havia algo de suspeito em seu comportamento, ele parecia apreensivo demais pra quem estava indo em um ensaio fotográfico.

– Está tudo bem? – perguntei, quando paramos no ponto de ônibus perto de sua casa.

– Sim – respondeu, suspirando logo em seguida – é só que, eu meio que recusei um convite do Taehyung pra sair hoje, então... se sinta especial.

Não posso dizer que não fiquei surpreso com esse comentário. Duvidava que uma semana fosse o bastante pra tirá-lo da sombra de Taehyung, mas saber que pelo menos uma parte do que havíamos conversado já ajudara um pouco era gratificante. Eu comecei a nutrir esperanças de que meu trabalho e tornasse um pouco mais fácil a partir desse momento. Sabia que provavelmente ia me frustrar, mas era melhor pecar pensando positivo do que negativo.

Logo nosso ônibus chegou, e finalmente começamos o caminho até o parque em que a sessão de fotos aconteceria. Jimin olhou pra tela do celular durante a viagem inteira, o que me deu uma enorme vontade de fazer uma pergunta que há muito tempo me intrigava.

– Você tem uma conta famosa no Instagram, não tem? – perguntei.

– Tenho – respondeu, ainda olhando pro celular – por quê?

– Por nada, só pra saber.

Voltei a olhar pela janela, ignorando o pequeno diálogo que tivemos, até que ouvi um pequeno suspiro.

– Eu estou dando uma pausa nela.

– Por quê? – foi minha vez de perguntar.

– Lembra que eu te disse que gostava de um garoto há muito, muito tempo?

– Sim.

– Eu só criei essa conta pra chamar atenção dele, o que claramente não deu certo, então... eu não sei se vale a pena continuar com ela.

– Ah... Entendi.

Esse foi a única conversa que tivemos durante todo o caminho. Estava morrendo de vontade de perguntar como era o tal crush, mas não parecia um assunto muito confortável pra ele, então apenas continuei quieto.

Quando finalmente chegamos no parque, poucas pessoas haviam chegado ao local, queria ser um dos primeiros, por isso combinei o encontro com o hyung com antecedência.

Toda a ansiedade que tentei guardar durante a semana pareceu me possuir naquele momento, estava grudado à grade que separava a parte dos visitantes da parte interditada para a sessão de fotos, mas mesmo assim não sentia como se estivesse perto o bastante. Meu coração batia rápido e era impossível pra mim não olhar de cinco em cinco segundos para meu celular, vendo o tempo passar lentamente.

– Tá tudo bem? – Jimin me perguntou, colocando a mão no meu ombro.

– Não – respondi, simplesmente – eu acho que se a sessão de fotos demorar mais um minuto pra começar eu vou ter um ataque cardíaco, hyung.

Esperei pela resposta de meu acompanhante por um tempo, mas tudo o que ele fazia era me encarar como se estivesse procurando a resposta certa.

Até que ele começou a rir.

– Então tudo isso é ansiedade? – perguntou, ainda rindo da minha cara.

– Não ria de mim! – exclamei – eu só estou ansioso porque, poxa hyung, é a V, e se ela não for tão bonita pessoalmente quanto é nas fotos? E se todos aqueles pensamentos estranhos compartilhados em forma de tweet forem só uma forma de atrair fãs e ela não for assim de verdade? E se ela tropeçar, cair da escada e for impedida de vir aqui hoje e tivermos vindo aqui à toa?

Jimin me encarou, parecendo surpreso. Eu não queria ter jogado todas aquelas perguntas estranhas de fanboy pra cima dele, mas eu não tinha culpa se até um minuto atrás ele estava rindo da minha cara.

Porém, diferente do que eu imaginava, sua reação foi abrir um sorriso que parecia... apaixonado?

– Acredite, ela é tão bonita pessoalmente quanto nas fotos, as coisas que ela diz são absurdamente bizarras e conseguir a atenção daquela coisa por mais de cinco segundos é quase impossível e, sobre ela tropeçar e cair, V pode ser jovem, mas acredite em mim quando digo que ela tem experiência em andar de salto, ela não cairia da escada tão facilmente assim.

– Como você sabe? – perguntei, sem esconder minha desconfiança.

– Eu sou o melhor amigo do Taehyung, não sou? – me respondeu, se virando para frente antes que eu pudesse dizer qualquer outra coisa.

A resposta que recebi, fez com que meu coração batesse ainda mais rápido. Aquela frase significava alguma coisa, não significava? Ai meu G-Dragon, seria isso um sinal de que TaeV podia realmente ser real? E por que Jimin soou tão apaixonado quando falou da V?

Minhas duas primeiras perguntas não tinham resposta, apenas milhões de teorias que eu não poderia confirmar sem minuciosas pesquisas. Mas a resposta da última parecia óbvia, até estava me achando idiota por ter pensado nisso como uma pergunta sem solução.

Era claro que eu estava certo desde o começo: Jimin hyung também era fã da V!

– Jungkook – ouvi meu nome ser chamado e olhei na direção de Jimin – tem um cara na área reservada, eu acho que vai começar.

Me virei no mesmo instante e olhei para o cara que estava ali. Ele tinha o cabelo tingido de rosa e eu sabia que era o dono do estúdio onde a V trabalhava, por isso prestei total atenção em suas palavras.

– Boa tarde – começou, sorrindo – é um prazer abrirmos essa sessão de fotos para todos vocês! Hoje, iremos colocar à prova o talento de seis de nossas melhores artistas em fotografias que, em dois turnos, vão representar, primeiro, um passeio ao parque de uma família e, segundo, três garotas em total sintonia com a natureza. Espero que gostem, tenham um bom evento!

Aplaudi, assim como todas as pessoas à minha volta e tentei ao máximo ficar calmo, mesmo sabendo que isso seria impossível.

Pouco depois disso, as primeiras três drag queens apareceram, fazendo meu coração se acalmar um pouco ao ver que V não estava entre elas. Duas vestiam-se como crianças, uma com um vestido salpicado de bolinhas brancas e a outra com um com bolinhas vermelhas, suas maquiagens eram claras e suas perucas estavam presas em rabos de cavalo altos, com pompoms como prendedores, a terceira, porém, era a que mais se destacava, vestindo um macacão verde, óculos escuros e um grande chapéu preto que a obrigava a jogar todo cabelo de sua peruca loira para um só lado.

No momento em que ela chegou ao centro do local, tirou os óculos e mirou a câmera posicionada em sua frente, senti Jimin estremecer ao meu lado. Eu sabia quem ela era.

Aquela era a tão temida Hope.

Todas as vezes em que as três se posicionavam para uma nova foto fica claro o que queriam representar. Hope ficava sempre sentada em um banco olhando pras outras duas com um sorriso orgulhoso ou, quando as outras duas estavam sentadas ou perto de algum brinquedo, ficava por perto, como se zelasse pela segurança delas.

Ela era claramente uma mãe no parque com as duas filhas.

Quando a primeira parte da sessão de fotos acabou, meu coração voltou a bater tão rápido quanto estava batendo no momento em que havia chegado no local. Jimin hyung por outro lado soltou um suspiro aliviado.

Não demorou nem um minuto pra que ela aparecesse.

V estava maravilhosa. Seu vestido era amarelo, adornado com borboletas roxas e rosa, sua peruca, ruiva como sempre, estava presa em maria-chiquinha, as duas presilhas que a prendiam também eram borboletas. As outras duas drag queens que entraram com ela usavam roupas semelhantes, mas seus vestidos possuíam flores no lugar das borboletas, o que deixava claro quem era a protagonista das fotografias.

Antes de se posicionar perto das outras, V olhou em volta, pelas pessoas que estavam assistindo ao evento e, quando passou os olhos por onde estávamos sorriu grandiosamente. Eu não entendi bem, mas Jimin suspirou ao meu lado, então imaginei que ele também tivesse percebido.

Todas as fotos das três foram tiradas fora da área do parquinho infantil do parque. Os cenários variavam entre as flores dos diversos canteiros que decoravam o parque e era praticamente impossível não perceber que, dentre as três, V era claramente a mais radiante.

Eu estava tão focado no ensaio fotográfico que quase não percebi o tempo passando e, logo, elas haviam acabado e estavam indo de volta para o local onde deveriam ficar os camarins.

V ainda virou de costas, sorrindo, e acenou para o público, fazendo com que houvesse uma grande onda de gritos e de acenos, mesmo que ela já não pudesse vê-los.

Todos começaram a ir embora depois disso. E eu sabia que também deveria ir, mas era como se não conseguisse me mover. O êxtase de ver alguém que eu admirava tanto era tanto que me mantinha preso ali.

– Acho que só sobrou a gente – ouvi a voz de Jimin dizer ao meu lado.

– Uau – foi a única coisa que consegui responder – isso foi... sensacional.

Ouvi a risada do garoto ao meu lado.

– Foi...

– Jimin! – ouvimos uma voz gritar seu nome antes que ele pudesse completar seu pensamento.

Virei lentamente pra ver quem era a pessoa que gritava o nome do meu hyung, mas a única reação que pude ter ao ver a identidade da pessoa foi arregalar meus olhos e paralisar no lugar.

V estava ali. Gritando o nome de Jimin. Sorrindo como o ser lindo e cheio de luz que ela claramente era.

– Oi V – Jimin disse e por algum motivo o sorriso de V vacilou um pouco.

Ela olhou pra nós dois, movendo a cabeça ligeiramente e então parando em meu acompanhante com um olhar de dúvida.

– Achei que você tinha um compromisso hoje – disse, em um tom totalmente acusatório.

– Eu tinha – respondeu – só que Jungkook marcou aqui essa semana, então eu acabei vindo.

– Quem é Jungkook?

– Ele – Jimin hyung deu sua resposta enquanto apontava pra mim.

O olhar de V, então, se focou verdadeiramente em mim pela primeira vez, ela me avaliou de cima a baixo antes de fazer uma breve reverência e me estender a mão, sorrindo, mesmo que não tanto quanto estava sorrindo quando veio nos cumprimentar.

– Prazer – disse, quando finalmente consegui me mover e apertei sua mão.

– O... prazer é todo meu – falei, pausadamente, tentando ao máximo não gaguejar ou demonstrar o quanto estava tremendo por tê-la ali na minha frente.

– Então você é o amigo do audiovisual?

– Eu... – olhei pra Jimin, procurando a resposta de como minha ídola sabia qual era o meu curso na faculdade, mas tudo o que ele fez foi suspirar.

– O que Taehyung te disse sobre ele? – Jimin se colocou no meio da conversa, fazendo com que V olhasse pra ele.

– Nada – respondeu, seu olhar possuía um brilho diferente, algo que não pude reconhecer – ele só disse que você tinha arrumado um amigo que fazia audiovisual.

– Você e Taehyung realmente se conhecem? – perguntei, deixando minha curiosidade ser maior do que meu medo.

– Sim – V respondeu ainda encarando Jimin – nós somos grandes amigos.

– Oh – exclamei, finalmente tendo sua atenção de volta pra mim – isso é muito legal sabe? Porque vocês dois são incríveis, você é toda linda e eu adoro seus tweets, porque eles parecem tão sinceros que me deixam realmente feliz e Taehyung é todo talentoso e tem uma voz maravilhosa, que realmente não combina com a cara dele, mas isso não é importante, não é mesmo? O que eu queria mesmo te pedir é se você pode, por favor, tirar uma foto comigo?

V continuou me olhando, piscando algumas vezes, como se processasse o que eu havia dito anteriormente.

– Claro – disse.

Ela se posicionou ao meu lado, arrumando uma das presilhas que prendiam sua peruca e olhou pra mim brevemente, provavelmente esperando que eu pegasse meu celular. Eu estava paralisado no lugar, mas graças às forças superiores consegui pegar meu celular no meu bolso.

Mas foi aí que eu me lembrei de algo importante.

Meu wallpaper, meu bloqueio de tela, até minha senha, que era “VMeEngravida” eram dedicados à ela. Eu não podia pegar o celular ao seu lado. Não queria passar a impressão de ser tão fanático assim.

– Hyung – chamei, fazendo com que Jimin parasse de encarar um ponto aleatório do chão e olhasse pra mim – me empresta seu celular?

– Por quê?

– Eu fiquei sem bateria – menti.

– Mas você estava usando...

– Hyung – repeti, tentando passar todo o meu desespero por um olhar – por favor.

Jimin me olhou e suspirou pela milésima vez naquele dia, olhei pra V enquanto ele pegava o celular e vi que ela me encarava de forma estranha. Provavelmente era culpa do estranho diálogo que eu protagonizara no minuto anterior, mas qualquer coisa era melhor do que deixa-la ver meu celular.

Depois de usar toda a coragem que eu tinha pra conseguir uma foto com a V, ela agradeceu muitas vezes pelos elogios e sorriu, mesmo que parecesse um pouco triste. O que interpretei como o cansaço pós sessão de fotos.

– Ah, sim – disse, logo antes de ir embora – Jimin, Taehyung sente a sua falta.

Vi meu hyung empalidecer e depois olhar, com a face espantada, todo o caminho que V fez de volta para o camarim. Quando ela finalmente sumiu de vista, Jimin soltou um suspiro e me chamou para irmos embora.

No ônibus, eu queria falar sobre como me sentia animado sobre o dia que tivemos e sobre como eu era agradecido pelo fato de que ele conhecesse a V, mas a aura que envolvia meu hyung parecia tão melancólica que decidi que seria melhor não incomodá-lo.

Quando paramos na frente de sua casa, ele apenas me deu um tchau seco e disse que podíamos combinar outro dia daquela mesmo semana pra falar do roteiro, me deixando sozinho em frente à sua porta logo depois.

Não que eu tenha me incomodado muito com isso. A última coisa que tinha lembrado naquele dia era do roteiro.

Então, fui andando sorrindo até a minha casa, onde imprimiria a foto que havia tirado com a V pra complementar o mural TaeV que estava montando na parede do meu quarto.

Minha mãe me achava idiota por isso, mas eu não me importava.

No fim, eu era apenas um fã completamente feliz.


Notas Finais


Olá de novo!
Gente, eu juro que eu nunca tinha escrito tanto em toda a minha vida.
Acho que foi bullying com os capítulos o Jimin, acho sim, mas prometo (se vocês quiserem, se não só me ignorem) que tento fazer eles pelo menos um pouquinho maiores <3
Até o próximo capítulo, amores <3
Ah sim, a enquete (desculpa por não ter tido semana passada): https://pt.surveymonkey.com/r/8H6D233
Beijinhos <3

MarizaCSC: Não tenho muito o que falar, aish.
O mundo é... complicado, não acham? #NaBrisaAntesDeDormir
Deem amor a esse Kook e até a próxima, amores. ❤

Oppa_Addicted: A VIDA TÁ FUNCIONANDO PRA ALGUÉM NESSE ARCO, É ISSO MESMO?????
Hoje é aniversário do Jimin, mas o Kookie tá de parabéns.
(perdoa eu)
SEMANA QUE VEM TEM MAIS SOFRÊNCIA AEEEEEEEEEEEEEE!!!
Prometemos que não dura muito mais. Até porque o Tae é movido à atenção, né, rs.
Prometo tentar postar semana que vem!
Kissus <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...